RAID - Redundant Array of Independent Disks

Publicado por Sandro Roberto Ferrari em 29/08/2007

[ Hits: 6.803 ]

 


RAID - Redundant Array of Independent Disks



RAID significa Redundant Array of Independent Disks. Em bom português, significa Matriz Redundante de Discos Independentes. O conceito é bem simples: fazer com que vários discos rígidos trabalhem como se fossem um só.

Existem vários tipos de RAID: RAID-0, RAID-1, RAID-5. RAID não é Backup.

RAID via software é uma configuração de módulos do kernel, juntamente com utilitários de administração que implementam RAID puramente por software, e não requer um hardware especializado.

RAID por software, por ter sua natureza no software, tende a ser muito mais flexível que uma solução por hardware. O lado negativo é que ele em geral requer mais ciclos e capacidade de CPU para funcionar bem, quando comparado a um sistema de hardware.

RAID por hardware é sempre uma controladora de disco, isto é, um dispositivo que pode através de um cabo conectar os discos. Geralmente ele vem na forma de uma placa adaptadora que pode ser "plugada" em um slot ISA/EISA/PCI/S-Bus/MicroChannel. Entretanto, algumas controladoras RAID vêm na forma de uma caixa que é conectada através de um cabo entre o sistema controlador de disco e os dispositivos de disco.

RAID 0

Dois ou mais discos rígidos são agrupados. Os dados são gravados distribuindo-se a carga entre os discos que fazem parte da matriz (geralmente em blocos de 32kb ou 64Kb de dados). Este método não é muito seguro, já que se um participante da matriz falhar, todos os dados serão perdidos. No entanto, é o mais rápido, pois a leitura e gravação são distribuídas.

RAID 1

Também chamado de espelhamento: um dos discos serve de espelho para o outro. Tudo que é gravado em um dos discos é gravado no outro. Isso faz com que a performance de gravação seja um pouco prejudicada, no entanto, a leitura dos dados é acelerada, já que temos dois discos lendo o mesmo arquivo. É uma forma bem segura, mas também a mais cara, sendo que apenas 50% do espaço disponível é aproveitado.

RAID 0+1 ou RAID 10

O primeiro espelha drives divididos, criando um backup espelhado de dados que foi colocado em vários drives diferentes para aprimorar a confiabilidade. O segundo divide drives espelhados, ou seja, move backups espelhados para vários drives com o objetivo de aprimorar a performance. Ambas as configurações exigem pelo menos quatro discos rígidos. O RAID 0+1 armazena dados em um par de drives divididos e espelha-os com um segundo par de drives, enquanto o RAID 1+0 coloca os pares espelhados juntos e depois divide os dois conjuntos.

RAID 5

Melhor relação custo x performance x segurança. Para esse tipo de RAID, há necessidade de no mínimo 3 discos. As informações de paridade são gravadas em cada disco de tal forma que se um dos integrantes da matriz falhar, as informações nele contidas podem ser reconstruídas. Sua performance de gravação é menor do que a do RAID 0 e maior que a do RAID 1. A performance de leitura é a melhor entre as aqui citadas, já que as informações estão distribuídas entre três ou mais discos.

Sandro Roberto Ferrari
sandro@habil.eti.br

Outras dicas deste autor

Instalação do Interbase 6 no Redhat

Analisado logs do Samba

Sinais de processos

Impressão com CUPS via console

Manipulação de grupos

Leitura recomendada

Squid com autenticação

Automatizando monitor dual-head no Linux

Instalando Jboss no Debian Lenny

Wireless V6210BR Slackware 12 (BCM43XX)

Canal de vídeos do Tchelinux volta a ativa

  

Comentários
[1] Comentário enviado por RCoimbra em 31/08/2007 - 09:14h

Muito obrigado :D!!!! só assim pra fazer com que um amigo deixe de pensar que RAID É BACKUP!!



Contribuir com comentário