Filesystem LVM

O intuito deste artigo é mostrar algumas funcionalidades do LVM. Sei que na Internet, e aqui mesmo no site, temos ótimos artigos. A minha intenção é agregar mais informações sobre seu uso.

[ Hits: 8.587 ]

Por: Faustino em 04/05/2016


Entendendo o que é o Stripe



Imagine a seguinte um filesystem com 2 discos de 30 gigas totalizando 60 GB de espaço para ser utilizado, como o LVM usa estes discos primeiro ele enche o primeiro disco de 30 e depois se necessário ele começa a usar o 2ª disco conforme a sua demanda.

Para ficar mais fácil de entender...

Imagine que precisamos escrever a frase "FILESYSTEM EM STRIPE" nestes mesmos dois discos:
Linux: Filesystem LVM
Apenas a primeira parte da sentença já ocuparia os primeiros 30 GB então o LVM aloca o restante do espaço disponível ou seja os outros 30GB ocupando quase todo o espaço disponível.

Quando temos um volume em stripe isso não acontece, pois ele escreverá um pouco em cada disco ficando dessa forma:
Linux: Filesystem LVM

Porque utilizar o stripe

Quando utilizamos o stripe estamos garantindo velocidade, já que espalhamos os dados nos discos e com isso não geramos IO nos discos.

Imagine uma aplicação que tem acessa muito o disco seja um banco de dados ou uma aplicação que manipula arquivos (copiando/cortando/deletando/juntando etc).

Neste caso estamos falando de uma quantidade bem grande, um volume de 90000 arquivos hora, sei que parece exagero mas não é, existem algumas aplicações manipulam essa quantidade.

Se este cenário é apenas um exemplo existem várias outras situações.

Obs.: quando usamos stripe não usamos falando de concatenar discos (SOMAR), se temos dois discos de 30GB o LVM não entende que temos 60GB disponíveis para gravar informações, mas sim 30GB de espaço livre.

Caso seja necessário alocar mais discos sera necessário alocar 4 discos do mesmo tamanho.

Considerações

A máquina usada para criar este artigo é uma máquina virtual criada no VirtualBox, e a versão de S.O. é um CentOS 6.5.

Em alguns servidores físicos que acessam discos externos (storage), normalmente utilizando soluções proprietárias para balanceamento, paths tais como powerpath, a nomenclatura do dispositivo pode mudar para emcpowerXXX.

Algumas saídas foram reduzidas para um melhor entendimento.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Conceito
   2. Criando filesystem
   3. Substituindo um disco defeituoso com o PVMOVE
   4. Entendendo o que é o Stripe
Outros artigos deste autor

Configurações Básicas no CentOS 7

Stripe no LVM

Leitura recomendada

Montando partições automaticamente

Transferência Rápida de Arquivos com NFS

Formatando Disquetes

Recuperando arquivos deletados em partições ReiserFS

Acessar, ler e escrever em partições Linux no Windows

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 25/05/2016 - 10:01h

Bom dia
Pergunta o pvmove destroi os dados do disco ? ou ele migra os dados tambem ou possui perda de dados .

Voce poderia usar tambem o lvconvert , de resto parabens !)

[2] Comentário enviado por Faustoncc1701 em 26/05/2016 - 05:20h

Clandestine eu já usei este comando em ambiente de produção e ele faz a cópia de todos os dados do disco que vc apontar.
Eu nunca tentei fazer o rollback do pvmove mas acredito que os dados ainda estão íntegros se o disco estiver íntegro.

Eu nunca usei o lvconvert irei verificar o seu funcionamento
Fausto
Diga-me Eu não posso e eu vou te mostrar que eu posso ...


Contribuir com comentário