Servidor de logs para Routers e Switches Cisco

Aprenda a configurar um servidor GNU/Linux (Debian e CentOS) para receber os logs de roteadores e Switches Cisco.

[ Hits: 20.980 ]

Por: Luiz Casali em 04/10/2013


Configurando o Router/Switch



Olá!

Ter um servidor de logs em sua rede, é extremamente necessário. Os routers e switches Cisco têm um buffer interno (de tamanho variável e configurável) que atende de forma eficiente.

Porém, não acho prático ter que acessar um router sempre que quero ver um log, e esse buffer não será capaz de guardar logs por muito tempo.

Temos duas etapas simples, mas que podem dar trabalho. Principalmente se você estiver "garimpando" informações na Internet.

Precisamos, primeiro, configurar o router/switch para enviar o log para um servidor remoto. Por padrão, esses equipamentos estarão armazenando em um buffer interno e um output em tempo real para o terminal de console, mas, é possível ativar para linhas vty (tty no GNU/Linux) ou para um servidor remoto.

Depois, precisamos configurar um servidor para que filtre os logs e salve em arquivos diferentes, as informações referentes a cada equipamento.

Estarei mostrando as configurações em um CentOS 6.3 e em um Debian 7. Bom, vamos começar pelo roteador.

Configurando seu router

Primeiro, você precisará ter acesso de privilégio 15. Depois, entre nas configurações globais com o comando:

# configure terminal

Primeiro, certifique-se que o log está ativado. Execute o comando:

# logging on

Essa próxima etapa é opcional, mas em minha opinião, quando se tem um servidor, torna-se desnecessário deixá-las ativadas.

Desabilite o envio de logs para ambos os outputs:

# no logging console
# no logging monitor


Agora, precisamos setar o IP de quem irá ser o servidor. Pode ser IPv4, nome (DNS) ou IPv6. Existem algumas opções, como setar um ID ou mudar o protocolo Layer 4, mas que não precisamos nos preocupar agora.

# logging host 172.16.1.10

Agora nos resta determinar qual o nível das mensagens que serão enviadas ao servidor.

Obs.: os níveis abaixo são cobrados em provas, como CCNA SECURITY. Caso você esteja se preparando para alguma prova, é sempre bom ter isso em mente.

E lembre-se, os níveis com valores mais altos agregam os com valores mais baixos.

# logging trap <0-7>

<0-7>           Logging severity level
alerts          Immediate action needed            (severity=1)
critical        Critical conditions                (severity=2)
debugging       Debugging messages                 (severity=7)
emergencies     System is unusable                 (severity=0)
errors          Error conditions                   (severity=3)
informational   Informational messages             (severity=6)
notifications   Normal but significant conditions  (severity=5)
warnings        Warning conditions                 (severity=4)

Outra informação importante, é que esse comando seta o nível em termos globais. Existe também níveis de log para interfaces ou protocolos, por exemplo.

Caso você use o logging trap 3, vai receber logs globais do nível 3 para baixo, mas, você pode receber um nível 5 de uma interface.

Veja o exemplo abaixo:

Jul 15 13:49:15 10.50.63.2 27: Jul 15 16:49:13.112: %LINK-3-UPDOWN: Interface FastEthernet0/0, changed state to up
Jul 15 13:49:26 10.50.63.2 28: Jul 15 16:49:24.999: %SYS-5-CONFIG_I: Configured from console by admin on vty1 (IP.DO.USR.CONECTADO)
Jul 15 16:55:57 10.50.63.2 29: Jul 15 19:55:56.565: %SYS-5-CONFIG_I: Configured from console by admin on vty1 (XX.XX.XX.XX)
Jul 23 15:33:37 10.50.63.2 30: Jul 23 18:33:36.385: %LINEPROTO-5-UPDOWN: Line protocol on Interface FastEthernet0/0, changed state to down
Jul 23 15:34:06 10.50.63.2 31: Jul 23 18:34:05.395: %LINEPROTO-5-UPDOWN: Line protocol on Interface FastEthernet0/0, changed state to up
Jul 23 15:40:57 10.50.63.2 32: Jul 23 18:40:56.347: %LINEPROTO-5-UPDOWN: Line protocol on Interface FastEthernet0/0, changed state to down
Jul 23 15:41:49 10.50.63.2 33: Jul 23 18:41:48.354: %LINEPROTO-5-UPDOWN: Line protocol on Interface FastEthernet0/0, changed state to up
Jul 23 16:19:17 10.50.63.2 42: Jul 23 19:19:16.148: %LINEPROTO-5-UPDOWN: Line protocol on Interface FastEthernet0/0, changed state to down
Jul 23 17:43:48 10.50.63.2 43: Jul 23 20:43:47.712: %LINEPROTO-5-UPDOWN: Line protocol on Interface FastEthernet0/0, changed state to up
Jul 27 12:41:17 10.50.63.2 44: Jul 27 15:41:16.304: %CRYPTO-4-RECVD_PKT_INV_SPI: decaps: rec'd IPSEC packet has invalid spi for
destaddr=XX.XX.XX.XX, prot=50, spi=0x339FA735(866101045), srcaddr=XX.XX.XX.XX
Jul 27 12:41:22 10.50.63.2 45: Jul 27 15:41:21.771: %CRYPTO-4-IKMP_NO_SA: IKE message from XX.XX.XX.XX has no SA and is not an initialization
offer
Aug  6 11:02:56 10.50.63.2 46: Aug  6 14:02:55.131: %SYS-5-CONFIG_I: Configured from console by admin on vty1 (XX.XX.XX.XX)
Aug 29 17:05:06 10.50.63.2 47: Aug 29 20:05:05.136: %LINEPROTO-5-UPDOWN: Line protocol on Interface FastEthernet0/0, changed state to down
Aug 29 17:05:37 10.50.63.2 48: Aug 29 20:05:36.697: %LINEPROTO-5-UPDOWN: Line protocol on Interface FastEthernet0/0, changed state to up

Note que a primeira parte faz referência ao tipo de mensagem (sistema, protocolo, link etc.), a segunda é o nível de severidade. A terceira é uma informação mais específica do erro (mudança de config, queda de link, etc):
  • %SYS-5-CONFIG_I :: é referente ao nível global (SYS - Sistema) que você determina com o comando LOGGING TRAP.
  • %LINEPROTO-5-UPDOWN :: se refere a logg de protocolo layer 2
  • %LINK-3-UPDOWN :: nesse trata-se de uma mensagem relevante a Layer 1. Se um user desligou um cabo por exemplo, ou se o mesmo está quebrado.
  • %CRYPTO-4-XX :: é referente a VPN configurada nesse router. Não precisamos entrar em detalhes.

Para que uma interface não envie mensagens do tipo %LINK-3-UPDOWN toda vez que algum user desliga o PC, ou leva o Notebook para outro lugar, podemos executar o seguinte comando:

# logging event link-status

Nesse caso, mensagens de logs não serão geradas sempre que um cabo for desligado. Também pode ser usado para sub-interfaces.

Considerações

Não existe muito mistério nesta parte. Mas é muito importante tomar cuidado antes e saber o conceito. Saber o que é e para que serve, é chave no dia a dia.

No GNS3, é possível usar interfaces virtuais para conectar um router à sua placa física e até mesmo interligar com máquinas virtuais.

Caso você esteja estudando para provas e não tenha equipamentos, não se limite ao Packet Tracer.

Na próxima etapa, veremos como configurar o GNU/Linux para receber esses logs.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Configurando o Router/Switch
   2. CentOS - Configuração
   3. Debian - Configuração
Outros artigos deste autor

Compilando ou atualizando um kernel Linux

Leitura recomendada

Criando e Consumindo Rede de Compartilhamento NFS

Emulador de Redes Mininet

Zoneminder: Substituindo um Unifi NVR

Instalando DNS Server (BIND) no CentOS 7

PABX IP Asterisk - Instalação no Debian/Ubuntu

  
Comentários
[1] Comentário enviado por joaocpimenta em 04/10/2013 - 09:19h

Muito interessante Luis! Bacana seu artigo!

[2] Comentário enviado por leonardoortiz em 06/10/2013 - 22:36h

Sugestão para equipamentos 3com:
http://leonardoortz.blogspot.com.br/2013/08/trabalhando-com-syslog-switchs-3com.html

[3] Comentário enviado por luizcasali em 07/10/2013 - 09:14h

Obrigado pelos comentários e sugestões.

Irei verificar a sugestão de equipamentos 3COM.
Apesar de não ter nenhum aqui é sempre bom ficar por dentro.

[4] Comentário enviado por luizwagna em 24/04/2014 - 14:10h

Você consegue tirar uma dúvida pra mim, já configurei tudo tanto o servidor syslog, quando o no router CISCO porém, quando eu recebo algum evento mostra o IP do HOST teria como configurar no router para encaminhar o NOME dele como por exemplo

RT-A-SAOPAULO

Então ele encaminhar o nome que coloquei no roteador ao invés do IP ?


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts