Brincando com vetores - complemento

Este é uma espécie de "complemento" do meu artigo anterior, sobre vetores. Neste eu apresento recursos como: utilizar a variável IFS com vetores, usar variáveis readonly, além de uma melhoria no método para passar um vetor como argumento para uma função. Espero que gostem.

[ Hits: 30.820 ]

Por: Leandro Santiago em 26/03/2007 | Blog: http://leandrosan.wordpress.com


A variável IFS



No primeiro artigo que publiquei sobre vetores, eu disse que o espaço é um separador de elementos. Eu não menti, simplesmente disse uma 'meia-verdade'...

Na verdade o espaço não é um separador por obrigação, e sim porque uma variável guarda qual é o valor desse separador. Não vou explicar sobre ela, pois acabaria confundindo mais você. Mas se quiser mesmo saber, leia essa página:
O que podemos fazer com essa belezinha? Coisas como...

Modificar o separador de elementos:

$ export IFS=:

Atribuindo o conteúdo da variável PATH como elementos de um vetor path:

$ path=($PATH) # vetor path

Exibindo o seu conteúdo:

$ echo ${path[@]}
/usr/local/bin /usr/bin /bin /usr/X11R6/bin /usr/games /opt/kde/bin /opt/rox/bin /opt/xaralx/bin /opt/www/htdig/bin /usr/lib/java/bin /usr/lib/java/jre/bin /usr/lib/java/bin /usr/lib/java/jre/bin /opt/kde/bin /usr/lib/qt/bin /usr/share/texmf/bin . /home/tenchi/.local/bin /opt/rox/bin/

Com isso, é possível saber quantos diretórios estão no nosso PATH:

$ echo ${#path[@]}
20

Bem, nem sempre isso é dado como certo, pois, por exemplo, os diretórios /usr/lib/java/jre/bin e /usr/lib/java/bin aparecem cada um, duas vezes na lista ;)

Isso funciona pra todos os comandos que lêem o espaço como separador, como o for:

Basta modificar o IFS para ler o dois-pontos (:) como separador de elementos, como acontece com as variáveis PATH, MANPATH, etc... (Use 'set | grep PATH' para ver quais).

Agora, um exemplo de construção bem bizarra e inútil:

$ IFS=/
$ for inutil in $MANPATH; do echo $inutil ; done | tr -d :
usr
local
man
usr
man
usr
X11R6
man
usr
lib
java
man
usr
lib
java
man
opt
kde
man
usr
lib
qt
doc
man
usr
share
texmf
man

O que isso faz?
Exibe o conteúdo da variável $MANPATH, separando cada termo como sendo os elementos separados por uma barra (/). Em seguida, joga essa saída para o tr, que apaga (-d) os dois-pontos que aparecem.

Observação: Esse comando foi totalmente inútil, e serviu somente como exemplo.

Mas, se quisermos fazer essa variável voltar "ao normal"?

Bem, simplesmente aniquilá-la:

$ unset IFS

Observação: Não tenho provas científicas de que ao aniquilar o IFS ele volte ao valor default. Simplesmente funcionou aqui.

Segundo o site Bar do Júlio Neves, deve-se atribuir um caractere tab e um enter nessa variável. Aqui eu não notei a diferença. Acredito que eu possa estar errado, então confira você mesmo.

Lembrando que esse unset deve ser colocado de preferência logo após a atribuição do vetor, para que não atrapalhe nos outros comandos do seu script:

$ IFS=:
$ Vetor=($PATH)
$ unset IFS
$ echo ${Vetor[0]}

/usr/local/bin

Se não fizéssemos a atribuição de IFS:

$ Vetor=($PATH)
$ unset IFS # desnecessário
$ echo ${Vetor[0]}

/usr/local/bin:/usr/bin:/bin:/usr/X11R6/bin:/usr/games:/opt/kde/bin: /opt/rox/bin:/opt/xaralx/bin:/opt/www/htdig/bin:/usr/lib/java/bin: /usr/lib/java/jre/bin:/usr/lib/java/bin:/usr/lib/java/jre/bin:/opt/kde/bin: /usr/lib/qt/bin:/usr/share/texmf/bin:.:/home/tenchi/.local/bin:/opt/rox/bin/

Agora, compare os comandos acima e perceba as diferenças.

Nota: Dentro das funções, defina a variável IFS como sendo local. Exemplo:

$ Teste()
> {
> local IFS=:
> <conteúdo_da_função>
> }

Assim, ao sair da função, a variável IFS estará novinha em folha, sem nenhuma modificação, pois as variáveis locais são automaticamente destruídas quando acaba a função... ;)

Observações:
  • Essa sinal '>' é o que chamamos de segundo prompt do bash.
  • Ele pode ser modificado quando modificamos a variável PS2:

$ PS2='^ '
$ Teste()
^ {
^ echo oi
^ }

Além deste, existem pelo menos mais três outros prompts no bash:
  • PS1 : é o prompt principal, normalmente '$', ou algo personalizado, que exibe o seu usuário, hostname, etc.
  • PS3 : é o prompt do comando select. Normalmente '#? '.
  • PS4 : é o prompt que aparece quando estamos depurando um script. Normalmente é um sinal de mais (+). Para isso, execute:

    $ bash -vc script.sh

Bem, se quiserem saber mais, leiam esta dica:
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. A variável IFS
   2. Vetores read-only
   3. Passando valores por referência em funções
   4. Algumas funções que podem ser úteis
   5. Conclusão
Outros artigos deste autor

Assistindo vídeos no XMMS

Brincando com vetores

Instalando um ambiente leve e funcional em computadores antigos

Mudando o tema dos cursores do mouse no Linux

Rodando vídeos .rmvb no Linux

Leitura recomendada

Automatizando a conexão com Internet via ADSL com PPPoE no OpenBSD

Alternância de GPU em notebooks Core-i

BigBashView, interface gráfica para o seu shell script

Script "apagador de linhas"

Linux com boot no Pendrive, com todas as facilidades: Smart-USB_Key-Mania, PLOP Boot Manager e outros métodos

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 27/03/2007 - 17:07h

Muito bom meu caro tenchi ;)

[2] Comentário enviado por fernandoamador em 08/04/2007 - 23:55h

Ótimo artgo...


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts