Instalando o SpiceOpus no Linux

Publicado por Vitor Felix em 05/10/2016

[ Hits: 3.125 ]

 


Instalando o SpiceOpus no Linux



É um tutorial bem noob, mas lembro que na época eu nem sabia o que era Linux e tive de instalar o SpiceOpus.

Esta dica é para ser bem trivial mesmo, quase uma carta ao "eu" de alguns anos atrás (me desculpem os "avançados").

Se você ainda continua lendo isso, provavelmente já sabe o que é o SpiceOpus, mas para resumir podemos pegar o jargão deles: "Free Analog Circuit Simulation" ou seja, "é para simular circuito analógico" através das descrições de hardware que você escreve nos ".cir" e ".spi" que o programa executa.

O guia de instalação deles é bem simples e prático (última página do pdf):
Aqui vou praticamente reescrever o guia com alguns nuances.

1) Faça o download da versão compatível:
2) Entre como root:

su -

3) Descompacte o arquivo:

# tar -vzxf spice_opusVersãoEscolhida.tar.gz

4) Entre no diretório que foi criado:

# cd spice_opusVersãoEscolhida

5) Execute o install e diga onde quer instalar o spice:

# ./install localEscolhido

Obs.: é recomendável instalar em '/usr/local'. O comando recomendável seria:

# ./install /usr/local

Pronto, está instalado!

Porém algumas versões ou em algumas distros o comando que abre o spice ("spiceopus" ou "spiceopus&") não funciona... Se este for o seu caso, setar o ambiente é uma possível solução. Para isso basta:

1) logado como root (ou através do sudo) você deve editar /etc/profile adicionando (não apague nada lá dentro!) as linhas:

OPUSHOME=localOndeVoceInstalouSeuSpiceOpus
export OPUSHOME

Obs.: se você seguiu o recomendado, então basta substituir: localOndeVoceInstalouSeuSpiceOpus por /usr/local/.

Obs.2: pelo terminal você pode abrir o arquivo com "gedit", "nano" ou "vim".

O gedit é de longe o mais recomendável, seguido pelo nano (tem um menu em baixo com alguns comandos) e só abra com vim se ler alguma coisa antes sobre este editor.

2) Já que você está escrevendo em /etc/profile, porquê não aproveitar para escrever mais duas linhas ao final do arquivo:

PATH=$PATH:$OPUSHOME/bin
export PATH

Agora sim! Salve suas edições e vá plotar gráfico de capacitor como se não houvesse amanhã! #micEletronica ;)

Outras dicas deste autor
Nenhuma dica encontrada.
Leitura recomendada

Ubuntu - Instalando LXDE, XFCE, KDE e WM

Apresentando o Tor

ClassicMenu Indicator no Ubuntu 13.10

Presets no XMMS

Metamorphose Linux, o novo sistema operacional brasileiro

  

Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.



Contribuir com comentário