E se meu computador falasse?

1. E se meu computador falasse?

Samuel Leonardo
SamL

(usa XUbuntu)

Enviado em 19/07/2017 - 21:32h

Uma vez tive um delírio (sério mesmo) onde eu me via no meu computador e lá eu fazia um programa onde ele conversava comigo, não vi o nome do programa e nem lembro que frase ele disse pra mim via terminal, mas era tão real a possibilidade de fazer isso que quando melhorei eu tinha todo o esquema do código fonte do programa, só que com o passar dos dias foi sumindo da minha memória e fui abandonando a ideia.

Estava aqui pensando sobre grafos e revendo uma ideia que tive e me veio o estalo: pô, sabe que percorrer um grafo nada mais é que escrever uma frase? Calma ai, antes de explicar veja o seguinte: supondo que você tenha 45K de palavras, temos então 45K de nós diferentes em um grafo. Por que falo grafo? Porque essas palavras quando agrupadas como frase formam ligações lógicas/semânticas (frases) parecidos com percorrer caminhos num grafo (não exatamente completo). Exemplo: frase="eu estou aqui." com nossas 45K de palavras pode ser visto no seguinte:
eu é o nó 45
" " espaço é o nó 22
"estou" é o nó 65
" " espaço é o nó 22
"aqui" é o nó 75
"." ponto é o nó 90

Cada número é um índice de nó no grafo de 45K palavras/nós diferentes.
Agora veja, como temos 45K de palavras diferentes e cada uma sendo um nó que começa em 1 e vai até 45K, então se eu pego uma frase que contenha todas as palavras e pontuação dentro das 45K palavras, veremos que percorrer o grafo gera uma frase válida, por exemplo: "estando aqui não poderia estar lá" poderia ser o caminho: 32-56-45-56-48-56-79-56-118-56-450

O que consegui tirar disso é que é possível criar um corretor ortográfico lógico simples. Exemplo: supondo que digite no LibreOffice a frase: "Ela anda de boneca", a frase não faz sentido nenhum e passa pelo corretor ortográfico, mas supondo que temos um grafo que contém a frase correta, então com ele poderíamos apontar que aquela frase merece atenção ou revisão se não for proposital.

O difícil mesmo seria arrumar um grafo com frases corretas.



  


2. Re: E se meu computador falasse?

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 19/07/2017 - 21:52h

Por enquanto eu conheço superficialmente três tipos de verificação: léxica, sintática e semântica.

Dizer se dá para andar ou não de boneca, é algo mais para Lisp ou Prolog. Precisaria dar uma "consultada".


3. Re: E se meu computador falasse?

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 19/07/2017 - 22:06h

Se meu Notebook falasse ele diria:
Pare de testar novos lançamentos na sda2. E fica quieto com LMDE na sda1. Num aguento mais....
Rsrsrsrs


4. Re: E se meu computador falasse?

Giovanni  M
Giovanni_Menezes

(usa Void Linux)

Enviado em 19/07/2017 - 22:18h

Não to entendendo nada.




--------------------------------------------------------------------------
Somente o Software Livre lhe garante as 4 liberdades.
Open Source =/= Free Software.
https://goo.gl/mRzpg3
http://www.anahuac.eu/contrarrevolucao-osi/


5. Re: E se meu computador falasse?

singleMan
singleMan

(usa Debian)

Enviado em 19/07/2017 - 22:24h

Sua ideia é válida, mas imagine o tamanho do banco de dados para guardar todos os grafos e todos os caminhos possíveis, imagino que o mais ideal para tais coisas seriam as linguagens de programação voltadas para IA, como as que o listeiro citou e também tem Haskell.