TinyCore Linux - Introdução e Instalação

Vamos falar um pouco sobre o TinyCore Linux, distro que ocupa 16MB de disco com sua instalação e tem um sistema de ponto de restauração muito peculiar.

[ Hits: 706 ]

Por: Luciano Júnior em 14/09/2020


Introdução



Vamos falar sobre o TinyCore

A quem utilizava o Coyote Linux como firewall e sente saudades. Fazendo a discagem PPPoE da famigerada Velox (não OiVelox, a Velox raiz de 500Kbps) e afins, trago boas novas.

Depois de uma longa peregrinação me deparei com o Tiny Core Linux. A mais ou menos 5 anos, experimentei o Tiny Core pela primeira vez, na sua versão 5. Atualmente, na versão 11, o sistema operacional funciona com 64MB[1] de memória RAM e 11MB de espaço em disco. Podendo ser instalado em pendrives, cartões de memória, HDs ou até CD-ROM/DVD-ROM[2].

Na instalação de 11MB, o TinyCore disponibiliza apenas o extremamente necessário para que o sistema operacional inicie o terminal. Com a interface gráfica padrão (FLTK/FLWM) o TinyCore ocupa 16MB em disco. O TinyCore suporta Fluxbox, XFCE, OpenBox, IceWM, Joe's WM, LXDE, nativamente e nada impede que você instale outra interface gráfica com o velho companheiro "make". Instalando todas as dependências antes, claro.

Particularmente, o TinyCore se destaca não apenas pelas baixas exigências de hardware, mas também é destaque pela ferramenta "filetool.sh". Esta ferramenta permite que você crie e restaure snapshots do sistema.

Quando você cria um ponto de restauração, modificações serão desconsideradas e o sistema será restaurado após o reinicio do sistema operacional, permitindo que você restaure a configuração do sistema facilmente, caso surja algum problema, restaurando a máquina do cibercafé depois de algum usuário causar problemas por exemplo, ou restaurando um firewall (salvando os logs, claro). Esta função pode ser desabilitada, transformando o TinyCore em uma opção para dar vida aquele seu desktop ou notebook antigo com poucos recursos, iremos mostrar como fazer isso nos próximos artigos.

O TinyCore 11 atualmente roda com Kernel 5.4.3, que permite a instalação dos pacotes mais variados, desde servidores DHCP, Proxy, VPN, Samba, FTP, ... a pacotes para uso em desktops, como Firefox ou VLC. Talvez o TinyCore possa te ajudar no Raspberry ou Arduíno também.

Explicando

[1] Quanto mais serviços e pacotes instalamos, mais memória RAM será necessário para executar tudo de forma estável. Nos testes que fiz em máquinas virtuais (utilizei VirtualBox), instalei o Tiny Core sem interface gráfica e tudo que precisava para hospedar sites em WordPress (Apache, PHP, FTP, MariaDB, SSH, PhpMyAdmin, ...) utilizando 512MB de RAM, talvez funcione bem com 256MB... Vamos fazer esse teste em breve.

[2] Criando um live-CD. Quando a ISO é gravada em um CD-ROM/DVD-ROM não é possível salvar as modificações de modo permanente no sistema. A cada reinicialização, o sistema perderá todas as modificações feitas.

Fonte/Recomendações de Leitura


Download

Pensamos em fazer este primeiro artigo utilizando a interface gráfica para a instalação, facilitando a instalação para novos usuários do sistema. Neste artigo, iremos abordar apenas a instalação utilizando a interface gráfica. Em breve, iremos publicar um outro artigo onde faremos a instalação utilizando o terminal de comando.

Para iniciar o download, você deve acessar o site oficial da distribuição e no menu de download, escolha a opção "CorePlus". Esta é a versão do Tiny Core que possui interface gráfica.

Embora estejamos baixando a versão "CorePlus", iremos instalar a versão TinyCore (já que no primeiro momento iremos focar na configuração de pacotes para servidores), nesta data, ocupando 16MB na sua instalação.
Linux: TinyCore Linux - Instalação

Criando Disco de Boot

Após concluir o download, você pode utilizar o comando dd[3], ou seu criador USB favorito para criar o disco bootável, segue lista de sugestões para Windows e Linux:
[3] Comando:

sudo dd if=/"diretorio_da_iso"/CorePlus-current.iso of=/dev/"sua_midia" bs=8M

Para descobrir qual é o caminho da "sua_midia", utilize o comando:

sudo fdisk -l

...e identifique o dispositivo na lista, verifique o caminho do dispositivo desejado.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Instalação
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Introdução ao Gentoo Linux

Linux Mint 7 Gloria

Debian + Squid + Webmin + Outlook (porta 25, 110)

Entendendo os scripts de inicialização do Gentoo

Introdução a Lógica para computação

  
Comentários
[1] Comentário enviado por mauricio123 em 15/09/2020 - 12:40h


O tinycore é só pra pc sem solução. Bom artigo. Deve salvar em alguns casos.

___________________________________________________________
[code]Conhecimento não se Leva para o Túmulo.
https://github.com/MauricioFerrari-NovaTrento [/code]


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts