Scripts sugeridos

SearchSploit-GTK: Interface gráfica simples para o searchsploit (Kali Linux)

Saudações a todos, Estou disponibilizando esse script especialmente para os usuários do Kali Linux. Espero que gostem. Comecei a fazer esse script somente para testar a Gtkdialog. Apesar da gtkdialog não ser mais mantida pelo desenvolvedor László Pere's, ainda podemos criar interfaces mais complexas que a do meu exemplo. Para usar o script é necessário ter a gtkdialog instalada. Então veja os comandos para instalar: $ wget https://gtkdialog.googlecode.com/files/gtkdialog-0.8.3.tar.gz $ cd gtkdialog-0.8.3 $ ./configure $ make # make install Também precisa ter o exploitdb e o zenity no computador. No Kali Linux basta digitar: $ sudo apt-get install exploitdb zenity Eu gosto de atualizar o exploitdb com um script simples que usa as quatro linhas abaixo: cd /usr/share/exploitdb wget http://www.exploit-db.com/archive.tar.bz2 tar -xvjf archive.tar.bz2 rm archive.tar.bz2 Chamei esse script de exploit-db.sh e coloquei na minha pasta de usuário. Feitos os passos descritos acima, basta copiar o script SearchSploit.sh para sua pasta e executar os comandos: $ chmod +x SearchSploit-GTK.sh $ ./SearchSploit-GTK.sh É um script bem simples que fiz somente para ajudar no uso do searchsploit. Os dois arquivos de texto (num_exp.txt e lis_plat.txt) são criados automaticamente. Quem utilizar, vai encontrar vários bugs, mas como eu esclaresci anteriormente, escrevi o script somente por descontração. Aproveitem e modifiquem.

Por: Uberlan


Método das Cordas em SCILAB

Método das Cordas/Contraposição em SCILAB.

Por: Ariel Galante Dalla Costa


Octave - Calcular raiz pelo método Regula-Falsi

O método de regula falsi (regra falsa) ou falsa posição é um método iterativo de resolução numérica de equações não lineales. O método combina o método de bisseção e o método da secante.

Por: Daniel Moreira dos Santos


Agenda telefônica em Ruby que grava os dados em um txt

Perdi um tempinho hoje de bobeira fazendo esse script em Ruby que grava os dados: - nome - data de nascimento - profissão - email e envia tudo para um arquivo chamado dados.txt, que é criado no mesmo diretório. Também comentei o código inteiro para que todos possam entender.

Por: André


Crivo de Eratóstenes Simples em Fortran 95

Para compilar, use: "gfortran sieve001.f95 -o sieve001", igual GNU Pascal e GCC Particularidades desta linguagem: - Início e fim de blocos demarcados por palavras, lembrando Pascal; - Cláusula "Program" ao início do programa semelhante a Pascal; - Declaração de variáveis no início do código, como em Pascal. - Arrays podem ser bem flexíveis ao serem dimensionados; - Usam-se parêntesis para determinar elementos de um array; - A simples declaração "LISTAGEM(:)=12345" preenche todos os elementos do array LISTAGEM com o mesmo valor. - Cláusula de fim de blocos terminam geralmente com a seguinte estrutura: "END" + "Comando titular do bloco" + "Identificador criador pelo programador". Exemplos: END DO, END IF, END PROGRAM XXXXXXX, END FUNCTION XXXXXXX; - Comentários são declarados após um ponto de exclamação; - Operadores lógicos são identificados por palavras abreviadas entre pontos (.OP.). Exemplos: .AND. .OR. .NOT. Provavelmente foi daí que veio .AND., .T. .F. do Dbase, Clipper etc.; - Originalmente "maior que (>)", "menor que (<)", "maior ou igual que (>=)", "menor ou igual que (<=)" etc em Fortran escreviam-se igual ao que se usa hoje em Bash Script ou no comando test: * Maior que: .GT. (Greater Than). Em Bash: -gt * Menor que: .GT. (Less Than). Em Bash: -lt * Maior ou igual que:: .GE. (Greater or Equal Than). Em Bash: -ge * Menor ou igual que:: .LE. (Less or Equal Than). Em Bash: -ge * Igual a: .EQ. (Equal). Em Bash -eq * Diferente de: .NE. (Not Equal). Em Bash -ne Usados dentro de colchetes em scripts em comandos "if/elif" e "while", por exemplo. - Atualmente os operadores simbólicos consagrados do tipo ">" para a omparação "maior que" podem ser usados em lugar das letras e pontos. No script fica como exemplificado. - Formatação de entrada/saída de strings e números, são mais complicadas que em C. São feitas com uma variável de string pré-declarada ou com um comando chamado "FORMAT", podendo até ter um número de linha de código (label) para identificá-lo. FORMAT lembra um comando chamado "PICTURE" do Clipper/XBase; - Impressão de término de linha ('\n' em C) no comando Write pode ser cancelada com a incomum declaração "Advance='no'"; - Cláusula "PARAMETER" pode definir constantes; - Strings são definidas por uma notação semelhante a uma multiplicação de um tipo de dado (Character) por um valor. Exemplo: Character*5. - Não existe operador para resto de divisão (módulo, sinal de porcentagem "%" em C), sendo necessário o uso de uma função já implementada na linguagem (não aparece neste código). - Não encontrei operador de auto-incremento semelhante ao "duplo mais" em C. Fortran não é lacônico, conciso e simbólico quanto C, porém pode ser tão poderoso quanto. Existem algumas facilidades sintáticas que não devem ser subestimadas.

Por: Perfil removido