Padronização das distribuições Linux

1. Padronização das distribuições Linux

Andre
rocky

(usa openSUSE)

Enviado em 26/05/2010 - 10:38h

Bom dia pessoas!

Venho estudando Linux à 3 meses, sendo que cada mês utilizei uma distribuição diferente. Já usei: Slackware, Debain, CentOS, openSUSE e agora Mandriva.

O que eu percebi (e devo estar errado) é que não existe uma padronização de "como fazer as coisas". Por exemplo: enquanto pra configurar a rede no openSUSE eu uso o YaST, no Mandriva uso o MCC, no Slackware/Debian edito um arquivo de texto, e no CentOS utilizo o utilitário padrão.

Existe algum curso ou documento onde eu aprenda uma vez e sirva pra toda e qualquer distribuição? É um saco ter que ficar se adaptando à distribuição, deveria existir um padrão que funcionasse em todas.

Isso serve tanto para configuração de redes, inicialização do sistema, servidores de mail, apache, iptables e instalação de programas (acredito que na instalação de programas não vai ter jeito já que cada um utiliza um empacotamento).


  


2. Re: Padronização das distribuições Linux

Diego Langer
dlanger

(usa Debian)

Enviado em 26/05/2010 - 10:59h

Eu gosto dessa 'despadronização'. Assim você escolhe o que for de sua preferência ou melhor se adaptar a atividade que irá desenvolver.
Acredito ser praticamente impossível que essa padronização, que você gostaria, ocorra. Visto que cada uma das distros citadas possui um grupo de desenvolvedores independentes.


3. Re: Padronização das distribuições Linux

Cristiano
sempreslack

(usa Slackware)

Enviado em 26/05/2010 - 11:03h

existe sim e se chama configurar na munheca.
A diferença entre uma e outra são distribuição são as facilidades que elas oferecem ao usuário. A todo momento são criados softwares que são na verdade uma interface bonitinha de uma relação bem complicada com o computador. O Debian e o Slackware são distribuições que exigem um pouco mais da munheca, o Ubuntu,a OpenSuse, o Fedora e outros tentam fazer com que a relação do usuário com o computador seja a mais simples possível. Uma distribuição nada mais é do que um conjunto de softwares que fazem com que o usuário possa interagir com o sistema.
Todos os programas, para serem executados precisam de recorrer a uma biblioteca específica.
Quer um exemplo disso?
Existem diversos programas para gravar um CD ou um DVD, pra gravar imagens no DVD, para copiar um DVD ou CD, mas pode fazer isso também pela linha de comando.
Outro exemplo, Configurar teclado.
Vc pode entrar no terminal e digitar o comando
setxkmap -model seumodelodteclado -layout (por exemplo br) -variant abnt2
Se tiver procurando uma padronização, ela se chama munheca e mora no terminal, rs. Espero que tenha ajudado.
Abraços.


4. Re: Padronização das distribuições Linux

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 26/05/2010 - 11:29h

Outra definição para o termo "munheca" é "na unha".

Os comandos GNU são os mesmos em todas, o que difere e muito são os gerenciadores de pacotes, nesse caso seria interessante que o pacote KDE tivesse os mesmos nomes no Debian, Slackware, Arch Linux e etc.

Dê uma lida no material abaixo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Linux_Standard_Base


5. Re: Padronização das distribuições Linux

Humberto
Darth Vader

(usa Linux Mint)

Enviado em 26/05/2010 - 11:36h

O ideal seria você estabilizar-se em uma única distribuição e assim 'sugar' tudo o que pudesse dela em termos de adaptação e aprendizado.
Depois vc passaria para outra.
Em essência , toda distribuição Linux é igual, alguns parâmetros mudam de acordo com a política dos desenvolvedores e isso nunca vai mudar.

E é melhor mesmo que não mude porque essa é a grande sacada da filosofia open-source.
Pode parecer chato, mas essa personalização diferente em cada distribuição as tornam únicas em suas qualidades (às vezes em alguns defeitos tmb. Bom, nem o Win é perfeito, então...)

Esse 'pular de galho em galho' é legal e ruim ao mesmo tempo.
Bom porque vc já vai se familiarizando logo de cara com as peculiaridades de cada distro.
Ruim porque você nem tem tempo de se envolver com os detalhes e isso pode virar uma 'salada' na sua cabeça.- rpm, deb, Yast, yumi, sinaptic, Gdebi, gnome, kde, metacity etc etc etc ufa... entende?

Sem contar que existem distribuições mais fáceis e outras um pouco mais complexas com relação à configuração.

Para entender todo o funcionamente do sistema em si:
http://focalinux.cipsga.org.br/
http://www.gdhpress.com.br/entendendo/

Você verá que a essência é a mesma, muitos programas, comandos e procedimentos também são iguais.
Na minha humilde opinião, a 'despadronização' é necessária e benéfica - cada distruibuição tem uma 'cara' e um modo de ser e esses detalhes as diferenciam entre si.



6. Re: Padronização das distribuições Linux

Rodrigo Chaves
stilldre

(usa Funtoo)

Enviado em 26/05/2010 - 11:44h

entendo sua frustração, mas 3 meses é pouco. com o tempo você verá que existe sim uma padronização. ela se chama LSB veja em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Linux_Standard_Base não desista nunca... abraços!


7. Re: Padronização das distribuições Linux

Fábio Farias
Fabio_Farias

(usa openSUSE)

Enviado em 26/05/2010 - 12:13h

No modo texto é igual em todas as distros. A interface gráfica oferecida pelas distros é que são diferentes.


8. Re: Padronização das distribuições Linux

Jefferson Diego
Diede

(usa Debian)

Enviado em 26/05/2010 - 12:23h

Bem, existe sim padronização como os amigos sempreslack e edps citaram.
Em configurar rede por exemplo, você teria um padrão se configurasse "na unha" por "ifconfig, route" ou "/etc/network/interfaces".
Na verdade, o segredo é esse: Configurar pelas bases, já que em baixo de todo frontend há um shell esperando, e esse é sempre o mesmo ^^
Configurar sem usar os "facilitadores" que cada distro oferece uma padronização, e é mais prático, ou você vai ficar doido até decorar o que há em cada distro existente...


9. Re: Padronização das distribuições Linux

Andre
rocky

(usa openSUSE)

Enviado em 26/05/2010 - 13:24h

Pelo que entendi, fazer tudo pelo terminal é universal para todas as distribuições (tirando as particularidades como instalação de programas que cada um faz do seu jeito mesmo). Mesmo nessas distribuições "facilitadoras" como openSUSE ou Mandriva?

Então se eu instalar o Mandriva na minha máquina e tentar resolver tudo manualmente, desde drivers, codecs, impressoras, áudio, irei usar o mesmo conhecimento para Slackware até Ubuntu?

O focalinux cobre somente Linux via terminal?

No site da IBM na seção developer works existe um treinamento para LPI 1, 2 e 3, mesmo eu usando uma distro "fácil" o conteúdo ali ensinado é aplicado em toda e qualquer distro? Se for, vou instalar o Mandriva que é mais fácil e cair de cabeça no shell.

[]´s


10. Re: Padronização das distribuições Linux

Cristiano
sempreslack

(usa Slackware)

Enviado em 26/05/2010 - 13:47h

Quanto a primeira pergunta, a resposta é sim, o Shell é realmente algo padronizado, o comando grep, ls, cat, mount,start,stop,shutdown, e outros comandos são comuns em todas as distros, o que não pode esquecer é que uma ou outra pode não vir com determinando comando, mas não seriam comandos GNU, e sim scripts que fazem parte de muitas distribuições, se for o caso da sua distro não vir com o um determinado comando em shell, mas uma vez que você encontrar na net e instalar, ele vai se portar daquela forma em todas as distros. Sendo assim, entrar de cabeça no terminal é sempre a melhor opção quando se quer aprender GNU/Linux.
Quanto a segunda pergunta, o guia foca, se eu me lembro bem, tem o Debian como distro escolhida, mas a importancia dada ao terminal pelo guia é realmente muito grande.



11. Re: Padronização das distribuições Linux

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 26/05/2010 - 14:15h

Foi tão bem respondido que pode até marcar como RESOLVIDO,

Aproveite e dê uma olhada nos artigos sobre RMS, ferramentas GNU, Linus Torvalds e Kernel Linux:

http://pt.wikipedia.org/wiki/GNU
http://pt.wikipedia.org/wiki/Richard_M._Stallman
http://pt.wikipedia.org/wiki/GNU/Linux
http://pt.wikipedia.org/wiki/Linus_Torvalds