Montando partições remotas do SAMBA no boot

Publicado por Davidson Rodrigues Paulo em 22/04/2004

[ Hits: 24.963 ]

Blog: http://davidsonpaulo.com/

 


Montando partições remotas do SAMBA no boot



Se você usa o SAMBA para compartilhar arquivos entre dois PCs, é muito útil ter o compartilhamento remoto sempre pronto após inicializar seu Linux. Isso é muito simples!

Uma vez configurado o compartilhamento, crie um ponto de montagem para cada compartilhamento. Nesse exemplo, vou considerar uma máquina remota chamada SERV e os compartilhamentos DOCS, MP3 e SOFT. Segue os comandos:

# mkdir /mnt/SERV
# cd /mnt/SERV
# mkdir DOCS MP3 SOFT


Agora, edite o arquivo /etc/fstab, e adicione as seguintes linhas:

//SERV/DOCS  /mnt/SERV/DOCS  smbfs  defaults,rw,username=guest 2  1
//SERV/MP3   /mnt/SERV/MP3   smbfs  defaults,rw,username=guest 2  1
//SERV/SOFT  /mnt/SERV/SOFT  smbfs  defaults,rw,username=guest 2  1

Salve o arquivo e saia do editor. Pronto! No próximo boot os compartilhamentos estarão montados no diretório /mnt/SERV/.

Para montar manualmente os compartilhamentos, depois de editar o /etc/fstab, basta digitar

# mount //SERV/DOCS
# mount //SERV/MP3
# mount //SERV/SOFT


Observações:
  • SERV, DOCS, MP3 e SOFT são nomes ilustrativos. Sua rede provavelmente vai ter nomes diferentes, mas os procedimentos são os mesmos, só mudam os nomes.
  • Isso só vai funcionar se:
    • o sistema de arquivos 'smbfs' for suportado pelo seu kernel. Se não for, você terá que recompilá-lo ativando esse suporte.
    • os compartilhamentos da máquina remota não exigirem nome de usuário e senha. Se exigirem, você terá que substituir o parâmetro 'username=guest'' para 'username=,password='
    • seu SAMBA estiver funcionando e os compartilhamentos remotos estiverem visíveis.

É isso aí, espero que isso seja útil. Um abraço e...

"...liberdade pra dentro da cabeça..."

Outras dicas deste autor

Liberando NFS no firewall do Fedora

Integrando o Yum ao Axel para downloads mais rápidos

Problema: notebook hiberna ou desliga quando fonte é desconectada

Livro Squid, solução definitiva

Recuperando base de dados do RPM

Leitura recomendada

Site com screencasts (pequenos vídeos) de várias distribuições

Renderização de fontes em monitores LCD no Fedora: como melhorar

Um painel Tint2 mais completo

Alterando a senha root no KUbuntu 7.10

Personalizando a saída do uname

  

Comentários
[1] Comentário enviado por cvs em 22/04/2004 - 16:26h

e pra que serve aquele 2 e 1 na frente, por que nao usou o 0 0 ?

[2] Comentário enviado por davidsonpaulo em 22/04/2004 - 18:14h

pra falar com franqueza, eu ainda não sei o que significam esses dois números que ficam na frente, por ainda não pude ler sobre o assunto. Acontece que uma vez tive dúvida sobre montagem de partições FAT e NTFS e na linha do fstab que me passaram disseram para colocar 2 1 para que qualquer usuário pudesse acessar. Mas, sinceramente, sei lá. Só sei que funciona. Se funcionar com 0 0 (e for melhor), basta trocar...

Valeu pela observação...

[3] Comentário enviado por davidsonpaulo em 22/04/2004 - 18:17h

pra falar com franqueza, eu ainda não sei o que significam esses dois números que ficam na frente, por ainda não pude ler sobre o assunto. Acontece que uma vez tive dúvida sobre montagem de partições FAT e NTFS e na linha do fstab que me passaram disseram para colocar 2 1 para que qualquer usuário pudesse acessar. Mas, sinceramente, sei lá. Só sei que funciona. Se funcionar com 0 0 (e for melhor), basta trocar...

Valeu pela observação...

[4] Comentário enviado por rafstrat em 23/04/2004 - 00:46h

Pessoal é o seguinte
esses dois ultimos numeros significam se o processo dump sera usado (utilitario de backup) e o outro a ordem em que o fsck devera ser executado.
Quando os valores forem zero o dump ira ignorar o filesystem e o fsck nao ira checar o filesystem.

[5] Comentário enviado por rafstrat em 23/04/2004 - 00:47h

Pessoal é o seguinte
esses dois ultimos numeros significam se o processo dump sera usado (utilitario de backup) e o outro a ordem em que o fsck devera ser executado.
Quando os valores forem zero o dump ira ignorar o filesystem e o fsck nao ira checar o filesystem.

[6] Comentário enviado por sombriks em 13/02/2007 - 23:59h

aqui eu uso da seguinte maneira:

//comander/muscias /mnt/musicas smbfs guest,ro,user,fmask=777 0 2

no caso meu security level eh share, o que me permite apenas criar compartilhamentos ro ou rw. Por isso o parâmetro guest, :D

ah, e não sei ao certo, mas como o usuário era o nobody (????) eu não conseguia gravar em partilamentos rw até eu colocar esse prâmetro fmask ae.

ademais excelente dica, figura entre as favoritas faz teeeempo!

[7] Comentário enviado por femars em 14/12/2008 - 23:13h

Cara! Exelente Dica!



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts