Como aprender a programar e produzir aplicativos usando Euphoria

Para os que querem aprender a programar, para os programadores que querem ter mais fluência na produção de programas executáveis, aqui vai uma dica de como ter em suas mãos uma linguagem de programação completa, open source e bem administrada.

[ Hits: 13.091 ]

Por: Sérgio Gelli em 28/08/2010 | Blog: http://www.ubatumirim.com.br


Windows no Viva o Linux?



Podem achar estranho, (Viva o Linux) mas você terá um avanço muito mais rápido no aprendizado desta linguagem se começar de uma plataforma Windows e depois migrar para o Linux.

Baixem a guarda por algum tempo e veja que tenho razão!!!!

Embora a linguagem Euphoria tenha sua versão Linux e também bibliotecas para Cross-Platform (roda simultaneamente e qualquer sistema), é muito mais fácil começar com uma instalação Windows por muitos motivos.

Por isso este artigo conduz para uma instalação Windows, mas você pode caminhar com os próprios pés e partir diretamente para uma instalação Linux. É só acessar o site www.rapideuphoria.com e um abraço!!!!

O que é Euphoria

Mas continuando, o que é Euphoria?
Trata-se da Linguagem de Programação.

Euphoria pode ser usada na linha de comando, nas janelas gráficas de programas tais como do Windows Explorer, Dolphin, Konkeror, bem como em IDE que foi feito com a própria linguagem Euphoria (fonte disponível).

Essa IDE lembra a funcionalidade do Delphi ou Kylix. Para adicionar botões, janelas, calendários, relógios, barras de rolagem etc, basta clicar, arrastar e o componente vai para a janela. Mudar cores, tamanhos e textos, é pura moleza.

Rapidez: Palavra de ordem na linguagem Euphoria

Euphoria permite rodar programas de forma interpretada, permitindo um "bateu-levou" super rápido, ou seja, após fazer uma modificação no arquivo-fonte, você pode rodar instantaneamente o programa, sem ter que esperar por processamentos de compilação.

Isso porque Euphoria permite rodar seu código-fonte pelo modo interpretado, produzindo resultados exatamente iguais ao que se obtém com o arquivo compilado. Euphoria também tem recursos para transformar seu código fonte em um super-veloz PGM.EXE usando um conversor de código-fonte para pura linguagem "C" e depois compilando em um único arquivo .EXE.

Você poderá então distribuir seu software em forma de PGM.EXE que manterá seu código fonte absolutamente inviolável.

Sem segredos, versátil

Você terá acesso aos códigos fontes de tudo. Poderá abrir os fontes do Interpretador, do compilador, do IDE, poderá modificá-los à seu gosto e o que é melhor... Após qualquer modificação poderá rodá-los sem ter que compilar, testando suas mudanças na base do "vapt-vupt" ou "bateu-levou".

Para matar a concorrência de inveja, a Euphoria pode rodar diretamente no Linux, bastando baixar a versão para esse fim.

Euphoria, na sua versão Windows, roda muito bem com o Wine dentro do Linux. Mas como o Wine não tem o Windows Explorer, perde algumas facilidades, você terá que configurar o navegador Dolphin ou equivalente para abrir os programas-fonte tal como o Win Explorer.

Instalar e usar

Para baixar o sistema (Windows) completo:
Ao baixar e executar o arquivo acima, você terá à sua disposição todo o sistema Euphoria, a biblioteca win32lib.ew que contém todas as APIs do Windows e o IDE com seu console para produzir aplicativos.

Mais tarde e opcionalmente, use o SNV repository para dar um update na instalação do Euphoria, usando este endereço:
Após a instalação, abra o Windows Explorer, vá até a pasta C:\EUPHORIA\DEMO e vá dando duplos-clicks em qualquer arquivo das sub-pastas e verá o Euphoria rodando exemplos de programas em seu interpretador.

Dúvidas?
Responderei na medida do possível. Ou fale direto com os pais da criança, no fórum Euphoria.
   

Páginas do artigo
   1. Windows no Viva o Linux?
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Utilizando a biblioteca NCURSES - Parte III

Utilizando a biblioteca NCURSES - Parte II

Aprendendo a utilizar o GNU Debugger (parte 1)

Criando um sistema operacional com ASM e C++

Criando aplicativos para o Mac OS X no GNU/Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por psfdeveloper em 28/08/2010 - 08:32h

Caro sergelli,

achei interessante a sua dica porque eu nunca havia ouvido falar nessa linguagem de programação e gostei da sua facilidade de instalação (no Linux). No Windows eu nem tentei. Eu dei uma olhada no link do Euphoria na Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Euphoria_programming_language e acho, como sugestão, uma boa você fazer um tutorial em português sobre essa linguagem.

Abraços.

[2] Comentário enviado por ---Anonymous--- em 29/08/2010 - 23:03h

Puta que o pariu, que muito louco isso cara, da onde vc tirou isso?? Que bagaça da hora.

[3] Comentário enviado por Teixeira em 30/08/2010 - 12:22h

Interessante que se buscarmos no Google, teremos indicações de que Euphoria já foi considerada como uma "linguagem extinta" desde 2003...
Entretanto, o site está bastante atualizado (certas atualizações têm semanas, dias e tem uma de apenas 11 horas atrás).

Mas gostaria de ponderar o seguinte:

1- Uma linguagem interpretada não é tão rápida quanto outra compilada; e para compilar - pelo que vi - o código tem de ser transformado em C para somente então ser compilado. A meu ver uma "facilidade" a menos, ou uma "complicação" a mais.

2- Ficou faltando uma melhor demonstração da linguagem em si, sua sintaxe e outras coisinhas de interesse. Espero que o artigo tenha continuação.

3- Essa vinculação com o Internet Explorer não me cheira muito bem. A meu ver é uma limitação totalmente fora de propósito, especialmente quando constatamos que o IE é um dos poucos browsers que NÃO seguem as indicações do W3C mas aquele padrão proprietário da Microsoft que sempre em sã consciência desejamos evitar (especialmente fora do Windows).

4- Não ficou claro o porquê ou os muitos motivos alegados de ficar mais fácil usar a versão para o Windows. Existem diferenças significativas?

5- Vale a pena um programador novato dedicar-se a essa linguagem? Qual a sua expectativa de sobrevida num mercado tão cheio de surpresas?


[4] Comentário enviado por InFog em 30/08/2010 - 14:11h

Sergelli,

Eu ainda não tinha ouvido falar desta linguagem e não vi grandes diferenciais em aprende-la.
Você diz que há inúmeros motivos para usar a linguagem no Windows, mas o único que deu foi o Windows Explorer...
Existem grandes projetos nesta linguagem? É uma linguagem para aprender a programar?

Não é querendo criar conflito, mas se você quer uma linguagem interpretada, multi-plataforma, estável, software livre, com uma comunidade ativa e simples de aprender, então você tem que conhecer a linguagem Python, essa sim não tem dependências entre as plataformas (a não ser que você as crie) e uma bela de uma comunidade ao redor do mundo.

Abraços

InFog

[5] Comentário enviado por sergelli em 30/08/2010 - 14:57h

Prezados Paulo e inFog

Garanto que não se nota diferença no tempo de execução de forma interpretada e a executável.
Não existe vinculação com o Iexplorer

Para compilar, bastar o comando:
exwc.exe nomeDoPgm -- no Win
ou
exu nomeDoPgm -- No Linux

Seu PGM fonte é compilado em segundos. Por exemplo, um pesado programa editor de textos com sintaxe colorida, etc, leva 2 segundos.

"Acho" mais fácil entrar pelo Windows, principalmente porque existem muitos exemplos para esta plataforma, instalação mais simples e o programa IDE. que só funciona no Windows.

O futuro cabe a Deus....à nós talvez um pouco do presente, mas a lógica de programação que aprender com Euphoria pode ser usado em qualquer linguagem.



[6] Comentário enviado por juliaojunior em 30/08/2010 - 19:11h

muito bom. parabéns!! tão bom q fui até o wiki para ler mais.

[7] Comentário enviado por Teixeira em 31/08/2010 - 09:43h

Andei procurando por exemplos de programas escritos em Euphoria, mas apenas o que achei foram pequenas rotinas demonstrativas. Claro que se juntarmos uma rotina daqui e outra dali, acaba saindo um programa de certa complexidade.
E dentre os programas que se poderia ter como exemplos, figuram alguns que são verdadeiras colchas de retalhos, ou seja, têm um motor daqui, outro dali, uma rotina de Euphoria, outra de Basic, etc.
Por exemplo, não sei como Euphoria lida com arquivos ou bancos de dados. Qual o tipo de acesso, qual a sintaxe.

Pela minha experiência anterior, acho que um "processador de textos" por mais sofisticado que seja, ainda não pode ser considerado "pesado". Claro que isso depende de uma série de fatores.
O Notepad do Windows por exemplo é excelente para lidar com pequenos textos, porém quando estes crescem o editor se torna simplesmente inoperante. Por outro lado, outros processadores até um pouco mais sofisticados podem manipular textos muito maiores sem mostrar degradação no desempenho. E mesmo assim não ficam "pesados".

[8] Comentário enviado por infortecpfz em 09/09/2010 - 13:53h

Olá como vai Sérgio!

Primeiramente gostaria de lhe dar os parabéns ao artigo, e queria tirar uma dúvida,
à respeito da linguagem Euphoria...! Minha dúvida é...?

Quais os SGBD que a linguagem Euphoria tem suporte...?

Muito obrigado e sempre que puder, poste artigos
sobre a linguagem Euphoria, grande abraço.


Fernando Santorsula
www.infortecpfz.com


[9] Comentário enviado por sergelli em 09/09/2010 - 15:54h

Prezado Fernando:

A linguagem Euphoria tem seu próprio SGBD. Veja no endereço abaixo:

http://www.rapideuphoria.com/database.htm

Existem também alguns trabalhos postados em contribuições dos usuários, referenciando uma interface SQL com qualquer dos demais bdados, contudo não tenho conhecimento deles.

Pessoalmente uso arquivos DBF e não tive grandes problemas.

Sérgio.

[10] Comentário enviado por sergelli em 09/09/2010 - 16:05h

Prezado Teixeira

Quer um editor pesado, feito em Euphoria?
Veja o IDE no endereço abaixo:

http://sourceforge.net/projects/euvide/files/IdeZip/IDE1-0-4/IDE1-0-4.zip/download

É um pequeno clone do Delphi ou Kylix, totalmente escrito em Euphoria

Sérgio.

[11] Comentário enviado por Teixeira em 12/09/2010 - 23:06h

Sergelli, eu dei uma olhada na Wikipedia e fiquei bastante impressionado com as informações ali contidas.
Trata-se realmente de uma linguagem muito poderosa, multitarefa, que permite inclusive a chamada a rotinas em linguagem de baixo nível e tem grande velocidade na execução de programas, mesmo interpretados.
Segundo o texto, tem aproximadamente a mesma facilidade de aprendizado do Basic.
E realmente o universo Windows mais uma vez saiu na frente, porque o que já existe para aquela plataforma é quantitativamente muito superior ao que se pode encontrar para Linux ou BSD.
Acho que o assunto merece uma continuação.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts