Criando uma Máquina de Torrent com o OrangePI [Open Hardware]

Neste artigo, pretendo ensinar como criar um dispositivo para efetuar downloads pelo protocolo BitTorrent, através da plataforma OrangePI. Ao completar o processo aqui descrito, o indivíduo terá em suas mãos um dispositivo de custo e consumo relativamente baixos, onde poderá acessar o sistema através de uma interface via browser. O processo em si não é muito demorado, porém, é necessário ter atenção dadas as múltiplas tecnologias envolvidas. Aproveitem!

[ Hits: 2.419 ]

Por: Luiz Antonio Santos em 10/03/2019


Introdução e preparação do dispositivo



O protocolo de compartilhamento P2P BitTorrent, criado em 2001 por Bram Cohen, pode ser considerado um marco na história da Internet. O mesmo permite o compartilhamento de arquivos com algumas vantagens como, por exemplo, o fato de que não é necessário que o usuário mantenha o computador ligado até o término do download, podendo "pausar" o mesmo.

Apesar de certas controvérsias no que tange à violação de direitos autorais por parte de alguns de seus usuários, há de se admitir que o BitTorrent é útil e extremamente eficiente naquilo que faz.

Neste artigo, demonstrarei como é o processo de criação de uma chamada Máquina de Torrent na plataforma OrangePI. Dentre as vantagens apresentadas por esta metodologia, podemos destacar:
  1. Diminuição de custos, especialmente com energia elétrica;
  2. Independência e portabilidade, pois além de seu tamanho diminuto, estaremos delegando um processo que em outra máquina poderia vir a "desperdiçar o potencial do sistema" ;
  3. Aproveitamento, visto que muitos de nós temos dispositivos de armazenamento em casa que estão "sem uso";
  4. Liberdade, pois o OrangePI é uma plataforma OpenHardware.

Já se tratando dos equipamentos e softwares necessários, vamos trabalhar com:
  1. Placa OrangePI Zero (Descrição da mesma pelo link: orange pi zero Orangepi);
  2. HD externo, com interface USB e formatado para NTFS;
  3. Sistema Operacional Armbian (Informações disponíveis em: Armbian - Linux for ARM development boards);
  4. Cliente BitTorrent Transmission (Informações disponíveis em: Transmission);
  5. Cartão microSD de, no mínimo, 4GB;
  6. Fonte para o OrangePI (5V 3A);
  7. Computador e Software para flashing do cartão. Como software, recomendo pessoalmente o balenaEtcher. Também será necessário algum utilitário para conexão por SSH.

AVISO: o conteúdo deste artigo tem fim meramente educativo, portanto, não me responsabilizo pelo mal uso dos equipamentos, nem por quaisquer "defeitos" ou problemas que possam vir a acontecer por negligência.

Iremos agora aos passos de como criar nossa Máquina de Torrent.

Preparação do Aparelho

Vamos iniciar com o download do sistema Armbian, que pode ser efetuado através do link: Download - Armbian.

Com o download concluído, podemos passar ao flashing (gravação) do sistema Armbian. Para tanto, podemos fazer uso de qualquer aplicação que nos permita gravação em cartões microSD, como o dd, por exemplo. Pessoalmente, recomendo utilizarmos do balenaEtcher, que pode ser facilmente obtido através do link na lista de equipamentos.

Após instalarmos o balenaEtcher, conecte seu cartãoSD e na tela da aplicação, selecione a imagem do sistema Armbian, bem como a unidade correspondente e por fim, clique em "Flash!"
Linux: Criando uma Máquina de Torrent com o OrangePI [Open Hardware]
Aguarde o processo de flashing. Sob hipótese nenhuma remova o cartão antes da conclusão. Ao final, surgirá a seguinte tela:
Linux: Criando uma Máquina de Torrent com o OrangePI [Open Hardware]
Agora, passaremos à parte de configuração do sistema.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução e preparação do dispositivo
   2. Configuração do Sistema Armbian
   3. Instalação do Transmission
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Compartilhando o acesso à Internet para a rede usando modem DSL 500B

Configuração automática (mesmo) de proxy com WPAD

Instalar e configurar um servidor FTP no CentOS

Instalando Slackware "na marra"

Configurando o CACIC (parte 3)

  
Comentários
[1] Comentário enviado por niquelnausea em 15/03/2019 - 00:38h

fiz alguns testes com um rapberry (processo é o mesmo), melhor solução para torrents.

[2] Comentário enviado por Kaiju em 16/03/2019 - 20:55h


[1] Comentário enviado por niquelnausea em 15/03/2019 - 00:38h

fiz alguns testes com um rapberry (processo é o mesmo), melhor solução para torrents.


Show de bola @niquelnausea. Valeu pela dica.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts