Linux slogan
Visite também: BR-Linux.org · Dicas-L · Doode · NoticiasLinux · SoftwareLivre.org · UnderLinux



» Screenshot
Linux: Slack 10.1 + Dropline 2.8.3
Por clbj
» Login
Login:
Senha:

Se você ainda não possui uma conta, clique aqui.

Esqueci minha senha



Artigo

Zorin OS - interessante distro lançada no ano novo - primeiras impressões
Linux user
meinhardt_jgbr
16/01/2010
Neste início de 2010 foi lançada a distro Zorin OS 2.0, derivada do Ubuntu, porém com vários itens que a diferenciam do mesmo. A aparência semelhante aos Windows facilita a migração.
Por: meinhardt, jorge g
[ Hits: 35231 ]
Conceito: 10.0   5 voto(s)5 voto(s)5 voto(s)5 voto(s)5 voto(s) + quero dar nota ao artigo

Comentários inicias

Tomei conhecimento desta nova distro Linux derivada do Ubuntu, o Zorin OS 2.0, a partir de uma notícia publicada no site Suporte Técnico, que por sua vez transcrevia notícia publicada no GDH.

Após fazer a leitura de material indicado na publicação, fiquei interessado em pelo menos testar esta distro, principalmente para confirmar se estaria efetivamente trazendo novas soluções em termos de suas propostas básicas, que segundo meu entendimento seriam apresentar uma interface e organização para facilitar a migração de tantos usuários dos sistema Windows e ser outra alternativa baseada na riqueza de aplicativos disponíveis nos repositórios Ubuntu e por extensão também no Debian do qual é derivada.

Esta distro vem em DVD-Live com 1.3GB, aplicável tanto para PCs com arquitetura 32 como 64 bits.

Encontrei alguma dificuldade para baixar a ISO, possivelmente porque sendo uma distro iniciante, o Zorin ainda não tem disponíveis muitos espelhos para facilitar o download.

Uso em modo Live, instalação e aplicativos

Para certificar-me de que a imagem ISO baixada estava íntegra, tentei encontrar algum arquivo ou indicação do md5sum, porém não consegui localizar no site da distro. Queimei a ISO assim mesmo para poder testar pelo menos em modo Live.

Em primeiro lugar, se você não for um usuário "ortodoxo" Linux, daqueles que tem arrepios quando apenas escutam falar em uma distro (distribuição) Linux com aparência e funcionalidades dos vários Windows, o Zorin OS 2.0 será uma heresia.

Caso você não seja tão radical, não se impressione com a baixa qualidade do ícone com o Z de Zorin na tela inicial e siga adiante para pelo menos experimentar a distro e sentir suas qualidades. Para os Linuxers "ortodoxos" já é possível adiantar daqui, que a aparência desta distro e as funcionalidades são muito parecidas aos sistemas da MS.

Vejo isto como uma ótima solução para a migração sem dor ou quase sem dor.

Rodando em modo Live, que é a primeira alternativa de boot, bastando digitar "live" ou usar "enter" foi possível fazer rodar a distro normalmente, sem necessidade de utilização de nenhum cheat-code mesmo em NoBo (Notebook), onde normalmente a coisa é mais complicada. Isto ocorreu porque o Zorin OS 2.0 é baseado no Ubuntu 9.10 Karmic Koala, cujo kernel é 2.6.31, portanto com ampla capacidade de reconhecimento e suporte nativo a uma extensa gama de itens de hardware.

Até a conexão wifi, normalmente complicada, entrou direto sem precisar fazer nenhum ajuste.
Linux: Zorin OS - interessante distro lançada no ano novo - primeiras impressões
Tela do Zorin OS
A inicialização e a instalação inicial foi feita em inglês, porém é possível e relativamente fácil reconfigurar mesmo em modo Live o suporte ao Português do Brasil, bem como o suporte a teclados brasileiros.

Para isto basta abrir o menu Z no estilo do Windows Vista e posteriormente System, onde aparecem duas alternativas: "Preferences" e "Administration". Optando por "Administration", basta buscar o ícone com as bandeiras onde estão disponíveis as alternativas de suporte a idiomas.

Na primeira ativação, mesmo em modo Live, já vai aparecer uma janela sugerindo a atualização da lista dos aplicativos disponíveis.

Na janela aberta referente a configuração de idiomas, aparecerão duas alternativas, a primeira para os seus itens de menu e janelas e a segunda para todos os aplicativos na inicialização e entrada no sistema. Quando você efetua a troca de idioma, ao reinicializar, o sistema oferece a alternativa de migrar os nomes de vários diretórios para o português e vice-versa. Explicarei o vice-versa posteriormente, quando comentar um pequeno bug desta distro.

Na parte inferior aparece um botão com a alternativa de Instalar / Remover Línguas (Install / Remove Languages). Bastará clicar sobre ele e posteriormente escolher português.

Embora não apareça a alternativa do português brasileiro, o aplicativo instalará as duas alternativas, português de Portugal e português brasileiro.

Feita a instalação do idioma, basta buscar o ícone referente a teclado e ajustar ao teclado de seu PC.

A partir daqui você já poderá navegar com tranquilidade, mesmo ainda sendo usuário habituado apenas com os sistemas operacionais (S.O.) da Microsoft. A interface gráfica e a nomenclatura usada para os aplicativos acredito que seja bastante semelhante, para facilitar a vida de quem está vindo do Windows.

Não posso afirmar isto categoricamente porque já não uso Windows há algum tempo e muito menos o Vista, porém a opinião de outros usuários da família que já viram e usaram esta distro é de que está muito parecido e facilita a vida de quem no trabalho usa obrigatoriamente Windows e deseja usar Linux em casa sem muita ginástica mental.

O boot em modo Live tomou em torno de 3 minutos no NoBo (Notebook) Acer Aspire 5570z. Em desktop também foi mais ou menos o mesmo tempo.

Após algumas horas de uso com este NoBo, decidi partir para a instalação do Zorin OS 2.0 primeiro em pendrive neste NoBo e depois em um desktop Pentium 4 Dual-Core em substituição a uma instalação antiga do Kurumin NG, devido a boa impressão causada pelo mesmo.

A instalação é bastante fácil, intuitiva e sobretudo amigável, no estilo da instalação do Ubuntu, em 6 ou 8 passos, dependendo da situação do particionamento preexistente no seu PC.

Basta seguir o passo a passo, com o cuidado de optar pelo particionamento manual se você não desejar que a distro faça tudo automaticamente decidindo por conta própria onde instalar o sistema, deletando sem dó nem piedade a instalação preexistente de algum Windows que você já tenha instalado.

Ao definir a localização, no caso o Brasil, já ocorre a configuração do idioma, facilitando a vida de quem não tem muito domínio do inglês.

Segundo informação constante no artigo referenciado tanto no site Suporte Técnico como no GDH (http://www.itlure.com/2010/01/distro-hoppin-zorin-os-20.html), embora tenha muito em comum com o Ubuntu, a aparência do Zorin OS 2.0 é bem diferenciada do mesmo, apresentando inovações e soluções interessantes, automatizando vários itens de configuração e instalação de aplicativos, bem ao estilo da turma que gosta do esquema "click, click, next next, finish".

Para quem já usou ou instalou alguma versão do Ubuntu, a instalação do Zorin OS não será novidade. Para que nunca usou Linux, o alerta fica para que preste atenção quando chegar na etapa do particionamento, optando pela alternativa manual se desejar preservar a instalação anterior e usar boot-múltiplo.

A aparência do Zorin OS, segundo informação que aparece no artigo em inglês, foi feita para parecer com o Windows 7, com a barra inferior larga, no mesmo estilo. O menu iniciar acessado clicando sobre o ícone Z na mesma posição do botão "Iniciar" também é muito semelhante aos menus dos Windows, já que aparentemente o objetivo é facilitar a migração.

Além da aparência, os menus do Zorin OS também apresentam muitas funcionalidades semelhantes aos sistemas da Ms os quais se diferenciam da distro que foi sua origem o Ubuntu.

Durante alguma fase da vida de usuário Linux, também cheguei a ficar irritado algumas vezes com distros que tentavam imitar os Windows, porém olhando sob outra perspectiva, para todos aqueles que no ambiente de trabalho são obrigados a usar os Sistemas Operacionais (S.O.) da MS, pelo menos alguma familiaridade do ambiente gráfico será bem vinda.

Infelizmente não existe nem sinal das opções de troca de área de trabalho, que acredito ser uma das grandes qualidades que diferenciam o Linux do outro S.O. Tentei reconfigurar para habilitar a alternativa, porém não encontrei facilmente e em algum momento apareceu mensagem indicando que esta distro estaria utilizando configuração personalizada e diferente dos padrões do Ubuntu no qual está baseada, não oferecendo esta alternativa.

Mas, afinal o que tem o Zorin OS de novo, que o diferencia do Ubuntu?

Na verdade, vários são os itens, a começar pelo suporte direto da caixa (out of the box) a MP3, sem necessidade de nenhuma instalação de aplicativos ou codecs. O suporte a wifi, sem nenhuma reconfiguração necessária foi outro item interessante. O Flash, o Java, Firefox são outros aplicativos que já vem pré-instalados, para facilitar a vida de quem está em processo de migração.

O Wine e o PlayOnLinux já estão prontos para fazer rodar algum aplicativo Windows que seja imprescindível até que o potencial usuário encontre soluções Linux.

Ainda nos itens do Menu Iniciar (botão Z de Zorin) outros itens interessantes são o UbuntuTweak, que permite alterar as configurações do Zorin OS e o aplicativo "Back in Time" - Recuperação do Sistema, uma poderosa alternativa de backup do sistema, instalada por padrão (default).

O Cheese é outro aplicativo que vem instalado por padrão e a webcam foi reconhecida facilmente, o que nem sempre ocorre em outras distros.

A impressora multifuncional HP-6110 também foi reconhecida e configurada automaticamente, incluindo o scanner.

A equipe de desenvolvimento do Zorin OS disponibiliza outras alternativas de versões pagas, além da gratuita "Core", com pacotes de aplicativos pré-instalados específicos para o tipo de uso do PC, conforme desejado pelo usuário, como por exemplo a versão Multimídia com mais de 40 aplicativos para vídeo e som, a versão Gaming (para jogos) com uma grande quantidade de jogos pré-instalados, além da versão Educativa, obviamente recheada de aplicativos com este objetivo.

Para usuários com algum tipo de deficiência física, o Zorin OS apresenta ainda na bandeja, um aplicativo que permite várias alternativas de configuração para facilitar o uso da distro, com facilidade de acesso para ativar estes itens de ajuste.

O Centro de Controle ("Control Center"), outro item do "Menu Iniciar" (Z), apresenta de forma centralizada com produção gráfica apurada, uma infinidade de itens para a personalização da distro, muito bem apresentada e organizada, dentre elas a ativação de Firewall em modo gráfico.

O OpenOffice.org também vem instalado por padrão e seguirá os itens necessários a configuração localizada do mesmo, incluindo como já comentei anteriormente a alternativa de troca no nome das pastas padrão para o idioma escolhido, corretores de texto etc.

Para quem optar pela versão "Básica" (Core) do Zorin OS 2.0, está disponível mesmo não vindo instalados por padrão "Direto da Caixa" (out of the box) uma riqueza muito grande de aplicativos dos repositórios do Ubuntu e do Debian.

Para baixar o Zorin OS 2.0 use o link:
    Próxima página >>




Páginas do artigo
   1. Comentários inicias
   2. Desempenho

Outros artigos deste autor

Leitura recomendada

Comentários
[1] Comentário enviado por Feko em 16/01/2010 - 22:43h:

Hey, bacana...
Interessante como eles deixaram o "menu k" parecido com o Vista.


[2] Comentário enviado por marcosurf em 17/01/2010 - 19:17h:

pra mim, grande m..... , nao quero em uma distribuição que ela nem me lembre a porcaria do windows!


[3] Comentário enviado por meinhardt_jgbr em 17/01/2010 - 21:59h:

Também preferiria que não houvesse nenhuma semelhança, porém o grande mérito está justamente no fato incontestável de que isto facilita o processo de migração para o Linux. Neste caso de nada adianta radicalismos e posicionamento xiita. Sem dúvida creio que pelo que foi possível ver, o Zorin permite a migração sem dor ou quase. Depois de perder o medo o potencial novo usuário poderá partir para outras distros mais ao gosto da comunidade mais ortodoxa.


[4] Comentário enviado por luanyata em 18/01/2010 - 11:24h:

A semelhança realmente nao foi aprovada ... mais pensando por outro lado quantos usuarios poderam migrar para o Linux com esse solução ????

toda iniciativa com uma boa intenção é q vale... parabens por pessoal :D


[5] Comentário enviado por clodoaldops em 20/01/2010 - 17:42h:

Com 1.3gb de downloads eu prefiro baixar o Ubuntu Personalizado pelo Linux no PC que mantem o o gnome como desktop e já vem "completissimo".
Achei o screenshot parecido o BigLinux Alfa3.
Tambem acho que uma interface parecida com windows ajuda ou pouco quem tá iniando, mas o Ubuntu tem tantos usuarios e um forum tão movimentado que é questão de pouco tempo pra aprender e se sentir a vontade.
Só não usa linux quem não quer aprender.


[6] Comentário enviado por meinhardt_jgbr em 22/10/2010 - 11:03h:

É o velho problema da preguiça e da resistência a mudanças. A nova fornada de distros está cheia de alternativas excelentes ficando difícil até mesmo fazer novas indicações aos iniciantes.


[7] Comentário enviado por fholiveira1 em 24/01/2011 - 11:26h:

A distro é boa. Simples e sem complicações, como deve ser uma distro Linux (essa é a filosofia básica do SO).
O fato de parecer com as soluções MS não deve ser motivo de crítica, pois ainda não conheço NENHUM profissional de TI que em algum momento de sua carreira não tenha usado o sistema de Bill Gates & cia. Devemos nos lembrar que a popularização dos computadores pessoais começou com o MS-DOS e depois com o Windows 95.
Eu sou um dinossauro, comecei há 27 anos com Basic 1 e 2, Cobol e anos depois com Pascal. Quando conheci os ambientes gráficos achei uma maravilha. Uso Linux desde 2001 e penso que iniciativas como essas facilitam a expansão do software livre, pois o usuário comum percebe que Linux NÃO é dificil nem coisa apenas para profissionais de TI.
E devemos nos lembrar, sempre, que todos nós um dia fomos novatos e principiantes no Linux; (e falo por mim, passei algumas noites em claro buscando jeito de fazer algum recurso funcionar com o Linux quando ainda não haviam as diversas distribuições que existem hoje e nem comunidades como esta.)
Críticas gratuitas não são críticas: são preconceito. A liberdade de escolher um SO é combater o preconceito.


[8] Comentário enviado por marcoscGNU em 20/06/2011 - 01:12h:

Imitar a GUI do windows é só uma das excelentes características do GNU/Linux.
Mas, para mim, a melhor característica do GNU/Linux é ser SOFTWARE LIVRE. Isso permite ao usuário transformar o GNU/Linux no que quiser, inclusive deixá-lo parecido com sistemas que guardam seus códigos entre 7 chaves.



[9] Comentário enviado por .Jack em 12/07/2011 - 21:56h:

Zorin OS é a distribuição Linux perfeita e mais amigável a ser apresentada a 1 Bilhão de usuários de computador ao redor do Mundo.
De fato, se o futuro do Linux no desktop dependesse de uma distribuição pra sair do 1% do "mercado pro Linux" e chegar aos primeiros 100 milhões, Zorin OS é o candidato ideal. Cumpre muito do que um usuário de Computador precisa logo nos primeiros minutos de uso.
Recomendado a qualquer faxa etária.
=)


[10] Comentário enviado por meinhardt_jgbr em 05/09/2011 - 23:43h:

Abaixo segue o Link de post do companheiro Clodoaldo, com informações complementares sobre a versão mais recente do Zorin:

http://www.vivaolinux.com.br/topico/UbuntuBR/Zorin-distro-baseada-no-Ubuntu-com-aparencia-de-Windows


[11] Comentário enviado por juniorxfce em 06/01/2014 - 09:01h:

Outro Dedian like ¬¬ Mas para quem esta iniciando é sempre bom teR uma alternativa ao Ubuntu, eu pessoalmente não curto os **Buntus nem outros Debian's like por ae. Porem a importância deles esta na inserção de novos usuários no mundo linux.



Contribuir com comentário


  
Para executar esta ação você precisa estar logado no site, caso contrário, tudo o que for digitado será perdido.
Responsável pelo site: Fábio Berbert de Paula - Conteúdo distribuído sob licença GNU FDL
Site hospedado por:

Viva o Linux

A maior comunidade Linux da América Latina! Artigos, dicas, tutoriais, fórum, scripts e muito mais. Ideal para quem busca auto-ajuda em Linux.