Qual distribuibuição GNU/Linux devo utilizar?

No fórum do Viva o Linux, vejo muitas perguntas do tipo: "Qual a distribuição ideal para ...?" Neste artigo, vou abordar
este assunto e lhe indicar as principais distribuições, selecionadas para usuários iniciantes, intermediários e avançados.

[ Hits: 22.980 ]

Por: Perfil removido em 12/04/2012


Iniciantes



Obrigado pelo apoio daqueles que gostaram do meu 1º Artigo e incentivaram-me a continuar postando.

Neste meu 2° Artigo, vou mostrar as distros ideais e que melhor atendam às necessidades dos usuários das categorias:
  • Iniciantes;
  • Intermediários;
  • Avançados.

Vamos iniciar com as distribuições para iniciantes.

Ubuntu


O Ubuntu é uma distro Linux completa e compacta, que pode atender muito bem às suas necessidades. Vem com a suíte office LibreOffice, e atualmente é uma das mais usadas distribuições GNU/Linux.

Com a sua reputação mundialmente conhecida, mostra muito serviço, além de ser a distro Linux com mais suporte atualmente.

- Distribuída em 5 ambientes:
  • Ubuntu - Unity (baseado em GNOME);
  • Kubuntu - KDE;
  • Xubuntu - Usa o Xfce como ambiente padrão;
  • Gnome Remix - Versão experimental que usa o GNOME 3 como ambiente padrão;
  • Lubuntu - Usa o LXDE como ambiente padrão.

Baseado no Debian:
  • Primeira versão: 04.10
  • Lançamento da primeira versão: 8 de julho de 2005
  • Responsável: Canonical
  • Tempo de lançamento versões normais: 6 meses - LTS: 5 anos
  • Fundador: Mark Shuttleworth
  • Gestor de pacotes: Atualmente é o APT com a interface gráfica Software Center (que se tornou a única interface padrão depois da retirada do Synaptic a partir da versão 11.04 - Natty)
  • LiveCD: Sim

- Requisitos Básicos:
  • 1 GHz de processador (recomendado 2 Ghz para versões atuais )
  • 512 MB de RAM (1 GB para versões atuais)
  • HD: Atualmente minimo de 6 GB
  • Resolução básica : 1024x768

- Curiosidades:

O Ubuntu é reconhecido em 2° Lugar no DistroWatch, pois vem perdendo espaço para o Linux Mint. Seus fãs ganharam o apelido de Ubunteiros.

Em 2011, as águas do Ubuntu foram divididas. O Ubuntu assumiu um novo 'logo' e nova interface (criticada e adorada por muitos).
"Uma pessoa com Ubuntu está aberta e disponível para outros, apoia os outros, não se sente ameaçada quando outros são capazes e bons, baseada em uma autoconfiança que vem do conhecimento que ele ou ela pertence a algo maior e é diminuída quando os outros são humilhados ou diminuídos, quando os outros são torturados ou oprimidos." - Mark Shuttleworth (ao explicar o nome Ubuntu).

Linux Mint


O Linux Mint, atualmente a distribuição mais utilizada, é de origem Irlandesa. Oferece tudo para ser a melhor alternativa ao Ubuntu, mas que também tem sua a versão baseada no Debian, cujo nome é LMDE (Linux Mint Debian Edition).

O Mint tem suas facilidades e tudo para seu uso seja diário ou não. Tem vários diferenciais, sendo que um deles é uma modificação no Menu do GNOME, chamada de MintMenu (o nome do pacote é Mint Center ). Similar ao botão Iniciar do Windows ou, o lançador de tarefas do KDE.

O Mint está em ascensão e disparando no número de usuários, e vem surpreendendo a cada nova versão.

O Mint está disponível nos ambientes:
  • MATE: Um jeito de escapar da interface Unity e do GNOME 3. É o padrão do Mint e um "fork" do GNOME 2;
  • Xfce;
  • LXDE;
  • KDE;
  • Gnome-Shell fork (Cinnamon).

O Mint traz as facilidades do Ubuntu, além de ser compatível com seus pacotes, atualmente é julgada a mais elegante Distribuição Linux.

Deve ser por isso que suas versões recebem nomes femininos, respectivamente: Ada, Bárbara, Bea, Bianca, Cassandra, Celena, Daryna, Elyssa, Felicia, Gloria, Helena, Isadora, Júlia, Katya e Lisa (esta última é a mais recente).

O Mint tem seu forte na usabilidade e facilidade, sendo assim, considerada ideal para iniciantes. É sustentado por uma comunidade oficial e por alguns desenvolvedores da Launchpad.
  • Criação: 2006
  • Origem: Irlandesa
  • Criador: Clement Lefebvre

Fedora


Antigo Fedora Core (que merece um nomezinho mais agradável, né?) é uma Distro RPM criada e baseada na Red Hat.

É mantido pela mesma, que mantém uma comunidade chamada de Fedora Project.
  • Ambiente Padrão: GNOME 3 Shell
  • Ambientes Secundários: KDE, Xfce, WM.
  • Ano de Criação: 2003

É uma Distribuição muito conhecida por sua fácil utilização, instalação e configuração.

Esta Foi a 1ª parte do artigo dedicada aos iniciantes. 'For beginners'.
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Iniciantes
   2. Intermediários
   3. Avançados
Outros artigos deste autor

Lucaschess: software para base de dados, jogar e treinar xadrez

Instalação personalizada com Debian

Linux prestes a ganhar novos adeptos

Comportamento das tecnologias WEB e seus meios de acesso

Instalando pacotes no Ubuntu e distros Debian-like

Leitura recomendada

Principais Ambientes Gráficos

Permissões no Linux

Big Linux: A opção ideal para iniciantes

Ferramentas Linux indispensáveis no reparo de computadores

Concatenação, conexão e recursividade de comandos no GNU/Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 12/04/2012 - 10:52h

Primeiro parabéns por essa colaboração que será de boa ajuda para muitos !!!

Segundo... a distro que cada usuário usa não indica o nível de conhecimento que cada pessoa que usa um sistema GNU/Linux, conheço pessoas com anos de uso e prática e usam Ubuntu, considerada no artigo para iniciantes, eu por exemplo quando iniciei passei quase um mês usando o kurumin, depois testei o slackware, e como todo iniciante tive minhas dificuldades, porém superei, pois queria aprender bastante e ouvi falar que debian e slackware são as distros mais difíceis. depois do slackware,uso até hoje o Debian GNU/Linux e pretendo continuar usando, a única distro que passei a usar devido a necessidade foi o CentOS.

Não é uma critica apenas uma opnião.

Quem faz o nível de conhecimento sobre o sistema independente da distro que use é você e não o sistema GNU/Linux que usa que indica isso.

Então a distro não indica o nível de usuário e sim o conhecimento.

Abraço...

[2] Comentário enviado por feijojunior em 12/04/2012 - 11:01h

Muito bom, parabens mano, seus artigos estão fora de serio, continue assim

[3] Comentário enviado por cesarufmt em 12/04/2012 - 11:31h

Bacana teu artigo!

Vale lembrar que existe ainda uma série de outras opções.

Obrigado pelo artigo!

[4] Comentário enviado por ruwindows em 12/04/2012 - 12:58h

Show de bola o artigo, sou novato em linux
uma pergunta qual o ambiente do print acima do Ubuntu?
precisa placa de video para instalar este ambiente?
Valeu!

[5] Comentário enviado por phrich em 12/04/2012 - 14:24h

Muito bom seu artigo, só não concordo com o Debian e o Backtrack estarem na parte do intermediário, pq o Debian é mais utilizado para Servidores e o Backtrack mais para pentests.

Debian... talvez fique no meio dos dois, pois eu parei de utilizar o slackware para utilizar o Debian justamente por causa da facilidade de administração, o apt-get salva vidas, mas mesmo assim qdo preciso compilar algo na mão, sem problemas, graças ao Slackware.

Já para realizar pentests, o indivíduo deve ter um certo conhecimento, sendo assim acho que o Backtrack não se enquadra em intermediário.

No demais, muito bom artigo.

[6] Comentário enviado por 9u31220 em 12/04/2012 - 14:28h

Parabéns, o artigo está bom.
Eu só discordo um pouco do backtrack na sessão intermediária, por que é uma distribuição muito específica para o propósito de segurança e deve ser usada principalmente para isso, não pelo seu grau de dificuldade. Como você mesmo citou existem outras como PCLinuxOS, Mageia ... que deveriam receber prioridade em relação ao backtrak no seu artigo.

[7] Comentário enviado por clodoaldops em 12/04/2012 - 15:57h

Concordo plenamente com a classificação.
Parabens!

[8] Comentário enviado por izaias em 12/04/2012 - 21:17h

O artigo está adequadamente exposto.

Mas níveis de dificuldades está relacionado mais ao usuário, quanto a seu nível de entendimento, do que da distro em si.

O saudoso colega 'Irado furioso com Tudo', era um 'Dinossauro do Linux!'.
Um mestre do Slackware, e vejam que coisa: em suas últimas aparições no Fórum do VOL, estava usando XUbuntu.
Simples opção!

Sabe Lucas, isso de dificuldade está mais relacionado à nossa cultura, sobre como encaramos o que nos causa/dá mais trabalho.
E tem grande efeito psicológico em nossas decisões.

- Isso é coisa de brasileiro. rs


No mais, parabéns por seu 2º artigo.
Um abraço.

[9] Comentário enviado por albfneto em 13/04/2012 - 02:30h

muito bom artigo, apenas um comentário:

a SUSE é uma distro Alemã, que foi inicialmente baseada no slackware e depois baseada no Red-Hat.

já o OpenSUSE é internacionalizado e tem apoio da Novell, e é feito por uma comunidade de usuários Mundial, mas a maior parte dos desenvolvedores sao alemães, portanto é uma distro Alemã com apoio da Novell e não uma Distro americana.

Mandriva, Fedora e OpenSUSE são como o KDE e o GNOME, hoje eles são feitos e aumentados e traduzidos por programadores e usuários do mundo todo, mas em sua origem, o KDE é Alemão e o GNOME, Mexicano.

Por outro lado, o SUSE Enterprise é que é voltado para emprêsas, e não o OpenSUSE.

È parecido com o Fedora, o que é inventado no Fedora, vai ser estabilizado e incorporado no Red-Hat,

assim tb. o OpenSUSE, o que a Comunidade Mundial e Alemã inventa, junto com o que os programadores da Novell inventam para o OpenSUSE, será depois incorporado no SUSE Enterprise

[10] Comentário enviado por tonyrecife em 14/04/2012 - 16:18h

Excelente artigo. Existem distribuições sendo lançadas e outras sendo descontinuadas anualmente.
É extremamente importante observar esse "detalhe" e escolher uma distro com uma perspectiva de futuro, de continuidade, de avanço, que acompanhe as tendências, senão alguns usuários recorrerão ao windows, que busca sempre a facilidade e a comodidade.
Força e fé.........

[11] Comentário enviado por JJSantos em 15/04/2012 - 17:11h

Concordo
Quem faz o nível de conhecimento sobre o sistema independente da distro que use é você e não o sistema GNU/Linux que usa que indica isso.

Então a distro não indica o nível de usuário e sim o conhecimento.

[12] Comentário enviado por removido em 15/04/2012 - 21:55h

Ótimo artigo, parabéns =]

[13] Comentário enviado por removido em 16/04/2012 - 08:39h

Sugiro a quem inicia instalar uma distro de cada "nível" na máquina, de preferência que não precise ficar instalando coisas que necessitem ser baixadas automaticamente.

Se não houver um pouquinho de trabalho, o cara vai ser mais um clicador de mouse, exceto se não for do interesse dele.

Desse jeito dá prá entender onde é que a coisa aperta em cada uma.

[14] Comentário enviado por felipe300194 em 16/04/2012 - 11:52h

Otimo artigo e acho que mudar de um outro sitema para o linux já é uma grande evolução. Tenho a mesma opinião do amigo Listeiro 037, de que não seja necessario uma distro "automatica". Claro, a não ser que você não conheça realmente nada de linux e nem de informatica e queira aprender a usa-lo...

[15] Comentário enviado por removido em 16/04/2012 - 18:27h

Olá obrigado pelos comentários =D ,Bem sobre o nível de conhecimento.Posse dizer-lhes ,que é uma questão de conhecimento mesmo ,Por exemplo dividi o artigo em 3 partes :
-Iniciantes
-Intermediarios
-Avançado
Que tambem poderia ser categorizado pelo nivel de conhecimento
-(nada ,pouco ) que poderia ser encaixado na parte iniciantes
-(basico,,sei sobreviver ,rs/) poderia caber no grupo instermediários
-(Basico ,certa experiência ) poderia se encaixados do grupo avançados .
Se formos analizar bem .,um inicinate vai ter de usufruir de ubuntu ,mint .para poder migrar para outras ,já que as mesmas tem certa facilidade/adaptabiliadade. Esse usuário vai saber se virar em uma distro maisa pesada . Pois é chato um iniciante tentar algo que não sabe nada ,tentar já ir no slackware ,daí isso vai causar que o usuário já tenha mais dependência .Eu coemecei com o Big ,depois de 4 dias já estava no slackware ,lá eu aprendi muito ,tano que é estou com ele até hoje . Um iniciante já não vai chegar compilando o gentoo ,por isso indiquei nestas três categorias .

[16] Comentário enviado por flavioacrj em 17/04/2012 - 07:53h

É útil essa divisão entre iniciantes, intermediários e avançados. Dessa forma, fica uma ótima sugestão de distribuições para que um usuário inexperiente possa escolher qual usar. O experiente já não precisa de tantas dicas, sabe caminhar sozinho.
Um abraço.

[17] Comentário enviado por moldem em 19/04/2012 - 14:57h

Meu , parabens pelo artigo , uso slackware gosto muito e me viro muito bem acho a melhor para se trabalhar .
Agora porque quando se coloca as palavras "Ubuntu" e "iniciantes" juntos numa frase , a galera cai matando. Deve ter alguma coisa errada !?
Talvez porque o Ubuntu seja muito gráfico ....tipo windows ;), "clique aqui" e next , next , next....
Enfim, cada um usa o que mais lhe agrada .
Abraço a todos .

[18] Comentário enviado por removido em 22/04/2012 - 17:33h

Ficou muito bom! recomendo para trabalhos futuros mostrar a instalacao passo a passo das distribuicoes... ajudando assim os iniciantes

[19] Comentário enviado por warlocksn em 26/04/2012 - 19:59h

Artigo muito bom e bem descritivo! Gostei mesmo.
Porem, há algo que ainda não consegui entender... pq colocam o Arch Linux como uma distribuição de grau avançado. Eu o colocaria, sim, em intermediário mas não em avançado. Sou usuário iniciante em Linux e uso Arch Linux à pouco mais de um ano...

Em todo caso, esse artigo serve como referencial para usuários iniciantes. Mas dependendo do interesse do usuário seja ele iniciante ou não, qualquer distro é boa pra poder usar e aprender muitas coisas. ;)


[20] Comentário enviado por afrancisco em 03/07/2012 - 21:59h

Oi Lucas,
Gostei do seu artigo. Entrei no mundo linux em 2009 e ficava que nem barata tonta testando distros, até me estacionar de vez no ubuntu. Oxalá eu tivesse tido acesso a um artigo objetivo como este. Valeu.
Abraços.
Antonio


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts