Acessando servidor Linux remotamente utilizando WinSCP e Putty no Windows

Esse artigo tem por objetivo mostrar como acessar remotamente seu servidor Linux utilizando WinSCP e Putty, usando estações de trabalho Windows. Muitas vezes os clientes não possuem estações de trabalho Linux, somente Windows, esse artigo mostra como resolver essa situação do cotidiano do administrador de redes.

[ Hits: 104.462 ]

Por: Milton Caetano Filho em 27/01/2010 | Blog: http://www.miltoncaetanofilho.blogspot.com


Encarando o problema



Todo administrador de sistemas já se deparou com a seguinte situação: um cliente liga desesperado, pedindo ajuda, aí vem a seguinte pergunta: como ajudá-lo? Como acessar as configurações do servidor Linux e ajudar esse cliente? E agora? Não tenho nenhum computador com Linux, somente estações com Windows, já era, não conseguirei ajudar, é o fim!

Calma, nem tudo está perdido, para isso utilizaremos dois programas, WinSCP e Putty, ambos utilizam o SSH para acesso seguro dessas informações.

Preparando nosso servidor Linux para receber conexões remotas

Primeiramente o servidor precisa ter os recursos necessários para ser controlado remotamente.

Passo 1 - Preparando o servidor para receber conexões remotas:

# apt-get install rssh

Com pacote rssh instalado nosso servidor estará apto a receber as seguintes conexões.

As operações suportadas usando rssh:
  • scp - Secure file copy SCP - cópia segura de arquivos
  • sftp - Secure FTP SFTP - Secure FTP

Utilizando o WinSCP

O WinSCP pode ser obtido através do site oficial:
Sua instalação é bem simples e não requer maiores detalhes e configurações. WinSCP é um cliente SFTP e FTP que permite acessar, transferir e manipular arquivos remotamente, ou seja, você tem acesso a todos os arquivos permitidos sem que precise estar em frente ao computador.

É possível também fazer transferência de arquivos entre o computador e aparelhos como iPhone, PDAs e qualquer aparelho que tenha suporte às conexões FTP ou SFTP.

Para que a transferência dos arquivos seja segura, WinSCP utiliza Secure Shell (SSH), um protocolo que utiliza um poderoso método de criptografia (Public Key Cryptography) de maneira que nenhum arquivo enviado ou senha digitada sejam facilmente interceptados.

Apenas irei ensinar a maneira de usá-lo para transferir e editar arquivos cliente/servidor e servidor/cliente.

Criando uma conexão no WinSCP:

Dê um clique duplo no ícone do WinSCP em sua área de trabalho. Em seguida, no menu esquerdo, clique em Stored sessions. Depois clique no botão New conforme a figura abaixo.
Linux: Acessando servidor Linux remotamente utilizando WinSCP e Putty no Windows.
Agora na guia aberta do botão New preencha os campos em branco: Host Name, Port Number, User Name, Password.

Logo abaixo selecione o tipo de protocolo que pretende utilizar. Nesse exemplo estamos utilizando o SFTP, que é o FTP com criptografia. Em seguida clique em Save para que o WinSCP armazene as informações.
Linux: Acessando servidor Linux remotamente utilizando WinSCP e Putty no Windows.
Agora é só clicar na guia Stored sessions com a conexão que acabamos de configurar e acessar no servidor remoto para realizar os ajustes necessários.

Com o WinSCP é possível editar os arquivos remotamente, apenas clicando com o botão direito do mouse em cima do arquivo a ser configurado conforme a figura abaixo.
Linux: Acessando servidor Linux remotamente utilizando WinSCP e Putty no Windows.
Utilizando o mesmo processo também é possível modificar as permissões dos arquivos caso seu usuário possua credenciais administrativas necessárias para isso. Veja:
Linux: Acessando servidor Linux remotamente utilizando WinSCP e Putty no Windows.
Para copiar um arquivo local para o servidor remoto, copie o arquivo em sua máquina local e cole no Explorer do WinSCP.

O procedimento inverso é mesmo, basta copiar o arquivo do servidor e colar na máquina local.

O WinSCP ainda pode ser executado em linha de comandos, principalmente se utilizarmos a plataforma Linux e Unix.

Principais comandos para Linux e Unix.

Comandos SCP:
  • call - Executa o comando shell arbitrário remoto;
  • cd - Muda o diretório de trabalho remoto;
  • chmod - Alterações nas permissões de arquivos remotos;
  • close - Fecha todas as sessões e termina o programa;
  • exit - Fecha sessão;
  • get - Downloads de arquivo do diretório remoto para o diretório local;
  • help - Exibe o help;
  • keepuptodate - Continuamente reflete mudanças no diretório local em um remoto;
  • lcd - Alterações no diretório local de trabalho;
  • lls - Lista o conteúdo do diretório local;
  • ln - Cria link simbólico remoto;
  • lpwd - Imprime diretório local de trabalho;
  • ls - Lista o conteúdo do diretório remoto;
  • mkdir - Cria diretório remoto;
  • mv - Move ou renomeia arquivos remotos;
  • open - Conecta ao servidor;
  • option - Configura ou mostra o valor das opções de roteiro;
  • put - Uploads de arquivos do diretório local ao diretório remoto;
  • pwd - Imprime diretório de trabalho remoto;
  • rm - Remove arquivos remotos;
  • rmdir - Remove diretório remoto;
  • session - Listas de sessões conectadas ou seleciona sessão ativa;
  • synchronize - Sincroniza diretório remoto com um local.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Encarando o problema
   2. Utilizando o Putty
Outros artigos deste autor

Interoperabilidade monitorando servidores e estações Windows com servidor Linux usando MRTG

Samba: Servidor de arquivos Linux com estações Windows

Leitura recomendada

N2N: Layer Two Peer-to-Peer VPN

Bind com suporte a sdb/PostgreSQL

Internet lenta? Reclame é um direito seu, mas antes leia isto.

Internet 3G no GNU/Linux

Acelere o seu Squid com squid-prefetch - baixe as páginas antes dos seus usuários!

  
Comentários
[1] Comentário enviado por paulorvojr em 28/01/2010 - 21:44h

belo artigo!! apesar de não gostar do que ensinou euaehueae

winscp é bom pra transferência de arquivos, maravilha,

o fuck, é quando administradores de rede ou leigos, chegam e ignoram o uso dos comandos, do ssh, de tudo, so querem usar as janelinhas do winscp, e editam .confs de squid, de apache, de tudo

ou quando tem a petulância de fazer transferência de arquivos em modo ASCII, eauhaehea nada de binário, destrói tudo que um belo dia um cara que entende de servidores fez. ahahahaha casos reais.


no mais valeu mesmo ae!!! abraços!!



[2] Comentário enviado por carlos.jesus em 20/05/2011 - 13:44h

Bom artigo, mas por exemplo ao acessar o servidor do seu cliente caso você delete por engano um diretório que não era para ser deletado, com um simples click com botão direito e deleta e você não encontrou diretório na lixeira. Há chances de você recuperá-lo?

[3] Comentário enviado por cainf em 19/07/2013 - 19:55h

Amigo pq as permissões em FTP é alterada ??? Gostaria de manter em tudo que envio a permissão 770
Existe uma forma de fazer isso ???

Abraço


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts