Montando o Squid

Como tive dificuldade para subir o servidor proxy Squid, vou passar um pouco que aprendi e esperando também aprender com vocês do VOL. Espero poder ajudar.

[ Hits: 112.932 ]

Por: Anderson Aguiar em 14/11/2007


Instalação Squid Fedora



Olá, pela dificuldade que tive de montar um proxy Linux vou mostrar a forma que eu fiz, para ajudar e aprender com vocês...

Estou usando o Fedora Core 5, gosto muito dessa distribuição e da Red Hat....

Vamos baixar o pacote:

$ wget http://www.squid-cache.org/Versions/v2/2.5/squid-2.5.STABLE12.tar.gz

Vamos descompactar o arquivo:

$ tar -zxvf squid-2.5.STABLE12.tar.gz

Agora acesse o diretório do Squid:

$ cd squid-2.5.STABLE12

Após acessar o diretório aplique o comando:

$ ./configure
$ make
$ su
# make install


Pronto, estamos com nosso SQUID devidamente instalado.

Agora vamos editar o squid.conf, mas antes vamos fazer uma cópia de segurança.

# cd /etc/squid
# cp squid.conf squid.conf_bk


Vamos limpar o arquivo squid.conf, ele é muito cheio de comentário, isso atrapalha o trabalho de configuração.

Faça como o exemplo abaixo:

# grep -v ^# squid.conf_bk | grep -v$ > squid.conf

Após isso é só confirmar que deseja substituir o arquivo.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Instalação Squid Fedora
   2. Configuração do squid.conf
   3. Regras ACL - Squid
   4. Criação dos arquivos de bloqueio e acesso
   5. Relatório SARG - Fácil e é brasileiro
Outros artigos deste autor

OpenVPN -Linux central x Linux filial

Leitura recomendada

Instalando o Squid + SquidGuard

Instalando o MySAR no CentOS 5.5

Proxy com autenticação em servidores Samba ou Windows NT

Instalando e configurando o Squid no Slackware

Squid 2.6 com autenticação e bloqueio de sites, downloads, Orkut, MSN, vídeos e googletalk

  
Comentários
[1] Comentário enviado por alexandrecorrea em 14/11/2007 - 07:13h

cache_mem NAO limita a quantidade de memoria que o squid vai usar.. ele apenas limita a quantidade de memoria para objetos em transito (que estao sendo buscados na internet).. este valor nunca deve passar de 1/4 da memoria do servidor.. geralmente valores entre 32 e 256mb sao otimos..

[2] Comentário enviado por dtux em 14/11/2007 - 07:33h

Ficou bacana o artigo, só tem q mudar a linha q faz a limpeza do squid.conf_bk, vc tem duas opções:
Primeira:
grep -v ^# squid.conf.back|grep -v ^$ > squid.conf

Segunda:
egrep -v "^#|^$" squid.conf_bk > squid.conf

Valeuss!!! ;)

[3] Comentário enviado por baxman em 14/11/2007 - 08:21h

Ótimo artigo, lembrando que o squid pode ser instalado como proxy transparente, dispensando as configurações em qualquer navegador. Para isso basta acrescentar na linha:
http_port 3128 transparent

[4] Comentário enviado por elgio em 14/11/2007 - 11:09h

Algumas contribuições:

1) as acls domínio_acesso e domínio_rede não foram aplicadas (sem allow ou deny). Como elas tem o FIRME PROPÓSITO (pelo que entendi) de evitar um open proxy, a menos que a porta 3128 esteja fechada no teu firewall, acho que o mundo inteiro pode navegar usando teu proxy

2) Mesmo que elas estivessem aplicadas, deveria ser a primeira delas, antes de qualquer allow (se não for rede INTERNA, deny). Se for aplicada após algum allow (como o http_access allow livre) mesmo assim o mundo todo poderia usar o teu proxy e o uso fosse em concordancia com que o qu esta em etc/squid/livre (e faltou um / no /etc!!). Exemplo: mesmo algum de fora que não é da tua rede poderia usar teu proxy de forma anonima se o acesso fosse .gov, pois está liberado no livre!

Estas minhas duas observações PERDEM O SENTIDO se a porta do proxy estiver FECHADA no firewall para o mundo (DESEJÁVEL!!!!)

Ainda:
Se tu usou o iptables para proxy transparente, pra que configurar o Internet Explorer?
Em proxy transparente tu PERDES: (a) HTTPS (teria que ser por nat) e (b) autenticação (se fosses usar)

[]'s

[5] Comentário enviado por fboaventura em 14/11/2007 - 11:59h

der.aguiar e diego-p-g, a linha do grep pode ainda ser de uma terceira forma:

# egrep -v "^($|#)" squid.conf_bk > squid.conf

;)

[6] Comentário enviado por roberva em 14/11/2007 - 13:12h

Cara pq vc nao deu simplismente:
#yum install squid

rsrsrs abracos

[7] Comentário enviado por danielbrunos em 16/11/2007 - 23:58h

Se você está utilizando o Fedora, ou alguma outra distro com o YUM, a instalação realmente poderia ter sido facilitada com o:
yum install squid.

Na configuração da porta, é legal deixar o squid escutando somente na interface da rede interna, pois se não, outras pessoas podem usar seu proxy e se você utiliza um ip fixo o mesmo pode ser listado em alguma blacklist, e isso gerar uma dor de cabeça desnecessária :)

ex:
http_port 192.168.0.1:3128 transparent

Tá bem interessante o artigo!


[]s

[8] Comentário enviado por maran em 17/11/2007 - 17:29h

bacana!

[9] Comentário enviado por der.aguiar em 20/11/2007 - 12:46h

Legal galera.... valeu pela força.... e as dicas.....

eu não comentei sobre o yum ... pois se alguem estiver usando uma outra Distribuição conseguiria baixar... blz....

aqui eu tambem tenho um firewall e agradeço o toque que foi importante segurança é tudo....

Agradeço mesmo a força... e que continuemos a passar informação e receber informação..... valeu....

Desculpe as mancadas pois esse é o meu 1º artigo... blz

[10] Comentário enviado por comfaa em 10/10/2008 - 09:37h

bom artigo


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts