O quê que há velhinho?!

Esse artigo expõe um pouco do que eu sinto a respeito do GNU/Linux e das mudanças feitas nele nesta última versão. KDE 3 ou KDE 4? Compiz ou Plasma? Estou contente com o novo Tux? Mais ou menos. Mas ainda continuo amando esse nosso pinguim super desenvolvido, que deixa meu dia-a-dia mais confortável.

[ Hits: 5.654 ]

Por: Adenilson dos Passos em 21/06/2012


Liberdade tímida



Olá.

Gostaria de, em primeiro lugar, dizer que este artigo que escrevo não é uma crítica destrutiva, mas sim sugestiva.

Uso GNU/Linux vinte e quatro horas por dia. Para trabalhar e para coisas mais. Não sou 'muito' de rede social, pois não tenho tempo para conversar sobre futilidades. Nem quando não conhecia computador. Comecei a usar KDE meio sem querer, quando comprei uma máquina que veio instalada com o Fenix (diga-se de passagem, na época era como uma derivação qualquer do Ubuntu Gutsy).

Fiquei por mais de duas semanas esperando um colega meu emprestar-me um CD "crackeado" daquele software, que todo mundo conhece e custa caro. Enquanto isso, fui utilizando o pinguim. Eu que tinha um preconceito besta contra o Firefox, fui percebendo suas qualidades de navegador e seus complementos de suporte. Fui me apaixonando pelo Sistema Operacional GNU/Linux. Quando meu amigo voltou com a mídia, eu já não queria mais voltar para o Software Proprietário.

Daí, já são cerca de cinco anos utilizando os recursos livres disponibilizados nos repositórios do mundo todo. Já testei o Kubuntu, meu atual sistema instalado, o Mepis (Debian), Knoppix, Sabayon e o Debian original.

Dentre estes, tem vários que ainda uso em Live CD, pois cada um tem suas qualidades singulares. Já experimentei o Megalinux, SUSE, BigLinux, HawKpe (que é um CD de manutenção), Ubuntu, One OS, e outros mais por aí. E posso afirmar que, destes, os que mais gostei foram o Mepis, o Ubuntu, o Debian e o Knoppix.

Gerenciadores de sessões, já testei quase todos, desde o KDE, Gnome, Lxde e até o Xfce. Fiquei no KDE. Tem muita coisa do Gnome que instalei para usar no kDM, como por exemplo o Search tool. Gosto muito do sistema e ainda não vi tanta praticidade num sistema, quanto eu vi no GNU/Linux. Parabéns comunidade GNU!

Sei que cada um contribui da maneira que pode e como pode, pois tratando com um sistema livre, não é tão fácil juntar recursos para desenvolver algo, como tem sido até agora nosso querido Tux.

Ando pelas ruas e ouço pessoas falando de computador, quase sempre dos sistemas da Microsoft; e quando eu falo nos recursos disponíveis no GNU/Linux, me olham com uma cara de: "o quê que este cara está falando?". Quando mostro a alguém o sistema rodando dizem: "Que legal, muito bom, bacana!". Só que não se interessam, e a primeira coisa que falam é : "Deve ser difícil, não?".

Preconceito idiota. Gerado, creio eu, por pessoas que têm medo de mudar. Quase sempre ouço : "Linux é horrível!". "Não gosto. É feio". "Tem que saber de programação para usar". E por aí vai...

Querem saber minha opinião? Eu acho que você instituir um CVT (Centro Vocacional Tecnológico), com cursos de informática para leigos (muito mal ensinados, por sinal) é uma coisa muito boa. Agora, você colocar máquinas com GNU/Linux, bem "furreco", quase sem recursos, num "thinclient", para dar aulas de software pago, chega a ser uma ofensa para a GNU e os usuários de Linux.

Todo mundo sabe que hoje os desktops desenvolvidos pela comunidade são bem completos e com um visual mais moderno. Coisa que, do meu ponto de vista, foi copiado pelos outros. Por exemplo, o visual do KDE.

E quem disse a eles que é difícil lidar com o sistema? Medo de mudar? Preconceito? Não entendo.

Trabalho com eletrônica e, de vez em quando, vem um amigo pedindo para eu trocar o sistema porque não gostou, veio de fábrica assim e eu não conheço, e 'blá blá blá...'

Meu KDE tem tudo que eu preciso. Uso o Konqueror para fazer quase tudo, desde gerenciar arquivo, ver PDFs, converter imagens, abrir um pacote compactado (seja ele qual for), navegar de vez em quando na Internet, ver filmes e muito mais. Faço tudo isso em um único programa sem ter que mandar abrir num aplicativo externo.

Quando preciso configurar alguma coisa, raramente tenho de recorrer ao shell e executar comandos. Faço tudo em modo gráfico. Acho isso incrível. Quando comecei a usar o KDE, disseram-me que eu teria que aprender tudo de novo. Mentira.

Agora eu te pergunto: Por quê?

Eu poderia ficar aqui falando sobre o GNU/Linux e suas vantagens, mas todos vocês já conhecem. Acho que o mundo inteiro precisa conhecer também. Mas o que está me incomodando de verdade, é o seguinte:

Comecei usando o KDE 3.5 em uma distribuição usando Ubuntu Gutsy, e até hoje não vi um repositório mais completo e estável do que o Ubuntu Hardy. Usei durante muito tempo o Debian Lenny, também. Para mim os dois melhores. Usava o Compiz em modo completo dentro do KDE sem problemas de travamento e com pouca memória, cerca de 1 Gigabyte.

O kaffeine, com uns poucos bugs, me dava tudo que precisava em recurso de mídia de áudio e visual. O Gwenview lia até MP3, com auxílio do plugin do Xine embutido no player do KDE. O konqueror usava os recursos do Gwenview, do Kaffeine e de outros para exibir arquivos.

Tinha a função Mouse Over, que eu tanto gostava, principalmente quando precisava visualizar apenas um pedaço do arquivo. Algumas pessoas disseram por aí em alguns fóruns, que isso era chato. Era só desativar, 'ora bolas'. Tiraram tudo isso. O novo Kaffeine não tem a função colocar 'em fila', nem salva automaticamente a lista de arquivos adicionados para leitura. Uso o antigo instalado e trancado para não atualizar no meu Kubuntu 12.04.

O Compiz do KDE simplesmente não funciona. Já fiz de tudo. Já instalei até PPA's para ver se resolvia o problema, mas sem chance. Meu PC está iniciando pesado, isso por que estou com um Core i3, numa máquina muito boa e com 4 Gigabytes de memória RAM. Os efeitos do Plasma são legais, mas passam longe comparados aos do Compiz. Travam muito.

O quê que há velhinho?!!!

O que está acontecendo com os desenvolvedores? Cadê a comunidade? A união? A praticidade? O bonito e rápido?

Estou quase voltando para o KDE 3.5 ou o Gnome2. Todo mundo tem direito de escolha e não se pode reclamar de algo que nos é dado de graça. Lembrem-se de que não estou reclamando de 'barriga cheia' e nem estou detonando ninguém. Esta é apenas uma crítica sugestiva.

Hoje há recursos muito melhores no novo GNU/Linux, sem dúvida. O Kubuntu está mais robusto e melhor gerenciado. Existem programas mais eficientes nos repositórios. Mas estão deixando de lado muita coisa boa também.

Antigamente eu usava o Gparted para gerenciar minhas partições, hoje no KDE não dá. Tiraram muita coisa dele, como por exemplo, alguns tipos de permissões e gerenciamento. O Dolphin só se reparte em dois e não em várias janelas como no konqueror. O sistema de pré-visualização do Dolphin não tem auto-play.

O Rekonq fecha toda hora sozinho. Cadê o Kbfx e o painel totalmente configurável? Hoje, se eu quiser um painel transparente, tenho que instalar um tema que dê suporte a isso. E as pré-visualizações em Thumbnails do Konqueror. Era só colocar o mouse em cima de um arquivo de mídia que ele nos mostrava e, no caso de fotos, o que queríamos ver.

Você vai me dizer: o Dolphin faz isso. Só que em barra lateral. E o Nautilus? O que é aquilo? Não chega nem aos pés do antigo. Se frustração tivesse outro nome, provavelmente seria minha 'xará'.

Se importar com rede social e Cloud Computing é importante? É. Mas deixar de lado a funcionalidade e a praticidade, não nos fará sair dessa linha perene em que nos encontramos agora.

Estive dando uma olhada nas evoluções dos SOs por aí. Nós não demos um passo acima na escala de usuários. Continuamos iguaizinhos ao ano passado. Convenhamos, para a maioria dos fabricantes, Software Livre não interessa, nem mesmo ao Governo, que não recebe impostos por isso.

Talvez você não concorde e considere tudo isso que eu falei uma bobagem, mas um desktop bem configurado do GNU/Linux 'dá de dez a zero' em qualquer outro que eu já tenha visto. Espero que os desenvolvedores tragam de volta ao KDE 4, tudo aquilo que foi tirado de bom que existia no KDE 3. Ou, que apareça uma 'santa alma' para reconfigurar isto tudo de volta.

Desculpe, mas para quem trabalha, Facebook é só mais um meio de ganhar clientes. Messengers servem apenas para contatar fornecedores e negociar gastando menos, pois telefonia custa caro. E integração na rede, reafirmo que é importante, mas fachada bonita não faz um restaurante famoso, nem embalagem bonita faz um produto bom ou gostoso.

Espero ter sido claro nas minhas palavras, e que não seja mal entendido pelo que expus aqui. Gosto do GNU/Linux mais que qualquer outro Sistema Operacional, e gostaria de envelhecer usando, ensinando e falando bem dele para todo mundo que eu conheço.

PS: Continuarei usando a nova versão até que ela me agrade de verdade, ou voltarei para o antigo KDE 3.5. Sei lá.

Viva a liberdade!

Se você gosta desta liberdade, ofereça-a aos outros também.

   

Páginas do artigo
   1. Liberdade tímida
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

CUIDADO com o comando "dd", embora muito útil ele pode ser perigoso

WebCDWrite: O incrível serviço de gravação de CD-R sob demanda via HTTP

Linux e Windows - Prós e Contras

Conhecendo o LXDE

Utilizando o CUPS com estações Windows XP

  
Comentários
[1] Comentário enviado por hugoeustaquio em 21/06/2012 - 08:10h

Cara, tem muitos anos que eu não vejo alguém reclamando da kde 4 e comparando com a kde 3... Certeza que você não está usando uma versão desatualizada? A versão mais nova é a 4.8.4, eu estou usando a 4.8.2 e sinceramente acho que o kde está no melhor momento de sua história.
Com relação a recursos de pré-visualização, você encontra no painel de configurações da kde, inclusive o vídeo de apresentação da kde mostra como ela funciona agora (pra fotos, vídeos, documentos, áudio, etc...).

[2] Comentário enviado por danielsath em 21/06/2012 - 08:59h

Bem, so meio suspeito para falar sobre KDE porque prefiro o Gnome, entretanto se você gosta a escolha é sua.
Quanto a lentidão eu recomendaria você fazer uma atualização no sistema e caso não dê certo volte para a versão
antiga que te satisfazia, pode ser que a nova versão ainda não seja compatível com o seu hardware. Abraços.

[3] Comentário enviado por wadilson em 21/06/2012 - 11:57h

Adenilson, eu tenho a mesma sensação, o mesmo sentimento que você mostrou no seu artigo.

Para trabalhar, tenho usado principalmente o Ubuntu, mas usei por um bom tempo o KDE como gerenciador.
Mesmo nos computadores de meus filhos e minha esposa, o Ubuntu tem se mostrado fácil e poderoso, eles que não gostam de 'fuçar' no computador, apenas usar.

Mas as mudanças nos sistemas parecem realmente estar tirando o poder do usuário e colocando em algum outro lugar.

Não uso mais o Compiz com os recursos anteriores, capacidades internas no gerenciador de janelas não estão mais disponíveis, e o Ubuntu, para ficar em um exemplo que conheço bem, parece que está se elitizando, deixando de lado discadores de modem, utilizando apenas recursos de placas gráficas mais poderosas e afins.
Também penso em voltar para uma distro mais antiga por conta desses 'detalhes' importantes.

Saudações

[4] Comentário enviado por hugoeustaquio em 21/06/2012 - 13:26h

Pessoal, acho que vocês estão direcionando muitas críticas a kde e poucas a distribuições. Lembro muito de quando a kde 4 ainda não tinha sua suíte de soluções completa e as pessoas criticavam uma "piora" de ambiente kde 3 para kde 4.

Na verdade, essas pessoas não deveriam ter migrado para a kde 4 naquele momento. Hoje essa crítica acontece muito no gnome, que é uma situação completamente diferente. O gnome resolveu mudar radicalmente, e quem não gostou se sente "na mão".

Mas vamos lá, explico aqui porque essas críticas são incorretas:
1) O konqueror faz parte da kde. Está lá, firme e forte. Faz tudo o que fazia antes e mais um pouco. O rekonq é um candidato a substituto do konqueror, mas ainda nem chegou a versão "1.0". Se a sua distro substituiu o konqueror pelo rekonq e você acha isso ruim, reclame da sua distro.
A mudança que impactou o konqueror, é que ele agora não é mais o navegador de arquivos padrão, foi substituído pelo dolphin. Mas isso é só uma configuração. O konqueror continua capaz de navegar em diretórios e arquivos. Faz tudo o que fazia e mais um pouco.

2) O player kaffeine foi substituído por outro player, chamado Dragon Player. Se você acha importante ter um player de vídeo com boa integração com sua interface gráfica e a sua distribuição o retirou da instalação padrão da kde, mais uma vez, reclame da sua distro.

3) A kde nunca foi responsável pelo gparted. Existe o kparted, mas ele também não faz parte da kde. Se a sua distro tirou alguma coisa do gparted, reclame da sua distro.

4) O software livre é muito bom pro governo sim. Não só em economia de gastos, mas também em recolhimento. Isto porque ele gera muito mais serviços do que os concorrentes, que sempre que podem executam seu desenvolvimento no exterior. A adoção ou não adoção de software livre pelo governo se dá por outros motivos, muito distantes do recolhimento fiscal.

5) Quais são as características que o gparted perdeu pra você?

6) O gwenview deixou de ser visualizador padrão da sua distro?

Eu não entendi bem a sua motivação para escrever esse artigo, mas acho que você está insatisfeito com o fluxo de desenvolvimento do kubuntu, o que muita gente também tem reclamado.


[5] Comentário enviado por ale70 em 21/06/2012 - 17:05h

Concordo em algumas coisas com você Adenilson, eu usei muito o Fedora 12, 13 e 14 que tinha a versão gnome 2.. e após lançarem a 15 em diante que passou a utilizar a nova versão do gnome 3... não gostei pois escoderam/tiraram muitas opções que eram legais...

Como disse o amigo wadilson nesta frase "mudanças nos sistemas parecem realmente estar tirando o poder do usuário e colocando em algum outro lugar." concordo plenamente.

[6] Comentário enviado por m4iir1c10 em 21/06/2012 - 17:44h

Konqueror como gerenciador padrao:
systemsettings
Area de Trabalho e comportamento / Aplicacoes Padrao / Gerenciador de Arquivos

escolha o Konqueror no lugar do Dolphin

Assim que voce abrir o konqueror entre nas configuracoes do mesmo e escolha as opcoes que voce gosta, aplique antes de passar para a proxima opcao... depois de configurado como voce gosta feche e abra-o novamente.

Agora e so tirar o dolphin da barra do KDE se voce o tem, e substituir pelo konqueror.

O Kaffeine eu nao tenho como defender esta um cal, muito ruim mesmo... O Dragon Player nao chega nem nos pes do Kaffeine do 3.5, e como comparar KsCD com Amarok... nao chega nem perto.

Gparted eu nao percebi nenhuma mudanca, pelo contrario eu percebi que cada vez mais ele lida com outros tipos de sistema de arquivos, oque e muito bom, ja no aspecto grafico, eu nao vi mudanca...

Eu sei que aqui na Inglaterra o governo nao se importa em pagar milhoes para o setor proprietario, Linux aqui so se for o Android do Google e servers em empresas... No desktop ou no laptop so as pessoas com quem eu converso e mostro a elas as vantagens do Linux sobre os demais sistemas.

Compiz

Se voce nao configurar o compiz e somente rodar compiz --replace o KDE vai reclamar e reclamar feio... eu uso duas opcoes, a primeira que eu prefiro sem pensar duas vezes, fusion-icon. Depois de carregado eu seleciono o emerald como gerenciador de janela e configuro ele como eu quero, depois configuro o compiz-fusion como eu quero tambem.

Segunda opcao, na mesma tela que voce escolheu o Konqueror como gerenciador de arquivos padrao, voce pode selecionar um script para chamar o compiz dentro do KDE4 que e feito pelo proprio KDE, selecione o gerenciador de janelas padrao, na lista vai aparecer 2 compiz, um que e com o script e o outro que e somente o compiz... escolha o do script.

Meu KDE e o 4.6.5 e como o Hugo disse ele e bem atrazadinho :), vou fazer um update pra ver as mudancas...

Agora Gnome 3, desculpa pessoal mais os desenvolvedores devem estar com papel higienico na mesa deles, correndo no banheiro a cada 5 min....

Mais eu ainda acredito que quando o Gnome estiver na versao 3.2 ou 3.3 ja vai estar estavel o suficiente para que eu possa instalar no meu sistema e usa-lo... algum tempo atraz eu instalaria sem problema um sistema bem novinho e instavel, mais eu acho que agora eu estou envelhecendo e ficando rabugento, eu nao quero ver minhas applicacoes fechando do nada sem me dar explicacoes...







[7] Comentário enviado por marquinhos1875 em 21/06/2012 - 22:27h

Olá pessoal

A critica aqui é sobre o gnome "pqp" a equipe só pode está trabalhando pra M$, aquilo é uma piada(de muito mal gosto), essa merd... não presta hoje e nem nunca.

Olha só, quando eu resolvi trocar meu SO de M$ para linux eu não fiz dual boot não, eu troquei e pronto, perdi algumas noites pois trabalhava com o mesmo e precisava manter produção, fiz isso a uns 9 anos atras.

Comecei com o kde usando por algum tempo e por motivo de desempenho resolvi mudar para o gnome que era uns 70% mais rápido, nisso abandonei o kde e pra mim o gnome era tudo, com a chegada da carniça do gnome 3 votei para o kde agora na versão 4, gostei muito mais ainda continua exigindo muito do micro, mais o seguinte, o gnome pode voltar pintado de ouro mais não uso mais ele, prefiro usar texto puro a voltar para um sistema com o minimo de compromisso com a comunidade, entendi aquilo como traição.

Conclusão:
O gnome deveria entrar no guinness book como a maior ruma de mer...a.

[8] Comentário enviado por hugoeustaquio em 21/06/2012 - 23:46h

Calma, marquinhos1875...

Existe um fork do gnome 2, que possui desenvolvimento continuado... Não nos cabe desmerecer o gnome, porque eles fizeram (muitos dos desenvolvedores trabalharam simplesmente por boa vontade) um desktop que você usou muito tempo e sempre gostou. Se o rumo que o projeto tomou não mais te agrada, continue usando o ótimo trabalho que eles fizeram e agora possui outro nome (e outro time de desenvolvedores igualmente bem intencionados).

O que acontece é que os usuários que antes usavam o gnome precisam de algumas das características que ele perdeu... Só que os usuários que chegam hoje ao linux encontram o que precisam nele. Com isso eles estão contribuindo para o crescimento do software livre, porém agora de outro jeito... Quem antes usava e amava, não pode se sentir "traído" pois nunca foi "casado" com o gnome. O gnome nunca prometeu "fidelidade" pra ninguém... E o bom desktop continua em uma bifurcação. Não se sinta pressionado a seguir o mesmo caminho deles, mas respeite quem tanto contribuiu com a sua história profissional.

links:
desktop gnome 2 atualizado -> http://mate-desktop.org/
boa distro com mate -> http://www.salixos.org/wiki/index.php/Home

[9] Comentário enviado por NilPassos em 22/06/2012 - 02:33h



[4] Comentário enviado por hugoeustaquio em 21/06/2012 - 13:26h:

Pessoal, acho que vocês estão direcionando muitas críticas a kde e poucas a distribuições. Lembro muito de quando a kde 4 ainda não tinha sua suíte de soluções completa e as pessoas criticavam uma "piora" de ambiente kde 3 para kde 4.

Na verdade, essas pessoas não deveriam ter migrado para a kde 4 naquele momento. Hoje essa crítica acontece muito no gnome, que é uma situação completamente diferente. O gnome resolveu mudar radicalmente, e quem não gostou se sente "na mão".

Mas vamos lá, explico aqui porque essas críticas são incorretas:
1) O konqueror faz parte da kde. Está lá, firme e forte. Faz tudo o que fazia antes e mais um pouco. O rekonq é um candidato a substituto do konqueror, mas ainda nem chegou a versão "1.0". Se a sua distro substituiu o konqueror pelo rekonq e você acha isso ruim, reclame da sua distro.
A mudança que impactou o konqueror, é que ele agora não é mais o navegador de arquivos padrão, foi substituído pelo dolphin. Mas isso é só uma configuração. O konqueror continua capaz de navegar em diretórios e arquivos. Faz tudo o que fazia e mais um pouco.

2) O player kaffeine foi substituído por outro player, chamado Dragon Player. Se você acha importante ter um player de vídeo com boa integração com sua interface gráfica e a sua distribuição o retirou da instalação padrão da kde, mais uma vez, reclame da sua distro.

3) A kde nunca foi responsável pelo gparted. Existe o kparted, mas ele também não faz parte da kde. Se a sua distro tirou alguma coisa do gparted, reclame da sua distro.

4) O software livre é muito bom pro governo sim. Não só em economia de gastos, mas também em recolhimento. Isto porque ele gera muito mais serviços do que os concorrentes, que sempre que podem executam seu desenvolvimento no exterior. A adoção ou não adoção de software livre pelo governo se dá por outros motivos, muito distantes do recolhimento fiscal.

5) Quais são as características que o gparted perdeu pra você?

6) O gwenview deixou de ser visualizador padrão da sua distro?

Eu não entendi bem a sua motivação para escrever esse artigo, mas acho que você está insatisfeito com o fluxo de desenvolvimento do kubuntu, o que muita gente também tem reclamado.


Esta é para o hugoeustaquio:

Você leu com atenção o que escrevi? Não estou achando ruim o Kde4, mas sim reclamando por terem tirado alguns recursos dos softwares em questão.Um usuário comum jamais encontraria funções alternativas de um aplicativo a não ser se alguém lhe dissesse.
Por exemplo o Gimp está maravilhoso.Agora o que eu estou expondo aqui é sobre coisas que você fazia antes no linux e agora não mais.
Gwenview tinha total integração com o Konqueror e agora não tem.Apenas alguns recursos foram mantidos.Era possível até executar mp3 nele.
Eu uso o Konqueror como gerenciador de arquivos e muitas coisas mais, então eu, com certeza, sei o que foi tirado dele.

Além do mais a minha atual distro é a mesma de antes.
Leia de novo, por favor.
Ps:
Kde3 dá de 10 a 0 em desempenho.
Meu PC agora é um i3 de última geração, placa mãe Intel com 4 Gb de ram e com o Kubuntu 12.04, era para estar um furacão, não acha?

[10] Comentário enviado por hugoeustaquio em 22/06/2012 - 13:01h

Tenho certeza que você é quem não leu... Eu não disse que você mudou de distro, SUGERI que você repense na sua distro escolhida. Porque você reclamou muito mais de coisas que são responsabilidade DA DISTRO do que da kde. E direcionou essas reclamações pra kde. E ficou bem claro que eu entendi quando eu disse que você tem ficado insatisfeito na verdade é com o "fluxo de desenvolvimento do kubuntu", ou seja, sei que você tem usado ele - eu li seu texto sim, apesar de ter muito mais reclamação da vida, auto-elogios sobre o tempo que você usa linux, o facebook, o msn, o cloud coputing, o rekonq (que nem existia antes), etc...

O meu PC é pior que o seu e roda muito bem tudo o que eu preciso. Eu uso slackware, e não notei uma diferença "pra pior" desde tempo nenhum. Só o desempenho, mas software que ganha caracterísitcas quase sempre perde em desempenho. E eu configuro a kde pra não oferecer os serviços que eu não quero.

E vai me desculpar, mas a comunidade da sua distro está sendo abandonada com o objetivo de transformar o ubuntu num só, e parece que só você não percebeu isso. Afirmou que continuou com a mesma distro, como se ela não "fuçasse" em nada nos softwares que ela acompanha...

Mas se a sua distro tenta cada dia mais te "empurrar" pro ubuntu (te tirar do kubuntu) não é culpa da kde. E na minha resposta, eu respondi sobre as tais funcionalidades que você afirmou que a kde perdeu, porque eu as vejo diariamente (no slackware). Konqueror, Gwenview, gparted... Todos estão lá firme e fortes. Aliás, vi pouquíssimas reclamações objetivas e um monte de coisas sobre a sua história de vida, o quanto você já usou linux, o quanto vc não gosta de mudança... Das poucas reclamações de software que você fez eu respondi que algumas não são válidas, só isso...

Acredito muito na sua liberdade de escrever uma crítica, só reaja melhor quando a sua crítica for criticada então. Me acusar de não ter lido a sua crítica, provando que você não leu a minha crítica (ficou claro que eu sabia qual distro você usa) da sua crítica ficou esquisito.

fork da kde 3:
http://www.trinitydesktop.org/

[11] Comentário enviado por NilPassos em 22/06/2012 - 13:22h

hugoeustaquio:
Como eu disse antes.Eu não estou reclamando da evolução dos softwares de Linux.Até porque estão melhores.
Estou sim fazendo uma crítica (leia-se:) sugestiva de que tiraram muita coisa boa dos mesmos.Funções novas os deixam mais práticos; mas mesmo assim deve-se manter as outras que já existiam.
Eu sinceramente posso afirmar que o Kde4 perdeu e muito em gerenciamento gráfico de arquivos, pelo menos nos aplicativos que eu costumo usar.
Eu normalmente uso o Konqueror para trocar arquivos de pasta e organizar ítens, então partir uma mesma janela em 4 ou 5 é muito útil e economiza tempo.Se eu quiser pre-visualizar um arquivo mp3 , por exemplo; não terei mais a opção de usar o mouse-over.Coisa que era muito útil para mim.
Mas todos nós podemos e temos de evoluir.Estou usando a nova versão do Kde para aprender, até porque quem vive de passado é museu.
Só espero que tragam estas utilidades de volta.
Quanto a mim, vou testar a distribuição que você usa.Parece bem firme.
Outra coisa:
Não estou descendo a lenha no Kde; até porque é o gerenciador de janelas que eu gosto.É como tomar café de manhã com pão e manteiga.Um dia tiram a manteiga; o pão vai ficar sem graça, não acha?
Outra coisa:
Quando eu uso o W$ para trabalhar, uso aplicativos do Kde4window$ instalado dentro do mesmo.Ou seja, eu sou fã do KDE, não uso outro gerenciador, anão ser em live cd, ou quando o sistema me pede outro gerenciador.
Sinto falta do Compiz e de outras coisas que rodavam nele.
O que eu percebi foi uma individualização dos desenvolvedores.A unidade deixou de ser plena. É como se um irmão ficasse rico, o outro meio rico e o outro continuasse pobre.Continuariam a se ver, mas sem morar na mesma casa e sem comer na mesma mesa.

[12] Comentário enviado por albfneto em 23/06/2012 - 12:12h

Olha, vc está saudosista de coisas que acabaram.

é o seguinte, primeiro, Compiz é bonito, muito bonito, e Compiz funciona, sim! e é estável! eu uso TODO DIA!

é só vc ter placa de vídeo configurada. a Minha é NVIDIA, funciona fácil..., mas não use GNOME Shell, nem Cinnamom, pq aí não funciona mesmo!

Segundo, GNOME3 não é rápido, bonito, eu não acho ele bonito, nem se pode usar compiz nele!

GNOME2, só se vc manteve um como eu em sabayon, por exemplo. ele acabou.

LXDE, XFCE, E17, eu acho bonito e compiz funciona neles. KDE4 é bonito e Compiz funciona nele também, funciona mal, mas funciona...

KDE3 esqueçe, software mais que obsoleto.

Vc quer bonito, usar compiz e rapido e novo. teste o MATE, vale a pena, estou gostando muito!

Cade o bonito e rápido? continua, mesmo KDE4, bem configurado é rápido, e XFCE, MATE, E17,LXDE, Flux, Openbox, são muito rápidos.

Linux feio? não acredito que continue ouvindo isso, isso era na época do começo do KDE3, Hoje?
KDE4 com Plasma, Compiz, as animações do E17, LXDE, MATE, XFCE, AWN<CAiro-Dock, GDesklets trasnparencias, terminais suspensos?

Decididamente não é feio, é mais bonito que windows, bem mais bonito.

[13] Comentário enviado por albfneto em 23/06/2012 - 12:27h

Depois, vc esta esquecendo, que linux não é windows, é muito mais personalizével. Pq tem que usar o default? não gosta dolphin? desliga e instala Konqueror!

Ex. Konqueror ainda existe, e o novo é fantástico. Não gosta dolphin? Use Konqueror, use Krusader, use MuCommander , mesmo use Nautilus, Thunar, pq roda em KDE.

O Nautilus tb eu discordo, o novo é melhor. Vc pergunta cade os desenvolvedores? estão fazendo Dolphin, e tb konqueror, e tb mate, e cinnamon, e E17, e Openbox, e Compiz, novo, Unity, MATE, mil tocadores, não só kaffeine...

Os pacotes em linux, estão aumentando em número e qualidade, cada vez mais.

Não concordo que o Linux antigo é melhor, não é não! A 5 anos, quando comecei, para usar Sabayon e instalar qualquer coisa, tinha que compilar como no Gentoo.

KDE travava, Compiz antigo travava, driver de impressora epson, não tinha default, tinha que usar gutenprint...

LInux está ficando cada vez mais fácil, mais completo, mais intuitivo quanrto mais novo é. e Tem muitos mais desenvolvedores Linux que antes, e espalhou muito... antes era um pouco nos desktops e muito nos servidores...agora? nos portáteis domina tb, Não esqueça que Android é Linux.

[14] Comentário enviado por hugoeustaquio em 23/06/2012 - 13:53h

Eu sei que pode ser chato, mas vou tentar "evangelizar" vocês aqui...
A melhor família de linux pra quem espera "conservadorismo" de escolhas sem perder os benefícios da modernidade é o slackware. O objetivo do slackware é se manter o mais "unix-like" do cenário linux. Nessa família não tem só o slackware, e assim como o ubunto está para o debian, o salixos está para o slackware. Apesar de não ser um sistema exatamente focado no usuário final (porque o objetivo é ser mais unix, isso conserva raízes históricas) acaba que o salixos é bem fácil de usar, tem opções em painéizinhos gráficos, gerencia as dependências dos pacotes...

Os pacotes do slackware ao contrário do que as pessoas dizem, possuem marcação de dependências e estrutura de árvore sim, só que ele faz o que você manda ele fazer, por isso ele não ~gerencia~ as dependências. O salixos é fácil de usar, creio que vocês não terão grandes dificuldades com ele.

O Salixos tem edição MATE que é o desenvolvimento continuado do gnome 2. Ainda tem edições com xfce, kde, fluxbox, ratpoison e lxde. Todas as edições tem versões 32 e 64 bits.

[15] Comentário enviado por NilPassos em 23/06/2012 - 14:07h

Vou tentar mais uma vez.
Não estou achando ruim o Kde4.Estou sim dizendo que tiraram coisas úteis dele, que me fazem falta.
É disto que eu estou reclamando.
Acho o Kde4 bonito, mas perdeu algumas praticidades.Algumas coisas foram deixadas de lado.
Se você tem uma tomada de telefone comum de linha e um avô ou parente chegar com um daqueles telfones de manivela do século 19 ele com certeza funcionará.E fará ligações para qualquer outro aparelho.Entendeu?
Não estou criticando para o mal, mas sim para o bem.Não deveriam ter tirado funcionalidades do antigo Kde, mas sim acrescentado mais, sem deixar de lado coisas que já existiam.
Continuo usando Kde e Konqueror. Até estou fazendo um esforço para configurar na marra, alguns scripts e plugins do Kde3.5.
O que eu disse foi que deveriam trazer essas funcionalidades de volta.
Ontem fui imprimir algumas imagens e não encontrei no botão direito a função imprimir direto, sem abrir.Talvez vocês estejam certos; devo tentar outra distribuição diferente do Kubuntu e do Debian. Estou colocando PPA's no meu apt, para ver se consigo configurar essas funções que sinto falta.
Resumindo:
Gosto do linux, " prá ..." e vou continuar usando o Kde. Vou tentar usar mais um pouco essa nova versão e tentar aprender com ela.Quem sabe até descubra como fazer funcionar do jeito que eu quero.
Agora, com certeza, dolphin eu não gosto.Parece o explorer.Quero mesmo o Konqueror, que me dá mais que um simples navegador de arquivos.
Respeito suas opiniões e espero que respeitem a minha também.
No mais aqui é uma comunidade.
Sendo assim; é um lugar de ajuda mútua.
Até mais.

[16] Comentário enviado por cruzeirense em 24/06/2012 - 13:22h

Prezado Adenilson,

Pelo que li no seu texto você está com o mesmo problema do usuário novato do linux que veio do windows. Tudo é questão de costume, vai devagar que você consegue...
O mesmo problema que você tem ao não encontrar os softwares que você precisa nas novas versões da sua distro é o que os usuários que vieram do Windows tem ao procurar as ferramentas que precisam, com o agravante do usuário não saber nada de linux.
Algumas coisas, por exemplo o GParted, deve ser possível instalar utilizando o apt-get... procuram no google, pergunta no nosso fórum, lembre-se temos uma comunidade bem aberta e todos irão te ajudar...

Abraços,

Renato

[17] Comentário enviado por NilPassos em 24/06/2012 - 17:14h


[16] Comentário enviado por cruzeirense em 24/06/2012 - 13:22h:

Prezado Adenilson,

Pelo que li no seu texto você está com o mesmo problema do usuário novato do linux que veio do windows. Tudo é questão de costume, vai devagar que você consegue...
O mesmo problema que você tem ao não encontrar os softwares que você precisa nas novas versões da sua distro é o que os usuários que vieram do Windows tem ao procurar as ferramentas que precisam, com o agravante do usuário não saber nada de linux.
Algumas coisas, por exemplo o GParted, deve ser possível instalar utilizando o apt-get... procuram no google, pergunta no nosso fórum, lembre-se temos uma comunidade bem aberta e todos irão te ajudar...

Abraços,

Renato


Caro cruzeirense:
Pelo que vi você nem percebeu do que eu estou falando.
Uso o Linux 24 horas por dia no meu trabalho.Vou para casa e ele continua trabalhando.Isso há cerca de 5 ou 6 anos.
Ainda acha que sou leigo?
Sei pouco sobre programação.Apenas XML, Html e um pouco de GTk.Mas em configuração e já passei da fase de aprendizagem.
Não vim do W$ há pouco tempo.Foi por isso que eu escrevi o artigo.Leigos jamais saberiam do que eu estou falando.
Não estou procurando os softwares para instalar, já tenho todos; e para você saber atualizados até o osso.Estou sim falando de funções dos mesmos que deixaram de existir, ok?
Abraço.

[18] Comentário enviado por cruzeirense em 24/06/2012 - 22:10h

Prezado Adenilson,

Em momento algum eu questionei seus conhecimentos, apenas fiz uma analogia com os usuários que vem de outros sistemas, principalmente do windows, e tem dificuldades com diferenças entre os sistemas. Acho que é isso que está acontecendo com você, o sistema está mudando e você está tendo resistência a estas mudanças. Como usuário avançado do linux que você é, estas dificuldades apresentadas não são tão grandes a ponto de você parar no tempo e ficar preso a uma versão antiga de um sistema.
Se para você, que é usuário antigo do sistema, essas mudanças são um grande impecílio, imagine para os usuários que vem do outro sistema.

Abraços,

Renato

[19] Comentário enviado por removido em 27/06/2012 - 07:19h

Eu gostava do Ubuntu com Gnome 2, mas a maldita Canonical deixou o ubuntu parecendo o windows vista com este unity, mal otimizado para pc com hardware fraco.
Até o Xubuntu está com problemas, estou usando o Lubuntu!

[20] Comentário enviado por marceloteixeira em 04/07/2012 - 19:28h

Eu entendo a reclamação, que inclusive, por hora, de deixou com poucas, ou seria na verdade, muitas opções? Lembram aquela velha discussão acerca da Interface Única? Pois bem, sempre defendi que o Linux deveria ter uma cara oficial. e hj em dia, com essa baderna de kde4/Gnome 3, xfce/lxde, estou mais certo ainda de que essa seria a solução.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts