CentOS - Pós-instalação básica

Este artigo tem o propósito de ajudar na configuração básica em desktops, após a instalação do Centos 6 pelo live DVD.

[ Hits: 27.726 ]

Por: Pedro Martelotta em 14/03/2013 | Blog: http://pedromartelotta.wordpress.com


Introdução



Esses dias peguei meu desktop para dar um "grau". O primeiro passo foi escolher a distribuição, levando em conta que estaria dispondo de alguns serviços em minha rede, como proxy, FTP e monitoração, além do fato de querer aprimorar meus conhecimentos em sistemas baseados em Red Hat, por isso, acabei escolhendo o CentOS.

Outra coisa bastante interessante, mas que não fiz, foi a configuração de LVM (Logical Volume Manager). Mas este é um tópico que será falado quando eu formatar meu note, em breve. (Muahahahaa :p)

Fui ao site do CentOSBR e baixei a imagem do live DVD x64. Instalei o sistema, porém, precisei fazer alguns ajustes, que incluiu instalar o Flash Plugin, o Java (serve para acesso ao Banco do Brasil), um repositório mais abrangente e plugins para execução de FLV e MP3.

Alterando o hostname

Logo de primeira, achei meio esquisito que ele não pegou o nome que setei na instalação, mas tudo bem, foi na "munheca". Alteração do hostname deve ser feita com o comando hostname e também deve ser setado no arquivo /etc/sysconfig/network, caso contrário, não terá efeito.

# hostname <nome do computador>
# vi /etc/sysconfig/network


Alterar:

HOSTNAME=<nome do computador>


Alterando o idioma padrão

Veja como está configurado seu sistema com o comando:

# echo $LANG

Exemplo de saída:
en_US.utf8


A variável LANG, guarda a informação de idioma e codificação padrão do sistema. Ela é usada por programas como base para configuração. Outras variáveis também são utilizadas por programas, podemos ver algumas com o comando locale.

Para checar informações dos locais existentes, mais especificamente, brasileira:

# locale -a | grep pt_BR

Exemplo de saída:
pt_BR
pt_BR.iso88591
pt_BR.utf8


O parâmetro "-a", exibe todas as informações de idioma disponíveis no sistema. Agora, perceba o formato que é apresentado, "pt_BR.utf8", onde:
  • "pt" :: Representa o idioma;
  • "BR" :: Representa o país,
  • "utf8" :: A codificação, que é a padrão do GNU/Linux.

A estrutura "pt_BR.utf8" é que irei utilizar:

# vi /etc/sysconfig/i18n

Alterar:

LANG="pt_BR.utf8"

Você (que nunca viu isso), deve ter pensado: o que "i18n" tem a ver com a linguagem do sistema? (rs)

O "i18n" é um termo utilizado em informática para caracterizar a internacionalização de software. Uma breve pesquisada no Google dará uma noção melhor do seu significado.

Instalando o Flash Plugin

Lembrando que este procedimento é para o funcionamento no Firefox.

Primeiro baixei o Flash no site da Adobe, escolhendo a opção ".tar.gz", depois fiz o seguinte:

# cp ~/Downloads/install_flash_player_11_linux.x86_64.tar.gz /opt/
# cd /opt
# tar xzvf install_flash_player_11_linux.x86_64.tar.gz


Depois disso, é só copiar o arquivo "libflashplayer.so" no diretório /usr/lib64/mozilla/plugins/. Perceba que, se o seu sistema for i386, o diretório deve ser "/usr/lib/mozilla/plugins/".

Comandos:

# cp libflashplayer.so /usr/lib64/mozilla/plugins/
# chmod 755 /usr/lib64/mozilla/plugins/libflashplayer.so


A cópia acima é o pulo do gato. Reinicie o Firefox e pronto, funcionando!

Futuramente, quando for necessário atualizar o Flash, é só fazer a mesma coisa, só que substituindo o "/usr/lib64/mozilla/plugins/libflashplayer.so" pelo novo.

Instalando o Java

Segue agora a instalação do Java para desktop.

Primeiro instalei o IcedTea-web (só disponível no CentOS 6). É esse o "cara" que inicia o Java quando acessamos uma página que necessite dele. Se você instalar somente o Java, não funcionará.

# yum install icedtea-web

Depois fiz o download do Java (site oficial), extensão RPM e instalei:

# rpm -ivh ~/Download/jre-7u15-linux-x64.rpm

Em seguida, fiz umas modificações:

# alternatives --install /usr/bin/java java /usr/java/latest/bin/java 5
# alternatives --config java


Este último comando retorna:

There are 5 programs which provide 'java'.
Selection    Command
----------------------------------------------- 1 /usr/lib/jvm/jre-1.4.2-gcj/bin/java 2 /usr/java/jre1.6.0_13/bin/java 3 /usr/java/jre1.6.0_18/bin/java *+ 4 /usr/lib/jvm/jre-1.6.0-openjdk.x86_64/bin/java 5 /usr/java/latest/bin/java Enter to keep the current selection[+], or type selection number: 5
Selecione a opção: /usr/java/latest/bin/java  (5, no caso).

Configure a biblioteca:

# cd /usr/lib64/mozilla/plugins/
# ln -fs /usr/java/latest/lib/amd64/libnpjp2.so


Reinicie o Firefox.

Adicionando o repositório RPMforge

Na instalação padrão do CentOS, somente os repositórios BASE, DEBUG, MEDIA e VAULT são instalados, porém, para usarmos a distribuição em desktop, torna-se necessário instalarmos outro(s) repositório(s).

No meu caso, dei uma breve pesquisada sobre quais eram as opções, dentre alguns sites, me deparei com este:
Escolhi oRPMforge, por questões de compatibilidade, segundo alguns posts na WEB.

Segue um guia para instalação do RPMforge.

Primeiro, baixe o pacote que irá instalar o RPMforge, de acordo com a arquitetura do seu sistema. Para saber, rode o comando:

# uname -i

Se o seu sistema for i686:

# wget http://packages.sw.be/rpmforge-release/rpmforge-release-0.5.2-2.el6.rf.i686.rpm

Se for x64:

# wget http://packages.sw.be/rpmforge-release/rpmforge-release-0.5.2-2.el6.rf.x86_64.rpm

Agora importe a chave GPG para o repositório:

# rpm --import http://apt.sw.be/RPM-GPG-KEY.dag.txt

Verifique se o pacote baixado está OK:

# rpm -K rpmforge-release-0.5.2-2.el6.rf.*.rpm

Instale o repositório:

# rpm -ivh rpmforge-release-0.5.2-2.el6.rf.*.rpm

Para ver se o repositório foi instalado com sucesso e está habilitado, rode o comando:

# yum repolist

Ele deve retornar algo, como:

Loaded plugins: fastestmirror, refresh-packagekit, security
Loading mirror speeds from cached hostfile

* base: mirror.globo.com
* extras: mirror.globo.com
* rpmforge: mirror.us.leaseweb.net
* updates: mirror.globo.com

  repo id    repo name                     status
  base       CentOS-6 - Base               6.346
  extras     CentOS-6 - Extras             17
  rpmforge   RHEL 6 - RPMforge.net - dag   4.458
  updates    CentOS-6 - Updates            1.233


Instalando pacotes multimídia

A instalação de alguns pacotes é necessária para podermos escutar músicas, ver vídeos... Então, o básico para ".flv" e ".mp3" é resolvido com a instalação dos seguintes plugins (ou clique sobre o arquivo e instale via interface gráfica):

# yum install gstreamer-plugins-bad gstreamer-ffmpeg gstreamer-plugins-ugly

Junto com estes pacotes, virão muitos outros, são as dependências. Essa é a ideia de instalar um RPM com o yum, usando o argumento "localinstall", "yum localinstall <pacote>".

Por mais que o pacote não esteja nos repositórios, mas necessite de algumas dependências, o yum busca por elas nos repositórios e realiza a instalação automaticamente.

Não foi meu caso preparar esta máquina para visualizar todo tipo de arquivo, porém, se for o seu, veja esses links:

Referências

Para instalação do Flash:
Para instalação do Java:
Para instalação do RPMforge:
Qualquer dúvida ou comentário, fique à vontade.

Esta dica também está disponível em:

   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor

Zabbix 2.2 no CentOS 6 via repositório EPEL - Instalação e configuração

Resumo LPI 102: Tópico 108 - Serviços Essenciais do Sistema

Resumo LPI 102: Tópico 107 - Tarefas Administrativas

Leitura recomendada

Instalação e configuração do Kickstart em modo gráfico

Configuração do ProFTPd

Ubuntu 64: Como criar um chroot para aplicações 32 bits

Instalando o Nagios Core no Suse Linux Enterprise Server

Mini-manual do Fluxbox no Zenwalk

  
Comentários
[1] Comentário enviado por xerxeslins em 14/03/2013 - 19:51h

Muito bom esse artigo.

Uma dúvida: o CentOS é realmente idêntico ao redhat?

Porque nunca usei, mas até fiquei curioso em testar! mas, mais por ser uma forma de testar redhat.. mas se centos for idêntico, então deve ser a mesma coisa.

Valeu!

[2] Comentário enviado por porongo51 em 15/03/2013 - 10:20h

xerxeslins, eu utlizo o CentOS nos meus servidores faz um bom tempo...

Ele usa a base do Red Hat, então é um "clone" dele... Recomendo...

[3] Comentário enviado por pmartelotta em 15/03/2013 - 10:29h


[1] Comentário enviado por xerxeslins em 14/03/2013 - 19:51h:

Muito bom esse artigo.

Uma dúvida: o CentOS é realmente idêntico ao redhat?

Porque nunca usei, mas até fiquei curioso em testar! mas, mais por ser uma forma de testar redhat.. mas se centos for idêntico, então deve ser a mesma coisa.

Valeu!


Opa Xerxes, beleza? :p

Cara, é idêntico. O código do Red Hat Enterprise Linux (RHEL) disponibilizado pela RedHat é o mesmo utilizado no CentOS. A comunidade compila esse código sem marcas (logo e nome) e disponibiliza na web, por consequência, quando se utiliza um CentOS 6.3, é como se estivesse usando o RHEL 6.3. Inclusive os repositórios são completamente compatíveis.

A diferença entre um e outro é política de uso, suporte especializado, atualizações e customização do SO (em alguns casos a RedHat compila o kernel para as especificações de hardware do equipamento do cliente, hehe :). Se tiver mais alguma coisa não sei, mas basicamente é isso.

Abraço!

[4] Comentário enviado por xerxeslins em 15/03/2013 - 13:48h


[3] Comentário enviado por pmartelotta em 15/03/2013 - 10:29h:


[1] Comentário enviado por xerxeslins em 14/03/2013 - 19:51h:

Muito bom esse artigo.

Uma dúvida: o CentOS é realmente idêntico ao redhat?

Porque nunca usei, mas até fiquei curioso em testar! mas, mais por ser uma forma de testar redhat.. mas se centos for idêntico, então deve ser a mesma coisa.

Valeu!

Opa Xerxes, beleza? :p

Cara, é idêntico. O código do Red Hat Enterprise Linux (RHEL) disponibilizado pela RedHat é o mesmo utilizado no CentOS. A comunidade compila esse código sem marcas (logo e nome) e disponibiliza na web, por consequência, quando se utiliza um CentOS 6.3, é como se estivesse usando o RHEL 6.3. Inclusive os repositórios são completamente compatíveis.

A diferença entre um e outro é política de uso, suporte especializado, atualizações e customização do SO (em alguns casos a RedHat compila o kernel para as especificações de hardware do equipamento do cliente, hehe :). Se tiver mais alguma coisa não sei, mas basicamente é isso.

Abraço!


Valeu!!

[5] Comentário enviado por rotaviano em 15/03/2013 - 14:29h

ola... estou precisando instalar o pacote sasl

e nao encontro repositorio para esse pacote....

yum install sasl


poderia me ajudar ? ? ?

obrigado

[6] Comentário enviado por pmartelotta em 15/03/2013 - 16:01h


[5] Comentário enviado por rotaviano em 15/03/2013 - 14:29h:

ola... estou precisando instalar o pacote sasl

e nao encontro repositorio para esse pacote....

yum install sasl


poderia me ajudar ? ? ?

obrigado


Opa rotaviano, não sei onde existe esse pacote. Mas o nome do pacote pode não ser exatamente esse (sasl).

Você também pode consultar na lista de pacotes da distribuição, pela web. Procure algo como: packages centos.

Nos links do artigo tem um texto que fala sobre os repositórios usados no centos. Talvez em algum deles você encontre. Se tiver dificuldade, busque no sourceforge.

Flws.


[7] Comentário enviado por pinduvoz em 15/03/2013 - 23:10h

CentOS, Scientific Linux e Springdale Linux (novo nome do PUIAS Linux), são clones perfeitos do RHEL (Red Hat Enterpise Linux) quanto ao sistema básico, mas costumam trazer pacotes extras ou ter configuração básica diferente entre si e mesmo em relação ao próprio RHEL.

Usar um deles e usar o RHEL será sempre "quase" a mesma coisa.

E ainda há um quarto clone: Oracle Linux.

[8] Comentário enviado por xerxeslins em 16/03/2013 - 18:26h


[7] Comentário enviado por pinduvoz em 15/03/2013 - 23:10h:

CentOS, Scientific Linux e Springdale Linux (novo nome do PUIAS Linux), são clones perfeitos do RHEL (Red Hat Enterpise Linux) quanto ao sistema básico, mas costumam trazer pacotes extras ou ter configuração básica diferente entre si e mesmo em relação ao próprio RHEL.

Usar um deles e usar o RHEL será sempre "quase" a mesma coisa.

E ainda há um quarto clone: Oracle Linux.


Valeu, pinduvoz! :)

[9] Comentário enviado por xerxeslins em 25/03/2013 - 16:14h

Estou ficando com vontade de instalar Oracle Linux. Seria melhor que o CentOS? Vi esse link: http://linux.oracle.com/switch/centos/

[10] Comentário enviado por pmartelotta em 25/03/2013 - 17:01h


[9] Comentário enviado por xerxeslins em 25/03/2013 - 16:14h:

Estou ficando com vontade de instalar Oracle Linux. Seria melhor que o CentOS? Vi esse link: http://linux.oracle.com/switch/centos/


E aí Xerxes, beleza?

Cara, eu nunca usei a Oracle Linux e também não conheço quem use. O texto do link é chamativo, mas é aquilo: ver para crer. Qual o seu intuito? Pegar intimidade com sistemas baseados em RedHat? Subir algum servidor para produção? Precisará de rapidez no suporte? O CentOS é mantido pela comunidade, o Oracle Linux tem uma empresa por trás...

Eu utilizo CentOS somente para praticar. Já o conhecia, pois trabalhei numa empresa que usava CentOS em cerca de 20% de seus servidores linux, o resto era RHEL. Ou seja, se utilizassem o Oracle Linux lá, eu estaria utilizando ele :p

Resumindo, se for para praticar, tanto faz um ou outro, se for para alguma empresa, pegaria mais informações sobre o Oracle Linux, antes de instalar um dos dois.

Flws.


[11] Comentário enviado por xerxeslins em 25/03/2013 - 17:11h


[10] Comentário enviado por pmartelotta em 25/03/2013 - 17:01h:


[9] Comentário enviado por xerxeslins em 25/03/2013 - 16:14h:

Estou ficando com vontade de instalar Oracle Linux. Seria melhor que o CentOS? Vi esse link: http://linux.oracle.com/switch/centos/

E aí Xerxes, beleza?

Cara, eu nunca usei a Oracle Linux e também não conheço quem use. O texto do link é chamativo, mas é aquilo: ver para crer. Qual o seu intuito? Pegar intimidade com sistemas baseados em RedHat? Subir algum servidor para produção? Precisará de rapidez no suporte? O CentOS é mantido pela comunidade, o Oracle Linux tem uma empresa por trás...

Eu utilizo CentOS somente para praticar. Já o conhecia, pois trabalhei numa empresa que usava CentOS em cerca de 20% de seus servidores linux, o resto era RHEL. Ou seja, se utilizassem o Oracle Linux lá, eu estaria utilizando ele :p

Resumindo, se for para praticar, tanto faz um ou outro, se for para alguma empresa, pegaria mais informações sobre o Oracle Linux, antes de instalar um dos dois.

Flws.



Olá! Beleza =)

Meu objetivo seria usar para praticar e também por curiosidade em ter um sistema com ênfase em segurança/estabilidade de porte empresarial. Só para sentir como é.

O bom do Oracle é que, pelo menos é o que eles dizem, tem correções e atualizações mais velozes que CentOS em relação ao RHEL.

Vou ver isso aí!

aBRAÇO!

[12] Comentário enviado por clodoaldops em 09/09/2016 - 01:09h

RPMForge/RepoForge is a dead project. It is not maintained. DO NOT USE.
https://wiki.centos.org/AdditionalResources/Repositories/RPMForge

Vc tinha visto este aviso?

[13] Comentário enviado por pmartelotta em 25/09/2016 - 21:09h


[12] Comentário enviado por clodoaldops em 09/09/2016 - 01:09h

RPMForge/RepoForge is a dead project. It is not maintained. DO NOT USE.
https://wiki.centos.org/AdditionalResources/Repositories/RPMForge

Vc tinha visto este aviso?



Oi,

Na época do post (03/2013) o repositório estava ativo.

Abç.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts