Aprimoramento de Desempenho da Instalação Debian

O texto aborda questões relativas ao planejamento prévio da instalação, especificamente, no tocante à compatibilidade da distribuição em face ao hardware em que irá operar. Posteriormente, focando no sistema Debian, comenta sobre a instalação do cpufrequtils e a configuração dos estados da CPU, bem como aborda a questão das placas Intel integradas que, frequentemente, apresentam lentidão nesta distribuição. Por último, aborda a questão da criação dos pontos de restauração, essenciais em qualquer modificação de parâmetros do sistema.

[ Hits: 4.404 ]

Por: Luke Holm em 30/05/2017


Instalação e configuração



No caso da CPU, caso o usuário perceba problemas de performance, vale a pena instalar o pacote cpufrequtils, presente no repositório da própria distribuição.

sudo apt-get update
sudo apt-get install cpufrequtils

Uma vez instalado, o usuário passa a ter acesso a comandos para definição do modo de operação da CPU, bem como verificação de seu estado. Para verificar o estado atual, basta utilizar o comando:

cpufreq-info

Os pontos importantes a verificar, aqui são:
  • hardware limits
  • available cpufreq governors
  • The governor ondemand decide which speed to use

O termo hardware limits, refere-se aos limites de frequência de operação da CPU. A partir desses extremos, é possível saber como a CPU está operando no momento.

O termo available CPU governors refere-se aos estados de operação possíveis. Esses são os estados que podem ser selecionados. Na frase seguinte, é possível saber qual estado está atualmente em vigor.

Bem, agora que sabemos o estado atual, é possível mudar o estado em caso de necessidade. Para tanto, basta criar caso não exista, ou editar o seguinte arquivo:

# vim /etc/default/cpufrequtils

No interior do arquivo, adicionar a seguinte linha:

GOVERNOR="conservative"

No caso acima, foi definido o estado "conservative", mas o usuário pode definir outro estado dentre os disponíveis e listados no comando cpufreq-info.

Fonte: HowTo/CpuFrequencyScaling - Debian Wiki

Questões relativas ao vídeo

Caso o usuário enfrente lentidão no vídeo, provavelmente, isto está ligado ao estabelecimento do correto driver de vídeo e/ou configurações. Placas da NVidia e AMD, possuem drivers que podem ser pesquisados na internet e instalados. Inúmeros equipamentos, como notebooks, utilizam placas de vídeo integradas da Intel, Tail como a Broadwell e focaremos esta neste artigo, pela sua elevada incidência.

Para que o usuário possa verificar, pode utilizar o seguinte comando:

lspci | grep VGA

O resultado que confirma essa placa, seria tal como na linha abaixo:

00:02.0 VGA compatible controller: Intel Corporation Broadwell-U Integrated Graphics (rev 09)
O driver para essa placa de vídeo já pode estar instalada pelo gerenciador de pacotes. Até a pouco tempo era experimental e já se encontra disponível no repositório geral a partir da versão 8 do Debian (Jessie). Normalmente, encontra-se instalado e pode ser verificado por meio do comando:

# apt list

Caso não esteja instalado, basta executar o seguinte comando:

sudo apt-get update
sudo apt-get install xserver-xorg-video-intel

Caso somente a instalação não resolva, pode ser feita uma mudança na configuração. Por default, o driver utiliza o padrão SNA, mas inúmeros usuários registraram melhoria mudando para UXA, referente ao método de aceleração por hardware. Para tanto, basta criar ou modificar o seguinte arquivo:

# vim /etc/X11/xorg.conf.d/20-intel.conf

Section "Device"
   Identifier "Intel Graphics"
   Driver "intel"
   Option "AccelMethod" "uxa"
EndSection

Procedimentos de segurança

Tendo em vista que o artigo lida com alterações no sistema, vamos acrescentar um tópico essencial que deve ser realizado antes de qualquer alteração.

Usuários avançados podem desfazer as alterações por meio do subcomando purge do APT ou no DPKG diretamente, todavia, tendo em vista inúmeras bibliotecas que podem ou não serem afetadas, usuários menos experientes podem optar por um esquema de restauração.

Esse esquema faz parte de uma estratégia de backup. Qualquer estratégia de backup deve incluir as opções de Disaster Recovery (Recuperação de desastres), backup de dados de usuário, aplicações e banco de dados e snapshots (para restauração de estado). Existem várias soluções, mas neste artigo proporemos o software Systemback que cobre a parte de Disaster Recovery por meio da criação de live-USB do sistema, bem como dos snapshots por meio dos pontos de restauração.

No presente artigo, focaremos nossa atenção nos snapshots. Antes de qualquer alteração, sugere-se abrir o SystemBack e clicar no botão "Create New", de forma a criar um novo ponto de restauração do sistema. Feito isso, o usuário pode renomear para facilitar a compreensão e, por exemplo, colocar algo como antes_do_cpufrequtils. Dessa forma, caso a alteração cause algum efeito indesejado, basta entrar no SystemBack e restaurar esse estado. O sistema voltará sem as alterações recém efetuadas.

Recomenda-se ainda que, em caso de alterações críticas no sistema, seja feito pelo menos um live-USB antes da alteração, para o caso de uma falha crítica. Caso isso ocorra, basta que o usuário instale novamente a partir do live-USB e o sistema será recolocado no ponto em que foi criada a imagem, voltando o sistema ao estado anterior à falha crítica.

Conclusão

Bem, esse artigo passa algumas dicas de preparação da instalação e alguma customização de CPU e vídeo. Sintam-se à vontade para criticar ou sugerir mais pontos, a ideia é podermos fazer um tunning do sistema para que fique o mais performático possível. Peço desculpas por alguma imprecisão, não tenho profundo conhecimento do sistema e é meu primeiro artigo, peço paciência e compreensão de todos, a ideia é aprendermos juntos.

Abraços.

Fontes para consulta

Abaixo, seguem as fontes que orientaram a criação deste pequeno artigo e podem ser consultadas diretamente:
Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Instalação e configuração
Outros artigos deste autor

Como instalar o Brackets nas versões mais recentes do Linux

Aprimoramento de Desempenho da Instalação Debian (parte 2)

Leitura recomendada

Squirrelmail em português sem gambiarra

Entendendo o boot-update

Instalação do modem Netodragon no Conectiva 10

DNS rápido no RH9

Debian Squeeze para Desktops

  
Comentários
[1] Comentário enviado por lukeholm em 30/05/2017 - 14:21h


Em alguns casos, o procedimento acima para a configuração da placa de vídeo pode não habilitar a aceleração gráfica por hardware. Vou fazer um outro artigo complementando essa parte com duas formas de resolver o problema e permitir a instalação dos drivers Intel mais novos e com isso a aceleração por hardware.

[2] Comentário enviado por Donizetti em 03/06/2017 - 08:54h

Parabéns pelo artigo.

[3] Comentário enviado por lukeholm em 04/06/2017 - 16:57h

Obrigado Donizetti. Em relação à placa de video, a complementação do artigo (parte 2) trás o detalhamento de duas formas de resolver o problema até a chegada definitiva do Debian 9 Stretch, assim que for publicado pelo staff deve facilitar muito o processo para os que utilizam o Debian.

Abraços

[4] Comentário enviado por Donizetti em 04/06/2017 - 21:57h

Deixa eu te fazer uma pergunta: Qual a vantagem do Debian em relação ao Ubuntu?

[5] Comentário enviado por lukeholm em 04/06/2017 - 23:41h

Olha, não sou um profundo conhecedor das distribuições, comecei a usar o Debian a pouco tempo. Mas pelo que já percebi, a distribuição Debian foca na estabilidade. Tanto que o lema deles é "It will be ready when it is ready" ou algo como Estará pronto quando estiver pronto. Eles se referem ao lançamento de uma nova versão e só o fazem quando se convencem de que está "perfeita". Até lá ela fica categorizada como "testing" e fica por conta e risco do usuário baixar e usar. O Debian é por alguns considerado como o "pai de todos" uma vez que várias outras distribuições ai inclusa a Ubuntu, partem do núcleo do Debian em sua origem. Portanto, é uma distribuição menos atual digamos assim, mas mais estável e robusta.

O Ubuntu pelo que sei é hoje uma das mais populares, senão a mais popular distriibuição do Linux. Baseada em Debian, suas atualizações são mais frequentes, salvo engano ocorrem em menos de um ano e esse seria seu grande diferencial, atualizaçao, diversidade e suporte, já que boa parte dos instaladores endereçam o Ubuntu como default.

Eu particularmente não gostei do Ubuntu, não me adaptei. Gostei do Debian e achei o Mint, que também é baseado no Debian muito bonito e interessante.

Não sei se consegui responder a contento sua questão,

Abraços

[6] Comentário enviado por Donizetti em 05/06/2017 - 07:08h

Respondeu à contento sim.E, parabéns pela escrita.Você escreve muito bem.Isso é raro. Como você disse, um dos diferenciais do Ubuntu, de fato são as atualizações mais frequentes. Não sei se você sabe, mas, a Canonical mantém uma LTS, também. Abraço.

[7] Comentário enviado por lukeholm em 05/06/2017 - 10:20h

Obrigado pelo elogio!

Quanto a LTS mantido pela Canonical, não sabia. Entrei agora pra dar uma olhada, interessante!

Abraços

[8] Comentário enviado por joanesduarte em 09/06/2017 - 15:06h

Bom artigo.

Costumo alterar o tamanho da memória virtual durante o particionamento do HD conforme a necessidade, depois da instalação adiciono os non-free no sourcelist, alguns drivers, especialmente wireless estão nestes repositórios.

[9] Comentário enviado por lukeholm em 09/06/2017 - 15:10h


Obrigado Joanes

Pois é, muita gente acaba sem os recursos de video ou com o sistema lento por apenas instalarem o Linux seguindo os procedimentos padrão. Vi muita gente alegando que não conseguia ligar o segundo monitor na HDMI ou que ficava com tela preta, muitos reclamando de não conseguir jogar seus games ou rodar emuladores e maquinas virtuais, dai resolvi escrever esse arquivo passando um pouco da experiência que tive na configuração correta do Debian 8

Fico feliz em saber que o artigo é útil e pode ajudar para que as pessoas possam ter o sistema rodando na capacidade plena.

Abraços

[10] Comentário enviado por xerxeslins em 14/06/2017 - 12:10h

Artigo interessante. Favoritado.


Contribuir com comentário