Decifrando o /etc/fstab

Publicado por wellington em 07/01/2015

[ Hits: 39.880 ]

 


Decifrando o /etc/fstab



fstab é um arquivo em texto puro para configuração de dispositivos de armazenamento e pontos de montagem do GNU/Linux e que pode ser editado facilmente se você for administrador.

Abaixo um exemplo do fstab:
Linux: Editando o /etc/fstab

Onde temos:

1ª coluna - partição, dispositivo ou pasta de rede

Aqui você indica a partição do HD, o CD-ROM, disquete, pendrive ou pasta de rede a serem montados no boot ou com o comando:

# mount -a

Obs.: para montar pastas de rede Windows recomento a dica do amigo Anderson Raimundo Lopes Nascimento:
E para NFS:

2ª coluna - ponto de montagem

Aqui você indica o local onde serão montadas as partições, dispositivos e pastas compartilhadas da rede.

3ª coluna - sistema de arquivos

Aqui você indica o sistema de aquivos utilizado, sendo comum o uso do "auto" em drivers de CD-ROM, disquetes e até mesmo em pendrives.

Os sistemas de arquivos mais comuns são: swap, ext2, ext3, ext4, ReiserFS, XFS, JFS, VFAT, NTFS, entre outros.

4ª coluna - regras de montagem

Aqui você indica o que quer que o sistema permita para cada ponto de montagem. Uma boa parte da segurança do seu sistema pode ser configurada aqui.

Segue link com algumas dicas:
Algumas opções de uso são:
  • rw - permissão de leitura e escrita
  • ro - permissão de leitura apenas
  • suid - permite a utilização do bit suid (set-user-identifier) ou sgid (set-group-identifier)
  • nosuid - não permite a utilização do bit suid ou sgid, tratando como arquivos comuns

Mais informações sobre SUID e SGID em:
Mais opções:
  • dev - permite a criação de arquivos de dispositivos
  • nodev - não permite a criação de arquivos de dispositivos
  • exec - permite execução de binários
  • noexec - não permite a execução de binários
  • auto - monta automaticamente no boot
  • noauto - não monta no boot
  • user - pode ser montado por usuários simples
  • nouser - só pode ser montado pelo root
  • sync - gravação síncrona do dispositivo, ou seja, grava no disco assim que o comando é executado.
  • async - gravação assíncrona do dispositivo, ou seja, grava na memória primeiro e depois no disco.
  • defaults - rw, suid, dev, exec, auto, nouser, e async

5ª coluna - opções do dump

Opção de backup da partição onde:
  • 0 - está desativado
  • 1 - está ativo

6ª coluna - opções do fsck

Opção de verificação da partição onde:
  • 0 - não verifica
  • 1 - prioridade de verificação (partição do sistema, /)
  • 2 - prioridade de verificação (outras partições)

Outras dicas deste autor

Facilitando a vida com o teclado

Slackware Current - Teclado e mouse não funcionam [Resolvido]

Leitura recomendada

Adicionando suas rádios preferidas no Rhythmbox

Configurando dicionionário/lista de palavras nas distribuições derivadas do Debian

Squid autenticando no Active Directory (AD) Windows 2008 Server

Leitor Biométrico no Thinkpad X230 com openSUSE 13.2 - Configuração

Instalação de driver legado Broadcom BCM4311 HP Compac

  

Comentários
[1] Comentário enviado por edivandjs em 29/05/2019 - 20:26h

Acessando agora em 2019. Show!

________________
“Quem combate monstruosidades deve cuidar para que não se torne um monstro. E se você olhar longamente para um abismo, o abismo também olha para dentro de você”
Nietzsche.



Contribuir com comentário