Instalação do Void Linux em UEFI + Dual Boot com Windows

Após ver algumas pessoas com dificuldade para instalar o Void Linux em ambientes UEFI, resolvi fazer algo ousado. Como eu não tinha um PC com UEFI, apenas Legacy, peguei o notebook da esposa e fiz o procedimento, colocando em perigo o Windows dela. Arrisquei minha vida, eu sei.

[ Hits: 2.698 ]

Por: Xerxes Lins em 23/09/2019 | Blog: https://voidlinux.org/


Introdução



O procedimento foi realizado em um notebook LENOVO ideapad 310. Não sei o quão diferente seria o procedimento em outros modelos.

Antes de tudo, no Windows, acesse o Gerenciador de Discos e diminua o tamanho de uma partição para poder ter espaço para instalar o Void Linux. Difícil dizer qual é o tamanho ideal, pois isso depende do espaço que você tem disponível. No meu caso, o sistema principal é o Windows (notebook da esposa, lembra?) e por isso, dos 1TB totais, reservei somente pouco mais de 200GB para o Void. Se você não está fazendo dual boot com Windows, pode pular esse procedimento.

O segundo passo foi desabilitar o "secure boot" e o "Intel Plataform Trust Technology".

Obs.: não sei se é necessário desabilitar o Intel Plataform Trust Technology, mas eu o fiz.

Para isso, é preciso entrar no setup do notebook. Isso depende de modelo para modelo. Às vezes basta pressionar alguma tecla "F*" logo após ligar o computador.

No meu caso, precisei desligar o computador e enfiar um clipe de papel em um buraquinho do lado direito do notebook. Assim ele liga e permite entrar no setup.

Baixei a ISO do Void versão glibc, sem ambiente gráfico, em:
Para gravar a ISO em um pendrive no sistema Windows, pode usar o USBWriter:
Para gravar no Linux, pode usar o comando "dd":

# dd bs=4M if=[caminho da Void ISO] of=/dev/sdx && sync

Obs.: troque "/dev/sdx" pelo dispositivo do pendrive. Veja com o comando "fdisk -l". Não use o número (/dev/sdb1, por exemplo) e sim até a letra (/dev/sdb, por exemplo).

Agora, para dar boot no pendrive, espete o pendrive e ligue o computador. Se tiver alguma tecla para pressionar para escolher por onde dar boot, pressione-a e escolha boot pelo pendrive (usb device). No meu caso também precisei enfiar o clipe no buraquinho para isso.

A ISO do Void deve iniciar. Agora sim, vamos instalar.

Instalação

Assim que iniciar o sistema live, logue-se como root. A senha é "voidlinux". Configure o teclado para português do Brasil, com:

# loadkeys br-abnt2

Ou, inicie logo o instalador com:

# void-installer

A primeira opção será configurar o teclado. Escolha "br-abnt2".

Se você está com cabo de rede, já deve estar com acesso à Internet. Se não, caso precise da WiFi, saia do instalador (se estiver nele) e veja como confifurar WiFi a seguir.

Obs.: no instalador também tem um configurador de rede que deveria configurar WiFi, mas comigo não funcionou. Então fui para o método manual.

Opcional: troque o shell do root de "sh" para "bash", pois assim fica mais fácil, por causa do autocomplete. Para isso edite o "/etc/passwd" com o editor Vi, e na linha do root troque o "sh" por "bash", salve e feche o arquivo. Relogue como root.

Método manual para configurar WIFI

Método manual foi usando wpa_supplicant.

Primeiro passo é achar seus dispositivos de rede. Para isso, use o comando:

# ip link show

Dentre os dispositivos exibidos, o de rede sem fio será um que começa com "w", provavelmente "wlp2s0" ou algo semelhante.

Agora é necessário "subir" tal dispositivo. Para isso use:

# ip link set up [dispositivo]

Se der algum erro referente ao "rfkill" significa que o dispositivo está bloqueado. Para desbloquear use o comando:

# rfkill unblock all

Depois verifique se ainda está bloqueado com:

# rfkill list

Agora deve aparecer "softblocked: no" para todos.

E execute o "set up" novamente.

Mas se não der erro nenhum, quer dizer que está OK.

Agora vamos configurar o wpa_supplicant. Primeiro copie as configurações padrões para o arquivo referente ao seu dispositivo:

# cp /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant.conf /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

Troque [DISPOSITIVO], do comando acima, pelo seu dispositivo. Exemplo: "/etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-wlp2s0.conf".

Você precisa saber se a segurança da sua rede sem fio é WEP ou WPA. Se não souber, terá que acessar as configurações do seu roteador para ver. Ou testar logo o modo WPA que é o mais usado.

Se for WEP basta editar o arquivo "wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf e colocar o nome da rede e sua senha lá.

# vi /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

network={
    ssid="NOME-DA-REDE"
    key_mgmt=NONE
    wep_key0="SUA-SENHA"
    wep_tx_keyidx=0
    auth_alg=SHARED
}

Salvar e sair.

Se for WPA, muda um pouco. Primeiro execute:

# wpa_passphrase NOME-DA-REDE SUA-SENHA

Isso deverá gerar um trecho de texto, só para você conferir.

Agora execute novamente, mas enviando tal trecho para o arquivo de configuração do seu dispositivo:

# wpa_passphrase NOME-DA-REDE SUA-SENHA >> /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

Poderá conferir com:

# cat /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

Agora reinicie o DHCPCD e conecte usando o wpa_supplicant:

# sv restart dhcpcd
# wpa_supplicant -B -i [DISPOSITIVO] -c /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

Espere uns 3 a 5 segundos e depois teste a conexão com:

# ping www.google.com -c4

Deve ter resposta. Mas se por algum motivo você não conseguir resposta do "www.google.com", mas conseguir resposta do "8.8.8.8", adicione o DNS do Google ao "resolv.conf", assim:

# echo >> "8.8.8.8" /etc/resolv.conf

E tente pingar o "www.google.com" novamente.

Pronto! Rede configurada.

Observações durante o instalador

O processo de instalação pode ser iniciado com:

# void-installer

Basta seguir os passos. Na parte de selecionar a fonte dos pacotes (Local ou Rede - Network) eu selecionei Local para garantir (depois que instalar o sistema basta atualizar ele).

AGORA, ATENÇÃO! Quando chegar na parte de criar as partições (vai abrir o cfdisk), leia a mensagem com cuidado. Em resumo, dirá que para sistemas EFI será necessário criar uma partição FAT32 com pelo menos 100MB e montada em /boot/efi.

Se, antes de abrir o cfdisk, ele perguntar se quer usar DOS ou GPT, escolha GPT (pois estamos instalando o sistema em UEFI). No meu caso ele não perguntou, mas ao abrir o cfdisk, no topo, já mostrava que estava em GPT, mas já vi casos em que é perguntado.

No espaço livre crie uma partição de 500MB, como tipo EFI File System (Sistema EFI), mesmo que já exista uma! Deixe a outra lá quietinha, pois é a do Windows - no caso de Dual Boot. O restante do espaço livre use como quiser. No meu caso, eu nem fiz SWAP. Usei o restante para a raiz e pronto (sistema de arquivos Linux). Em resumo você deverá ter, no mínimo, uma partição EFI de 500MB e outra do tipo Linux com o resto do espaço.

Ao terminar de criar as partições, o instalador seguirá para o passo seguinte que é a formatação e a montagem.

IMPORTANTE: a partição que você CRIOU de 500MB como EFI, deve ser formatada (o sistema não diz formatar, mas pergunta se quer criar uma nova, que é a mesma coisa) com o formato VFAT (FAT32). Depois escolha montá-la em /boot/efi. A outra partição (ou outras partições) monte nos locais corretos ao seu gosto. No meu caso só sobrou a raiz (/). Quando terminar escolha "done".

Dessa vez, o instalador não descerá para o próximo passo automaticamente, por segurança. Mas você deve ir para o próximo passo que é a instalação do sistema. Ele perguntará se está tudo OK e mostrará um resumo do que será feito. Confira. Mande seguir se estiver OK.

Quando terminar de instalar, o sistema poderá ser reiniciado!

Pronto, Void instalado no sistema UEFI!

Windows não apareceu no GRUB?

Após o primeiro boot, no meu caso, o Windows não apareceu no GRUB. Mas não entrei em pânico. A primeira coisa a fazer é conectar-se. Se estiver com cabo, já estará conectado. Se precisar de WiFi, veja os passos anteriores sobre como conectar manualmente. Que em resumo será:

# rfkill unblock all
# ip link set up wlp2s0
# sv restart dhcpcd
# wpa_supplicant -B -i wlp2s0 -c /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-wlp2s0.conf

Obs.: troque o "wlp2s0" pelo SEU dispositivo de WiFi. Veja com:

ip link show).

Com conexão OK, atualize o sistema:

# xbps-install -Syu

E repita o comando! É importante, pois uma vez ele atualiza o xbps, e na outra ele atualiza os demais pacotes.

Para fazer o Windows aparecer no GRUB, veja se tem o "os-prober" instalado:

# xbps-install os-prober

Depois execute:

# os-prober

Só para ver se ele detecta o Windows. Se detectar, aparecerá uma linha como:

/dev/[email protected]/efi/Microsoft/Boot/bootmgfw.efi:Windows Boot Manager:Windows:efi

Agora reinstale o GRUB da seguinte maneira:

# grub-install --target=x86_64-efi --efi-directory=/boot/efi --bootloader-id=void_grub --boot-directory=/boot --recheck --debug

Aparecerá várias linhas de mensagens.

Reinicie o sistema e agora sim, o Windows aparecerá no GRUB. Foi assim que eu fiz e deu certo.

Conclusão

Agora com o sistema instalado, em UEFI, e com Dual Boot com Windows, posso respirar aliviado. A esposa não me matará. O objetivo não foi cobrir TODA a instalação do Void, passo a passo, nem sua pós-instalação, pois existem MUITOS vídeos sobre isso no YouTube. Mas nenhum especificamente sobre UEFI + Dual Boot com Windows (até onde eu vi).

Para conseguir fazer o proposto, eu precisei consultar algumas páginas:
   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor

Xubuntu Retrô (ao estilo Space Invaders)

Um pouco sobre Budgie Desktop

Acesso remoto para principiantes

Mamãe, quero Arch! (parte 1)

Samba no Arch Linux (para principiantes)

Leitura recomendada

As Principais Distribuições GNU/Linux - Versão 2012

Fontes da Microsoft - Instalação no Ubuntu e Fedora

KDEmod: Tornando mais simples o KDE do seu Arch Linux

Boot Linux - o que acontece quando ligamos o computador

Detecção de intrusos (IDS), conceitos e implantação do SNORT

  
Comentários
[1] Comentário enviado por nicolo em 25/09/2019 - 10:59h

O Artigo vai para os favoritos, por ajudar uma das coisas mais complicadas da interação sistema x hardware.

O comportamento do EFI varia em cada BIOS. Duas placas da Gigabyte tem comportamentos incrivelmente diferentes. A GA-970-DS3P-FX (com processador AMD FX8230) e a GIGABYTE GA-78LMT-USB3 R2 com o mesmo processador parecem ter vindo de planetas diferentes. A série 970 é, teoricamente, mais moderna que a série 78, entretanto a R2 (não se trata de mera revisão da BIOS) é um relançamento modernizado com chipset-AMD 78.

Nos dois casos foram instalados o Windows 10 e o Ubuntu 18.04 em Hds SSDs separados. Ambas as BIOS são EFI.

No caso da 78 R2 tudo ocorreu uma boa. O Linux foi instalado primeiro, o Windows depois e bastou um grup update para colocar o Windows manager no GRUB. O SETUP da BIOS da 78 R2 é simples e descomplicado.

No caso da 970 , O SETUP da BIOS é sofisticado e causa a impressão que foi considerado apenas para Windows. A BIOS memorizava Ubuntu e Windows manager de maneira equivocada e não foi possível apagar isso nem descarregando s CMOS. Tanto o Linux como o Windows 10 foram instalados com EFI em seus respectivos HDs SSDs. O boot tornou-se errático, na maioria das vezes acessando somente o Windows, não importando a seleção do boot na BIOS.
No final o boot só se estabilizou quando foi selecionada a foram legacy em todos os parâmetros. Um non sense.

PS: São dois Windows 10 legítimos com licença registrada e nota fiscal.

[2] Comentário enviado por clodoaldops em 26/09/2019 - 09:31h

Arriscou o pescoço
Parabéns pela ousadia

[3] Comentário enviado por edps em 02/10/2019 - 19:52h


Bem explicada a parte do Wi-Fi, eu tenho que fazer justamente isso no outro PC, este PC usará uma horrorosa antena Wi-fi com driver rtl8188fu, driver esse que consegui compilar e habilitar no Void com o DKMS, mas não conectava.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts