Instalando Oracle 10g R2 no CENTOS 5 x86-64

Após a utilização de alguns tutoriais, resolvi escrever este artigo baseado na oracle-base.com para instalação específica do Oracle 10g R2 no CENTOS 5 x86-64.

[ Hits: 78.058 ]

Por: Tony Douglas Rodrigues em 08/06/2008


Instalação Oracle 10g R2 CentOS 5 x86-64



Oracle Database 10g Release 2 (10.2.0.1)
Instalação e configuração CentOS 5

Neste artigo vou descrever a instalação do Oracle Database 10g Release 2 (10.2.0.1) no CENTOS 5 x86-64. O artigo é baseado em uma instalação de servidor semelhante a este, com um mínimo de 2G swap, dependendo da memória de servidor:
  • GNOME Desktop Environment
  • Editors
  • Graphical Internet
  • Text-based Internet
  • Development Libraries
  • Development Tools
  • Legacy Software Development
  • Server Configuration Tools
  • Administration Tools
  • Base
  • Legacy Software Support
  • System Tools
  • X Window System

Download a seguir do Oracle:

Oracle Database 10g Release 2 (10.2.0.1) Software

Descompactando o Oracle:

$ gunzip 10201_database_linux_x86_64.cpio.gz

Agora você deve ter um único diretório contendo arquivos de instalação.

Caminho dos arquivos:

O arquivo /etc/hosts deve conter um nome totalmente qualificado para o servidor:

<IP-endereço> nome permitido

Editar os parâmetros do kernel:

Adicione as linhas no seguinte arquivo /etc/sysctl.conf:

kernel.shmmni = 4096
kernel.sem = 250 32000 100 128
net.ipv4.ip_local_port_range = 1024 65000
net.core.rmem_default=262144
net.core.rmem_max=262144
net.core.wmem_default=262144
net.core.wmem_max=262144

Rode este comando para atualizar os parâmetros do kernel:

# /sbin/sysctl -p

Adicione as seguintes linhas ao arquivo /etc/security/limits.conf:

*               soft    nproc   2047
*               hard    nproc   16384
*               soft    nofile  1024
*               hard    nofile  65536

Adicione a seguinte linha ao arquivo /etc/pam.d/login, caso ela ainda não exista:

session    required     /lib/security/pam_limits.so

Desabilite o parâmetro editando o arquivo /etc/selinux/config, SELINUX flag, segue especificação:

SELINUX=disabled

Em alternativa, esta alteração pode ser feita utilizando a ferramenta GUI (Sistema > Administração > Nível de Segurança e Firewall). Clique na aba SELinux e desative o recurso.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Instalação Oracle 10g R2 CentOS 5 x86-64
   2. Instalando e configurando os pacotes
   3. Instalação do Oracle
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Principais Processos em Background do Banco de Dados Oracle

Oracle 10g: Startup automático

Memórias Database Oracle (SGA x PGA) - Entenda a diferença e como calcular a HugePages

Instalação do Oracle Database 10g R2 no Debian Etch 4

Instalando Oracle 10G

  
Comentários
[1] Comentário enviado por marcosmiras em 09/06/2008 - 11:49h

Centos crescendo cada vez mais... ótimo artigo!
[]'s

[2] Comentário enviado por condector em 10/06/2008 - 07:02h

Parabéns pelo ótimo artigo Tony.

Hehhehe.

Abração.

[3] Comentário enviado por candrecn em 26/06/2008 - 10:03h

São lamentáveis conselhos como esses "SELINUX=disabled".

[4] Comentário enviado por condector em 26/06/2008 - 10:40h

São lamentáveis comentários como esse.. porque não explicar então caro colega, como fazer ativando o SELinux ao invés de tentar degradar o trabalho colaborativo alheio??

[5] Comentário enviado por tonydouglas em 26/06/2008 - 12:09h

Alheio se eu não tivesse identificado o site oraclebase.com como referencia e outra apenas escrevi colocando alguns passos adicionais para o funcionamento. E se quiser coisa melhor compre um livro. tornar alheio;; alienar;; transferir o domínio de, para outrem e só para complementar se você entrar este artigo registro em algum lugar com patente me avise por favor que reintero e peço desculpa a todos que leram pois não foi minha intensão. Afinal tenho mais o que fazer.

[6] Comentário enviado por candrecn em 26/06/2008 - 13:44h

Oh "degradar o trabalho colaborativo alheio". Então digamos que se alguem lança um "trabalho colaborativo" que "explica" que para compartilhar arquivos no samba deve tacar um "chmod -R 4777 /", as pessoas que tem um mínimo de noção devem ficar caladas só para não "degradar"? Ou que "não ative um firewall na sua rede porque se não o serviço não vai funcionar, deixe sua rede direto no roteador e de preferência as estações com IPs públicos."

Cá entre nós, achei meu comentário no mínimo leve, para tal fato. Acho uma irresponsabilidade qualquer artigo que exponha métodos que removam qualquer tipo de recurso de segurança globalmente (ou seja, esse parametro não afetará apenas o Oracle, como todos os serviços rodando no servidor) em pról a "facilidade" de instalação e configuração, já que muitos dos usuários leigos que lêem acham que quem escreve é um "GOD" e acabam abrindo seus sistemas devido a irresponsabilidade "alheia".
Não importa se site X ou Y fala que deve ser tirado X ou Y recurso de segurança, é erro do site, e é um irresponsabilidade de quem propaga o erro. O mínimo que deveria ter sido feito é mencionar no artigo que o SELinux é um recurso de segurança, e que utilizando aquele parametro você o estará desabilitando permanentemente de forma dar um "alerta" ao usuário leigo ou desinformado que pode não saber do que se trata e tratar-lo como um "simples parametro de sistema desnecessário", assim como ele foi tratado no artigo. Sem contar que a falta de profundo conhecimento a respeito do assunto pelo autor do artigo também não o livra da responsabilidade "ahh, eu só dei um ctrl+c e ctrl+v"...
E existem muitas maneiras de se contornar esse problema sem afetar a segurança de todo o sistema, como a criação de módulos para o SELinux liberando as regras necessárias para o funcionamento do Oracle sem comprometer outros serviços.
Cya.

[7] Comentário enviado por candrecn em 26/06/2008 - 13:56h

Ah, se não perceberam, o comentário foi apenas pelo "SELinux=disabled", não discuto o restante, como eu disse, um alerta aos leigos a respeito, não faria nenhum mal. Sem mais.

[8] Comentário enviado por tonydouglas em 26/06/2008 - 15:01h

Você não acha melhor parar por aqui, vamos fazer o seguinte eu altero o artigo e você faz as configurações de segurança que julga necessário, ai você posta no site, porque não tratei de segurança na instalação.Pode Ser. Obrigado

[9] Comentário enviado por khoriati em 29/10/2008 - 05:16h

Tony,

Parabéns pelo excelente artigo. Tenho certeza de que evitou que muita gente perdesse várias batendo cabeça.

Gostaria apenas de deixar meus comentários sobre o "SELINUX=disabled", que gerou tanto barulho aí em cima.

Como a maioria já sabe, este parâmetro pode realmente fazer a diferença em servidores onde exista a necessidade de acesso ao shell.

Neste nosso caso, de um servidor rodando Oracle em produção, principalmente em ambientes expostos, o administrador de rede utilizaria os parâmetros necessários para a instalação e, sabendo do impacto do "SELINUX=disabled", limitaria o acesso a esse servidor exclusivamente pelas portas 22 e 1521 (um "chiita" provavelmente até altere essas portas default), além de verificar a real necessidade de manter o parâmetro "disabled" após a instalação.

Sugiro que continue sempre produzindo matérias com tal qualidade, objetivas e de fácil implementação e, não esqueça de que sempre pode aparecer alguém "sem educação" que pode abalar seus ânimos.

Parabéns mais uma vez.


[10] Comentário enviado por erisnaldo em 20/03/2009 - 14:46h

Meu caro ,é o senguinte estou tentando instalar o oracle 10G no Centos 5´e seguir todos os procedimentos , só que quando vou executar o ruinstall ele diz:
Permissão negada.
Já no RHEL4 não da esse erro, instala normal estarta o banco tudo blz.
Vc por acaso já passaou por isso? pode me dar um help?
valeu pelo Tutorial.

[11] Comentário enviado por mago_dos_chats em 17/05/2012 - 15:42h

Para as permissões entre no diretório que contem a pasta database e rode o comando:
"chown SEUUSUARIO_SEM_SER_ROOT database -R"
e pode executar o runInstall com o SEUUSUARIO_SEM_SER_ROOT
vlw.


Contribuir com comentário