"Refusifuqui"

1. "Refusifuqui"

Lucas Leonardi
lucasleon

(usa Debian)

Enviado em 08/03/2016 - 20:32h

Que nasça mais um tópico polêmico!

Nos últimos tempos, algumas comunidades Linux da qual participo e mais alguns sites e blogs estão discutindo a questão dos "refusifuquis", que em tese, seriam remasterizações ou novas distribuições, que não teriam em si um diferencial que o mundo Linux já não possua.

De um lado, quem acha que como o Linux é livre, todo mundo tem direito de criar seu próprio software ou distribuição, que é interessante que existam vários softwares alternativos para uma determinada função, que isso ajudará a que novas pessoas venham para o mundo Linux...

Do outro, quem pensa que se já existe um software para aquela finalidade não é necessária uma aplicação alternativa, que a ideia original do primeiro projeto deve ser preservada como uma espécie de direito autoral, que se deve focar na criação de coisas que o mundo Linux ainda não tenha...

Enfim, caros amigos, qual é o ponto de vista de vocês sobre esta guerra civil?


  


2. Re: "Refusifuqui"

Luiz Santos
luiztux

(usa Gentoo)

Enviado em 08/03/2016 - 20:41h

Da forma que o conceito foi apresentado, haverá alguém aqui com coragem pra dizer que o Funtoo é uma refusifuqui do Gentoo? Quantas distros afora não cairiam no mesmo conceito?


-----------------------------------''----------------------------------
Computer users fall into two groups:-
those that do backups
those that have never had a hard drive fail.


3. Re: "Refusifuqui"

Luís Fernando C. Cavalheiro
lcavalheiro

(usa Slackware)

Enviado em 08/03/2016 - 21:09h

Separemos as coisas em dois grupos: refisefuquis, dentre as quais estão os remasters; e os forks. Um remaster em nada difere de um refisefuquis porque ambos não acrescentam nada de novo à distribuição original, apenas a redistribuem com um conjunto diferente de pacotes pré-instalados (pacotes esses já originalmente disponíveis nos repositórios da distro original), um ambiente de área de trabalho diferente do original (idem) - ou apenas um papel de parede diferente. Aí um usuário instala um refisefuquis desses por conta da anunciada facilidade da distro em virtude da quantidade de pacotes pré-instalados e se vê na mão quando o refisefuqueiro desiste de manter o projeto. Um exemplo notório disso foi o BigLinux - que esse nome seja esquecido, e nenhuma lembrança dele exista na memória dos homens e do tempo.

Já um fork é coisa diferente. Um fork pega a distro original e acrescenta coisas relevantes, sejam pacotes que não haviam na distribuição original (neste caso, o fork cria um ou mais repositórios novos com os pacotes novos), ou correção de bugs. Os dois forks mais famosos são o Slackware (inicialmente distribuído como correção de bugs do SLS, mas que acabou superando a distro original na qualidade e consistência do produto final - mas ainda usa o mesmo instalador do SLS, de 1991) e o Funtoo. Ubuntu começou como uma refisefuquis que evoluiu para a condição de fork do Debian a partir das versões 4.x com repositórios e pacotes próprios.
--
Dino®
Vi veri universum vivus vici
Public GPG signature: 0x246A590B
Só Slackware é GNU/Linux e Patrick Volkerding é o seu Profeta


4. Re: "Refusifuqui"

Ruan
ruankl

(usa Debian)

Enviado em 08/03/2016 - 21:38h

O usuário decide se quer usar algo sério, ou uma brincadeira de fim de semana em seu computador. E em se tratando da área de sistemas operacionais, é recomendado que o usuário leve em consideração esses itens: segurança, suporte, documentação, e estabilidade, inexistente em muitos desses sistemas de brinquedo, ou "Refusifuqui".
--
LinuxCounter: #596371


5. Re: "Refusifuqui"

Oberaldo Büll Júnior
spylinux

(usa Manjaro Linux)

Enviado em 08/03/2016 - 21:47h

Pra mim, como já dito aqui e em outros tópicos, uma refusefuqui nada mais é q uma distro existente, onde a pessoa adiciona alguns programas, troca o wallpaper e fala q é uma "Nova distro".

Isso pra mim é completamente inútil...visto que ao invés de colaborar num bom projeto existente, vc vai estar fragmentando a comunidade em pequenas distros sem fundamento.

Vou incluir algo mais aqui, q acho interessante frisar...os Spins, por exemplo:
Fedora tem sua Versão Oficial Workstation, q vem com Gnome, mas pra quem não gosta do Gnome, tem os Spins do Fedora, q vem com Mate, Xfce, Kde, etc. São versões liberadas e divulgadas pelo Fedora mesmo, não são refusefuquis, nãoa tem o propósito disso, apenas de ter opções de desktop do Fedora.

Sobre refusefuquie, não vejo Funtoo como sendo um, ou o Manjaro por ex. O Manjaro, neste caso, não é como o Antergos, q usa td do Arch, e só troca o nome, usa um instalador e tem um papel de parede e um tema com icones diferentes...
Manjaro tem sua equipe de devs, ferramenas próprias, seu próprio repositório (apesar de usar AUR, o repo principal é do Manjaro mesmo).
Distros assim são baseadas em outra distro, mas possuem sua equipe(ou seu dev) dedicado àquele projeto, aos apps exclusivos, boa documentação, e não apenas uma troca de tema.

Eu sou contra esse monte de refusefuqui q andam aparecendo...tem mta gente hj em dia q pega debian ou ubuntu pra criar isso, monta site e quer ganhar dinheiro vendendo caneca e camiseta falando q criaram uma "nova distro", sem bugs, sem virus, etc...
Isso, como disse, ao invés de ajudar, só prejudica a comunidade, pq não agrega nada.

[]'s spylinux
Comunidade Manjaro Geek -www.manjaro-geek.org


6. Re: "Refusifuqui"

Luís Fernando C. Cavalheiro
lcavalheiro

(usa Slackware)

Enviado em 08/03/2016 - 23:37h

Que fique claro: sou contra refisefuquis, mas apóio os forks relevantes para a comunidade. O Slackware é a prova viva de que forks são legais.
--
Dino®
Vi veri universum vivus vici
Public GPG signature: 0x246A590B
Só Slackware é GNU/Linux e Patrick Volkerding é o seu Profeta


7. Re:

Lucas C.S.
AdiosKid

(usa Funtoo)

Enviado em 09/03/2016 - 00:07h

Concordo que seja há planejamento, manutenção, suporte e atualizações não deve ser apenas criado como acolhido pela comunidade e incentivado para os usuários finais, a questão é usar a licença como desculpa para fazer uma mer** qualquer e se sentir do direito de não só publicar como se vitimizar ao ser criticado, o que é ridículo ao meu ver.

as pessoas precisam ter bom senso e entender que se eu posso fazer algo, porque não fazer algo realmente bom algo que eu gostaria que houvesse quando eu precisei ou quando eu era um novato na comunidade.

e desde sempre, um bom projeto tem reconhecimento.



8. E por falar nisso!!!!!

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 09/03/2016 - 03:54h

Bom dia,

E por falar em refisefuque, já viram este artigo? Tenho quase certeza de que o autor se refere ao VOL quando diz "alguns fóruns", como também muitos de nós que "descemos a lenha" nestas distribuições. Até diria a quem mais precisamente, mas, melhor não citar. Vejam e digam se concordam ou não comigo! :

http://www.diolinux.com.br/2016/03/a-polemica-dos-refisifuqui-linux.html?m=1


Abraço!!

Att,
Jbaf 2016
Debian 8 (MATE), CentOS 7 (KDE)
Computer Associates - " CA-Clipper 5 - A melhor e eterna ferramenta de programação já existente !!"


9. Re: "Refusifuqui"

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 09/03/2016 - 05:38h

A Refusifuqui é juntar a fome com vontade de comer. Têm pessoas que gostam de fazer, a licença permite e existem usuários que gostam de usar. Pronto, Viva a Refusifuqui.

Sou completamente favorável as Refusifuquis, muitas vezes surgem coisas legais, basta olhos, curiosidade e tempo. Se não fosse a Refusifuqui do elementary OS não teríamos o Phanteon Shell (Muitas pessoas gostam, eu conheço várias). Outra Refusifuqui que acho interessante é o LXLE, o LXDE mais estiloso que eu já ví, têm cada nerdice que é de tirar o Chapéu. E têm outras legais, bastante interessantes.

Mas a minha história preferida de Refusifuqui, aliás, plágio de código, foi a briga entre dois grupos de desenvolvedores e usuários de dois gerenciadores de janelas; aewm++ x pekwm. Não sei se alguém aqui usou, usa, lembra ou sabe dessa passagem interessante do GNU/Linux.

Os mais antigos no GNU/Linux devem recordar que o aewm++ teve seus dias de glória entre os Dinos "made in terminal", uma trupe fanática de usuários, na qual eu estava incluído.

Até que um dia um maluco da Suécia apareceu no canal (aewm++ no freenode) apontando para um link onde o código do aewm++ tinha outro nome, Pek. Era um verdadeiro plágio, a única mudança era a instrução de compilação que mudava uma biblioteca por outra. Libjpeg por libjpegturbo. Assim nasceu o Pekwm, o melhor gerenciador de janelas de eu já usei e uso até hoje. Apenas mudando as instruções de compilação.

As mudanças e novas características como: agrupamento de janelas, Combinação de ações do mouse com as bordas da tela (A melhor coisa que já inventaram até hoje) só vieram a partir da terceira edição, onde os devs começaram a juntar as características legais que cada WM tinha em um só. O Pekwm é um Refusicão de vários gerenciadores de janelas. Um tudo em um, configurado em modo texto.

Muitas vezes surgem coisas legais das Refusifuquis.

Outro ponto a se respeitar, são as divergências de equipe. Nem todos os projetos têm uma solidez filosófica e isso gera uma fragmentação natural e necessária, nascendo novos projetos. Esse fator ainda é agravado pelo fator de semestre após semestre, novos profissionais vão se qualificando nas Universidades.

E pra falar a verdade, ser aceito em algum projeto renomado, as distribuições puritanas, não é algo muito fácil. Precisa de uma série de etapas, que muitos não estão dispostos a passar por elas. Fundando novos projetos, na maioria das vezes uma nova Refusifuqui.

Não sei se alguém aqui sabe, mas o elementary OS surgiu pelo simples fato dos ícones elementary não conquistar espaço no repositório oficial do Ubuntu. Os designers Daniel Foré e Cassidy James fundaram o projeto simplesmente por isso. A primeira verão Júpter foi interessante. Mas quando lançaram o Luna chegaram ao auge e tiveram seu talento de designers reconhecidos. Tanto que foram convidados pela Yorba para reprojetar o designe dos dois apps de maior sucesso da empresa; Geary Mail e Shotwell. Hoje o eOS é uma das Refusifuquis mais consolidadas.

Bem, desculpem pela bíblia, existem outras passagens interessantes das Refusifuquis que merecem ser lembradas nesses debates tão filosóficos. Mas é hora de dormir.
____________________________________________________
Manjaro Geek: http://www.manjaro-geek.org/
Fórum: http://forum.manjaro-geek.org/index.php
Freenode: #manjaro-geek


10. Re:

Ruan
ruankl

(usa Debian)

Enviado em 09/03/2016 - 07:21h

Jbaf escreveu:

Bom dia,

E por falar em refisefuque, já viram este artigo? Tenho quase certeza de que o autor se refere ao VOL quando diz "alguns fóruns", como também muitos de nós que "descemos a lenha" nestas distribuições. Até diria a quem mais precisamente, mas, melhor não citar. Vejam e digam se concordam ou não comigo! :

http://www.diolinux.com.br/2016/03/a-polemica-dos-refisifuqui-linux.html?m=1


Abraço!!

Att,
Jbaf 2016
Debian 8 (MATE), CentOS 7 (KDE)
Computer Associates - " CA-Clipper 5 - A melhor e eterna ferramenta de programação já existente !!"


Eu tava lendo ontem de tarde, e fui acessar agora e adivinhe: o autor apagou TODOS os comentários que vão contra a opinião do autor. Que coisa, não?

EDIT: pena eu não ter tirado um print, mas agora recuperaram os comentários.

--
LinuxCounter: #596371


11. Covardia!!!

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 09/03/2016 - 08:42h

ru4n escreveu:

Jbaf escreveu:

Bom dia,

E por falar em refisefuque, já viram este artigo? Tenho quase certeza de que o autor se refere ao VOL quando diz "alguns fóruns", como também muitos de nós que "descemos a lenha" nestas distribuições. Até diria a quem mais precisamente, mas, melhor não citar. Vejam e digam se concordam ou não comigo! :

http://www.diolinux.com.br/2016/03/a-polemica-dos-refisifuqui-linux.html?m=1


Abraço!!

Att,
Jbaf 2016
Debian 8 (MATE), CentOS 7 (KDE)
Computer Associates - " CA-Clipper 5 - A melhor e eterna ferramenta de programação já existente !!"


Eu tava lendo ontem de tarde, e fui acessar agora e adivinhe: o autor apagou TODOS os comentários que vão contra a opinião do autor. Que coisa, não?

EDIT: pena eu não ter tirado um print, mas agora recuperaram os comentários.

--
LinuxCounter: #596371


Bom dia,

Se lembra dele Ruan? Eu encaro isso como covardia. O tal "falar pelas costas". Se eu não aceito isso ou aquilo, problema meu. O direito de opinião, todos temos!! Isto aqui é um fórum. Temos comunidade de debates aqui pra isso!!! Agora, acessar outro canal e descer a lenha dando a entender que somos todos idiotas....tenho pena!!! O cidadão lá não entende nada a respeito de democracia, opiniões e pelo jeito, de Linux !!!!

Abraço!!

Att,
Jbaf 2016
Debian 8 (MATE), CentOS 7 (KDE)
Computer Associates - " CA-Clipper 5 - A melhor e eterna ferramenta de programação já existente !!"


12. Re: "Refusifuqui"

Luís Fernando C. Cavalheiro
lcavalheiro

(usa Slackware)

Enviado em 09/03/2016 - 09:29h

Sobre o artigo...

Primeiro que o analfabeto confundiu refisefuquis com meta-distribuição. Na opinião dele o Gentoo é uma refisefuquis? Normalmente eu pararia de ler aí, depois dessa demonstração de ignorância do assunto, mas me forcei a ler mesmo assim. No fundo, o texto não passa do "trabalho" de uma criança mimada de dez anos de idade que não sabe lidar com opiniões divergentes das dele, uma criança que não conhece a história por trás dos 23 anos de GNU/Linux. Enfim. Deixa a criança chorar no canto dela.

--
Dino®
Vi veri universum vivus vici
Public GPG signature: 0x246A590B
Só Slackware é GNU/Linux e Patrick Volkerding é o seu Profeta






Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts