Estamos atendendo ao usuário final?

Não podemos deixar de perceber que muitas distribuições estão de alguma forma voltando todas as características para a simplicidade exigida pelo novo foco do GNU/Linux: o usuário final. As distribuições GNU/Linux, antes somente utilizadas por desenvolvedores e administradores de sistemas, começam a ser utilizados também por usuários domésticos e em estações de trabalho de empresas.

[ Hits: 28.790 ]

Por: MAYKO NESTOR MEIER em 10/07/2007


Comportamento dos desenvolvedores



Porém esta situação ocasiona uma grande discussão entre os desenvolvedores GNU/Linux, alguns acreditam que o GNU/Linux deve ter sua própria identidade, com suas características intocáveis, e alguns que acreditam que se o GNU/Linux for parecido com o Sistema operacional Windows, facilita a migração do usuário deste para um sistema operacional GNU/Linux.

Acreditando que o usuário final, já cansado de aprender, devido ao investimento de muito tempo e dinheiro para aprender o que já sabe, a alternativa de criar um GNU/Linux de acordo com o conhecimento deste é muito viável.

Não cabe a nós desenvolvedores criticarmos e decidirmos isto, cabe ao próprio usuário decidir qual o tipo de GNU/Linux ele deseja utilizar.

Além de esquecer que todos nós diariamente vivemos o papel de usuário, o desenvolvedor esquece também que este usuário - indeciso, amedrontado, receoso de nos fornecer e conseguir informações, hostilizado por algumas equipes por ser considerado alguém com pouco conhecimento de informática - é a pessoa para o qual o sistema se destina. Sem ele o trabalho de um desenvolvedor não teria o mesmo valor - aliás, talvez nem existisse trabalho.

Usuários como os descritos acima todos os dias tentam obter respostas pela Internet em Fóruns ou até mesmo por email para desenvolvedores, solicitando alguma ajuda ou propondo alguma solução, e muitos destes desenvolvedores por terem o feito de criadores de algum projeto, sentem-se prepotentes e respondem (quando respondem) aos usuários com dúvida. EX.:

- Você tentou procurar no Google?
- Não tenho tempo para responder, estou com muito trabalho no projeto...
- RFM. (Read the **** Manual. - Leia a **** do Manual.)...
- Baixe o manual no link: x... (Esse é raro).

Existem usuários sem muito conhecimento, que tentam fazer algumas perguntas sobre o funcionamento de algum sistema, e fazem esta pergunta de uma maneira banal (para os olhos do desenvolvedor), que este responde de forma grosseira e definitiva, para que o usuário não responda ou não peça mais ajuda a ele. EX.:

- O meu computador não ascende a luzinha do "Scroll Lock" quando eu o pressiono, ele está com algum problema no sistema operacional?

É uma pergunta muito simples de ser respondida (como: seu teclado deve estar com problema, ou algo assim), mas um desenvolvedor quando recebe uma mensagem como esta responde de uma tal maneira que rebaixa o usuário, fazendo com que este nunca mais utilize esse sistema.

Devemos pensar quando pensamos em difundir o Sistema Operacional GNU/Linux, que devemos atender o nosso público, os usuários, e se estes não tem o tratamento adequado em suas dúvidas, como atingiremos eles em seus computadores?

Não podemos julgar nossos usuários, na verdade não devemos julgar ninguém por suas atitudes, e como julgaríamos alguém que tivesse a atitude de tentar aprender perguntando ao próximo?

Infelizmente os desenvolvedores GNU/Linux tem muito que aprender quando se trata de tratamento ao usuário, não há um tratamento adequado para com o consumidor de seu sistema, este deve baixá-lo, instalá-lo sem questionamentos. Se houver, de forma alguma deve perguntar ao desenvolvedor.

Mas não são todos os desenvolvedores que agem desta maneira, um exemplo são os desenvolvedores do Ubuntu GNU/Linux, estes tem um sistema de respostas aos usuários que entende as necessidades dos mesmos e tratam cada usuário de seu sistema como se fosse único.

Não poderia ser este o motivo desta distribuição ter sido difundida tão rapidamente entre os usuários de computador?

Este artigo não pretende atingir nenhum desenvolvedor, nem distribuição, foi escrito somente para ajudar aos desenvolvedores a entender o que um usuário passa antes de aprender o que ele espera utilizando uma distribuição GNU/Linux, e visa somente melhorar a aceitação deste sistema operacional que todos estão interessados em ter em seus computadores, ou pelo menos tentam.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Comportamento dos desenvolvedores
   3. Referências
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Fale sobre o Linux, sem precisar agredir a concorrência

Um mês de Arch Linux: Resultado obtido

Livre não precisa ser gratuito

ROI em TI

O vale do silício no Brasil

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Evilrick em 10/07/2007 - 14:13h

Realmente esse é um problema que atinge a comunidade mesmo alguns usuários avançados. Quem já precisou de alguma resposta em fóruns sobre linux já deve ter visto respostas grosseiras inclusive a R.M.F.

Parabéns pelo artigo. Está muito bom.

[2] Comentário enviado por exercitobr em 10/07/2007 - 20:40h

Excelente seu artigo, soube muito bem tratar o assunto. Parabéns!

[3] Comentário enviado por LEANDRO_SX em 10/07/2007 - 23:03h

A quem não acredita que ser prático é a solução, mas a vida vai ensinando dia a dia.
Tenho um aplicativo de automação comercial desenvolvido em Java que atende segmentos de material de construção, mercados, auto peças, .... , em meus clientes instalo o Linux Kurumin com Blanes e assim não espanto o usuário final, olha que tenho pego cada cego.... . Até a presente data a rejeição tem sido zero, com um pouco de paciencia ensino como gravar Backup, acessar a internet (bancos geralmente) e ouvir músicas, até os jogos que alguns não desprezam tem agradado.
Leandro_SX

[4] Comentário enviado por f_Candido em 10/07/2007 - 23:18h

Bem interessante, refletiu bem a realidade, no entanto este cenário esta mudando, vejo vários "sabores" de linux, pra todo tipo de usuários, o que deve mudar não é o sistema em si, e sim a mentalidade, pois o sistema já existe, o que falta é adapta-lo as necessidades.

[5] Comentário enviado por claudiostrajac em 11/07/2007 - 01:25h

O artigo mostra uma realidade no universo do Linux e do software livre em geral. Fazer perguntas em fóruns é uma tarefa a ser executada com cuidado, pois assim como existem desenvolvedores que se preocupam em ajudar os usuários que têm alguma dificuldade com o sistema, também existem as bestas-quadradas, que pensam que têm o rei na barriga só por que sabem programar, taxando os usuários finais de burros, ignorantes ou qualquer outro adjetivo pejorativo que vocês puderem imaginar.
Mas até então, ninguém falou sobre isso. Aqui no VOL, leio ótimos artigos, vejo excelentes dicas, mas ninguém teve coragem de tocar nessa ferida. o Maiko soube fazer isso muito bem: destacou a necessidade de se voltar as distribuições Linux para o principal interessado, que é o usuário final, aquele que compra um PC popular, que já vem com o Linux instalado, mas por dificuldades, acaba optando em instalar um Windows pirata. Ou aquele cara que instala uma distro qualquer e na primeira dificuldade, desiste e volta pro Windows. As dificuldades amedrontam mesmo, eu já tive medo de instalar uma distro Linux e perder minha instalação Windows. Alguns backups e alguns artigos do VOL e do Guia do Hardware depois, lá estava eu reparticionando, instalando, reinstalando e pintando o sete com o pinguinzinho! E tudo isso com o pé nas costas, sem medo de ser feliz. Mas alto lá! Eu ainda estou muito longe de ser um bom conhecedor de Linux. Sei fazer muita coisa em modo gráfico, mas no modo texto pouco sei. Mas com distribuições como Ubuntu, Kurumin e Big Linux, o usuário final pode sorrir. Quem conhece o Linux atraveś dessas distros, tem grande chance de continuar usando o sistema.
Enfim, é necessário, como disse o f_candido, mudar a mentalidade, e não o sistema. Este deve ser adaptado às necessidades dos usuários. Estamos quase lá!

Parabéns, Maiko!

[6] Comentário enviado por removido em 11/07/2007 - 01:26h

Mayko,

Excelente artigo, gostei muito do se ponto de vista! Parabéns!!!

Distribuições como como a Red Hat, Suse, Mandriva e Ubuntu têem tentado atingir este objetivo, tá na hora da comunidade do Linux, mostrar o melhor de seu potencial não somente no campo científico e nos servidores. Mas, também no desktop do usuário final.



Atenciosamente,

Slackmaster ( [email protected] )


http://dangercode.blogspot.com

[7] Comentário enviado por alzotta em 12/07/2007 - 01:38h

Sr. Mayko

Fico satisfeito em ler sua matéria, ela compartilha com minha opinião.
Sou um novato como dizem, prefiro "Usuário Final". Passei 6 meses estudando, pesquisando em foruns, sitios e instalando/desinstalando várias distribuições, sem ter o menor conhecimento, nunca usei uma única linha de comando durante aprendizado e atualmente quase nem uso, quando eu via uma solução baseada em comandos, que é o que mais se acha, era desanimador, como sou insistente continuei e hoje estamos eu, minha filha e minha neta de 8 anos usando Linux. São poucos que escrevem artigos e dicas para soluções mais práticas.
Exemplo prático é a instalação dos codecs win32codecs e libdvdcss, pra mim era bicho de 7 cabeças no entanto discobri o GDebi,a ferramenta mágica dos perdidos.Se me permite, segue abaixo sitios recomendados para usuários que precisam de software no formato Deb.

http://nq6.blogspot.com/
http://www.getdeb.net./

Meus Parabéns.

[8] Comentário enviado por brasileiro em 12/07/2007 - 11:50h

Parabéns pelo artigo. O Assunto foi muito bem tratado.

[9] Comentário enviado por t0th em 12/07/2007 - 16:49h

Bom bom.. concordo com a tal prepotência de alguns desenvolvedores e usuários avançados em relação ao usuário final, que nem sempre sabe explicar o que quer.

abraço

H2

[10] Comentário enviado por k33p em 28/11/2007 - 19:23h

Bem o que não falta para o linux é manual e ajuda em foruns( claro nem sempre é a que você espera "vá até seu browser e digite www.google.com.br )

Os melhores manuais estão em inglês.. inglês é fundamental para aprendizado, de algum programa.. sem ter que fazer algum curso..

o futuro do linux nos computadores pessoais é algo complicado...
e distante até o momento.. empresas como www.canonical.com/ estão realmente dando uma melhoria nisso.. porem ainda não é suficiente..

qnt aos desenvolvedores.. falta um pouco de doce neles.. mesmo..

" quando saiu o kurumin, todo documentado e cheio de scripts muita gente falou isso é um pecado.. estão transformando o linux em um like-windows "

a comunidade é um problema e seus usuários.. avançados ou até mesmo aqueles que se denominam hackers apenas por usar tal sistema..

problema é os usuários de linux.. de um sistema que era considerado para geeks.. hj em dia mudou muito ...

não é mais necessário muito conhecimento para usar .. funções básicas..
usuário final claro.. [ não aquele que.. deseja montar um servidor ou coisa e tal.. ] ai vai ter q ralar mesmo..

outro grande problema e que sempre foi.. ngm lê nada.. apenas não consegue e sai pedindo ajuda..
realmente cria certo ódio entre os usuários.

galera vamos começar a ler.. o brasil.. é um dos países.. onde menos se lê hj em dia..

ngm se importa como funciona com tanto que funcione..
ngm le um manual para instalar um tv.. mundo da informática é preciso um pouco disso..

[11] Comentário enviado por zoby em 24/08/2008 - 16:34h

Prezado, aproveitando o gancho :)
- O meu computador não acende a luzinha do "Scroll Lock" quando eu o pressiono?
Só acende pelos comandos xset ou setleds, de acordo a se estiver no X ou terminal.
Uso Slack 12 e 10.2.
De antemão agradeço.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts