Debian sem Systemd

O Systemd é atualmente o init system padrão da maioria das distribuições Linux. Confesso que quando ele começou a ser adotado tive algumas dificuldades com ele e até demorei um bom tempo para adaptar-me. Hoje convivo muito bem com o Systemd.

[ Hits: 1.188 ]

Por: Carlos Affonso Henriques. em 11/02/2021


Instalação do Debian sem Systemd



Após o boot com a imagem ISO do Debian, pressione [TAB] para passar comandos ao kernel e acrescente a seguinte linha, como nas figuras abaixo:

preseed/late_command="in-target apt-get install -y sysvinit-core"
Feito isso basta pressionar [ENTER] e instalar o Debian normalmente.

Após a instalação, dependendo do seu hardware podem ocorrer problemas no carregamento do D-Bus, então vamos à solução.

Reinicie sua máquina normalmente pelo disco rígido e na tela de menu do Grub selecione "Advanced options for Debian GNU/Linux" como na figura abaixo:
Em seguida pressione "c" e o Grub o redirecionará para o modo de recuperação. A iniciação irá ocorrer e quando ela chegar no ponto como o da figura abaixo, entre com a senha de root que você definiu durante o processo de instalação do Debian.
Agora vamos alterar o runlevel para o que você precisar, no meu caso foi o runlevel 3 editando o arquivo /etc/inittab.

Altere a linha: de

id:2:initdefault:

para

id:3:initdefault:

Em seguida vamos desabilitar o serviço dbus, renomeando o link simbólico /etc/rc3.d/S03dbus para /etc/rc3.d/K03dbus:

mv /etc/rc3.d/S03dbus /etc/rc3.d/K03dbus

Pronto! Agora reinicie o seu Debian e faça o que tiver que fazer sem o Systemd.

Existe para Debian um utilitário semelhante ao ntsysv das distros Red Hat like, é o sysv-rc-conf. Se desejar instalá-la siga os passos abaixo:

apt-get update
apt-get install sysv-rc-conf -y

Para rodá-lo digite:

sysv-rc-conf


   

Páginas do artigo
   1. Instalação do Debian sem Systemd
Outros artigos deste autor

Impedindo o compartilhamento de conexão

Obtendo TimeStamps da Blockchain com OpenTimestamps

Autenticando Documento com Blockchain e Ethereum

Docker: Uma abordagem didática para tempos obscuros

Reconhecimento de placas de veículos com OpenALPR

Leitura recomendada

i3 para computadores antigos

Montando o cache de DNS

Como desabilitar RAID 1

Howto NIS/NFS no SuSE

Solução de problemas com wireless no Ubuntu Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por mauricio123 em 11/02/2021 - 13:43h


Boa cara. Pra quem não gosta do systemd isso será divino.

___________________________________________________________
[code]Conhecimento não se Leva para o Túmulo.
https://github.com/MauricioFerrari-NovaTrento [/code]

[2] Comentário enviado por clodoaldops em 11/02/2021 - 13:59h

Como sou usuário comum, não compilo, não programo, e uso apenas programas "comuns" confesso que não senti diferença nenhuma com introdução do systemd

[3] Comentário enviado por psctec em 11/02/2021 - 16:26h

Na verdade mesmo que use o Linux para programação, usar ou não o systemd não terá nenhuma influência.
O que acho que poderia ser padronizado em todas as distribuições seriam os nomes de pacote e seus arquivos de configuração.
Ex: Apache - No Centos é HTTP, No Debian e Apple-BSD Apache2
No Centos acho bem mais prático estar no /etc/http/conf.d do que No Debian em /etc/apache2/sites-enable e sites-avaiable, não vejo lógica em ter mais uma camada e ainda ter um aplicativo para isto (é um pouco demais).
Fico imaginando alguém caindo de para quedas naquela distribuição, e tentando achar onde ficam as coisas, ou tentando só levantar um site Html.
Bom, liberdade demais as vezes não ajuda, rss

[4] Comentário enviado por mauricio123 em 11/02/2021 - 22:31h


[3] Comentário enviado por psctec em 11/02/2021 - 16:26h

Na verdade mesmo que use o Linux para programação, usar ou não o systemd não terá nenhuma influência.
O que acho que poderia ser padronizado em todas as distribuições seriam os nomes de pacote e seus arquivos de configuração.
Ex: Apache - No Centos é HTTP, No Debian e Apple-BSD Apache2
No Centos acho bem mais prático estar no /etc/http/conf.d do que No Debian em /etc/apache2/sites-enable e sites-avaiable, não vejo lógica em ter mais uma camada e ainda ter um aplicativo para isto (é um pouco demais).
Fico imaginando alguém caindo de para quedas naquela distribuição, e tentando achar onde ficam as coisas, ou tentando só levantar um site Html.
Bom, liberdade demais as vezes não ajuda, rss


Pois é, complicado.

[5] Comentário enviado por brunojbpereira em 12/02/2021 - 10:07h

Achei uma boa, mas fiquei com uma dúvida:

Como a correção desse problema passa pela alteração do inittab e da mudança de nome do script do DBus, é possível fazer essas alterações após instalar o Debian e antes de reiniciar o computador?

[6] Comentário enviado por -josinaldo- em 12/02/2021 - 10:49h

É valido o artigo, mais uma opção para os usuários.
Qualquer documentação para o Gnu/Linux pra mim é valida, independente pra quem seja direcionada.

[7] Comentário enviado por CapitainKurn em 13/02/2021 - 16:47h


[5] Comentário enviado por brunojbpereira em 12/02/2021 - 10:07h

Achei uma boa, mas fiquei com uma dúvida:

Como a correção desse problema passa pela alteração do inittab e da mudança de nome do script do DBus, é possível fazer essas alterações após instalar o Debian e antes de reiniciar o computador?

Eu realmente não sei, fiz isso em uma VM.

[8] Comentário enviado por CapitainKurn em 13/02/2021 - 16:51h


[1] Comentário enviado por mauricio123 em 11/02/2021 - 13:43h


Boa cara. Pra quem não gosta do systemd isso será divino.

___________________________________________________________
[code]Conhecimento não se Leva para o Túmulo.
https://github.com/MauricioFerrari-NovaTrento [/code]


Nem se trata de gostar, depois que você se familiariza com o SystemD você vê que ele não é esse monstro que pintam. Muito pelo contrário em certas implementações onde você precisa limitar recursos de hardware o SystemD é uma mão na roda. Ocorre que existem algumas aplicações legadas, especialmente em equipamentos que operam em máquinas industriais que tem problemas com o SystemD então você precisa recorrer a outras distros etc. Fica mais essa opção.

[9] Comentário enviado por CapitainKurn em 13/02/2021 - 16:54h


[3] Comentário enviado por psctec em 11/02/2021 - 16:26h

Na verdade mesmo que use o Linux para programação, usar ou não o systemd não terá nenhuma influência.
O que acho que poderia ser padronizado em todas as distribuições seriam os nomes de pacote e seus arquivos de configuração.
Ex: Apache - No Centos é HTTP, No Debian e Apple-BSD Apache2
No Centos acho bem mais prático estar no /etc/http/conf.d do que No Debian em /etc/apache2/sites-enable e sites-avaiable, não vejo lógica em ter mais uma camada e ainda ter um aplicativo para isto (é um pouco demais).
Fico imaginando alguém caindo de para quedas naquela distribuição, e tentando achar onde ficam as coisas, ou tentando só levantar um site Html.
Bom, liberdade demais as vezes não ajuda, rss


Meu primeiro contato com o SystemD foi com o Ubuntu e isso imediatamente me criou uma certa aversão por ele. Mas passou. e hoje uso Ubuntu em muitos projetos.

[10] Comentário enviado por cizordj em 14/02/2021 - 21:57h

No Debian eu normalmente removo o systemd de outra forma, instalo o Debian normalmente e depois do primeiro boot eu instalo o pacote sysvinit-core, o apt magicamente configura ele como init padrão, depois disso é só reiniciar que o systemd sai de cena. No segundo boot você pode remover o systemd com o apt.

O que eu posso dizer do sysv é que usando ele ao invés do systemd lembra muito a forma que os BSDs trabalham, isso ao meu ver deixa o sistema bem mais casca grossa. Quando eu migrei para o FreeBSD eu senti falta de muitas regalias que o systemD me trazia kkkk

[11] Comentário enviado por mauricio123 em 14/02/2021 - 23:24h


[8] Comentário enviado por CapitainKurn em 13/02/2021 - 16:51h


[1] Comentário enviado por mauricio123 em 11/02/2021 - 13:43h


Boa cara. Pra quem não gosta do systemd isso será divino.

___________________________________________________________
[code]Conhecimento não se Leva para o Túmulo.
https://github.com/MauricioFerrari-NovaTrento [/code]


Nem se trata de gostar, depois que você se familiariza com o SystemD você vê que ele não é esse monstro que pintam. Muito pelo contrário em certas implementações onde você precisa limitar recursos de hardware o SystemD é uma mão na roda. Ocorre que existem algumas aplicações legadas, especialmente em equipamentos que operam em máquinas industriais que tem problemas com o SystemD então você precisa recorrer a outras distros etc. Fica mais essa opção.


ok. Entendi.

[12] Comentário enviado por mauricio123 em 14/02/2021 - 23:28h


[10] Comentário enviado por cizordj em 14/02/2021 - 21:57h

No Debian eu normalmente removo o systemd de outra forma, instalo o Debian normalmente e depois do primeiro boot eu instalo o pacote sysvinit-core, o apt magicamente configura ele como init padrão, depois disso é só reiniciar que o systemd sai de cena. No segundo boot você pode remover o systemd com o apt.

O que eu posso dizer do sysv é que usando ele ao invés do systemd lembra muito a forma que os BSDs trabalham, isso ao meu ver deixa o sistema bem mais casca grossa. Quando eu migrei para o FreeBSD eu senti falta de muitas regalias que o systemD me trazia kkkk


Eu também recorria a certas regalias do systemd no Mint, sei bem como é isso.

[13] Comentário enviado por CapitainKurn em 16/02/2021 - 19:51h


[12] Comentário enviado por mauricio123 em 14/02/2021 - 23:28h


[10] Comentário enviado por cizordj em 14/02/2021 - 21:57h

No Debian eu normalmente removo o systemd de outra forma, instalo o Debian normalmente e depois do primeiro boot eu instalo o pacote sysvinit-core, o apt magicamente configura ele como init padrão, depois disso é só reiniciar que o systemd sai de cena. No segundo boot você pode remover o systemd com o apt.

O que eu posso dizer do sysv é que usando ele ao invés do systemd lembra muito a forma que os BSDs trabalham, isso ao meu ver deixa o sistema bem mais casca grossa. Quando eu migrei para o FreeBSD eu senti falta de muitas regalias que o systemD me trazia kkkk


Eu também recorria a certas regalias do systemd no Mint, sei bem como é isso.


Faço dessa forma com Raspberry pois não tem instalador.

[14] Comentário enviado por goll72 em 18/02/2021 - 21:05h

É uma ideia interessante, mas o problema é que está se criando um ecossistema systemd no Debian... ou seja... fica cada vez mais dificíl de utilizar o Debian sem o systemd, pois você terá que lidar com programas que têm dependências no systemd, entre outos problemas. Por isso, para quem quer ter a experiência estável que o Debian oferece sem ter que usar o systemd, e sem se preocupar com esses tipos de problemas, a melhor opção é o Devuan (é uma distro baseada no Debian que te permite usar o SysVinit / runit / OpenRC como init)

[15] Comentário enviado por mauricio123 em 23/02/2021 - 20:57h


[14] Comentário enviado por goll72 em 18/02/2021 - 21:05h

É uma ideia interessante, mas o problema é que está se criando um ecossistema systemd no Debian... ou seja... fica cada vez mais dificíl de utilizar o Debian sem o systemd, pois você terá que lidar com programas que têm dependências no systemd, entre outos problemas. Por isso, para quem quer ter a experiência estável que o Debian oferece sem ter que usar o systemd, e sem se preocupar com esses tipos de problemas, a melhor opção é o Devuan (é uma distro baseada no Debian que te permite usar o SysVinit / runit / OpenRC como init)


Bacana.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts