Instalação do Void Linux em UEFI + Dual Boot com Windows

Após ver algumas pessoas com dificuldade para instalar o Void Linux em ambientes UEFI, resolvi fazer algo ousado. Como eu não tinha um PC com UEFI, apenas Legacy, peguei o notebook da esposa e fiz o procedimento, colocando em perigo o Windows dela. Arrisquei minha vida, eu sei.

[ Hits: 1.698 ]

Por: Xerxes Lins em 23/09/2019 | Blog: https://voidlinux.org/


Introdução



O procedimento foi realizado em um notebook LENOVO ideapad 310. Não sei o quão diferente seria o procedimento em outros modelos.

Antes de tudo, no Windows, acesse o Gerenciador de Discos e diminua o tamanho de uma partição para poder ter espaço para instalar o Void Linux. Difícil dizer qual é o tamanho ideal, pois isso depende do espaço que você tem disponível. No meu caso, o sistema principal é o Windows (notebook da esposa, lembra?) e por isso, dos 1TB totais, reservei somente pouco mais de 200GB para o Void. Se você não está fazendo dual boot com Windows, pode pular esse procedimento.

O segundo passo foi desabilitar o "secure boot" e o "Intel Plataform Trust Technology".

Obs.: não sei se é necessário desabilitar o Intel Plataform Trust Technology, mas eu o fiz.

Para isso, é preciso entrar no setup do notebook. Isso depende de modelo para modelo. Às vezes basta pressionar alguma tecla "F*" logo após ligar o computador.

No meu caso, precisei desligar o computador e enfiar um clipe de papel em um buraquinho do lado direito do notebook. Assim ele liga e permite entrar no setup.

Baixei a ISO do Void versão glibc, sem ambiente gráfico, em:
Para gravar a ISO em um pendrive no sistema Windows, pode usar o USBWriter:
Para gravar no Linux, pode usar o comando "dd":

# dd bs=4M if=[caminho da Void ISO] of=/dev/sdx && sync

Obs.: troque "/dev/sdx" pelo dispositivo do pendrive. Veja com o comando "fdisk -l". Não use o número (/dev/sdb1, por exemplo) e sim até a letra (/dev/sdb, por exemplo).

Agora, para dar boot no pendrive, espete o pendrive e ligue o computador. Se tiver alguma tecla para pressionar para escolher por onde dar boot, pressione-a e escolha boot pelo pendrive (usb device). No meu caso também precisei enfiar o clipe no buraquinho para isso.

A ISO do Void deve iniciar. Agora sim, vamos instalar.

Instalação

Assim que iniciar o sistema live, logue-se como root. A senha é "voidlinux". Configure o teclado para português do Brasil, com:

# loadkeys br-abnt2

Ou, inicie logo o instalador com:

# void-installer

A primeira opção será configurar o teclado. Escolha "br-abnt2".

Se você está com cabo de rede, já deve estar com acesso à Internet. Se não, caso precise da WiFi, saia do instalador (se estiver nele) e veja como confifurar WiFi a seguir.

Obs.: no instalador também tem um configurador de rede que deveria configurar WiFi, mas comigo não funcionou. Então fui para o método manual.

Opcional: troque o shell do root de "sh" para "bash", pois assim fica mais fácil, por causa do autocomplete. Para isso edite o "/etc/passwd" com o editor Vi, e na linha do root troque o "sh" por "bash", salve e feche o arquivo. Relogue como root.

Método manual para configurar WIFI

Método manual foi usando wpa_supplicant.

Primeiro passo é achar seus dispositivos de rede. Para isso, use o comando:

# ip link show

Dentre os dispositivos exibidos, o de rede sem fio será um que começa com "w", provavelmente "wlp2s0" ou algo semelhante.

Agora é necessário "subir" tal dispositivo. Para isso use:

# ip link set up [dispositivo]

Se der algum erro referente ao "rfkill" significa que o dispositivo está bloqueado. Para desbloquear use o comando:

# rfkill unblock all

Depois verifique se ainda está bloqueado com:

# rfkill list

Agora deve aparecer "softblocked: no" para todos.

E execute o "set up" novamente.

Mas se não der erro nenhum, quer dizer que está OK.

Agora vamos configurar o wpa_supplicant. Primeiro copie as configurações padrões para o arquivo referente ao seu dispositivo:

# cp /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant.conf /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

Troque [DISPOSITIVO], do comando acima, pelo seu dispositivo. Exemplo: "/etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-wlp2s0.conf".

Você precisa saber se a segurança da sua rede sem fio é WEP ou WPA. Se não souber, terá que acessar as configurações do seu roteador para ver. Ou testar logo o modo WPA que é o mais usado.

Se for WEP basta editar o arquivo "wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf e colocar o nome da rede e sua senha lá.

# vi /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

network={
    ssid="NOME-DA-REDE"
    key_mgmt=NONE
    wep_key0="SUA-SENHA"
    wep_tx_keyidx=0
    auth_alg=SHARED
}

Salvar e sair.

Se for WPA, muda um pouco. Primeiro execute:

# wpa_passphrase NOME-DA-REDE SUA-SENHA

Isso deverá gerar um trecho de texto, só para você conferir.

Agora execute novamente, mas enviando tal trecho para o arquivo de configuração do seu dispositivo:

# wpa_passphrase NOME-DA-REDE SUA-SENHA >> /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

Poderá conferir com:

# cat /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

Agora reinicie o DHCPCD e conecte usando o wpa_supplicant:

# sv restart dhcpcd
# wpa_supplicant -B -i [DISPOSITIVO] -c /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-[DISPOSITIVO].conf

Espere uns 3 a 5 segundos e depois teste a conexão com:

# ping www.google.com -c4

Deve ter resposta. Mas se por algum motivo você não conseguir resposta do "www.google.com", mas conseguir resposta do "8.8.8.8", adicione o DNS do Google ao "resolv.conf", assim:

# echo >> "8.8.8.8" /etc/resolv.conf

E tente pingar o "www.google.com" novamente.

Pronto! Rede configurada.

Observações durante o instalador

O processo de instalação pode ser iniciado com:

# void-installer

Basta seguir os passos. Na parte de selecionar a fonte dos pacotes (Local ou Rede - Network) eu selecionei Local para garantir (depois que instalar o sistema basta atualizar ele).

AGORA, ATENÇÃO! Quando chegar na parte de criar as partições (vai abrir o cfdisk), leia a mensagem com cuidado. Em resumo, dirá que para sistemas EFI será necessário criar uma partição FAT32 com pelo menos 100MB e montada em /boot/efi.

Se, antes de abrir o cfdisk, ele perguntar se quer usar DOS ou GPT, escolha GPT (pois estamos instalando o sistema em UEFI). No meu caso ele não perguntou, mas ao abrir o cfdisk, no topo, já mostrava que estava em GPT, mas já vi casos em que é perguntado.

No espaço livre crie uma partição de 500MB, como tipo EFI File System (Sistema EFI), mesmo que já exista uma! Deixe a outra lá quietinha, pois é a do Windows - no caso de Dual Boot. O restante do espaço livre use como quiser. No meu caso, eu nem fiz SWAP. Usei o restante para a raiz e pronto (sistema de arquivos Linux). Em resumo você deverá ter, no mínimo, uma partição EFI de 500MB e outra do tipo Linux com o resto do espaço.

Ao terminar de criar as partições, o instalador seguirá para o passo seguinte que é a formatação e a montagem.

IMPORTANTE: a partição que você CRIOU de 500MB como EFI, deve ser formatada (o sistema não diz formatar, mas pergunta se quer criar uma nova, que é a mesma coisa) com o formato VFAT (FAT32). Depois escolha montá-la em /boot/efi. A outra partição (ou outras partições) monte nos locais corretos ao seu gosto. No meu caso só sobrou a raiz (/). Quando terminar escolha "done".

Dessa vez, o instalador não descerá para o próximo passo automaticamente, por segurança. Mas você deve ir para o próximo passo que é a instalação do sistema. Ele perguntará se está tudo OK e mostrará um resumo do que será feito. Confira. Mande seguir se estiver OK.

Quando terminar de instalar, o sistema poderá ser reiniciado!

Pronto, Void instalado no sistema UEFI!

Windows não apareceu no GRUB?

Após o primeiro boot, no meu caso, o Windows não apareceu no GRUB. Mas não entrei em pânico. A primeira coisa a fazer é conectar-se. Se estiver com cabo, já estará conectado. Se precisar de WiFi, veja os passos anteriores sobre como conectar manualmente. Que em resumo será:

# rfkill unblock all
# ip link set up wlp2s0
# sv restart dhcpcd
# wpa_supplicant -B -i wlp2s0 -c /etc/wpa_supplicant/wpa_supplicant-wlp2s0.conf

Obs.: troque o "wlp2s0" pelo SEU dispositivo de WiFi. Veja com:

ip link show).

Com conexão OK, atualize o sistema:

# xbps-install -Syu

E repita o comando! É importante, pois uma vez ele atualiza o xbps, e na outra ele atualiza os demais pacotes.

Para fazer o Windows aparecer no GRUB, veja se tem o "os-prober" instalado:

# xbps-install os-prober

Depois execute:

# os-prober

Só para ver se ele detecta o Windows. Se detectar, aparecerá uma linha como:

/dev/sda1@/efi/Microsoft/Boot/bootmgfw.efi:Windows Boot Manager:Windows:efi

Agora reinstale o GRUB da seguinte maneira:

# grub-install --target=x86_64-efi --efi-directory=/boot/efi --bootloader-id=void_grub --boot-directory=/boot --recheck --debug

Aparecerá várias linhas de mensagens.

Reinicie o sistema e agora sim, o Windows aparecerá no GRUB. Foi assim que eu fiz e deu certo.

Conclusão

Agora com o sistema instalado, em UEFI, e com Dual Boot com Windows, posso respirar aliviado. A esposa não me matará. O objetivo não foi cobrir TODA a instalação do Void, passo a passo, nem sua pós-instalação, pois existem MUITOS vídeos sobre isso no YouTube. Mas nenhum especificamente sobre UEFI + Dual Boot com Windows (até onde eu vi).

Para conseguir fazer o proposto, eu precisei consultar algumas páginas:
   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor

Melhorando a experiência com Cinnamon no LMDE

Crise de distro!

Incentivo ao Funtoo

Porque eu uso Linux Mint

Jogue no Linux o DOOM 3 e DOOM BFG (comprados para Windows)

Leitura recomendada

Atualização do ZappWM 4.0 Beta (Window Manager)

Nmap - 30 Exemplos para Análises de Redes e Portas

Instalação do Zenwalk Linux

Porquê a mascote do Linux é um pinguim

Use Linux!

  
Comentários
[1] Comentário enviado por nicolo em 25/09/2019 - 10:59h

O Artigo vai para os favoritos, por ajudar uma das coisas mais complicadas da interação sistema x hardware.

O comportamento do EFI varia em cada BIOS. Duas placas da Gigabyte tem comportamentos incrivelmente diferentes. A GA-970-DS3P-FX (com processador AMD FX8230) e a GIGABYTE GA-78LMT-USB3 R2 com o mesmo processador parecem ter vindo de planetas diferentes. A série 970 é, teoricamente, mais moderna que a série 78, entretanto a R2 (não se trata de mera revisão da BIOS) é um relançamento modernizado com chipset-AMD 78.

Nos dois casos foram instalados o Windows 10 e o Ubuntu 18.04 em Hds SSDs separados. Ambas as BIOS são EFI.

No caso da 78 R2 tudo ocorreu uma boa. O Linux foi instalado primeiro, o Windows depois e bastou um grup update para colocar o Windows manager no GRUB. O SETUP da BIOS da 78 R2 é simples e descomplicado.

No caso da 970 , O SETUP da BIOS é sofisticado e causa a impressão que foi considerado apenas para Windows. A BIOS memorizava Ubuntu e Windows manager de maneira equivocada e não foi possível apagar isso nem descarregando s CMOS. Tanto o Linux como o Windows 10 foram instalados com EFI em seus respectivos HDs SSDs. O boot tornou-se errático, na maioria das vezes acessando somente o Windows, não importando a seleção do boot na BIOS.
No final o boot só se estabilizou quando foi selecionada a foram legacy em todos os parâmetros. Um non sense.

PS: São dois Windows 10 legítimos com licença registrada e nota fiscal.

[2] Comentário enviado por clodoaldops em 26/09/2019 - 09:31h

Arriscou o pescoço
Parabéns pela ousadia

[3] Comentário enviado por edps em 02/10/2019 - 19:52h


Bem explicada a parte do Wi-Fi, eu tenho que fazer justamente isso no outro PC, este PC usará uma horrorosa antena Wi-fi com driver rtl8188fu, driver esse que consegui compilar e habilitar no Void com o DKMS, mas não conectava.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts