Instalação de servidor Slackware 10.2

Fazer com que o Slackware 10.2 se torne um autêntico servidor é de certa forma uma verdadeira "barbada", mas é claro que somente após a devida instalação e eventuais ajustes de configurações. Aqui tentarei mostrar os passos para fazer com que o Slackware opere em modo texto como servidor de internet.

[ Hits: 58.145 ]

Por: Josevaldo da Rocha Santos em 25/07/2006


Instalação do Slackware 10.2



Material necessário:
  • Um computador com duas placas de rede que seja disponibilizado exclusivamente para essa aplicação;
  • Os CDs de instalação do Slackware 10.2;
  • Link de internet para eventuais downloads de arquivos.

Instalação do Slackware 10.2


Vamos então à instalação do nosso Slack 10.2:

Dê o boot pelo CD 1 de instalação do Slackware.

Na primeira parte em que ele parar no "boot", dê "enter" para que você depois possa configurar o layout do teclado a ser utilizado.

Após escolher o layout do teclado, confirme digitando "1".

Deve ter chegado agora no login do Slack, confirme com enter novamente e vamos então fazer a configuração de nossa partição no HD.

Utilizando cfdisk o sistema então irá lhe mostrar o HD disponível para instalação. Caso o HD seja de 40 GB, utilize as configurações abaixo:
  • Crie a primeira partição com 39GB;
  • Selecione a segunda partição menor e depois "TYPE", coloque no type 82 (Linux swap);
  • Selecione a primeira partição maior e depois "BOOTABLE", após esse procedimento selecione WRITE e depois yes;
  • Terminada essa etapa, saia com QUIT e você voltará para o "Slackware login".

Com isso, agora vamos a instalação propriamente dita:

Digite:

# setup

Selecione a opção "ADDSWAP", confirme tudo o que vier pela frente.

Na opção FORMAT, formate a partição maior utilizando o tipo de arquivo ReiserFS.

Agora vamos selecionar nossos pacotes. No SOURCE MEDIA SELECTION há quatro opções, escolha CDROM e depois install from a Slackware, auto e com calma vamos escolher nossos pacotes.

Marque apenas as opções:
  • base Linux;
  • various applications that do not need x;
  • program development (c, c++);
  • Linux kernel source;
  • system libraries (need by kde, gnome, x and more);
  • networking (tcp/ip, uupc, mail, news) ;
  • tex typesetting software;
  • tcl/tk script languages.

Escolha o tipo de instalação como FULL e espere o PC instalar todos os pacotes.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Instalação do Slackware 10.2
   2. Configuração de nossas placas Ethernet
   3. Fazendo NAT na nossa rede
   4. Utilizando um servidor DHCP
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Instalação de configuração do RIS para gerenciamento de imagens Ghost no Windows

Squid configurado como proxy no Ubuntu Server

Mais sobre terminais leves....

Interligando o Asterisk com o callcenter

Utilizando certificados e-CNPJ e e-CPF no Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por coffnix em 25/07/2006 - 22:39h

cara, vc poderia ter colocado dicas de como instalar e configurar o MRTG, Apache, SSH e Samba.... seria um conhecimento à mais e enriqueceria muuuuuito esse artigo.... meu pc nuuuunca roda só isso....

mas valew, excelente artigo!!!! té mais

[2] Comentário enviado por bolhoso em 26/07/2006 - 03:23h

Apenas uma contribuição de arquitetura do slack:

coloque os modprobe no /etc/rc.d/rc.modules, que é o script padrão de carregamento dos módulos. Ele é executado antes de vários outros, assim podendo carregar módulos que são pré-requisitos de, por exemplo, placas de rede.

Crie as regras do iptables em um script separado, o qual você pode colocar uma chamada ou no rc.local (como está sendo feito) ou no rc.inet2 (o que faz mais sentido). No rc.local, é interessante pois a manutenção fica msi centralizada das alterações locais, em contrapartida o serviço de forward será inicializado por último na estação.
Assumindo que existe o /etc/rc.d/rc.firewall, que dispara as regras do iptables, adicione em um dos arquivos citados (mantendo o padrão do slack)
if [ -x /etc/rc.d/rc.firewall ]; then
. /etc/rc.d/rc.firewall
fi;

[3] Comentário enviado por bolhoso em 26/07/2006 - 03:30h

Outra dica de arquitetura, agora em relação a subir as placas de rede, é o fato de automatizar o ifconfig ... up e o pegar o ip por dhcp.
Existe um arquivo, não executável, que contém as configurações de N placas de rede: /etc/rc.d/rc.inet1.conf
Lá, existem as seguintes diretivas:

IPADDR[0]=""
NETMASK[0]=""
USE_DHCP[0]=""
DHCP_HOSTNAME[0]=""

Respectivamente, é o seguinte:
1) ip da placa de rede que será o eth0
2) máscara da rede que a placa está ligada
3) caso o ip seja obtido via dhcp, coloque yes nesta linha e não coloque nada ("") na linha 1 e 2 da interface atual
4) caso saiba o hostname do servidor dhcp, coloque aqui. Vazio caso queira que um pacote broadcast seja mandado.

Esse arquivo contém vários grupos dessas diretivas, uma para cada interface de rede.

[4] Comentário enviado por bolhoso em 26/07/2006 - 03:31h

Aproveitando o embalo, segue a página de configuração de rede do slack (doc oficial)
http://www.slackware.com/config/network.php

[5] Comentário enviado por InFog em 26/07/2006 - 08:26h

Josevaldo,

Gostei do artigo, mas faltou dizer como essa maquina vai se conectar a internet, pelo que vi ela está em uma rede que já tem um gateway, pois não vi você configurando uma conexão adsl ou mesmo discada. Se ele se conecta a um modem roteado você já não precisaria desta máquina, bastando apenas configurar o modem como server dhcp e ligando-o a um hub, assim você aproveitaria bem mais esses 40GB de hd ae. Mas mesmo assim gostei muito do artigo e combinando essa parte com um proxy ficaria muito bom, Parabéns!

InFog

[6] Comentário enviado por l34ndr0p1m3nt4 em 26/07/2006 - 13:52h


Prefiro deixar a 1ª partição como SWAP para melhor desempenho.


[7] Comentário enviado por thelinux em 26/07/2006 - 15:28h

Parabéns pela iniciativa de colaborar. E, o que você escreveu foi um Artigo e não um livro.
Bom artigo mesmo. Sempre colabore, faz bem a mente.
Sinceramente thelinux.

[8] Comentário enviado por n0ik em 27/07/2006 - 00:00h

como você está tratando de um server vc poderia ter postado um firewallzinho pra galera e ter explicado como fechar portas e serviços desnecessário...
tirando isso o artigo ta massa!!!
flw

[9] Comentário enviado por fernandes10 em 19/04/2007 - 09:52h

Alguém poderia fazer uma passo-a-passo bem explicado e completo com squid e outras coisas. No inicio é dificilll

Mas devagarzinho agente vai agregando e um dia chega lá. Valew!

[10] Comentário enviado por linus black em 03/05/2007 - 22:55h


link traduzido

http://www.slackware.com/config/network.php



netconfig A maneira preferida do ajuste - acima de sua conexão de rede é com o uso do programa do netconfig. Funcionar isto porque a raiz e você serão apresentados com uma série das perguntas à resposta. O programa editará então a lima de rc.inet1.conf. Você necessitará também a sustentação da semente para seu cartão da rede. O programa do netconfig pode sondar seu sistema para um cartão da rede e permiti-lo. Ou você pode editar /etc/rc.d/rc.modules e selecionar seu cartão. Você pode, naturalmente, editar as limas da configuração de rede à mão. São /etc/rc.d/rc.inet1.conf e /etc/rc.d/rc.inet2, que são discutidos em um detalhe mais grande abaixo. Sustentação de DHCP Começando com Slackware 7.0, o programa do netconfig perguntará se você quiser usar DHCP para sua instalação da rede. Ou você pode editar rc.inet1.conf para funcionar /sbin/dhcpd para você. Ser certo que você tem a sustentação da semente para seu cartão da rede permitido (o netconfig pode fazer este para você). rc.inet1 o papel de rc.inet1 é simples: configura seus dispositivos do trabalho em rede e ajusta acima seu roteamento. Essencialmente, rc.inet1 é a lima que lhe dá uma rede no primeiro lugar, lendo opções dos config de sua lima dos config: rc.inet1.conf. Esta lima da configuração é consideravelmente simples, ele suporta até 3 dispositivos diferentes do trabalho em rede. Para cada dispositivo há uma seção como o seguinte: # informação dos Config para eth0: IPADDR [0] = "" NETMASK [0] = "" USE_DHCP [0] = "" DHCP_HOSTNAME [0] = "" Seu IP address (IPADDR) que você pode começar de seu administrador da rede. O netmask está indo quase sempre ser 255.255.255.0, a menos que sua máquina estiver no alto do subnet (em que caso você provavelmente não necessita esta página). USE_DHCP e DHCP_HOSTNAME são usados se você alugar um IP address de um usuário de DHCP. No fundo de rc.inet1.conf você encontrará: # IP address da passagem do defeito: "" de GATEWAY= # mudança isto a “sim” para a saída eliminar erros ao stdout. Infelizmente, # /sbin/hotplug parece incapacitar o stdout assim que você verá somente a saída eliminar erros # quando rc.inet1 for chamado diretamente. DEBUG_ETH_UP= " não " A PASSAGEM está indo geralmente ser a primeira máquina em seu subnet (embora não pode ser… pede sua rede admin.). DEBUG_ETH_UP pode ser usado para finalidades eliminando erros. rc.inet2 rc.inet1 dá-lhe uma rede; rc.inet2 termina o trabalho da configuração de rede funcionando o material nessa rede. Todos os serviços ou daemons que usarem a rede devem ser começados desta lima. A maioria dos certificados do rc na carga de começar daemons gostam do inetd, do sshd, do ligamento, do NFS, etc. começam chamados de rc.inet2. Outros daemons (httpd, mysql, samba, etc.) começam chamados pelos certificados do init funcionados do rc. M, assim que que é onde você pode querer olhar, se você necessita os incapacitar (ou para ver como trabalha; -)


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts