Criação e edição de partições

Neste artigo pretendo ajudar a quem está instalando o Linux pela primeira vez e se depara com as opções de particionamento, bem como aqueles usuários que estão migrando para o pinguim, mas querem deixar um espaço para o sistema Windows e ter os dois sistemas operacionais no seu computador.

[ Hits: 14.607 ]

Por: Ronnie P. Silva em 31/03/2008


As opções de particionamento



Ao decidir instalar o Linux no HD basicamente existem as seguintes situações:
  • Instalar somente o Linux no HD
  • Instalar o Windows e o Linux no HD

Se optar pela segunda opção, ao inicializar o computador você irá se deparar com uma tela perguntando qual sistema você quer utilizar. Esta segunda opção é interessante para quem está migrando para o pinguim, ou está apenas conhecendo mas não quer perder o sistema da Microsoft.

Abordarei nas páginas seguintes o passo a passo para usar as opções acima e algumas outras opções. Porém esteja ciente de que ao mandar excluir ou formatar determinada partição seus dados serão perdidos. Portanto faça um backup de seus dados e arquivos para não sofrer perdas indevidas.

Obs: As opções a serem mostradas poderão ser mostradas de forma diferente dependendo da distribuição escolhida (Mandriva, SuSE, Fedora, Debian, etc,...), porém a idéia é a mesma. Pretendo aqui falar somente da parte de particionamento, não abordando portanto, o restante da instalação.

O Linux como sistema único no HD

Neste caso, na instalação do sistema ao chegar na tela em que devemos preparar o HD ou seja, ao acessar a tela de particionamento no CD/DVD de instalação você precisará obrigatoriamente criar duas partições: a partição SWAP e a partição onde o sistema vai ser instalado.

Na seqüência:

I. primeiramente deve-se criar a partição SWAP que serve como partição de troca, mais ou menos como a tal da memória virtual do Windows. Escolha a opção "criar partição". Você deverá definir um tamanho em Megabytes (MB) para esta partição. O tamanho fica a seu critério, porém é sugerido que seja mais ou menos o dobro da quantidade de memória RAM que você tiver instalado no micro. ex: Se o seu computador possuir 512MB de memória o tamanho da partição SWAP deverá ser de 1000MB = 1GB ; )

II. Em seguida devemos criar a partição onde o Linux será instalado. Escolha novamente a opção "Criar partição, defina o tamanho para ela, ou seja, o restante do seu HD, depois escolha o sistema de arquivos a ser usado (EXT2, EXT3, Reiserfs) e para finalizar o ponto de montagem, que deverá ser (/). Pronto seu HD já está preparado para receber o sistema, basta avançar e prosseguir com a instalação.

III. Após executar os passos citados acima as partições criadas serão formatadas e o processo de instalação avançará para os próximos passos.

Windows e Linux no mesmo HD

Aqui temos uma segunda opção de particionamento, onde poderemos ter instalados os dois sistemais operacionais no computador. Com isso, logo que os dois sistemais estiverem instalados ao ligar o computador surgirá uma tela (um gerenciador de boot) que mostrará as opções, bastando escolher entre Linux ou Windows e pressionar Enter.

Mãos à obra:

1. Devemos em primeiro lugar instalar o sistema da Microsoft, para depois instalar o pinguim, isto porque o Windows não possui um sistema de particionamento e um gerenciador de boot funcional como o Linux. ; )

2. Suponhamos que você tenha um HD de 80GB no seu computador, primeiramente tenha em mente quanto de espaço será utilizado para cada sistema. Ex: 30GB para Windows e 50GB para Linux. Segundo: Ao dar boot com Cd do Windows em uma das telas ele dá algumas opções para particionamento. Se o seu HD estiver com alguma partição que esteja consumindo todo o HD exclua, e crie uma partição com 30GB (usando o exemplo acima), os outros 50GB serão desconhecidos para o Windows, mas o Linux reconhecerá este espaço como "livre" e será ali onde iremos instalá-lo.

Obs: No passo citado acima, será criado uma partição de 30GB na instalação do Windows, o espaço restante (50GB) deve-se deixar como está e prosseguir com a instalação.

3. Após instalar o Windows, iremos reiniciar o computador e dar boot com CD/DVD de instalação do Linux.

4. No momento da instalação do Linux em que surgir a tela de particionamento iremos notar que existe uma partição criada (com sistema FAT ou NTFS) que é a partição onde está o Windows, e um espaço nomeado como livre. Neste espaço, que são os tais dos 50GB que sobraram do HD vamos instalar o Linux. Porém primeiro devemos criar a partição SWAP, com tamanho que seja o dobro de memória RAM instalado no computador. Logo em seguida o restante será criado uma partição com sistema de arquivos EXT3 ou ReiserFS e ponto de montagem (/), para instalação do sistema Linux.

Pronto!!!! Basta seguir com o restante da instalação da sua distribuição.

É isso aí galera, espero ter ajudado e seguimos em frente.

Abraços a comunidade.

   

Páginas do artigo
   1. As opções de particionamento
Outros artigos deste autor

Conhecendo os programas do Linux

Comandos básicos do Linux

Leitura recomendada

Como gerenciar permissões no Linux

Bash - O interpretador de comandos

Guia de Instalação do Arch Linux

Emmi Linux - Uma Revisão, Primeiras Impressões e Testes

Linux Mint 7 Gloria

  
Comentários
[1] Comentário enviado por elgio em 01/04/2008 - 10:41h

Bom para iniciantes.

Mas vale alguns comentários:

a) Você NÃO É OBRIGADO a criar swap. Qual o problema de trabalhar somente com a memória? É uma opção NÃO USAR SWAP se tu tiver uma memória generosa.

b) 1000MB = 1GB. NÃO NÃO! Na matemática binária, cada K vale 1024. 1GB = 1024MB, 1MB = 1024KB e 1KB = 1024 Bytes.

Por isto que fabricantes de dispositivos de armazenamento muitas vezes preferem dizer "octetos" ao invés de bytes. É a pegadinha de alguns HDs onde 10G corresponde a 10.000M. Mas o certo é 1024 (porque o K é potência da base. EM decimal 1K é 10^3. Em binário é 2^10).

[2] Comentário enviado por nicolo em 01/04/2008 - 14:58h

?comentario=Para principiantes?
Para quem é esse artigo.... ?
O windows possui um particionador e um gerenciador de boot onde o seu menu.lst é o arquivo oculto boot.ini que fica na raíz do C:\
É possivel incluir o linux no gerenciador de boot de todos os windows da série NT (NT3, NT4, 2000 XP etc). A operação é muito manual mas é possível.

Se o cara for instalar o windows primeiro terá que usar o particionador do windows para criar pelo menos o drive C:\, e é melhor cria só
esse.

O windows também reconhece para leitura e escrita os formatos ext3 (o reiser eu nunca vi), como o Linux reconhece o NTFS para leitura e escrita. Não sei que estrago isso pode causar, mas funciona.

[3] Comentário enviado por Teixeira em 01/04/2008 - 20:33h

Acho que quem tem 512mb ram não precisa de uma swap maior do que isso.
A "regra do dobro" seria válida no intuito de compensar memória insuficiente, por exemplo 128, 256, etc.
Se eu estiver errado, por favor me corrijam.

[4] Comentário enviado por engos em 02/04/2008 - 10:41h

Sobre o artigo o que mais me chamou a atenção foi a recomendação de criar apenas as partições SWAP e /. Isso é totalmente errado e inseguro, esperava mais por se tratar de um artigo apenas para isso. No mínimo do mínimo deve-se criar também a partição /tmp e deixa-la sem acesso de execução, isso sem contar várias outras regras, inclusive a ordem dessas partições para se conseguir um boot e um sistema mais rápido.

No demais algumas coisas já foram comentadas, por isso parabéns pelo artigo e continue contribuindo sempre que possível.

Teixeira:

Considero você errado.

O motivo da partição SWAP não é simplesmente ser uma extensão da memória RAM, ela tem um objetivo totalmente diferente do tão divulgado "compensar memória" como se ver quase sempre.

Um dos motivos da SWAP é quando acontece algum problema com relaçao ao gerenciamento da memória RAM e a mesma precisa ser "zerada" para poder continuar sem travar a máquina. Sendo assim, se você tem 2Gb de RAM e ela estiver quase toda ocupada, mais uns 1.3GB de SWAP, se você não tiver o dobro de SWAP com relação a RAM, quando a RAM for despejada na SWAP para essa limpeza ela não vai encontrar espaço e dependendo da distro seu micro trava por completo (acontece muito isso comigo com Debian Test, mesmo tendo o dobro da RAM, porque uso mais que a metade da de SWAP).

Então a regra da SWAP ter o dobro da RAM não é necessariamente uma regra, tem casos que necessita ser mais que o dobro, tem casos que pouco mais que a quantidade de RAM é suficiente, mas ela SEMPRE deve ser maior que a RAM.

[5] Comentário enviado por elgio em 02/04/2008 - 10:52h

Bem observado engos.

Para enriquecer, devo dizer que não tem problema algum criar apenas o / e o swap em um desktop.

Agora se a máquina é um servidor!! XIiiii. Pisada na bola criar apenas isto. Ai tem que criar, dependendo de que servidor será, um /tmp, ou /var um /home e, talvez um /var/spool/mail

Mesmo meu note sendo apenas um desktop onde somente eu uso, eu CRIEI uma partição /home. Assim posso formatar o / e instalar outro SO sem comprometer meus dados.

[6] Comentário enviado por Miojo em 26/10/2009 - 15:06h

Eu não tenho Swap!!!
Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!
:D
2 GB de ram :D


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts