Entenda o uso de profiles no Funtoo

Publicado por Xerxes Lins em 04/08/2015

[ Hits: 2.733 ]

Blog: https://voidlinux.org/

 


Entenda o uso de profiles no Funtoo



Durante a instalação do sistema Funtoo o usuário é encorajado a escolher um profile, ou seja, um perfil para o sistema. Por quê?

Usuários não familiarizados com os profiles podem acabar adicionando muitas flags no arquivo make.conf para ajustar o sistema ao seu gosto. Vai usar KDE? Quer ter suporte ao Qt? É desktop? Então melhor colocar isso e aquilo, mas não pode essa flag e não pode aquela flag para não causar problemas, etc.

Isso pode deixar o make.conf inchado de flags, difíceis de serem manipuladas. O que torna a experiência com o sistema um tanto quanto complicada. Funtoo não foi feito para ser complicado. Ele pode ser no começo, devido sua grande quantidade de opções de configuração, mas o usuário logo percebe que não é bicho de 7 cabeças.

Aos poucos a distribuição vem se tornando mais e mais acessível, com novas ferramentas, sem perder o seu poder de personalização.

As lista das flags pode ser vistas na seguinte página:
Então, para não encher o arquivo de flags e para facilitar a sua manipulação, uma solução inteligente é usar profiles. Quando o usuário escolhe um profile ele, na verdade, está escolhendo uma combinação de flags pré-configuradas para moldar seu sistema.

Os profiles são:
  • arch: define a compatibilidade com o tipo do processador.
  • subarch: aplica um refinamento às especificações do processador além do arch.
  • build: se refere a estabilidade do sistema. Quer usar o sistema estável, "current" ou experimental?
  • flavor: define o objetivo do seu sistema ou a sua utilidade. Pode ser minimal, desktop, core, workstation.
  • mix-ins: adicionam funcionalidades ao sistema, bem como a preparação para os ambientes gráficos desejados. Algumas opções são: gnome, kde, media, mate, X e hardened.

Obs.: algumas opções em "flavors" ativam automaticamente algumas opções em "mix-in". E algumas opções do próprio "mix-in" ativam outras do "mix-in". A opção gnome, por exemplo, vai ativar o x.

Para ver os profiles atuais use o comando "epro show". Exemplo:
Linux: Entenda o uso de profiles no Funtoo

Para ver todas as opções use o comando:

# epro list

Alguns exemplos:

Adicionar mix-in GNOME e KDE:

# epro mix-ins +gnome +kde

Remover mix-in GNOME:

# epro mix-ins -gnome

Mudar arquitetura para x86-64 bits:

# epro arch x86-64bit

Mudar a subarch para generic_64:

# epro subarch generic_64

Mudar o "flavor" do sistema:

# epro flavor desktop

Para mais informações sobre o comando Epro veja esta dica:
Qual a diferença entre minimal, core, server, workstation e desktop no profile flavor?
  • minimal: contem as mínimas configurações para Funtoo em todos os flavors.
  • core: contém as mesmas configurações do minimal mais algumas outras úteis e comumente usadas. É a base do stage3 do Funtoo.
  • server: teoricamente deve ser igual ao core mais algumas especificações voltadas para servidores. Porém, atualmente, é idêntica ao core.
  • workstation: configurações mínimas para um desktop com alguns mix-in como X, audio, dvd e outros.
  • desktop: tem basicamente tudo o que um desktop completo precisa. Inclui suporte a impressão. É melhor aproveitado com um mix-in de algum ambiente gráfico como GNOME ou KDE.

Onde ficam armazenados os profiles?

Você pode olhar o arquivo com os profiles executando:

# cat /etc/portage/make.profile/parent

Vai retornar algo como:

gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu/arch/x86-64bit
gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu/build/current
gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu/arch/x86-64bit/subarch/generic_64
gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu/flavor/desktop
gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu/mix-ins/no-systemd
gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu/mix-ins/lxde
gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu/mix-ins/xfce


Este modelo de configuração com uso de profile tem benefícios como menor necessidade de alterar o make.conf e possui uma separação organizada por arquitetura, flavor, etc.

Para mais informações veja:
Outras dicas deste autor

Adicionando esquemas de cores ao Geany

Como restaurar o Portage no Funtoo

Instalando o tema do Lucid no Karmic

Facebook e Youtube lentos [Resolvido]

Hora sempre certa no Void Linux

Leitura recomendada

Comandos aceitos no Basic Linux

Instalando o Firefox 3.6

Squid + SARG: Gerando relatórios pelo nome de usuário autenticado

Resolvendo problemas de caracteres e idiomas no Debian Etch AMD64 e Dreamlinux MMGL 2.2

Renomeando seu pen drive no Linux

  

Comentários
[1] Comentário enviado por madrugada em 06/08/2015 - 07:45h

Muito bem!
Quando eu baixei o stage3, já baixei o estável, e para minha sub-arquitetura:
http://build.funtoo.org/funtoo-stable/x86-64bit/amd64-steamroller/stage3-latest.tar.xz

Assim, a única coisa que precisei adicionar foi o mix-in do ambiente gráfico.

Parabéns por mais uma dica do Funtoo.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts