Escolhendo o melhor gerenciador de janelas

Esse tema é realmente muito polêmico entre os usuários Linux. Gerenciador é igual time de futebol e religião, cada um tem a sua e é quase impossível mudar. Neste artigo abordarei alguns gerenciadores e quais as suas vantagens de desvantagens.

[ Hits: 185.351 ]

Por: Mateus Pinheiro em 12/02/2007


O Fluxbox



O Fluxbox (Caixa de fluxo, pelo nome já se tem uma noção da simplicidade deste) é um gerenciador muito leve. Para se ter uma noção, sua instalação tem, em média, 700 Kb.

O Fluxbox é um gerenciador que permite a você um altíssimo grau de personalização, aonde você pode mudar cada milímetro do gerenciador a seu modo. Algumas skins padrão já vem com ele, porém há um pequeno "tesouro" de skins na internet, basta procurar.

Tirando a parte da personalização, o Fluxbox é um gerenciador ideal para aquela máquina antiga, que está jogada no canto sem utilidade. Te garanto que o Fluxbox consegue reviver qualquer máquina, exceto aquelas com 8 MB de RAM.

Um dos contras do Fluxbox é a dificuldade em se configurar qualquer coisa que seja, como por exemplo o teclado, aonde você tem que abrir o arquivo de configuração aonde está especificado o teclado para poder alterar seu layout e já em outros gerenciadores, como o KDE, basta apenas abrir o Centro de Controle.

Talvez um dos motivos de muitos idolatrarem o Fluxbox, seja a sua alta capacidade de personalização. Pessoalmente já o utilizei e gostei muito de o deixar com a minha cara, mas também é só isso que se pode fazer com ele.

Conclusão sobre Fluxbox: Ideal para quem precisa fazer "voltar a vida" aquela máquina que está jogada lá no canto e que ninguém lembra mais que existe, ou para quem quer personalizar o ambiente gráfico a sua maneira. Também indico para aqueles que usam aplicativos muito pesados e precisam gastar pouca memória com o X. Contra-indico para os usuários que mexam a pouco tempo em Linux.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Uma infinidade de gerenciadores
   2. Gnome
   3. O Fluxbox
   4. XFCE 4
   5. O WindowMaker
   6. Blanes, XVWM e outros
Outros artigos deste autor

Programas equivalentes Linux vs Windows

Instalando Gnome DropLine (Slackware 10.2+)

Leitura recomendada

Configurando um Cluster de Tomcat com Balanceamento de Carga

Trabalhando com shell e variáveis de ambiente

Upgrade Debian 4.0 (etch) para 5.0 (lenny) - 9 passos para um upgrade feliz

LTSP 5 no Ubuntu 8.04

Xen: Criando dom0 e domU no Fedora

  
Comentários
[1] Comentário enviado por juninho (RH.com) em 12/02/2007 - 16:26h

Valeu Mateus, muito bom, porque existem várias pessoas querendo se definir em relação ao Gerenciador de Janelas, e agora elas tem referencias aqui do VOL para se decidirem.


[2] Comentário enviado por Rustin em 12/02/2007 - 16:45h

Só três observações a respeito do KDE.
1. A quantidade de aplicativos realmente é grande, mas o número de aplicativos que vem instalado depende de cada distribuição;
2. Eu reescreveria "O que faz o KDE se destacar é ele se parecer muito com o Windows, da Microsoft" com "O que faz o KDE se destacar é o fato do Windows, da Microsoft, ser muito parecido com ele". Assim, ficaria mais claro quem se inspira em quem;
3. Não há uma ligação direta do OpenOffice com o KDE. Prova disso é que você pode instalar todos os aplicativos "K" disponíveis no Slackware, por exemplo, que vai continuar sem OO.

No mais, bom artigo. Meu voto é no K :D

[3] Comentário enviado por marcrock em 12/02/2007 - 17:08h

Cara seu artigo está ótimo!!!
Só acho que dá sim prá rodar o kde em máquinas mais limitadas, é só desabilitar serviços e opcões que a gente nunca usa, além das opções de embelezamento gráfico que ele possui. Eu mesmo tô aqui rodando Kubuntu (kde 3.5) com 128MB de ram, não é nenhum foguete (hehehehe!!!), mas dá pra fazer o básico como navegar na net, editar textos e etc....

Valew!!!!!

[4] Comentário enviado por d1060 em 12/02/2007 - 19:24h

so pra lembrar o ofice do KDE e o KOffice, e mais uma Ficou devendo falar do pai de todos os boxe's o Blackbox... mas ta tudo blz... flw!

[5] Comentário enviado por EdDeAlmeida em 12/02/2007 - 19:24h

Com certeza dá para rodar o KDE em máquinas com configuração inferior. O problema é ter de desativar muitos dos recursos que fazem do KDE o KDE.

Eu já rodei em máquinas que podem ser consideradas primitivas. Dá uma olhada aí nesse meu artigo: http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=5366

Mas o seu artigo está ótimo. Parabéns e obrigado.

[6] Comentário enviado por removido em 12/02/2007 - 20:45h

tenho criticas a fazer, creio eu que construtivas, pois como você mesmo disse é um assunto polemico. a questão do kde no celeron 333 é como por o windows xp numa calculadora de bolsso, qualquer coisa que si coloque nessa configuração não vai rodar bem. e também comparar sempre os wm's com a interface grafica do windows, sei que você faz essa comparação para que os mais leigos possam entender, outro ponto kde vs gnome também é muito polemico essa comparação, tive experciencia com gnome onde ele se mostrava algumas dezenas de vezes mais pesado que o kde, ja o seu filho xfce dezenas de vezes mais leve, em questão de qualidade até onde experimentei o gnome é muito inferior ao kde, bem é minha opnião, para iniciantes fica ai a recomendação positiva para o kde

[7] Comentário enviado por IcePeak em 12/02/2007 - 21:39h

Obrigado pelo FeedBack pessoal!

Fiquei mesmo devendo o Blackbox.. Apesar de até onde eu vi ele ser parecido com o flux..

Quando eu comparei o win com o KDE, foi para que o pessoal mais leigo pudesse ter uma noção, pq o tio Bill só copia mesmo! rsrs

Obrigado aí pessoall!!

Abraços!

[IcePeak]

[8] Comentário enviado por .frank. em 12/02/2007 - 22:34h

Olha comparando com o winxp o KDE é muito mais pratico e funcional. O konqueror é um bom exemplo disso. Somente o fato de voce apertar "F4" e abrir o konsole no pasta em que vc esta ja é de uma praticidade imensa.
Tambem acho o Kde estremamente customisável.
Quanto ao Gnome, poucas opçoes, e ainda nao achei a praticidade dele....

[9] Comentário enviado por rasxr3 em 13/02/2007 - 01:57h

Concordo sm partes sobre kde e gnome. Pra mim ´bem difícil diferenciar os dois em qualidade, quado se acostuma com o kde o gnome parece chato (desculpem, não encontrei termo melhor), mas quando se dedica ao gnome o kd parece desorganizado. Em suma, qualquer um dos dois atende bem às necesidades, já oxfce, como vc disse, reune o melhor dos dois e é leve. No que toca aos box da vida, tb concordo, ficam bem legais com uma leve customização (qu aliás demanda de muito estudo acerca da interface). Só no caso do blanes é que eu achei você muito complacente (pra mim ele não é indicado pra ninguém, nunca vi ninguém falar bem dele). E faltou o Enlightment que é menos usado mas tem umas qualidades interessantes.

[10] Comentário enviado por demoncyber em 13/02/2007 - 08:22h

Bom ótimo artigo, porém já que estamos falando sobre opniões também vou deixar a minha, sempre utilizei o xfce, porém nunca consegui largar do konsole sim sim aquele terminal do KDE, acho que é o principal fator para eu utilizar ele pois acho prático, apesar de existir o screen que estou tentando migrar e daí virar um daqueles malucos por tela preta =P, bom porém minha migração definitiva do xfce para o KDE veio com o slackware 11 onde testei o KDE e bom ele ficou muito rápido em comparação a outras versões. Bom acho que a questão principal para a escolha de ambiente é a questão de bibliotecas que tem que ser carregadas e a coletânia de programas, por exemplo para mim nada adiantaria estar utilizando oxfce se eu startava o konsole =/ pois as bibliotecas seriam carregadas, da mesma forma que carregar o fluxbox e ligar o firefox o acroread de nada adianta, pois o a gtk vai ter que ser carregada também. Acho que vale sempre analizar a lista de bilbiotecas que os programas usam e fazer uma boa escolha baseada nela =P.

na dúvida:
ldconfig -p para listar todas as bibliotecas carregadas
ldd programa ( ldd tar ) ( obs: muitos programas são links simbólicos ou scripts, mas daí como verificar isso deixo para cargo de vocês descobrirem =P )

Espero ter auxiliado =P ( Opnião é opnião por favor =P )

[11] Comentário enviado por shiranui em 13/02/2007 - 08:50h

Bem, o melhor é a pessoa testar vários mesmo.

O primeiro que eu ví foi o KDE, isso no conectiva 5, faz muitos anos, mas não gosto do windows, e não gosto do KDE também.

Sempre fui usuário do gnome. Faz uns 2 meses resolvi reavaliar as outras opções, testei todas as wm´s que tem nos repos do Arch e acabei migrando para o XFCE4.4, não perdi em nada, e ganhei 25MB de memória que o gnome usava a mais.

O interessante é que além de escolher a wm inicial, de tempo em tempo é bom reavaliar a escolha, sempre há épocas em que uma ou outra evolui mais rapidamente, o próprio XFCE, melhorou muito em pouco tempo.

Ótimo artigo. Assim quem estiver iniciando ou for trocar de wm já tem uma base do que testar.

[12] Comentário enviado por paulo.neto em 13/02/2007 - 10:08h

Nota 10. Parabéns e sinceramente parabéns 2 vezes por está escrevendo aqui num lugar ondem tem uns caras que aprenderam alguns comandos de Linux e se acham o máximo. Achar que sabe algo é o grande erro.

[13] Comentário enviado por Marla117 em 13/02/2007 - 14:49h

Gostaria de saber como converter arquivos de audio para MP3

[14] Comentário enviado por fabianoac em 14/02/2007 - 05:14h

Ola, como instalo esse xfce4 pelo apt-get do debian?
fiz uma pesquisa usando o comando apt-get update + apt-cache search xfce4, achei vários pacotes, mas não consegui ver qual deles instala a interface gráfica. Quero testar esse xfce4, aqui uso o Gnome, que na MINHA opnião como disseram e bem mais organizado que o kde, mas leve e estável, todas as vezes que tentei usar o kde ele deu pau, travo, etc.

[15] Comentário enviado por bggo em 14/02/2007 - 17:18h

Parabens cara .. gostei do artigo..
Será muito bom para que realmente esta afim de escolher um gerenciador de janelas.

Para instalar o xfce:
apt-get install xfce4

comando basico..que ja instala todas as dependencias.
mas para quem quiser saber mais .. existe o projeto xfce DEbian ..
http://pkg-xfce.alioth.debian.org/

Para converter mp3:
pode usar um pacote chamado Lame 3.97 ... ele é um ótimo encoder

[16] Comentário enviado por IcePeak em 14/02/2007 - 17:30h

Obrigado por ajudar bggo!

Não sei como instalar para o debian, por isso deixo pra outros usuários mais experientes nesta distro.

Para converter mp3, vale dar uma olhada nos tutoriais muito bons aqui do VOL!

o Lame é o melhor pacote que vi para converter mp3.. É usado não só no linux, tanto no win e no Mac OS X ele também é primeira escolha!

Obrigado pessoal!!

Abraços!!!!!!

[17] Comentário enviado por francisleiferrei em 27/05/2007 - 16:49h

muito bom!!
É um ponto de vista interessante.

[18] Comentário enviado por @ecs em 30/08/2007 - 11:19h

muito bom este seu artigo Matheus!

Estava com uma dúvida tremenda de qual gerenciador por em um note com 32 de RAM, sem me preocupar se ele no final das contas conseguiria pelo menos executar. Me decide agora, vou tentar instala-lo e conferir o desempenho.

Belo artigo

[19] Comentário enviado por yetlinux em 18/05/2009 - 01:25h

Blanes é "baseado" no qvwm, feito por um japonês.

[20] Comentário enviado por acfmoc em 30/05/2011 - 17:57h

Instalei o ubuntu 11.04 (UNITY) e logo de cara migrei a interface pra Xfce. Prático, leve e simples. Muito bom o seu tópico, obrigado pelas dicas.

[21] Comentário enviado por removido em 02/08/2012 - 09:18h

Muito bom o artigo, parabéns. Começo hoje minha jornada pelo linux. Estou estudando primeiro para saber qual distribuição irei utilizar e de cara sei que pretendo trabalhar primeiramente com o gerenciador de janelas KDE independente da distribuição.


Contribuir com comentário