Amarok: migrando de SQLite para MySQL

O Amarok usa o SQLite como gerenciador de banco de dados padrão, mas não satisfeito resolvi testar meu tocador de música digital favorito no MySQL. Este artigo descreve a solução para tal caso.

[ Hits: 24.046 ]

Por: Roberson Carlos em 03/10/2008 | Blog: http://carlrobers.wordpress.com


Introdução



Ocorre que um dia resolvi testar meu favorito tocador de música digital usando a base de dados MySQL, é padrão do Amarok usar a base de dados SQLite, pois é claro, ela não necessita de ajustes do usuário e é salva em um arquivo .DB dentro do diretório de configuração do aplicativo, sendo fácil de trabalhar e manipular.

No entanto as consultas feitas nela levam muito mais tempo que numa base de dados MySQL ou PostgreSQL. Para quem só quer ouvir música e não se importa com o desempenho o SQLite é perfeito, mas este não é meu caso. Usei Slackware Linux por quatro anos em meu Desktop e tudo que eu fazia era compilar, compilar e compilar, sempre tentando extrair o máximo de performance do meu hardware. Se é também seu caso, vamos para o passo-a-passo.

Abra seu editor de textos favorito e um terminal, no terminal vá até o diretório:

cd ~/.kde/share/apps/amarok

Se você listar os arquivos deste diretório verá uma estrutura semelhante à esta:
Linux: Arquivos do Amarok
Veja que marquei um arquivo chamado collection.db, é nele que ficam os dados que precisamos pegar, então faremos da seguinte forma: separaremos os dados da estrutura do banco de dados e em seguida enviaremos isto por um pipe (|) para o MySQL. Parece difícil, mas é muito simples.

O banco de dados "amarok"

Execute seu MySQL em um terminal, crie um banco de dados chamado "amarok" e dê ao usuário amarok todas as permissões, como mostrado a seguir:

mysql -p -u root
mysql> CREATE DATABASE amarok;
mysql> USE amarok;
mysql> grant all privileges on base.amarok to [email protected];
Linux: Configurar Amarok
Se você abrir o Amarok agora e informar em Configurações/Coleção que deseja usar como base de dados o MySQL ao invés do SQLite, o Amarok criará uma estrutura semelhante à seguinte, porém faltarão algumas tabelas, e isto pode causar vários erros ao importar os dados do SQLite para o MySQL.
Linux: SQLite 2 MySQL no Amarok
A maior parte dos manuais e artigos pela internet dizem para fazer isto, mas vamos seguir outro caminho, vamos extrair a estrutura que está dentro do arquivo ~/.kde/share/apps/amarok/collection.db, desta forma você não corre risco de tentar inserir dados em uma tabela que possivelmente possa não existir.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Fazendo o dump de collection.db
   3. Pipe para o MySQL
Outros artigos deste autor

VNC - Virtual Network Computing

Rodando jogos a partir de uma imagem ISO

Gravação de CDs com o K3B

Instalando Apache Tomcat em Linux 2.6

Registrando extensões no kernel com o binfmt_misc

Leitura recomendada

Replicação em banco de dados MySQL

Instalando o phpmyAdmin no Debian Etch

Instalando o MySQL no Slackware

Gerenciando banco de dados com MySQL (Parte 1)

Sqlite Manager - Plugin do Firefox para criação e manipulação SQL

  
Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts