Script para Conexão Automática com Internet a Rádio

Este pequeno, porém útil script automatiza a conexão do usuário com o seu serviço de Internet via rádio. Ele faz uso do Wget e traz bastante conforto ao usuário, que não precisa se autenticar ao inicializar a máquina. Para quem utiliza serviços de compartilhamento, como P2P, por exemplo, e deseja começar a baixar e a disponibilizar conteúdo ao ligar a sua máquina, é algo primordial. Os provedores de sinal a rádio, via de regra, utilizam Sistemas de Autenticação de Usuários, não sendo comum amarrar o usuário ao MAC da placa de rede, como acontece comumente com o provedor de sinal a cabo. Isto traz uma série de pequenos aborrecimentos, pois o usuário que coloca a sua máquina em modo de autenticação automática já o faz por não querer enfrentar no dia-a-dia o tédio de ficar se autenticando. Se você é um usuário que faz uso extensivo de P2P, como eu, por exemplo, ao se esquecer de autenticar você perderá precioso tempo na baixa ou na disponibilização de conteúdo, já que o tráfego só será possível quando houver a autenticação junto ao provedor do sinal. Por isso que desenvolvi este pequeno script: ele evita este contratempo e permite que se utilize a máquina assim que esta é ligada, para quem a deixa com "Auto Logon", como eu. Fica aqui, porém um alerta: ao deixar a máquina com "Logon Automático", evite utilizar o root para isto. Eu utilizo a máquina com um usuário sem qualquer privilégio, nem mesmo SUDO habilitado. Coloque o script no AutoStart do seu ambiente gráfico, para maior conforto. No caso do KDE, basta copiá-lo para "~/.kde/Autostart". O script é bem espartano. Ele começa definindo variáveis para uso privado; depois ele invoca o WGet com alguns parâmetros, os quais discorrerei brevemente: -T: tempo entre as tentativas de conexão do Wget; -t: número de tentativas. Aqui é redundante (propositalmente), já que o script executa o Wget em laço (while, com um teste absurdo, inatingível (= "1234")); --post-data 'user=Muser&password=Mpassw': este método é o que faz o Wget autenticar no provedor. Equivale a um GET com parâmetros (strings) em um server CGI ou similar; observe que são passados os dados do usuário, como se se estivesse abrindo a página do provedor e nele se autenticando; --delete-after: deleta qualquer conteúdo baixado do servidor. Apenas para evitar acúmulo, já que os objetos (via de regra, páginas) são pequenos; --no-check-certificate: evita a checagem de Certificados no provedor. Garante um complicador a menos, já que alguns servers vão negar a conexão, se houver algum problema nos Certificados deste; e Por fim, se você tiver problema para autenticar, já que alguns sítios checam a identidade do solicitante e negam solenemente conexão a qualquer "browser" que não seja Mozilla ou "IE...", tente usar o parâmetro --user-agent ou, parâmetro curto, -U com a variável $Magent. Nos meus testes o sistema conectou sem o parâmetro -U (ou --user-agent), mas fica o aviso: pode ser necessário. Deixei-o no código por isso mesmo. Bom proveito e boa navegação. E não deixe de ver o Man do Wget, caso reste alguma dúvida. :-)) Morvan, Usuário Linux #433640.

Por: morvan bliasby


Testa DNS da sua conexão e reporta perda(s) de pacotes

Criei este pequeno script em bash para testar os DNS da minha conexão, a qual apresenta muitas oscilações, como usualmente ocorre, imagino. Como ele está, bem básico, ele nos reporta os DNS passados e suas respectivas perdas, caso existam, em ordem decrescente. Pode-se incrementá-lo de dois modos: é possível criar uma rotina que o faça, como "root", alterar o "resolv.conf" a partir das estatísticas trazidas por este script, bem como fazer a passagem dos DNS como parâmetros na linha de comando. Ele, como se pode ver, passa os valores dos DNS através de um laço. Abaixo, vê-se o seu diminuto código. Bom proveito. Morvan, Usuário Linux #433640.

Por: morvan bliasby


Simples inventário de máquinas em Shell Script

Este script serve a um propósito muito específico: fazer o inventário do parque informático sem recorrer a soluções dispendiosas, quer no plano financeiro, quer na facilidade com a qual se o implementa. O fato de ter sido gerado em Shell garante a independência da plataforma do S. O., ao mesmo tempo permitindo se fazer o levantamento sem este mesmo S. O. À guisa de exemplo, malgrado simples, ele colhe informações sensíveis, como o número de série dos Hard Disks.

Por: morvan bliasby






Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts