Decifrando o /etc/fstab

Publicado por wellington em 07/01/2015

[ Hits: 30.822 ]

 


Decifrando o /etc/fstab



fstab é um arquivo em texto puro para configuração de dispositivos de armazenamento e pontos de montagem do GNU/Linux e que pode ser editado facilmente se você for administrador.

Abaixo um exemplo do fstab:
Linux: Editando o /etc/fstab

Onde temos:

1ª coluna - partição, dispositivo ou pasta de rede

Aqui você indica a partição do HD, o CD-ROM, disquete, pendrive ou pasta de rede a serem montados no boot ou com o comando:

# mount -a

Obs.: para montar pastas de rede Windows recomento a dica do amigo Anderson Raimundo Lopes Nascimento:
E para NFS:

2ª coluna - ponto de montagem

Aqui você indica o local onde serão montadas as partições, dispositivos e pastas compartilhadas da rede.

3ª coluna - sistema de arquivos

Aqui você indica o sistema de aquivos utilizado, sendo comum o uso do "auto" em drivers de CD-ROM, disquetes e até mesmo em pendrives.

Os sistemas de arquivos mais comuns são: swap, ext2, ext3, ext4, ReiserFS, XFS, JFS, VFAT, NTFS, entre outros.

4ª coluna - regras de montagem

Aqui você indica o que quer que o sistema permita para cada ponto de montagem. Uma boa parte da segurança do seu sistema pode ser configurada aqui.

Segue link com algumas dicas:
Algumas opções de uso são:
  • rw - permissão de leitura e escrita
  • ro - permissão de leitura apenas
  • suid - permite a utilização do bit suid (set-user-identifier) ou sgid (set-group-identifier)
  • nosuid - não permite a utilização do bit suid ou sgid, tratando como arquivos comuns

Mais informações sobre SUID e SGID em:
Mais opções:
  • dev - permite a criação de arquivos de dispositivos
  • nodev - não permite a criação de arquivos de dispositivos
  • exec - permite execução de binários
  • noexec - não permite a execução de binários
  • auto - monta automaticamente no boot
  • noauto - não monta no boot
  • user - pode ser montado por usuários simples
  • nouser - só pode ser montado pelo root
  • sync - gravação síncrona do dispositivo, ou seja, grava no disco assim que o comando é executado.
  • async - gravação assíncrona do dispositivo, ou seja, grava na memória primeiro e depois no disco.
  • defaults - rw, suid, dev, exec, auto, nouser, e async

5ª coluna - opções do dump

Opção de backup da partição onde:
  • 0 - está desativado
  • 1 - está ativo

6ª coluna - opções do fsck

Opção de verificação da partição onde:
  • 0 - não verifica
  • 1 - prioridade de verificação (partição do sistema, /)
  • 2 - prioridade de verificação (outras partições)

Outras dicas deste autor

Facilitando a vida com o teclado

Slackware Current - Teclado e mouse não funcionam [Resolvido]

Leitura recomendada

Configuração do instalador do VMware 2 no kernel 2.6.29 (Fedora 11 x64)

Driver da Nvidia no Ubuntu 9.04

Configurando DVD-ROM no KUbuntu 7.04

Redirecionamento de portas usando iptables

Configurar clique do tochpad no Slackware 13

  

Comentários
[1] Comentário enviado por edivandjs em 29/05/2019 - 20:26h

Acessando agora em 2019. Show!

________________
“Quem combate monstruosidades deve cuidar para que não se torne um monstro. E se você olhar longamente para um abismo, o abismo também olha para dentro de você”
Nietzsche.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts