Configuração do sistema, DHCP, compartilhamento e DNS no Debian Squeeze

Configuração do sistema, instalação e configuração de DHCP (com compartilhamento) e instalação e configuração de DNS para rede interna. Aqui iremos trabalhar com o sistema operacional Debian Squeeze instalado em modo texto (console), ou seja, sem a interface gráfica. Porém, em ambiente real é recomendável ter uma máquina de configuração compatível com o serviço e instalar com a interface gráfica.

[ Hits: 80.085 ]

Por: Buckminster em 03/10/2012


DNS



1. Antes de configurar o DNS, repita os mesmos procedimentos de instalação e configuração do sistema operacional e configuração das interfaces (placas) de rede.

Estando o DHCP/compartilhamento devidamente configurado e funcionando, verifique se a interface eth0 (offboard) do DHCP/compartilhamento e as duas interfaces de rede do DNS estão conectadas no switch e se o cabo de entrada dos dados/Internet está conectado na eth1 (onboard) do DHCP.

As interfaces de rede do DNS deverão ficar como abaixo:

# This file describes the network interfaces available on your system
# and how to activate them. For more information, see interfaces(5).

# The looback network interface
auto lo  
iface lo inet loopback

# Primeira interface de rede -offboard
allow-hotplug  eth0
iface  eth0  inet static
address 192.168.2.2
netmask 255.255.255.0
broadcast 192.168.2.255

# Segunda interface de rede - onboard
allow-hotplug  eth1
iface  eth1  inet  dhcp

Salve e saia do arquivo.

Reinicie:

# shutdown -r now

A Internet deverá estar funcionando no DNS, caso contrário verifique as configurações do servidor DHCP/compartilhamento.

2. Instale o serviço de DNS:

# aptitude install bind9 bind9-doc dnsutils

Se pedir confirmação para continuar, confirme "S" ou "Y".

Aguarde terminar.

3. Primeiro devemos configurar o cache. Um cache DNS guarda localmente os resultados da pesquisa para utilização futura, evitando a repetição de pesquisas e aumentando drasticamente a velocidade de resposta.

Entre no aquivo /etc/bind/named.conf.options:

# vim /etc/bind/named.conf.options

Deixe como abaixo:

options {
        directory "/var/cache/bind";

        // If there is a firewall between you and nameservers you want
        // to talk to, you may need to fix the firewall to allow multiple
        // ports to talk.  See http://www.kb.cert.org/vuls/id/800113

        // If your ISP provided one or more IP addresses for stable
        // nameservers, you probably want to use them as forwarders.
        // Uncomment the following block, and insert the addresses replacing
        // the all-0's placeholder.

        forwarders {
             // Servidores DNSs abertos. Você coloca a sua escolha.
             8.8.8.8;
189.38.95.95;
            // ADSL router. Aqui você deve ter o cuidado de colocar o IP do gateway/roteador da sua rede.
             192.168.2.1;
        };

        // Opcoes de seguranca.
        listen-on port 53 { 127.0.0.1; 192.168.2.2; };
        allow-query { 127.0.0.1; 192.168.2.0/24; };
        allow-recursion { 127.0.0.1; 192.168.2.0/24; };
        allow-transfer { none; };

        auth-nxdomain no;    # conforme RFC1035
        // listen-on-v6 { any; };
};

Salve e saia do arquivo.

Os forwarders são servidores DNS abertos e estáveis, os quais o nosso servidor irá procurar em caso de necessidade.

Por segurança só serão aceitas as ligações recebidas pela interface local ou pela destinada à rede interna (listen-on { 127.0.0.1; 192.168.2.2; };). Também só serão respondidos os pedidos de resolução que partirem do próprio posto ou da rede interna (allow-query { 127.0.0.1; 192.168.2.0/24; };). Todos os outros serão ignorados de modo a evitar eventuais utilizações abusivas do nosso servidor DNS por parte de terceiros.

Verificar se o arquivo de configuração foi corretamente editado:

# named-checkconf

O comando acima só dará uma resposta se o arquivo contiver um erro.

Atualizar o arquivo /etc/resolv.conf para que a resolução de nomes passe a ser feita localmente:

# vim /etc/resolv.conf

Deixe nele somente o que está abaixo:

nameserver 127.0.0.1

Salve e saia.

Verificar também no arquivo /etc/nsswitch.conf se a resolução de nomes passa também pelo serviço DNS:

# [...]
hosts: files dns
# [...]

Reiniciar o serviço DNS:

# /etc/init.d/bind9 restart

Como verificação, basta procurar o endereço IP de qualquer site na Internet. O servidor DNS deverá ser o nosso (127.0.0.1) e os endereços IP do site deverão ser corretamente mostrados:

# nslookup www.debian.org
Server:         	127.0.0.1
Address:        	127.0.0.1#53

Non-authoritative answer:
Name:   www.debian.org
Address: 206.12.19.7
Name:   www.debian.org
Address: 128.31.0.51

Pode procurar também pelo número do IP:

# nslookup 206.12.19.7

4. Agora vamos configurar o DNS propriamente dito.

A configuração consiste, basicamente na criação de duas zonas, uma (zone "enterbras.com", você pode dar o nome que quiser) que converte nomes em endereços IP e outra (zone "2.168.192.in-addr.arpa") que converte endereços IP no respectivo nome de domínio.

As zonas são declaradas no arquivo /etc/bind/named.conf.local:

# vim /etc/bind/named.conf.local

//
// Do any local configuration here
//

zone "enterbras.com" {
    type master;
    file "/etc/bind/db.enterbras.com";
};

zone "2.168.192.in-addr.arpa" {
    type master;
    file "/etc/bind/db.2.168.192";
};

// Consider adding the 1918 zones here, if they are not used in your
// organization
//include "/etc/bind/zones.rfc1918";

Salve e saia do arquivo.

Verifique se o arquivo de configuração não contém erros:

# named-checkconf

A resolução de nomes transforma os nomes de domínios nos endereços IP correspondentes.

Para a zona "enterbras.com", os nomes "server", "virtual", "ns" e "router" são associados aos respectivos endereços. A base de dados para a resolução de nomes na zona home.lan é guardada no arquivo /etc/bind/db.enterbras.com:

# vim /etc/bind/db.enterbras.com

O arquivo será criado vazio. Coloque o conteúdo abaixo nele:

;
; BIND arquivo da zona "enterbras.com"
;
$TTL   3D
@      IN   SOA     ns.enterbras.com.   root.enterbras.com. (
             2012091101 ; serial
             8H         ; refresh
             2H         ; retry
             4W         ; expire
             1D  )      ; minimum
;
NS     ns  ; Endereço do DNS
MX     10 mail ; Endereço servidor email

ns       A         192.168.2.2  ; IP do DNS
mail     A         192.168.2.2

enterbras.com.   A        192.168.2.2
server           A        192.168.2.2

virtual          A        192.168.2.3 ; Se tiver Servidor Web

router           A        192.168.2.1 ; router ADSL ou gateway da rede
gateway   CNAME   router
bola      CNAME   server
pedra     CNAME   router

Salve e saia do arquivo.

No serial geralmente se coloca a data a qual se está configurando o DNS no formato AnoMêsDia seguido dos dígitos 01 para o arquivo da zona de resolução de nomes e 02 para o arquivo de resolução inversa.

O protocolo DNS permite também a criação de aliases, ou canonical names, identificados pelo tipo de registo CNAME. Um alias é um nome alternativo de um sistema.

No final do arquivo poderão ser declarados alguns aliases: o sistema "server" passará também a ser conhecido (CNAME ou canonical name) como "bola" e o router responderá também pelo nome "pedra". Você pode criar vários CNAMEs.

Verificando se o arquivo de configuração da zona enterbras.com não contém erros:

# named-checkzone enterbras.com /etc/bind/db.enterbras.com

Veja a saída:

zone enterbras.com/IN: loaded serial 2012091101
OK

Configurar a resolução inversa. A resolução de inversa transforma endereços IP nos correspondentes nomes de domínios. A resolução inversa é implementada no arquivo /etc/bind/db.2.168.192:

# vim /etc/bind/db.2.168.192

O arquivo será criado vazio. Coloque o conteúdo abaixo nele:

;
; BIND arquivo da zona 192.168.2.xxx
;

$TTL   3D
@      IN SOA ns.enterbras.com.    root.enterbras.com.  (
             2012091102  ; serial
             8H          ; refresh
             2H          ; retry
             4W          ; expire
             1D )        ; minimum
;
NS     ns.enterbras.com. ; Endereço dos Servidores DNS

2      PTR   server.enterbras.com.
2      PTR   ns.enterbras.com.
2      PTR   mail.enterbras.com.
3      PTR   virtual.enterbras.com. ; Se tiver Servidor Web
1      PTR   router.enterbras.com.

Salve e saia.

Verificar se o arquivo de configuração da zona 2.168.192.in-addr.arpa não contém erros:

# named-checkzone 2.168.192.in-addr.arpa /etc/bind/db.2.168.192

Veja saída:

zone 2.168.192.in-addr.arpa/IN: loaded serial 2012091102
OK

Reiniciar o serviço:

# /etc/init.d/bind9 restart

Acrescentar o domínio enterbras.com no arquivo /etc/resolv.conf:

# [...]
domain enterbras.com
search enterbras.com
nameserver 127.0.0.1
# [...]

Verificar a resolução de nomes:

# nslookup server
Server:         	127.0.0.1
Address:        	127.0.0.1#53

Name:   server.enterbras.com
Address: 192.168.2.2

Verificar se os aliases também são resolvidos:

# nslookup gateway
Server:         	127.0.0.1
Address:        	127.0.0.1#53

gateway.enterbras.com        canonical name = router.enterbras.com.
Name:   router.enterbras.com
Address: 192.168.2.1

Finalmente, verificar a resolução inversa:

# nslookup 192.168.2.3
Server:         	127.0.0.1
Address:        	127.0.0.1#53

3.2.168.192.in-addr.arpa    name =virtual.enterbras.com.

E seu servidor DNS está pronto para sua rede interna.

Referências


Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Configuração do sistema
   3. DHCP e compartilhamento
   4. DNS
Outros artigos deste autor

VMD no Debian - Instalação e configuração

Instalação do PostgreSQL com Apache 2, PHP 5, OpenSSL no Debian Wheezy 7.7 64 bits com systemd e chroot

Compilando o Squid3

Instalação do PAP (PostgreSL, Apache2 e PHP7) no Debian Jessie

Manual traduzido do Squid

Leitura recomendada

Configurando o bind 9 no Debian

Controle sua banda de maneira simples e inteligente com CBQ

Batalha Apache, PHP e MySQL com vestígios de versão antiga

Sistema de boot, níveis de execução e shutdown

Quota - Criando e administrando no CentOS

  
Comentários
[1] Comentário enviado por danniel-lara em 04/10/2012 - 00:06h

Parabéns pelo artigo

[2] Comentário enviado por Buckminster em 04/10/2012 - 20:31h

Obrigado Daniel.

[3] Comentário enviado por liciomz em 15/10/2012 - 13:20h

Ótimo post pra quem está começando como eu.

[4] Comentário enviado por Buckminster em 07/11/2012 - 20:55h

Grato. Estamos aí.

[5] Comentário enviado por TioRoni em 23/04/2013 - 13:36h

Estou fazendo a instalação do Debian Squeeze, mas no cd que estou usando, ele não carrega as opções de partição Ext3, Ext4 e JFS, somente Ext2, UFS, Swap, Fat16 e Fat32.

O que pode estar havendo?

[6] Comentário enviado por saitam em 12/05/2013 - 18:44h

Primeiramente parabéns pelo artigo.

Apenas acrescentando para os iniciantes que tem dúvida quanto em deixar o modem modo bridge ou roteado.

No seu caso acho que seu modem esta roteado, ou seja, já faz autentação com provedor de internet, pois se caso tivesse em modo bridge teria que configurar conexão com provedor via pppoeconf (criar um script Shell e habilitar para startar no boot).



[7] Comentário enviado por Buckminster em 24/05/2013 - 06:58h


[6] Comentário enviado por saitam em 12/05/2013 - 18:44h:

Primeiramente parabéns pelo artigo.

Apenas acrescentando para os iniciantes que tem dúvida quanto em deixar o modem modo bridge ou roteado.

No seu caso acho que seu modem esta roteado, ou seja, já faz autentação com provedor de internet, pois se caso tivesse em modo bridge teria que configurar conexão com provedor via pppoeconf (criar um script Shell e habilitar para startar no boot).



Obrigado.

Procure deixar sempre o modem como roteador.
Em modo bridge teria que configurar via pppoeconf somente o servidor com DHCP e IPtables.

[8] Comentário enviado por guilhermediasfj em 10/03/2016 - 17:37h

Duvida na parte do DNS.
Tem que ser outra maquina para instalar o DNS ou pode ser junto com o DHCP?

[9] Comentário enviado por Buckminster em 31/03/2016 - 08:30h


[8] Comentário enviado por guilhermediasfj em 10/03/2016 - 17:37h

Duvida na parte do DNS.
Tem que ser outra maquina para instalar o DNS ou pode ser junto com o DHCP?


Pode ser junto com o DHCP, mas o aconselhável e recomendável é colocar uma máquina somente para o DNS.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts