Distribuições "mínimas" e "simples".

1. Distribuições "mínimas" e "simples".

Rogerio Leiro Fontan
RLFontan

(usa Debian)

Enviado em 28/03/2019 - 17:32h

Ola galera, tudo beleza?

Na sua opinião, qual a vantagem dessa filosofia para você? E sobretudo, qual a vantagem dessa filosofia para o usuário final?

Abraço!


  


2. Re: Distribuições "mínimas" e "simples".

Matheus
pylm

(usa Gentoo)

Enviado em 28/03/2019 - 17:36h

O amor acaba quando tu conecta um pen drive e descobre que não compilou o driver praquele sistema de arquivos.


3. Re: Distribuições

Rogerio Leiro Fontan
RLFontan

(usa Debian)

Enviado em 28/03/2019 - 17:42h

pylm escreveu:

O amor acaba quando tu conecta um pen drive e descobre que não compilou o driver praquele sistema de arquivos.


Essa é minha dúvida.

Esses dias estive testando o Void Linux, e fiquei me perguntando qual era a utilidade de todo o trabalho de ajustar a distro no início, e de as vezes correr atrás de dependências não essenciais disponibilizadas na instalação de um software. Eu tinha de configurar o polkit, eu tinha de configurar as vezes o mount de pendrives e sistemas de arquivo, se eu instalava a Steam eu tinha de instalar o Vulkan, sendo que no Fedora e no Solus esses pacotes já são instalados automaticamente... na hora de instalar o driver da Nvidia ou a Steam não lembro.

O objetivo é deixar o usuário de decidir se quer subir um mísero serviço de polkit?


4. Re: Distribuições "mínimas" e "simples".

niquelnausea
niquelnausea

(usa Arch Linux)

Enviado em 28/03/2019 - 18:44h

RLFontan escreveu:

Ola galera, tudo beleza?

Na sua opinião, qual a vantagem dessa filosofia para você? E sobretudo, qual a vantagem dessa filosofia para o usuário final?

Abraço!


a vantagem na maioria das vezes esta nos milissegundos ganhos, em outros momentos atender a uma necessidade que não existe ou não é disponibilizada de forma padrão, mas por regra é apenas preferencia pessoal sem grandes ganhos reais.
algum minimalismo pode trazer melhorias, mas o excesso traz mais dificuldades do que soluções, assim como o excesso de opções costuma trazer problemas.


5. Re: Distribuições "mínimas" e "simples".

-
BiaMonteiro

(usa Arch Linux)

Enviado em 28/03/2019 - 18:48h

Uma coisa que gosto em sistemas minimalistas é a possibilidade de ter um sistema com poucos pacotes, e instalar somente o necessário.


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Faço trabalhos gráficos por um preço assustadoramente baixo. Contate-me indo ao meu perfil!


6. Re: Distribuições "mínimas" e "simples".

Rogerio Leiro Fontan
RLFontan

(usa Debian)

Enviado em 28/03/2019 - 18:49h

BiaMonteiro escreveu:

Uma coisa que gosto em sistemas minimalistas é a possibilidade de ter um sistema com poucos pacotes



Qual a vantagem de ter poucos pacotes?


7. Re: Distribuições

Gabriel Moreira
GabrielMS86

(usa Arch Linux)

Enviado em 28/03/2019 - 20:41h

Eu particularmente gosto do sistema mais enxuto possível, com o menor número de pacotes e aplicativos instalados.
Isso economiza espaço em disco e - não de forma tão acentuada - tende a melhorar o desempenho em relação à uma distro cheia de bloatware.
Veja, eu gosto de Gnome, é minha interface principal. Mas eu não gosto de loja de aplicativos, nem de cliente de e-mail, nem de app para ver logs, nem de app para contatos, etc... No meu Arch aqui eu instalo o Gnome o mais enxuto possível e coloco apenas os aplicativos que eu realmente gosto e quero utilizar.
Roda bem liso, sem comparação alguma com qualquer Ubuntu ou openSUSE que vêm com o Gnome praticamente completo.

EDIT: sei que para usuário novato isso não representa uma "facilidade", mas tudo é questão de adaptação a meu ver.


8. Re: Distribuições "mínimas" e "simples".

Rogerio Leiro Fontan
RLFontan

(usa Debian)

Enviado em 28/03/2019 - 20:42h

GabrielMS86 escreveu:

Eu particularmente gosto do sistema mais enxuto possível, com o menor número de pacotes e aplicativos instalados.
Isso economiza espaço em disco e - não de forma tão acentuada - tende a melhorar o desempenho em relação à uma distro cheia de bloatware.
Veja, eu gosto de Gnome, é minha interface principal. Mas eu não gosto de loja de aplicativos, nem de cliente de e-mail, nem de app para ver logs, nem de app para contatos, etc... No meu Arch aqui eu instalo o Gnome o mais enxuto possível e coloco apenas os aplicativos que eu realmente gosto e quero utilizar.
Roda bem liso, sem comparação alguma com qualquer Ubuntu ou openSUSE que vêm com o Gnome praticamente completo.

EDIT: sei que para usuário novato isso não representa uma "facilidade", mas tudo é questão de adaptação a meu ver.


Porque roda mais liso? Tenho essa dúvida.



9. Re: Distribuições "mínimas" e "simples".

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 28/03/2019 - 20:42h

Para mim não há nenhuma vantagem usar uma "Linux mínimo"
Como usuário não técnico quando mais completa melhor
Único cuidado é escolher o desktop mais adequado ao hardware



10. Re: Distribuições "mínimas" e "simples".

Gabriel Moreira
GabrielMS86

(usa Arch Linux)

Enviado em 28/03/2019 - 20:48h


RLFontan escreveu:

GabrielMS86 escreveu:

Eu particularmente gosto do sistema mais enxuto possível, com o menor número de pacotes e aplicativos instalados.
Isso economiza espaço em disco e - não de forma tão acentuada - tende a melhorar o desempenho em relação à uma distro cheia de bloatware.
Veja, eu gosto de Gnome, é minha interface principal. Mas eu não gosto de loja de aplicativos, nem de cliente de e-mail, nem de app para ver logs, nem de app para contatos, etc... No meu Arch aqui eu instalo o Gnome o mais enxuto possível e coloco apenas os aplicativos que eu realmente gosto e quero utilizar.
Roda bem liso, sem comparação alguma com qualquer Ubuntu ou openSUSE que vêm com o Gnome praticamente completo.

EDIT: sei que para usuário novato isso não representa uma "facilidade", mas tudo é questão de adaptação a meu ver.


Porque roda mais liso? Tenho essa dúvida.


Olha, acredito que é por ter menos processos e aplicativos para rodar na inicialização.
Um exemplo: quando vc instala um Ubuntu default ele já vem com serviços como bluetooth (entre outros) ativados por padrão. Num sistema que vc instala da base e vai adicionando o que precisa fatalmente vc vai ter algo mais próximo daquilo que é exatamente - e tão somente - o que vc precisa.
Quanto ao Gnome, realmente não sei, mas uma hipótese pode ser que ao carregar com menos aplicações diminuem-se também os serviços que o mesmo carrega (por exemplo os processos do Evolution - que no meu sistema aqui não tem nem sinal).




11. Re: Distribuições "mínimas" e "simples".

João Cláudio de Alcântara
aguamole

(usa Lubuntu)

Enviado em 28/03/2019 - 20:56h

Distribuições Minimalistas, são distros que são feitas com o kernel Unix otimizado (o sistema todo pra ser mais preciso).
Elas têm pacotes leves (uma suíte de escritório leve como o Calligra, um navegador leve como o Midori).
Porém, as distribuições minimalistas, normalmente não são utilizadas em qualquer propósito. Por serem muito resumidas, elas têm um foco de usabilidade em PC’s antigos ou com baixa configuração ou ainda no modo Live (USB).

O Damn Small Linux é uma distro baseada em Debian e possui baixíssimo requisitos para rodar, necessita apenas de 16 MB de RAM, para rodar um ambiente i368. Essa versão pode ser instalada num Pen Drive ou em um CD e só ocupará 64 MB, uma vez que essa distro também é liberada via Live CD.
https://sempreupdate.com.br/distribuicoes-linux-minimalista/


12. Re: Distribuições "mínimas" e "simples".

Rogerio Leiro Fontan
RLFontan

(usa Debian)

Enviado em 28/03/2019 - 21:01h

Olha sobre o tema que legal:







01 02