Introdução ao Shell Script - Baseado no livro de Ken O. Burtch

Esse artigo foi elaborado tendo como base, o livro "Scripts de Shell Linux com Bash" de Ken O. Burtch. Abordando os tópicos essenciais para começar a criar scripts. Ensinando os conceitos básicos para criação de laço de repetição, estruturas condicionais, funções, operações aritméticas, scripts bem comportados, entre outras.

[ Hits: 25.052 ]

Por: Calebe Bastos Oliveira em 13/12/2013


Funções de shell



As funções são uma forma de inserir pequenos subscripts em um script. Como scripts separados, as funções podem ser usadas para dividir um script complexo em tarefas separadas e com nome, para que, com isso, melhorar a legibilidade.

Pontos importantes:
  • Da mesma forma que variáveis, as funções devem ser declaradas antes que possam ser usadas.
  • Em vez de declare, as funções são declaradas usando o comando function.
  • Cada função tem um nome, e as declarações que a compõem, ficam dentro de chaves.

Exemplo 01:

#!/bin/bash

function BoasVindas(){
   printf "\n\n Seja Bem Vindo $1 \n\n"
}

printf "\n Digite seu nome: \t"
read NOME
BoasVindas "$NOME"

No exemplo 01, a variável enviada para a função é identificada como $1, se fossem duas variáveis a ser enviadas, teria o $2, e assim por diante

Exemplo 02:

#!/bin/bash

function mostraMensagem() {
   declare -g a b
   a="$1"
   b='Hello World!'
}

mostraMensagem 'Olá Mundo!'
printf "\n %s" "$b"

Nesse segundo exemplo, declarou duas como globais. Teste o programa para entender melhor o que ocorre.

Script bem comportado

Um script bash bem estruturado, tem que conter os cinco itens abaixo:
  • Cabeçalho
  • Declarações globais
  • Verificação de sanidade
  • Script principal
  • Limpeza

Cabeçalho :: O cabeçalho define que tipo de script, quem o escreveu, qual a sua versão e quais suposições, ou opções, de shell bash ele faz. A primeira linha é o cabeçalho, começa com #!, assim identifica o tipo de script. O GNU/Linux usa essa informação para iniciar o programa certo para executar o script.

Normalmente é esse: #!bin/bash

Exemplo:

#!/bin/bash
#Esvaziar os discos se ninguém estiver no computador
#Calebe B. Oliveira
#Versão

Declarações globais :: Todas as declarações que aplicam a todo o script, devem ser feitas no topo dele.

Exemplo:

declare -rx who="/usr/bin/who"
declare -rx sync="/bin/sync"
declare -rx wc="/usr/bin/wc"

Verificação de sanidade :: Antes que um script execute alguma declaração, é preciso verificar que todos os arquivos necessários estejam acessíveis. Todos os comandos requisitados devem ser executáveis e armazenados nas localizações esperadas.

Estas verificações são, às vezes, chamadas de verificação de sanidade, porque não deixam o script começar sua tarefa principal, a não ser que o computador esteja em um estado conhecido, ou "são".

Exemplo:

if test ! -x "$who" ; then
    printf "O comando who não está disponível abortando \ n"
    exit 192
fi

Script principal :: Quando você tiver verificado que o sistema está são, o script poderá continuar a executar seu trabalho.

Exemplo:

declare -i N
function ExibeNaTela(){
    for(( CONT=0 ; CONT<$1 ; CONT++ )) ; do
        printf "\n %s" "$2"
    done
}
printf "\n Digite um valor para ser exibido \t"
read S
printf "\n Digite a quantidade de vezes que a mensagem deverá ser exibida \t"
read N
ExibeNaTela "$N" "$S"

Limpeza :: Quaisquer arquivos temporários devem ser apagados, e o script retorna um código de estado para a pessoa, ou programador, que o esteja executando.

Exemplo:

exit 0

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Comando printf / Variáveis
   3. Como ler do teclado / Expressões aritméticas
   4. Comando if e test / Laço for
   5. Funções de shell
   6. Exercícios
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

O que é Shell Script

Introdução ao uso de Shell Script

Shell Script para WEB

Monitoramento automático de logs e alertas por e-mail - Fácil e explicado

Cansou do Konsole e GNOME-Terminal? Existem outros terminais, escolha o seu!

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 13/12/2013 - 14:06h

Cara,

Excelente trabalho!

[2] Comentário enviado por calebebastos em 13/12/2013 - 14:13h

Fico Feliz que tenha gostado.

Abraço


[3] Comentário enviado por kirito em 13/12/2013 - 18:32h

Seu artigo está ótimo, mas só uma pequena dúvida..
Se você colocar a primeira linha como #!/bin/interpretador, não a necessidade de chamar o interpretador(bash), é só dar a permissão de execução e rodar o programa, ou estou errado ?
Sou iniciante em Shell, então talvez eu esteja falando besteira kk

[4] Comentário enviado por calebebastos em 13/12/2013 - 19:36h

Bem na distribuição que eu uso, eu sempre utilizo o comando bash, costuma não funcionar sem por causa de permissões de execução ai acho mais prático utilizar ele. Se vc der premissão ao arquivo basta clicar nele. Agora essa primeira linha com o caminho do interpretador em um bom script sempre tem que ter, dê uma olhada na parte de Script bem comportado, faz parte do cabeçalho. Faça o teste ai e nos conte. Espero ter ajudado. Obrigado pelo comentário. Abraço

[5] Comentário enviado por kirito em 14/12/2013 - 12:04h

Obrigado pela esclarecimento e atenção. Tive essa dúvida porque em meus scripts eu dou o comando para dar permissão de execução e rodo o programa. Estou pensando em publicar um artigo para executar programas em C e em Assembly mais rápido.. Obrigado novamente, e meus parabéns pelo o ótimo artigo!

[6] Comentário enviado por calebebastos em 15/12/2013 - 13:39h

Bacana, faça o artigo é um tema bem interessante e qualquer dúvida tamo ai. VL

[7] Comentário enviado por ragen em 16/12/2013 - 11:50h

Favoritado! A didática do artigo é excelente.

Abs

Ragen

[8] Comentário enviado por calebebastos em 16/12/2013 - 13:54h

Obrigado ragen, fico feliz que tenha gostado. Abraço

[9] Comentário enviado por azk em 18/12/2013 - 09:09h

Belo artigo!
Obrigado pela contribuição, Calebe....

favoritado
;-))

[10] Comentário enviado por ricardoolonca em 18/12/2013 - 10:00h

Parabéns pelo artigo. Está muito bom.

Alguns comentários:
1- O script não precisa ser salvo com a exstensão .sh. Neste caso, a extensão serve apenas para nós sabermos que o arquivo é um script bash. Mas ele pode ter qualquer extensão, ou nem ter extensão nenhuma.

2- Para executar, você pode usar:
bash arquivo.sh

ou dar permissão de execusão com o comando
chmod +x arquivi.sh

e executá-lo com uma das seguintes formas:
./arquivo.sh
/caminho/completo/do/arquivo.sh

3- Para efetuar cálculos, você pode usar a seguinte forma:

soma
x=$[2+3]

multiplicação
x=$[2*3]

Sempre uso os sites abaixo como referência. O primeiro é sobre o bash, e o segundo é sobre o dialog, que é uma forma de colocar menus em seus script

http://aurelio.net/shell/canivete.html
http://aurelio.net/shell/dialog/#menu

Outros artigos de exemplo:
http://ricardoolonca.blogspot.com.br/2012/08/como-gerar-numeros-aleatorios-em-script.html
http://ricardoolonca.blogspot.com.br/2013/09/script-bash-com-cores.html
http://ricardoolonca.blogspot.com.br/2012/07/incremente-seus-scripts-bash-com-dialog.html

[11] Comentário enviado por calebebastos em 21/12/2013 - 13:09h

Obrigado pelo comentário e azk4n e ricardoolonca. Abraço

[12] Comentário enviado por davidsiqueira em 24/12/2013 - 02:07h

muito bom seu trabalho

[13] Comentário enviado por calebebastos em 24/12/2013 - 17:26h

Obrigado pelo comentário davidsiqueira. Abraço

[14] Comentário enviado por alanvictorjp em 08/01/2014 - 06:14h

Muito bom!

ricardoolonca $[], essa pra mim é nova, vlw!

[15] Comentário enviado por renato473 em 25/02/2014 - 23:20h

otimo

[16] Comentário enviado por manoelmarins em 10/05/2018 - 21:59h

Muito bom.
Devia ter acreditado mais no linux.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts