Vínculos simbólicos - Mantendo suas configurações salvas em nuvem

Publicado por Luís Fernando C. Cavalheiro em 26/06/2013

[ Hits: 3.496 ]

Blog: https://github.com/lcavalheiro/

 


Vínculos simbólicos - Mantendo suas configurações salvas em nuvem



Dinossauros e clicadores, aqui começa mais uma dica do Dino com informações fresquinhas para facilitar sua vida e aprimorar sua experiência GNU/Linux.

Hoje, vamos abordar um problema que afeta os camaradas que usam mais de um computador e querem manter suas configurações referentes à interface gráfica ou programas de linha de comando sincronizadas em todos eles.

Para isso, precisaremos de algum serviço de armazenamento em nuvem, como o Dropbox ou o Ubuntu One.

Vamos começar?

Configurando

Configurando o serviço de armazenamento em nuvem

Essa parte é importante, mas será deixada ao seu encargo.

Basicamente, crie uma conta em um desses serviços e instale o cliente em todos os computadores que precisarão ser mantidos sincronizados. No diretório que o serviço usará para manter os dados sincronizados em seu computador, crie um diretório no qual serão mantidos os dados sincronizados.

Como exemplo e supondo que você vai usar o Dropbox, crie um diretório qualquer em "~/Dropbox". Como o grosso dessa dica se valerá pelo terminal, podemos começar por este momento e rodar o comando:

mkdir ~/Dropbox/configs

Para criar o diretório. Eu usei "~/Dropbox/configs", mas você pode chamar seu diretório base de qualquer coisa.

Movendo arquivos

Movendo os arquivos de configuração que serão sincronizados

Decida quais configurações você pretende manter sincronizadas entre os diversos computadores. Geralmente, as configurações referentes à interface gráfica ficam em "~/.config", mas há exceções (o Window Maker, por exemplo, deixa tudo em ~/GNUStep), então, consulte a documentação referente ao seu caso.

Normalmente, os programas de linha de comando que usam um arquivo de configuração salvarão esses dados em "~/$PROGrc", onde $PROG é o nome do programa. Por exemplo, as configurações do Vim ficam em "~/.vimrc".

Mova todos esses arquivos para o diretório que criamos no passo anterior. Por exemplo, para manter as configurações do Vim sincronizadas, faríamos assim:

mv ~/.vimrc ~/Dropbox/configs/vimrc

Você pode manter os arquivos ocultos nesse diretório destino, fica a seu critério.

* Mova (veja bem, MOVA, não COPIE) todos os arquivos de configuração que você pretenda manter sincronizados. É necessário mover os arquivos, e não copiar, do contrário no próximo passo vai dar 'chabu'.

Vínculos simbólicos

Criando os vínculos simbólicos necessários

Agora vem o pulo do gato: os vínculos simbólicos.

Em GNU/Linux, um vínculo simbólico é um arquivo cuja única função é dizer para o sistema "se você quer ler este arquivo, leia este outro arquivo no lugar, eles são iguais, são a mesma coisa".

Pense em vínculos simbólicos como apelidos: José Antônio pode ser chamado de Zé Tuinho e continuará a ser a mesma pessoa. Se mandarem um fulano procurar o Zé Tuinho, ele vai encontrar o José Antônio, não é?

Assim é com os vínculos simbólicos: se um programa chamar o vínculo simbólico, ele vai ser redirecionado para o arquivo para o qual o vínculo simbólico aponta.

Mas vocês me perguntam: como usar isso ao meu favor? Elementar, jovem padawan. Os arquivos "físicos" estão no diretório de nuvem, certo? Então, vamos criar vínculos simbólicos entre eles e onde eles deveriam estar.

Mantendo o exemplo, rode o comando:

ln -s ~/Dropbox/configs/vimrc ~/.vimrc

Isso vai criar um vínculo simbólico "~/.vimrc" que aponta para "~/Dropbox/configs/vimrc".

Qualquer coisa que chame o arquivo "~/.vimrc" será apontada para "~/Dropbox/configs/vimrc", e para todos os efeitos, os dois arquivos são exatamente a mesma coisa no seu sistema.

Se você não moveu, mas copiou, os arquivos antes, você vai ser premiado com uma mensagem do tipo:
"Impossível criar vínculo simbólico: arquivo existe"
...quando rodar o comando acima. Apague os arquivos que você deveria ter movido, mas copiou, e tente de novo, e você vai ver que vai.

Conclusão

Com esses três simples passos, você manterá seus arquivos de configuração de interface gráfica, ou programas de linha de comando, automaticamente sincronizados entre os diversos computadores que você usa valendo-se de um serviço de armazenamento de dados em nuvem.

Experimente!

Com essa eu me despeço deixando para vocês uma feliz Primavera Brasileira, um GET SLACK OR DIE de brinde e as bênçãos de RMS, tio Pat e o grande "Bob" Dobbs!

Outras dicas deste autor

Manipulando arquivos PDF pela linha de comando

Slackpkg: escolha qual programa usar para fazer o download de dados

Plugin Pipelight no Fedora 20

Exibindo imagem de usuário no Whisker Menu

Fontes TrueType da MS e Telegram Desktop no OpenSUSE

Leitura recomendada

"Loading Linux..." muito demorado? (LILO)

Resolvendo problema com CDROM e DVD trocados

Instalando o XFCE mínimo

Limpar tela com comando exit

Wireless - Ubuntu 11.04 no LG-A419 ( RT3090 )

  

Comentários

[2] Comentário enviado por lcavalheiro em 26/06/2013 - 11:08h

Nossa, passou batido por todo mundo... Com a vantagem adicional de agora ter a informação que eu procurava: como fazer a mesma coisa no Windows. Cara, valeu mesmo essa informação.

[3] Comentário enviado por izaias em 26/06/2013 - 11:50h

'Conteúdo duplicado' não! Tema repetido, sim!

De toda forma, fica difícil fazer uma busca procurando pelos termos corretos até achar essas dicas.
Quanto mais informação, melhor.


Ambas, ótimas dicas!



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts