Brincando com vetores - complemento

Este é uma espécie de "complemento" do meu artigo anterior, sobre vetores. Neste eu apresento recursos como: utilizar a variável IFS com vetores, usar variáveis readonly, além de uma melhoria no método para passar um vetor como argumento para uma função. Espero que gostem.

[ Hits: 31.781 ]

Por: Leandro Santiago em 26/03/2007 | Blog: http://leandrosan.wordpress.com


A variável IFS



No primeiro artigo que publiquei sobre vetores, eu disse que o espaço é um separador de elementos. Eu não menti, simplesmente disse uma 'meia-verdade'...

Na verdade o espaço não é um separador por obrigação, e sim porque uma variável guarda qual é o valor desse separador. Não vou explicar sobre ela, pois acabaria confundindo mais você. Mas se quiser mesmo saber, leia essa página:
O que podemos fazer com essa belezinha? Coisas como...

Modificar o separador de elementos:

$ export IFS=:

Atribuindo o conteúdo da variável PATH como elementos de um vetor path:

$ path=($PATH) # vetor path

Exibindo o seu conteúdo:

$ echo ${path[@]}
/usr/local/bin /usr/bin /bin /usr/X11R6/bin /usr/games /opt/kde/bin /opt/rox/bin /opt/xaralx/bin /opt/www/htdig/bin /usr/lib/java/bin /usr/lib/java/jre/bin /usr/lib/java/bin /usr/lib/java/jre/bin /opt/kde/bin /usr/lib/qt/bin /usr/share/texmf/bin . /home/tenchi/.local/bin /opt/rox/bin/

Com isso, é possível saber quantos diretórios estão no nosso PATH:

$ echo ${#path[@]}
20

Bem, nem sempre isso é dado como certo, pois, por exemplo, os diretórios /usr/lib/java/jre/bin e /usr/lib/java/bin aparecem cada um, duas vezes na lista ;)

Isso funciona pra todos os comandos que lêem o espaço como separador, como o for:

Basta modificar o IFS para ler o dois-pontos (:) como separador de elementos, como acontece com as variáveis PATH, MANPATH, etc... (Use 'set | grep PATH' para ver quais).

Agora, um exemplo de construção bem bizarra e inútil:

$ IFS=/
$ for inutil in $MANPATH; do echo $inutil ; done | tr -d :
usr
local
man
usr
man
usr
X11R6
man
usr
lib
java
man
usr
lib
java
man
opt
kde
man
usr
lib
qt
doc
man
usr
share
texmf
man

O que isso faz?
Exibe o conteúdo da variável $MANPATH, separando cada termo como sendo os elementos separados por uma barra (/). Em seguida, joga essa saída para o tr, que apaga (-d) os dois-pontos que aparecem.

Observação: Esse comando foi totalmente inútil, e serviu somente como exemplo.

Mas, se quisermos fazer essa variável voltar "ao normal"?

Bem, simplesmente aniquilá-la:

$ unset IFS

Observação: Não tenho provas científicas de que ao aniquilar o IFS ele volte ao valor default. Simplesmente funcionou aqui.

Segundo o site Bar do Júlio Neves, deve-se atribuir um caractere tab e um enter nessa variável. Aqui eu não notei a diferença. Acredito que eu possa estar errado, então confira você mesmo.

Lembrando que esse unset deve ser colocado de preferência logo após a atribuição do vetor, para que não atrapalhe nos outros comandos do seu script:

$ IFS=:
$ Vetor=($PATH)
$ unset IFS
$ echo ${Vetor[0]}

/usr/local/bin

Se não fizéssemos a atribuição de IFS:

$ Vetor=($PATH)
$ unset IFS # desnecessário
$ echo ${Vetor[0]}

/usr/local/bin:/usr/bin:/bin:/usr/X11R6/bin:/usr/games:/opt/kde/bin: /opt/rox/bin:/opt/xaralx/bin:/opt/www/htdig/bin:/usr/lib/java/bin: /usr/lib/java/jre/bin:/usr/lib/java/bin:/usr/lib/java/jre/bin:/opt/kde/bin: /usr/lib/qt/bin:/usr/share/texmf/bin:.:/home/tenchi/.local/bin:/opt/rox/bin/

Agora, compare os comandos acima e perceba as diferenças.

Nota: Dentro das funções, defina a variável IFS como sendo local. Exemplo:

$ Teste()
> {
> local IFS=:
> <conteúdo_da_função>
> }

Assim, ao sair da função, a variável IFS estará novinha em folha, sem nenhuma modificação, pois as variáveis locais são automaticamente destruídas quando acaba a função... ;)

Observações:
  • Essa sinal '>' é o que chamamos de segundo prompt do bash.
  • Ele pode ser modificado quando modificamos a variável PS2:

$ PS2='^ '
$ Teste()
^ {
^ echo oi
^ }

Além deste, existem pelo menos mais três outros prompts no bash:
  • PS1 : é o prompt principal, normalmente '$', ou algo personalizado, que exibe o seu usuário, hostname, etc.
  • PS3 : é o prompt do comando select. Normalmente '#? '.
  • PS4 : é o prompt que aparece quando estamos depurando um script. Normalmente é um sinal de mais (+). Para isso, execute:

    $ bash -vc script.sh

Bem, se quiserem saber mais, leiam esta dica:
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. A variável IFS
   2. Vetores read-only
   3. Passando valores por referência em funções
   4. Algumas funções que podem ser úteis
   5. Conclusão
Outros artigos deste autor

Ogle: O player de DVD

Brincando com vetores

Recursos avançados do bash que você não aprende na escola

Rodando vídeos .rmvb no Linux

Assistindo vídeos no XMMS

Leitura recomendada

Conectando-se à Internet via ADSL com PPPoE no OpenBSD

Criando uma ISO bootável do OpenBSD

Ajustando a hora do micro com extrema precisão

Coloque ordem em seus programas

BigBashView, interface gráfica para o seu shell script

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 27/03/2007 - 17:07h

Muito bom meu caro tenchi ;)

[2] Comentário enviado por fernandoamador em 08/04/2007 - 23:55h

Ótimo artgo...


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts