LIBERTAS GNU/LINUX PBH - MG - Conta pública

Gnome LIBERTAS GNU/LINUX PBH - MG -  Conta pública

Captura de tela. Libertas GNU/Linux 6.1 - Gnome 2.30.2 - Compilação: 12-11-2010 - Escola Municipal - Prefeitura de Belo Horizonte - Conta pública, para alunos e demais usuários.

[ 207 hits ]

Publicado em: 12/06/2018

Enviado por Anonimo Oculto Culto




  

Comentários
[1] Comentário enviado por anonimoculto em 12/06/2018 - 17:55h

Nos computadores dos laboratórios de informática das escolas municipais da Prefeitura de Belo Horizonte faz-se necessário, após configuração de um ambiente de trabalho legal, a remoção de permissão de escrita do diretório .gconf da conta local, a conta pública. Tal procedimento evita que o ambiente de trabalho se torne um verdadeiro terreno sem lei onde nada se acha e de tudo se encontra; visto ser a conta a utilizada não só por qualquer profissional, mas também pelos alunos, incluindo-se os da séries iniciais.

Dica aos monitores de laboratório: configure um ambiente legal para a conta local em uma máquina do laboratório, como o mostrado. Em seguida, sem encontrar-se mais logado no ambiente gráfico (encerre a sessão e use o terminal, CTRL-ALT-F1), compacte o diretório .gconf e, via rede, transfira o arquivo compactado às outras máquinas. Nas outras máquinas, mova .gconf lá presente para outro diretório, digamos .gconf-antigo, e descompacte o .gconf importado. O ambiente na máquina de destino estará automaticamente configurado ao abrir-se a sessão gráfica da conta local. Após iniciar e encerrar a sessão gráfica para fins de conferência, ajuste de algum pormenor e efetivação das novas configurações, retorne ao terminal e remova a permissão de escrita de .gconf.

Pronto, os alunos não conseguirão mais destruir o ambiente de trabalho da conta local.

Sugere-se também a moção de todos os arquivos no diretório Desktop (ou Área de Trabalho) para a pasta Documentos, e posterior remoção das permissões de escrita também desse diretório. Se o papel de parede for escolhido na configuração inicial antes citada como uma figura colocada previamente dentro do diretório .gconf, este também não poderá ser mudado, e será herdado pelas outras máquinas configuradas conforme descrito. O papel pode ser usado para a transmissão de informações relevantes, como a mostrada.

Espero ter ajudado.

[2] Comentário enviado por Tio_do_Toldo em 12/06/2018 - 20:01h

Não seria mais pagode ter criado um script que fizesse essas customizações aí? Criar uma remasterização só por isso...

[3] Comentário enviado por anonimoculto em 13/06/2018 - 09:19h

Oi Tio_do_Toldo. A questão é que os monitores de laboratório usualmente não são versados em Linux; são mais acompanhantes de alunos. Fui eu quem teve de dar um jeito lá. E nós profissionais da escola não temos a senha de superusuário. Apenas acesso à nossa conta privada e à conta local, ambas com privilégios bem limitados. Assim, tive de resolver de dentro da conta local mesmo, com os privilégios dela apenas.

E sim, o que fiz foi um script para automatizar o processo acima. Baixava-o via scp da minha máquina para o destino, e executava-o. Ele fazia todo o processo descrito automaticamente, incluindo o da pasta Desktop. Pensei em fazer inclusive uma varredura da rede pelas máquinas, e automatizar o processo direto da minha máquina, mas era complicar sem necessidade.

Pensei também em manter a liberdade do aluno para "bagunçar", e fazer um script para restaurar a sessão a cada login, mas preferi o método acima.

É isso.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts