Desvendando o editor Vim

Este artigo procura ser um guia introdutório aos usuários de GNU/Linux que não conhecem ou acham que o Vim é um editor de texto para terminal muito difícil de mexer. Vou mostrar aqui como o Vim pode ser fácil e divertido e como podemos deixar o Vim com a nossa cara. Se você ainda não teve coragem para dedicar algum tempo no seu aprendizado, este artigo foi feito pra você.

[ Hits: 11.200 ]

Por: Thiago Miranda em 14/03/2013


Introdução



Olá, comunidade VOL.

Hoje trago a vocês um artigo mostrando um pouco do poder e da versatilidade desse editor que, para mim e acredito que para muitos outros, é o melhor editor de textos do GNU/Linux.

A minha inspiração em criar este texto introdutório das funcionalidades do Vim, veio devido ao fato de que muitos iniciantes têm medo dele por se apresentar de forma meio complexa de se manusear no inicio, fazendo com que fiquem no Nano por um bom tempo, que apesar de também ser um bom editor de textos, não tem o mesmo poder do Vim.

No entanto, depois do susto inicial, e com um pouco de prática, vemos como esse programa sabe facilitar nossas vidas, nos dando ótimos recursos pra edição e também para programação em C/C++ e outras linguagens.

Começando

Ao digitarmos vim e nano no terminal, as seguintes telas se mostrarão para nós:
Linux: Desvendando o editor Vim
Figura 1: Interface inicial do Nano
Linux: Desvendando o editor Vim
Figura 2: interface inicial do Vim
Como dá para notar, o Vim não é um editor intuitivo como o Nano, que se mostra de forma bem mais amigável ao usuário, porém, ele é bem mais poderoso.

Como você pode perceber, se tentar escrever algum texto partindo dessa tela inicial, não conseguirá. Isto é devido às duas camadas em que o Vim trabalha:

1. A primeira é a camada de visualização, e serve para digitarmos comandos nela ou navegarmos no texto.
2. A outra é a camada de inserção, onde editamos os arquivos e também para nos movimentarmos no texto.

Modos de trabalho do Vim

1. Modo de inserção:

Este é o modo básico do Vim, e é nele que podemos editar nossos textos ou criar novos arquivos a partir do zero. Porém, por padrão, quando entramos no Vim, ele começa no modo de visualização e para podermos começar a editar nossos textos, precisamos entrar no modo de inserção pressionando a letra "i". Além disso, ele permite que entremos nesse modo de forma personalizada das seguintes formas:
  • i :: Pressionando a letra "i" ele entrará no modo de inserção de forma padrão.
  • a :: Entra no modo de inserção inserindo o texto depois do cursor.
  • r :: Substitui um caractere por outro digitado.
  • Shift+r :: Entra no modo de substituição e vai substituindo letra por letra no arquivo à medida que for digitando até ser apertado o ESC. Caso queira voltar ao original é só ir apertando backspace.
  • o :: Entra no modo de inserção adicionando uma linha abaixo da linha atual onde o cursor se encontra.
  • Shift+o :: Entra no modo de inserção adicionando uma linha acima da linha atual onde o cursor se encontra.

2. Modo de visualização:

Este é o modo que permite ao Vim ser tão robusto quanto os outros editores de texto e para entrarmos nele devemos apertar ESC caso estejamos no modo de inserção. É nesse modo onde podemos digitar comandos para editar, copiar, recortar, pesquisar palavras, percorrer e realocar o texto, substituir conjuntos iguais de palavras por outras, e muito mais. Como a gama de funções e comandos deste modo é muito grande, vou dividi-los em vários tópicos para que assim cada conjunto de comandos esteja organizado de acordo com a semelhança de suas funções.

2.1. Comandos para movimentação do cursor no texto:
  • Ctrl + f :: Move o cursor para a próxima tela.
  • Ctrl + b :: Move o cursor para a tela anterior.
  • Shift + h :: Move o cursor para a primeira linha da tela.
  • Shift + m :: Move o cursor para o meio da tela.
  • Shift + l :: Move o cursor para o fim da tela.
  • w :: Move o cursor para o início da próxima palavra.
  • Shift + w :: Move o cursor para o início da próxima palavra, separadas por espaço.
  • b :: Move o cursor para o início da palavra anterior.
  • Shift + b :: Move o cursor para o início da palavra anterior, separadas por espaço.
  • :n :: Move o cursor para a linha "n".
  • nG :: Mesma função do comando :n.

2.2. Comandos para localização de texto:
  • /palavra + ENTER :: Busca pela palavra ou caractere em todo o text.
  • n :: Vai para a próxima ocorrência da palavra.
  • Shift + n :: Vai para a ocorrência anterior da palavra.
  • Ctrl + g :: Mostra o nome do arquivo, o número da linha atual e o total de linhas.

2.3. Comandos para alteração de texto:
  • x :: Deleta o caractere que está sob o cursor.
  • dw :: Deleta a palavra da posição inicial do cursor até o fina.
  • dd :: Deleta a linha atual e copia para a área de transferência.
  • Shift+d :: Deleta a linha a partir da posição atual do cursor até o final.
  • :A,Bd :: Deleta da linha A até a linha B e copia para a área de transferência.
  • u :: Desfaz a última modificação no arquivo.
  • Shift+u :: Desfaz todas as modificações feitas no arquivo.
  • Shift+j :: Une a linha corrente à próxima.
  • yy :: Copia uma linha para a área de transferência.
  • yNy :: Copia N linhas para a área de transferência.
  • p :: Cola o conteúdo da área de transferência.
  • Np :: Cola N vezes o conteúdo da área de transferência.
  • cc :: Apaga a linha atual e copia para a área de transferência.
  • cNc :: Apaga N linhas e copia para a área de transferência.

Bônus: :%s/palavra1/palavra2/g :: Substitui a "palavra1" pela "palavra2", em todo o arquivo.

2.4. Comandos para salvar e sair do arquivo
  • :wq ou :x :: Salva o arquivo e sai do editor.
  • :w nome_do_arquivo :: Salva o arquivo com o nome especificado.
  • :w! :: O mesmo que :w, mas forçando a sobrescrita do arquivo.
  • :q :: Sai do editor.
  • :q! :: Sai do editor sem salvar as alterações.

Estes são alguns dos comandos existentes no Vim para criar e manipular arquivos. Existem mais para serem aprendidos, mas acredito que é um bom começo saber utilizar esses que aqui apresentei. Como são muitos, acabam sendo difíceis de se decorar todos eles no inicio, mas a prática fará com que os mais necessários para você sejam facilmente lembrados futuramente.

Personalizando o Vim

Como a maioria dos programas feitos para GNU/Linux, o Vim também possui um arquivo de configuração para que possamos personalizá-lo à nossa vontade.

Ele se chama vimrc, e geralmente se encontra em /etc/vim/vimrc nas distribuições Debian e em /etc/vimrc no CentOS. Ou, apenas para o usuário corrente em ~/.vimrc (deve ser criado).

Neste arquivo, podemos colocar várias outras funcionalidades especiais no Vim para que ele fique ainda mais completo como, linhas numeradas e coloridas dependendo do tipo de arquivo, recursos de auto indentação para programadores, busca incremental, histórico de comandos digitados, grifo das palavras pesquisas e muito mais.

O próprio criador do Vim, Bram Moolenaar, criou um vimrc completíssimo com todas essas funcionalidades extras da qual vou disponibilizar o link aqui para vocês: vimrc-1.

Conclusão

O Vim é um editor robusto e, portanto, precisa de algum tempo de estudo para que possamos conhecer todas as suas ferramentas.

Com este guia, espero conseguir que o leitor tome gosto por esse editor que, apesar de parecer complicado no início, nos trará muitas alegrias quando for domado no futuro. (hehe)

Abraço a todos.
E obrigado pelo seu tempo gasto lendo este artigo. =D

   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Fazendo jus ao nome GNU/Linux

Sabayon Linux - O Gentoo fácil!

OCS-NG Inventory no Debian 8 (Jessie) - Instalação e Configuração

Instalando WPS Office no Debian, Linux Mint e Ubuntu

Controlando projetos com o Subversion

  
Comentários
[1] Comentário enviado por izaias em 14/03/2013 - 14:02h

Ótimo trabalho!

Aqui um link para personalizar as cores do Vim: http://tinyurl.com/m7h5y5

[2] Comentário enviado por lcavalheiro em 14/03/2013 - 14:30h

Excelente trabalho! O vi tem muito mais funções, mas para um usuário inicial seu artigo é a introdução perfeita. Parabéns!

[3] Comentário enviado por andregyn em 14/03/2013 - 15:26h

Muito bom, acho que agora eu abandono o nano. =D

[4] Comentário enviado por albfneto em 17/03/2013 - 12:38h

Bom Artigo! favoritado.

[5] Comentário enviado por lucianofsjr em 19/03/2013 - 11:24h

parabéns pelo trabalho!!

[6] Comentário enviado por mdraychan em 19/03/2013 - 23:36h

ta faltando o "set number"

[7] Comentário enviado por thiagomiranda3 em 20/03/2013 - 10:30h

Obrigado pelo feedback positivo pessoal, fico muito feliz em saber que meu artigo esta sendo útil.

[8] Comentário enviado por thiagomiranda3 em 20/03/2013 - 10:31h


[6] Comentário enviado por mdraychan em 19/03/2013 - 23:36h:

ta faltando o "set number"


O "set number" foi colocado no link que passei na parte de personalização do vim. É esse daqui:
http://www.vivaolinux.com.br/etc/vimrc-1

[9] Comentário enviado por QuestLoder em 18/09/2013 - 16:03h

Boa tarde,

Ganhou o meu +Favorito, parabéns pelo artigo.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts