Instalação avançada do Debian com Btrfs + timeshift-autosnap-apt + Zram + home encriptado (UEFI/GPT)

Um simples manual com o passo a passo para instalar Debian de forma que seja compatível com o Timeshift e crie pontos de restauração de forma automática, aproveitando as opções do sistema de arquivos Brtfs. Também inclui o uso de zram e encriptação do diretório "home" do usuário.

[ Hits: 20.968 ]

Por: Xerxes em 15/09/2022


Introdução



O que é Debian?

Debian GNU/Linux é um sistema operacional que utiliza o núcleo Linux. Ele foi criado em 1993 pelo programador Ian Murdock, mas é desenvolvido de forma colaborativa, e é um dos sistemas operacionais mais populares do mundo. Debian é gratuito e pode ser baixado e usado por qualquer pessoa.

O que é Btrfs?

O Btrfs (B-tree file system) é um sistema de arquivos de código aberto desenvolvido pela Oracle Corporation. É destinado a ser um substituto do sistema de arquivos ext4, oferecendo melhor escalabilidade, maior robustez e recuperação de dados mais flexível. Ele também oferece diversos recursos de proteção de dados, incluindo snapshot, raid de dados, verificação de integridade de arquivos e recuperação automática de arquivos corrompidos. Além disso, o Btrfs oferece um modo de compatibilidade com o ext4, permitindo que os usuários migrem para o novo sistema de arquivos sem perder seus dados existentes.

O que é Timeshift?

Timeshift é um programa que permite criar e restaurar pontos de restauração, tornando possível desfazer quaisquer alterações não desejadas no sistema que possam ser feitas por você ou por um programa instalado por você.

O que é timeshift-autosnap-apt?

Um programa que cria pontos de restauração automaticamente sempre que o usuário utiliza o gerenciador apt para atualizar, instalar ou remover pacote. Facilita reverter uma situação indesejada que ocorreu após uma modificação com o gerenciador de pacotes.

O que é Zram?

É um modo de maximizar o uso de memória RAM, basicamente ele cria um sistema de swap em memória RAM.

Por que encriptar o diretório home?

O diretório home do GNU/Linux é onde os arquivos pessoais dos usuários ficam armazenados. Se este diretório não for encriptado, qualquer pessoa que tiver acesso físico ao sistema, mesmo que não tenha senha de root, poderá ver os arquivos dos usuários. Além disso, se o sistema for comprometido por um atacante, os dados dos usuários também estarão vulneráveis.
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Instalação - download, localidade e rede
   3. Instalação - nome da máquina, usuário e relógio
   4. Instalação - discos
   5. Instalação - subvolumes
   6. Instalação - fstab
   7. Instalação - finalização
   8. Timeshift-autosnap-apt
   9. Zram, Encriptação da home e conclusão
Outros artigos deste autor

Embelezando o Xubuntu 12.04

Exherbo Linux: sacrificando a cabra

Fedora: 5 passos essenciais

A Maldição de Patrick Volkerding

Incentivo ao Funtoo

Leitura recomendada

ZRAM (Compressed RAM) no Debian

Integrando o BIND com DHCPd

Tutorial de instalação - dispositivo wireless Broadcom

Escutando suas MP3 no Red Hat 9

Ubuntu - configurando dois monitores numa mesma placa de vídeo

  
Comentários
[1] Comentário enviado por hiltongil em 16/09/2022 - 12:19h


Bacana.
O Spiralllinux acho que já é basicamente esse Debian pronto (sem a parte de criptografia).
Outro ponto a pensar é o uso do LUKS com LVM que em tese oferece melhor desempenho do que a criptografia apenas da pasta.

[2] Comentário enviado por xerxeslins em 16/09/2022 - 12:57h


[1] Comentário enviado por hiltongil em 16/09/2022 - 12:19h


Bacana.
O Spiralllinux acho que já é basicamente esse Debian pronto (sem a parte de criptografia).
Outro ponto a pensar é o uso do LUKS com LVM que em tese oferece melhor desempenho do que a criptografia apenas da pasta.


Interessante! Ainda testarei esse SpiralLinux!

[3] Comentário enviado por Gustavo_fm em 17/09/2022 - 18:05h

Olá, parabéns pelo artigo.

Só um adendo, quando você colocou "Suporte para discos de até 2 TB" nas vantagens da GPT creio que seria "Suporte para discos maiores que 2 TB", não?

[4] Comentário enviado por xerxeslins em 18/09/2022 - 13:40h


[3] Comentário enviado por Gustavo_fm em 17/09/2022 - 18:05h

Olá, parabéns pelo artigo.

Só um adendo, quando você colocou "Suporte para discos de até 2 TB" nas vantagens da GPT creio que seria "Suporte para discos maiores que 2 TB", não?


Exato! Corrigi. Obrigado.

[5] Comentário enviado por maurixnovatrento em 23/10/2022 - 12:38h


Muito bom o artigo.

___________________________________________________________
Conhecimento não se Leva para o Túmulo.
https://github.com/mxnt10

[6] Comentário enviado por removido em 01/01/2023 - 09:50h

Excelente artigo!

Instalei o Mint com btrfs e ele já cria automaticamente os subvolumes @ (/) e @home (/home), provavelmente no Ubuntu e outros derivados também seja assim por default.
Só tive que editar o fstab para adicionar o compress=zstd na pós-instalação.

Sobre o timeshift-autosnap, um complemento que vale mencionar é que no repositório tem referência sobre o projeto "grub-btrfs", que cria automaticamente as entradas no menu do grub ao fazer snapshots. Acho ideal para esse tipo de configuração.

[7] Comentário enviado por caslubas em 11/03/2023 - 20:12h


Excelente artigo, mas tem uma opção para ter um "auto-apt" para servidores, que não tem interface gráfica?
A ideia seria eles gerar um backup antes de executar o apt...
Como funciona no opensuse, sempre que utilizamos o zypper.

Carlos Alberto

[8] Comentário enviado por xerxeslins em 20/07/2023 - 23:09h

Fui seguir o artigo hoje, para Debian 12 e vi que está desatualizado. Detalhes mudaram.

No fstab tem que colocar "space_cache=v2" e não apenas "space_cache".



--
Chega uma hora na vida que você só quer bater o prego e não perder tempo estudando a ciência da construção de um martelo.

[9] Comentário enviado por caslubas em 02/09/2023 - 20:39h


[8] Comentário enviado por xerxeslins em 20/07/2023 - 23:09h

Fui seguir o artigo hoje, para Debian 12 e vi que está desatualizado. Detalhes mudaram.

No fstab tem que colocar "space_cache=v2" e não apenas "space_cache".



Pra mim, só deu certo, depois de substituir "defaults" por "rw", além da dica acima, o sistema iniciava somente em modo de leitura,,,

Mais uma vez obrigado pelo conhecimento compartilhado...

[10] Comentário enviado por xerxeslins em 10/11/2023 - 10:41h


[9] Comentário enviado por caslubas em 02/09/2023 - 20:39h


[8] Comentário enviado por xerxeslins em 20/07/2023 - 23:09h

Fui seguir o artigo hoje, para Debian 12 e vi que está desatualizado. Detalhes mudaram.

No fstab tem que colocar "space_cache=v2" e não apenas "space_cache".



Pra mim, só deu certo, depois de substituir "defaults" por "rw", além da dica acima, o sistema iniciava somente em modo de leitura,,,

Mais uma vez obrigado pelo conhecimento compartilhado...


Bom saber! Obrigado! No futuro, quando for fazer isso de novo, eu refaço o teste.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts