O Linux é difícil?

Muitos usuários de um sistema operacional mais utilizado no planeta tem uma certa aversão ao sistema operacional Linux. Este artigo aborda alguns dos principais mitos que os fazem pensar que o Linux é difícil.

[ Hits: 12.522 ]

Por: Eustabio J. Silva Jr. em 15/05/2009


Introdução



Interface gráfica

O Linux dispõe de modernas e requintadas interfaces gráficas como KDE e Gnome. Os menus são organizados em categorias, como escritório, ferramentas, internet, gráficos, jogos, multimídia etc. Além de dispor de ricos recursos de configuração e análise do sistema.

Instalação/desinstalação de programas

Boa parte das distribuições modernas de Linux contam com o chamado Live CD (CD Vivo). Com ele você pode experimentar o sistema sem fazer qualquer modificação no seu sistema atual. E se gostar, pode simplesmente clicar em "Instalar no HD" para tê-lo em definitivo em seu computador. Caso resolva modificar o seu sistema, por instalar outro sistema operacional, lembre-se de fazer o backup de seus dados do sistema antigo.

Para testar um Live CD ou instalar um sistema Linux pelo CD, basta configurar a sua máquina para dar boot pelo CD no BIOS. Para entrar no BIOS dê CTRL+ALT+DEL (exatamente o mesmo procedimento que você faria para instalar o Windows). Ou, se preferir, peça que algum técnico em informática faça isso para você (pode ser algum amigo seu que entende um pouco de informática).

Além disso, em várias distribuições é muito fácil instalar e desinstalar programas. De modo que você não precisa se preocupar com dependências, onde deixou o arquivo de instalação e coisas assim.

Configuração do sistema

O fato de existirem modernas e robustas interfaces gráficas já facilita bastante o trabalho de configuração. Como se não bastasse, em sistemas como Ubuntu 9.04, é facílimo configurar uma rede de computadores por exemplo.

O que você precisa fazer para ter sua rede além de ligar os cabos de rede? Nada! (É claro que é possível configurar redes maiores).

Programas

Quando você adquire aquele sistema proprietário, caso você precise editar textos com mais recursos ou utilizar alguma planilha de cálculo, é necessário que você compre também uma outra licença para programas de escritório (a menos que você utilize o OpenOffice) que lhe custará centenas de Reais.

No Linux muitas distribuições já vêm com programas para escritório e o texto ou planilha que você criar no Linux, poderá ser enviado para outro usuário que utilize aquele outro sistema (e ser aberto ou editado normalmente, se necessário).

Outros programas são para trabalhar com imagens, acessar a internet, ouvir música, visualizar imagens, gravar CD/DVD, VoIP e muito mais.

Segue uma pequena relação de Softwares como sugestão:
  • Navegador de internet: Firefox, Opera, Konqueror
  • Escritório: OpenOffice.org 3.1, BrOffice.org 3.1 e Koffice 2.0
  • Editor de imagens: Gimp 2.6 (Ou use o Photoshop via Wine 1.1)
  • Imagens Vetoriais: Inkscape 0.46
  • Mensagem instantânea: Pidgin, Kopete ou aMSN.
  • Interface Gráfica: KDE 4.2 e Gnome 2.6.6
  • VoIP: Skype 2.0
  • Ouvir música: Amarok 2.0 e Audacious
  • Editor visual HTML: Nvu 1.0
  • Servidor Web: Apache 2.2
  • Banco de dados: MySQL, PostgreSQL e Firebird 2.1.
  • Redes Zeroconf: Avahi
  • PPPoE: RP-PPPOE
  • Emulador (Rodar Softwares de Windows no Linux): Wine 1.1 e Virtualbox 2.2
  • Java: Java Sun JRE e JDK
  • Animações Flash: Flash Player 10 e Swfdec.
  • FTP: gFTP

Hardware

O Linux tem uma excelente compatibilidade de hardware. Em muitos casos aquela impressora que você comprou será compatível com o sistema. E isso acontece com a esmagadora maioria dos equipamentos.

É claro que você pode ajudar mais ainda nesta parte comprando apenas equipamentos compatíveis.

Segue uma lista dos principais tipos de hardware:
  • Placa de vídeo
  • Placa de som
  • Placa de rede
  • Placa de fax-modem
  • Placa de rede sem fio (wireless)
  • CD/DVD Rom
  • HD IDE e Sata
  • Disquete (floppy)
  • Impressora
  • Scanner

Outras considerações

Existem também distribuições voltadas para o usuário leigo, como Ubuntu, Kubuntu, Mandriva, openSUSE e Fedora, só para citar alguns exemplos.

É normal termos um certo medo do estranho, mas mesmo aquilo que inicialmente é estranho para nós pode tornar-se nosso conhecido e acabamos nos sentindo à vontade com ele.

E até por uma questão de ter ou não emprego é interessante aprender mais sobre o sistema do pinguim, já que cada vez mais as empresas estão utilizando Linux. É importante que as pessoas estejam capacitadas para utilizá-la.

Além disso é bom ter uma consciência limpa dando bom exemplo para os filhos por não usar programas piratas. Digo isso porque boa parte dos usuários de sistemas operacionais têm um sistema pirata e portanto ilegal. Mesmo que tenha comprado um computador novo, você tem certeza que não usa um sistema pirata?

Dúvidas

O Linux tem uma enorme comunidade mundial de pessoas que usam o sistema e querem ajudar você a usar também. Saiba que é muito fácil encontrar respostas para qualquer dúvida ou ajuda para qualquer dificuldade que por ventura tenha ao usar o sistema.

Se está tendo algum problema, provavelmente alguém já lidou com ele e o publicou na internet para ajudar outros usuários.

Apelo

Para quem precisa usar o Linux para automação comercial, já existem opções de bons programas. Só para citar um exemplo temos o Stoq. No entanto, o maior desafio para o SL neste campo com certeza é o TEF (Transferência Eletrônica de Fundos), que só existe para ambiente Windows.

Até onde eu sei, uma vergonha por parte das administradoras que bitolam sua solução no sistema proprietário.

Conclusão

Não vejo nenhum motivo para que o Linux tenha uma participação tão baixa no uso de sistemas operacionais. Acho que o maior problema mesmo é o medo do estranho. Nós, especialistas, precisamos perguntar aos usuários de Windows o porquê de não usarem Linux.

E após identificar os motivos, poderemos ajudar a vencer esses medos. Sugiro até uma pesquisa para verificar os motivos de usuários de S.O. terem relutância em usar Linux.

O fato é que mesmo tendo apenas 1% dos usuários domésticos de sistemas operacionais, o Linux já fez a sua parte. É um sistema simples e com qualidade.

Testei o Mandriva 2009.1, Ubuntu e Kubuntu. Gostei muito e recomendo principalmente para usuários novatos.

Agora como será o sistema quando você fizer a sua parte? Evidentemente quando o Linux tiver uma participação mais expressiva no mercado de sistemas operacionais, ele será muito melhor.

Com uma maior fatia do mercado de S.O., os fabricantes de hardware terão que oferecer melhores drivers e melhor suporte ao sistema. E o que falta para isso? Basta que você também use o Linux.

   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Usando direcionadores de fluxo

O gerenciador de pacotes RPM

GoboLinux? Que distribuição é essa? (Parte 1- Primeiros contatos)

Leve introdução às linguagens de programação

openSUSE Evergreen

  
Comentários
[1] Comentário enviado por mhi7seven em 15/05/2009 - 08:30h

Muito bom este artigo cara.

Com certeza o usuário windows se moldou a característica daquele sistema e não consegue se imaginar utilizando algo diferente. Quando houve a mudança do 98 para o XP, lembro-me da quantidade de gente falando q odiava q era tudo diferente. Mas por ser "continuação" do que era usado, acabaram por aderir e se familiarizaram. Hoje em dia o mesmo veio acontecendo com VISTA e SEVEN.

Me pergunto então por que estas pessoas não tentam se informar ou pesquisar antes de migrar para estes sistemas que apresentam cada vez mais "incompatibilidade" entre si e que consomem imensos recursos do sistema.

Também acho que falta um pouco de visão para certas empresas, como a ADOBE. Não se preocupam em disponibilizar um versão de seus softwares de desenvolvimento para Linux pois crêem que estes por serem SL, carregarão consigo a isto para os demais aplicativos, o que não é verdade.
Eu pagaria por uma suíte de desenvolvimento em Flash se houvesse uma para Linux.

Bem. é Isto!
Ainda assim creio que o SL melhorou muito nos últimos dois anos e já consigo ver muitas pessoas à minha volta utilizando e gostando do que vêem. Se me pedissem um previsão, diria que em 5 anos o LINUX teria 54% do mercado. ;)

[2] Comentário enviado por nilodanx52 em 15/05/2009 - 08:54h

A algum tempo que venhu a estar investindu meu tempo em ubuntu, fedora e o nosso kurumin 7...

Bem estou apostandu que esse ano ira crescer o numero de usuários sim! pois, ao longo do tempo que eu vejo com meus amigos(ainda presos no rwindows) é que eles se consideram noob's de mais pra ultilizar linux... QUE LOCURA!!! EU TBM NÃO SABIA USAR E HJ ESTOU AKI AINDA EM APRENDIZAGEM!!!!!
Sobre uma visão mais literal o fato do xp, o vista e o sevem terem recursos de merda perto do nosso S.O. e nossas distros... é que no rwindows esta tudo mastigado, trasendo maiores especialisatas em cossar o saco e beber cerveja, esperandu o pc destravar pq o download esta em 99% e além de não colocarem o site nos favoriotos!!! =-D eles estão baixando de um site como MEGAUPLOAD OU RAPIDSHARE...

[3] Comentário enviado por m4iir1c10 em 15/05/2009 - 10:34h

Com respeito ao Linux ser dificil, eu afirmo a todos, novos usuarios e antigos, e principalmente aqueles que namoram o Linux mais nunca baixaram uma distro para teste ou um Live CD... (acreditem existe pessoas assim)

O LINUX E UM SISTEMA OPERACIONAL MUITO DIFICIL, EU ESTOU USANDO A 4 ANOS E NAO CONSIGO PARAR DE USAR... E MUITO DIFICIL NAO USAR O LINUX.

Fora isso e tudo muito facil :)

[4] Comentário enviado por meinhardt_jgbr em 15/05/2009 - 11:46h

Bom e abrangente seu artigo. Comento por experiencia própria a dificuldade de convencer outros usuários a migrar, pela experiencia que tenho em casa. Minha turma sempre foi muito comodista, nenhum dos meus filhos tentou ir além de instalar e desinstalar qualquer aplicativo no outro sistema. Quando ocorria algum problema mais grave, como perda notória de performance, contaminação por vírus, etc, sempre sobrou pra mim toda a trabalheira envolvida. Por algum tempo tentei convencer a eles a mudar para alguma distro Linux, até pra diminuir o meu trabalho em dar manutenção em 3 a 4 máquinas. Depois desisti, pois parece que nem o Linux Torvald conseguiu isto com os filhos dele, até que um dos meus filhos já não aguentava mais os frequentes travamentos ao tentar usar o navegador, abrindo algo como 3 a 4 paginas e tentando ouvir algum CD ao mesmo tempo. Lógico que o PC era limitado, mas não tanto, já que rodava razoavelmente o XP.

Nesta situação, para confirmar se o problema poderia ser eventualmente devido a hardware, usei um CD-Live do velho Kurumin e mostrei para ele, pedindo para replicar as situações de travamento mais comuns. Não deu outra, ele ativou não só o navegador, abriu n paginas, botou pra escutar um CD e continuou a abrir outros aplicativos para experimentar, sem que obviamente os travamentos não ocorressem.

Infelizmente sobrou pra mim novamente fazer a instalação de uma distro mais atual, porém depois disto, até esqueci aquele PC. A migração foi fácil e indolor e de quebra agora o resto da minha turma usa Linux.

[5] Comentário enviado por thiagods.ti em 15/05/2009 - 14:47h

O Linux é muito mais fácil de ser utilizado.. por exemplo.. cria um script em bash e cria um Batch (do windows) e compara a dificuldade entre os 2. Mas não falando em programação.. em nível de usuário mais leigo, podemos fazer uma comparação com o Windows que você instala após ter comprado seu notebook e o Linux. Até onde sei o Windows vem com um editor de texto chamado "Bloco de Notas" e Word Pad e mais nada.. enquanto o Linux provavelmente virá com o Vim, Nano, BROffice ou OpenOffice, e isso tudo logo após a instalação.. terminando de instalar uma Distro do Linux você simplesmente tem um SO com as funcionalidades principais utilizadas pela maioria das pessoas.

Até um ambiente de desenvolvimento vem pronto no Linux, quer instalar apache com php e my sql (LAMP) é 2 toque em alguns sistemas digitaria "emerge -i xxx" ou "apt-get install xxx" tudo +- assim muito simples.

Windows Difícil.. Linux Easy ;D

[6] Comentário enviado por joaomc em 15/05/2009 - 16:44h

Um grande problema no Linux competição de balançamento de bilau em relação à instalação de software não presente nos repositórios oficiais. Sim, é fácil instalar um software já presente no repositório, mas deveria ser mais fácil até para os desenvolvedores gerar um pacote que possa funcionar em qualquer distribuição.
O Freedesktop tem uma idéia que considero boa por ser simples: um arquivo compactado e com a extensão .app, contendo o executável, informações sobre o pacote e todas as libs necessárias caso o desenvolvedor queira um instalador sem dependências externas. Se eu quiser instalar o software X, novo e ainda não presente em nenhum repositório, eu poderia simplesmente baixar esse pacote e pronto. Mas para isso os bilaus precisam parar de balançar.

[7] Comentário enviado por cruzeirense em 15/05/2009 - 21:18h

Acho que o que o amigo aí em cima falou é verdade.
O Linux, de uma forma geral, quando funciona é uma maravilha, mas quando dá um problema, aí ferrou...
Aquela história que você pode pesquisar na net que existe uma vasta documentação é furada...
Lembro quando comprei um notebook que veio com o Windows Vista (que por sinal é uma bosta), deu um problema de instalação de impressora. Liguei para o suporte técnico e meu problema foi resolvido. Acho que é isso que os usuários querem.
Outra coisa é essa bagunça de distribuições.
Tem programa que só funciona nas distros A e B mas não funcionam na C, ou para funcionar na C tem que resolver a dependência Y e editar o arquivo de Configuração X.
Se o negócio fosse mais universal era mais interessante.

Abraços,

Renato

[8] Comentário enviado por E Junior em 15/05/2009 - 21:47h

Não quero criar polêmicas, mas gostaria de fazer alguns comentários pertinentes ao comentário imediatamente anterior.
Para quem usa uma das distribuições indicadas no artigo (ex. Ubuntu ou Mandriva), sabe o que o usuário terá que fazer para usar uma dessas impressoras mais modernas além de ligar o cabo USB em uma das portas do micro? Muito provavelmente, nadinha! O Avahi irá reconhecê-la automaticamente.
Queira notar que meu artigo explora o Linux mais do ponto de vista de um usuário novato, e sendo assim o cenário é que esse usuário escolha uma única distribuição, e não fique tentando instalar o programa A nos sistemas ou C ou D.
Entretanto, concordo que seria melhor a implementação de algum tipo de pacote de instalação universal a todas as distribuições Linux.

[9] Comentário enviado por cabrulcs_ em 15/05/2009 - 23:40h

A meu ver o que promove essa fama de sistema operacional "difícil", são os xiitas...

Sem mais...

[10] Comentário enviado por cruzeirense em 16/05/2009 - 08:47h

EJunior

Isso é exatamente o que eu quero dizer.
Você usar uma impressora moderna que tem suporte a linux é só conectar e pronto...
Agora se a impressora não tiver suporte ao linux complica...
Lembrando que isso não ocorre no windows porque todas as impressoras tem suporte...
Quanto a distribuição acho que você não entendeu meu ponto de vista.
Eu quero colocar que o usuário tem uma distribuição "A" instalada e quer instalar um determinado programa, mas no manual dele fala que só funciona nas distros B ou C, ou que para instalar tem que recompilar ou editar arquivos de configurações X e Y e resolver dependências G e H.
Não estou falando que ele vai instalar várias distribuições, estou falando que os programas tem formas diferentes de instalar em cada distribuição, e que nos casos em que o gerenciador de pacotes não funciona fica complicado mesmo.

Abraços...

Renato

[11] Comentário enviado por Teixeira em 16/05/2009 - 15:17h

Sou obrigado a concordar com todos e, ao mesmo tempo, discordar de certos pontos.

Quanto ao "grau de dificuldade", creio ser igual para ambos QUANDO TUDO VAI BEM.
Existem certos defeitos misteriosos que são nativos em uma instalação Windows e que somente serão resolvidos após as comunidades se movimentarem nesse sentido, visto que o suporte do fabricante limita-se apenas às coisas que dão certo.
Quando a coisa não funciona no Linux, realmente não existe um fabricante para dar suporte, mas apenas as comunidades.
No entanto, se o usuário tiver um mínimo de conhecimento, poderá seguir por caminhos já conhecidos e consertar ELE MESMO a eventual anomalia.

Algumas coisas serão mais fáceis de instalar/implementar, ora no Linux, ora no Windows.

Quanto a incompatibilidade, tenho visto nos últimos tempos programas que rodam em Windows 95 mas que estão preparados para rodar no Vista.
Isso é uma coisa muito rara no mundo Windows.
Na grande maioria das vezes, programas escritos para versões mais antigas do Windows simplesente não rodam no NT, no 2000,
no XP e sobretudo no Vista.
Programas Linux típicos de uma distro por sua vez também não rodam "de primeira" em uma outra. No entanto, com conhecimento de causa, isso pode ser contrnado. Facilmente ou não.

Sou usuário de micros aneteriormente ao MS-DOS.
Ainda existem comandos e recursos que são desconhecidos ou inexplorados da grande maioria dos usuários.
Alguém é ou ja foi "fera" no debug? Ou no xcopy? Ou pelo menos sabe para que servem? Sabe ou já soube como configurar o prompt de comando?
Para mim a facilidade/dificuldade em usar a linha de comandos se equivale nos dois sistemas.
Para que se tenha uma idéia, eu não formato ou copio disquetes (ainda os uso) pelo Windows, que é muito fraquinho para isso.
Uso os comandos do DOS, onde - semelhantemente ao Linux - tenho controle total daquilo que está sendo feito.
O Windows faz o que quer, e não o que EU quero.
Windows não faz comparação de arquivos, não verifica se os dados foram copiados de forma íntegra, etc.
E se equivoca muitas vezes ao condenar a mídia magnética diante de qualquer problema.
Para alguns, é bom que as coisas aconteçam automaticamente, mas quando não se deseja apenas brincar com os dados, é bom ter uma opção que nos afaste um pouco da comodidade e nos ofereça um pouco de segurança.

Nota-se portanto que não sou linuxista fanático (ou "xiíta" - no sentido pejorativo do termo - como se usa dizer por aí).
Uso Windows e Linux, sendo porém este último o meu preferido.
Não que eu não tenha dificuldades com ele. Pelo contrário, tenho e muitas. Resolvi seguir uma vertente que não é nada cômoda, a de aproveitar hardware antigo. No entanto, acho que a dificuldade inicial foi amplamente recompensada.
E embora meu conhecimento do assunto seja bastante incipiente, já posso fazer e afirmar algumas coisas que antes não me
aventuraria a fazer.

Entrei no mundo Linux pela contramão, e não me arrependo.

Esse tipo de discussão sempre estará presente entre nós, mesmo que eventualmente o SL viesse a ocupar o 1. lugar na preferência dos usuários.

O que observo é que pessoas não-usuárias do Windows recebem bem melhor o Linux, pois não foram contaminadas por nenhum preconceito.

[12] Comentário enviado por pinduvoz em 16/05/2009 - 18:22h

Todo sistema operacional tem suas particularidades e uma "curva de aprendizado".

No Windows, é tudo mais fácil por conta da hegemonia absoluta. Ele é usado em 80% das máquinas (já foi em 90%) e, por isso, quase tudo é produzido pensando nele.

O Linux, que venho testando e usando desde o final de 2005, evoluiu muito, mas muito mesmo. Tem ficado cada vez mais fácil instalar e usar Linux.

O que não é fácil é comprar um computador com Linux configurado adequadamente. E é neste último ponto que a coisa precisa melhorar.

[13] Comentário enviado por Teixeira em 17/05/2009 - 11:18h

Também quanto a isso, observo que nem mesmo o Windows vem sempre configurado ADEQUADAMENTE, mas apenas configurado para a MAIORIA das aplicações comuns, aquelas do dia-a-dia.
Um usuário sem conhecimento de causa também irá penar para instalar software e periféricos , e se tiver cometido algum erro - nem sempre visível no momento - terá de recorrer a alguém, que na maioria das vezes irá simplesmente reformatar o seu HD. Simples assim.
Mas concordo em que o Linux deveria (já que tem condições para isso) ser melhor configurado de fábrica, de forma a explorar todo o potencial do hardware. Isso realmente está faltando, e tem de alguma forma contribuído para denegrir a imagem do SL em nosso país.
Já que estão usando software livre, os grandes fabricantes (tipo Microtec, Itautec, Positivo, CCE, Dell e muitos outros, apenas para citar) poderiam usar o OpenSUSE, o Debian, o Ubuntu, Slackware, enfim, a distribuição que melhor se identificasse com seu hardware.
Claro que isso iria envolver alguns estudos a mais, porém todos esses fabricantes têm equipes capacitadas para fazê-lo.
O que alegariam então, para NÃO fazê-lo? Custos de pesquisa? Claro que não.
Em uma indústria - qualquer indústria - pesquisa não é custo, e sim INVESTIMENTO.
(Se nosso D. Pedro II não houvesse patrocinado as pesquisas de Alexander Graham Bell, certamente o mundo ainda não teria o telefone. Isso porque em sua terra natal ninguém lhe concedia credibilidade. É isso mesmo: A burrice extiste em todas as partes do mundo!)
Certamente existem outros fatores determinantes para esse procedimento.
Será que Satux, Librix, etc. são distros de qualidade inferior?
Certamente que não.
Temos visto que a turma do VOL quando tem um problema qualquer "se vira nos trinta" e procura resolver.
Da mesma forma a turma do GDH e outras comunidades.
Está faltando aos fabricantes adotarem esse espírito investigativo.
ELES têm muito mais recursos que nós, e muito maior conhecimento do hardware que fabricam/montam.

[14] Comentário enviado por tadryanom em 17/05/2009 - 15:56h

Muito bom o artigo Eustabio, gostei muito, eu comecei a usar o Liunux há 2 anos, confesso que eu gostei muito do sistema, tanto que uso ele como meu sistema padrão, uso o windows somente no trabalho. Minha primeira distro foi o Kurumin 4, depois Kurumin 7, Puppy 2.17, Ubuntu 8.10, Ubuntu. Me dediquei totalmente a estudar o Linux que hoje já estou esforcando-me no desenvolvimento de um projeto pessoal, que eu chamo de TuliX Linux, é um mini-distro, atualmente ela ja tem interface grafica (IceWM) e regenciador de arquivos (PCMan File Manager), só que no momento estou com algumas dificuldades e gostaria que alguém me ajudasse a desenvolvê-lo, quem quiser se interessar pelo meu projeto, o meu MSN é: tadryanom@hotmail.com.

Agradeço a ajuda.

[15] Comentário enviado por gersonlrod em 17/05/2009 - 18:49h

Muito bom esse artigo , bom mesmo , tenho um amigo que usa Linux faz tempo e sempre falava das vantagens desse sistema , da segurança , da estabilidade , e tal ... além que tem muitas distribuições que vc não paga nada , e são mil vezes superior ao "Uindows" , mesmo assim eu não me convencia . Um dia ele me deu um CD do Ubuntu 6.10 pra mim testar , depois daquele dia entendi a paixão do meu amigo pelo Linux , é realmente é um sistema exelente , e não fica nada atrás do "Uin.. " , desde então estou usando o Ubuntu , esses dias instalei o 9.04 , e tá ainda melhor ... Não troco meu Ubuntu por nada ...

[16] Comentário enviado por E Junior em 17/05/2009 - 22:38h

Não pensei que a comunidade Viva o Linux fosse gostar tanto desse pequeno do artigo. Sou muito grato pelos comentários de todos. Certamente, essas reflexões ajudarão de alguma forma a fazer o Linux crescer ainda mais. Caso tenham algo a acrescentar, sinta-se à vontade e continue comentando se desejar. Mas, muito obrigado mesmo.

[17] Comentário enviado por icefusion em 18/05/2009 - 07:52h

É realmente o linux está se tornando um sistema mais simples de se trabalhar....acho q o que seria bom para o crescimento do linux seria empresas como adobe, fabricantes do auto cad, do 3d studio, fabricantes dos softwares de edição musical e de imagens, fabricantes de games tb abraçar essa idéia, e também o governo, pois muitos softwares soh rodam em windows, forçando o usuário gastar espaço em disco para manter o Windows virtualizado ou em outra partição apenas para isso....espero que esse quadro se mude nos próximos anos....
Meus parabéns pelo artigo...muito legal!

[18] Comentário enviado por femars em 18/05/2009 - 14:28h

Já pensei em tudo isso que os amigos colocaram, já mudei de lado várias vezes (proprietário e livre), mas, depois que vi um documentário chamado "inPROPRIETÁRIO", decidi que o melhor msmo não é o mais cômodo, e sim o mais justo! Por isso sempre lutarei para usar Linux!
Para todos aqueles que concordrem comigo eu digo, mesmo que algum dia o software proprietário deixe de existir ou nao, temos que aceitar e conviver com eles por mtos anos ainda, pq eu acho isso? pq acredito REALMENTE, que a sociedade NUNCA andará para trás, e, na minha opnião, software livre é a evolução no campo da tecnologia.

[19] Comentário enviado por E Junior em 18/05/2009 - 19:33h

Embora eu não tenha incluido no artigo. Aqui na região extremo sul da Bahia, os provedores de internet (ISP) sem fio (wireless) dificultam a disseminação do Linux pelo fato fornecerem um suporte fraco, ou até mesmo nem fornecerem qualquer suporte para o clientes que usam Linux. Em muitos casos eles pressionam os clientes a instalarem 'Uindows' em máquinas que venham com Linux de fábrica. E muitas vezes acontece o óbvio, contrata-se aquele técnico de informática para formatar o disco rígido (HD) e instalar o 'Uindows' pirata. Embora, eles mesmos talvez não instalem, contribuiem em muito para pirataria por se negarem a darem um suporte decente ao sistema do pinguim, e quando dão. Na maioria dos casos eles apenas permitem que o usuário utilize Linux, mas não dão qualquer suporte. Isso na verdade é uma incoerencia, haja visto eles mesmo usarem Linux em seus servidores. Já que o Linux os ajuda em seus servidores, porque não retribuir isso dando melhor suporte ao Linux? uma mão lava a outra! Além disso se não acordarem, outros provedores farão isso mais cedo ou mais tarde, e ai sim, vai ser tarde de mais para eles voltatem atrás. Não precisa de muita coisa para darem esse suporte. Em primeiro lugar a maioria das placas de rádio são reconhecidas automaticamente por muitas distribuições Linux. E mesmo se isso não acontecer, pode-se lançar mão do Ndiswrapper, e usar o mesmo driver do 'Uindows'. Em segundo lugar basta configurar o PPPOE se necessário. Existe a opção de usar o PPPOE na interface gráfica ou pela linha de comando. E por ultimo, se não for pedir muito, aprender alguns comandos básicos de rede Linux para usar linha de comando, caso se precise efetuar algum diagnóstico. Vantagem desse comandos é que pode ser utilizado em qualquer distribuição Linux (ex. ping, ifconfig, iwconfig, iwlist scan e etc.). Portanto alguns provedores tem uma grande parcela de culpa pelo não crescimento do Linux. Os mesmos talvez digam, os usuários de Linux são minoria, não compensa! Mais porquê são minoria? Em parte são os próprios provedores que fazem o Linux ser minoria. Quantas máquinas deixaram de rodar Linux devido ao provedor não dar suporte? Com certeza são muitas. O Linux está chegando para dominar! O Linux é seu amigo não o mate provedores de internet!

[20] Comentário enviado por Teixeira em 19/05/2009 - 08:30h

Existem muitos "fenômenos" inexplicáveis em torno do ambiente Linux.
Há uma grande cadeia de lojas de departamentos cujo sistema de gerenciamento é integralmente em Linux, mas que vende apenas PCs com o S.O. da Microsoft.
Felizmente, seus vendedores não falam mal do Linux, apenas explicam que "não trabalham com Linux", sem dar maiores explicações.

Enquanto isso, vendedores de lojas concorrentes "descem o malho" no Linux e mesmo que vendam PCs que já venham equipados com o nosso S.O., aconselham em tom furtivo a desinstalá-lo e instalar o famoso "Capitão Gancho". Para isso já existem "técnicos" (tradução: FORMATADORES DE HD) inseridos no contexto e que cobram uma taxa fixa - por fora - para fazê-lo.
E aí, por cortesia (com o chapéu alheio), instalam mais isso e mais aquilo, violando tudo quanto é *right possível.

O mais absurdo - e já comentei aqui no VOL - foi o vendedor que está terminando seu curso de T.I. e que falou cobras e lagartos do Linux, sempre evidenciando as "vantagens" daquele outro sistema proprietário.
Para ele o Linux simplesmente "não presta", "não é seguro", é muito difícil" e pronto.
De onde foi que ele tirou esses conceitos, já que está fazendo um curso a nivel universitário?

Ora, os produtos da MS têm suas vantagens, é claro (se não fosse assim, não permaneceriam no mercado). No entanto, nota-se que "fizeram a cabeça" do rapaz de tal forma que a coisa tende a ser ireversível. E quanto aos seus colegas de curso?

Cinco minutos de conversa trazem-nos a certeza de que ele nunca viu Linux em sua vida.
No entanto, tem esse tipo de convicção.

Entenda-se...

[21] Comentário enviado por borgesgalvao em 20/05/2009 - 22:47h

Sou usuário de computador há 15 anos, sou projetista de hidro-elétricas em Belo Horizonte, MG e uso computador pra tudo, (música, comunicação, estudo)principalmente, trabalho.

Eu e a maioria das pessoas na minha empresa utilizam, pra trabalhar, sistemas de desenho auxiliado por computador, principalmente o AutoCAD, da Autodesk. Até a versão 12 do autocad ele era feito pra rodar exclusivamente no DOS (isso mesmo, antes do windows 3.1). Desde sua versão 13 ele é desenvolvido para windows e mac, mas não existe nada similar para linux. Nem similar nem parecido.

Procuro sempre, desde o início das notícias do linux, mas simplesmente não existe.
Com essa falta de CAD pra Linux, a ENGENHAIA (Civil, de Tráfego, Mecânica, Elétrica), Arquitetura, Geotecnia, Geografia, entre várias outras, simplesmente não são atendidas pelo Linux. No início eu pensava que esse descaso dos programadores pra Linux em torno do mundo em relação ao sistema CAD fosse devido à complexidade de um sistema desses. Hoje, vendo os avanços que o Linux sofrendo, inclusive na área de jogos, penso que esse descaso se deve há uma falta de maturidade dos seus programadores e coordenadores. É como o artista que defende a "arte pela arte".

Administram banco de dados, fazem o computador ligar a partir de uma mensagem de celular, colocam a geladeira pra fazer compra pela internet e o diabo a quatro, mas tudo ligado à própria tecnologia.
Quando se tem de fazer um prédio, projetar um produto de designer inovador em 3D, gerenciar projetos vindos de áreas diferentes (como as que citei) pra construir uma hidro-elétrica ou um motor a combustão, ou fazer avaliações de estruturas de sólidos finitos, aí, infelizmente, só empresas de grande porte se dedicam a desenvolver softwares realmente confiáveis. E não podem fazer isso de graça, ou esperando lucro só a partir do treinamento e suporte que eventualmente venham a dar. No início até pensei: Ah, vou colocar CAD no windows, e todo o resto no Linux, no meu notebook, e fazer dual boot.

Confesso que algumas vezes tentei, mas não rola. Quando estou trabalhando e preciso usar uma tabela, mandar um e-mail, ver uma imagem, não dá pra ficar trocando de sistema. Hoje tenho apenas o windows no notebook e fico rezando pro Google comprar a AutoDesk e abrir o código fonte do CAD pra eu poder passar pro Linux realmente.

Isso aqui é um lamento de um "usuário não praticante" de Linux. E se aparecer alguém aqui me chamando de "desinformado" ou "alienado" ou "preguiçoso" e em seguida colocar um link pra um programa pelo menos próximo do que é o AutoCAD, mas para Linux, pode saber que serei muito grato. caso queiram manter contato: borgesgalvao@gmail.com

[22] Comentário enviado por femars em 21/05/2009 - 09:04h

http://www.vivaolinux.com.br/dica/Um-bom-programa-de-CAD-para-LInux

http://www.vivaolinux.com.br/dica/Instalando-o-Auto-CAD-R14-no-linux

se vc for realmente testar, posta aí suas cloclusões! Abraços

[23] Comentário enviado por brunomacagnani em 21/05/2009 - 11:13h

O Linux não é dificil, mas as pessoas o fazem, elas colocam muitas dificuldades, por simples preguica de procurar a solucao.

Abracos

[24] Comentário enviado por fernandoamador em 08/07/2009 - 21:13h

gostei do artigo

[25] Comentário enviado por n34r em 23/07/2009 - 19:20h

Linux não é difícil.

é ainda mais facil que o Ruimdos

Linux 4ever

[26] Comentário enviado por eduams em 04/08/2009 - 15:35h

Bem, quando eu era criança eu achava dificil mexer no windows, achava meio confuso, mas ai com o tempo eu fui aprendendo e me acostumando.
Agora que eu migrei pro Linux, obviamente que eu vou demorar um pouco para me acostumar e aprender, igual a quando eu estava aprendendo a usar o Windows.
O Linux não tem tantos programas compativeis como o Windows, mas espero que isso algum dia mude! :)

[27] Comentário enviado por André § em 10/08/2009 - 16:11h

muito bom esse artigo"!!!!

[28] Comentário enviado por giannimarinho em 17/05/2012 - 03:30h

só tá faltando essas distribuições virem com o virtualbox e wine instalados e FUNCIONANDO. ou com opção na hora da instalação.
um sistema que está em expansão, em minha opinião, é importantíssimo vir padrão a opção de virtualizar e emular o concorrente.
se isso acontecer, aumentará muito o número de adeptos.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts