Linux slogan
Visite também: BR-Linux.org · Dicas-L · Doode · NoticiasLinux · SoftwareLivre.org · UnderLinux



» Screenshot
» Login
Login:
Senha:

Se você ainda não possui uma conta, clique aqui.

Esqueci minha senha



Artigo

Dominando o BrOffice.org Writer com o uso de estilos
Linux user
morvan
04/03/2010
Este artigo visa a fornecer uma visão propedêutica do Writer e de alguns dos seus recursos, mostrando-nos a importância do conceito de estilos para a suíte e para o processador de texto. O domínio da suíte passa pelo conceito de estilos, pois estes se aplicam a qualquer ferramenta do pacote, de modo contextual.
Por: morvan bliasby
[ Hits: 45420 ]
Conceito: 10.0   2 voto(s)2 voto(s)2 voto(s)2 voto(s)2 voto(s) + quero dar nota ao artigo

O que é o BrOffice.org Writer? Um pouco de história sobre os processadores de texto

O BrOffice.org Writer é um software processador de texto componente da suíte livre e gratuita BrOffice.org. Equivocadamente, algumas pessoas se referem aos Writer, Fácil, Redator, WordStar, Tex etc como "editores de texto". Existe uma diferença muito grande entre um processador e um editor de texto.

O editor é um aplicativo para edição de pequenos blocos de texto, cópia rápida de conteúdo da memória, pequenas rotinas de programação etc. (exemplo: bloco de notas do Windows, SideKick do MsDOS, Kwrite do KDE (Linux) etc.), enquanto aquele é ou deveria ser usado para elaboração de trabalhos com formatação mais sofisticada, como um relatório, uma carta comercial, uma mala direta, uma monografia etc. Referir-nos-emos ao Writer, doravante, como processador de texto, pelo motivo ora exarado, para efeito de desambiguação da nomenclatura.

O processamento de texto, com interfaces mais ou menos amigáveis, sendo que esta amigabilidade cresce à medida que os próprios sistemas operacionais evoluem, remonta à época do MSDos, com o WordStar, da MicroPro, um dos pioneiros. O próprio WordStar evoluiu dentro da história e da interface do MsDos. Chegou-se ao requinte de anexar figuras ao texto, um marco para a época. Depois vieram o Redator, da Itautec, e o Fácil. Estes dois trouxeram um pouco mais de intuitividade ao trabalho de processamento de texto, pois não se precisaria mais utilizar os temidos "comandos de ponto" para se conseguir o mesmo efeito nestes processadores. Mesmo que, em suas últimas edições, o WordStar tenha tornado a interface mais amigável, nenhum destes processadores resistiu ao advento da interface gráfica, com seu apelo imagético irresistível, e, evidentemente, bem mais recursos.

Eis que surge o Word, da Microsoft. Este, malgrado já existisse para a interface texto, só conseguiu a sua hegemonia com o advento da interface gráfica. Neste meio-tempo, surgiram algumas esporádicas tentativas de oferecer - gratuitamente, ou por preços módicos, suítes completas para escritório. Mas todas elas esbarravam no fato de serem ferramentas fechadas, a exemplo da "matadora" suíte da MS. Além de serem fechadas, onde o usuário não pode mexer no código, nem adaptá-lo, a interoperabilidade destas ferramentas concorrentes ia do inexistente ao irrelevante. Se você fizesse um trabalho no formato das suíte X, e não no formato hegemônico, só o poderia ler se se utilizasse a mesma ferramenta da suíte X que o haveria criado.

Neste ínterim, uma empresa pequena e produtiva, chamada StarDivision, da Alemanha, desenvolvia uma suíte de aplicativos para escritório. A Sun (hoje, uma divisão da Oracle), uma grande companhia de software, antevendo a briga pelas suítes de escritório, compra-a e absorve o trabalho da suíte, em 1999. Em 2000, a Sun liberou o código-fonte da suíte sob as licenças LGPL/SISSL, com o nome comercial StarOffice 5.0. A comunidade do Free Software lança, ainda em 2000, a primeira versão livre do pacote (suíte) OpenOffice.org.

No Brasil, sabe-se, tivemos problemas com a marca OpenOffice.org. Em 1998, uma empresa do Rio de Janeiro (BWS Informática) registrou a marca "Open Office" junto ao INPI. Dado o sucesso da marca / suíte OpenOffice.org, a companhia carioca que havia registrado o nome Open Office perpetrou uma campanha de ameaças de processos por uso indevido da sua marca, obrigando a comunidade brasileira a adotar um novo nome: BrOffice.org.

Este pacote / suíte de escritório marcaria para sempre o embate suíte proprietária X suíte livre, pois, pela primeira vez uma suíte de escritório não almejava simplesmente concorrer com a gigante do software proprietário (MS), mas sim se tornar compatível e interoperável - em termos de formatos e de ferramentas - com esta, trazendo, de forma inerente, as vantagens do software livre, com seu ciclo de atualização sempre rápido e eficaz. Com efeito, diz-se, com relação a algum recurso presente no MsOffice e inexistente no BrOffice.org: este recurso X ainda não existe! Para demarcar de vez o território, o pacote BrOffice.org traz um conceito chave para sua operacionalização: estilos. Falaremos mais sobre isso adiante.
Linux: Dominando o BrOffice.org Writer com o Uso de Estilos
Tela do WordStar para MsDos. Fonte: Wikipedia.org
    Próxima página >>




Páginas do artigo

Outros artigos deste autor

Leitura recomendada

Comentários
[1] Comentário enviado por andersonjackson em 04/03/2010 - 11:06h:

Muito bom Mr. Morvan. + Favoritos
Parabéns.


[2] Comentário enviado por removido em 04/03/2010 - 16:37h:

Este Morvan continua insuperável. Sou fã das resbucadelas verborrágicas que este homem destila pelo orifíco gultural...

Vejam só:

"uma visão propedêutica"
"de modo contextual"
"Exiba-a ou a embuta com F11"
"uma pletora de assuntos"

Repito: eu sou um fã sincero deste homem!!!!!!!
;-)


[3] Comentário enviado por grandmaster em 04/03/2010 - 19:25h:

Muito bom o artigo Morvan.

---
Renato de Castro Henriques
ITILv3 Foundation Certified
CobiT Foundation 4.1 Certified ID: 90391725
http://www.renato.henriques.nom.br


[4] Comentário enviado por chacal. em 04/03/2010 - 21:16h:

sta de parabéns pelo artigo muito interessante.
Já add nos meus artigos de backup.
Chacal


[5] Comentário enviado por bonitux em 04/03/2010 - 23:38h:

muito bom, ajudou muito
soh pra constar
eu usava o wordstar 5, depois fui pro wordstar 6 e fiquei muito tempo com o wordstar 7
ele travava menos q o office para win 3.11 ehehehe
na epoca tentei usar o linux com redhat 2.0, mas nao tive muito sucesso....
agora to voltando pro linux
ehehe
abrass


[6] Comentário enviado por nicolo em 05/03/2010 - 11:36h:

O artigo é ótimo o BrOffice está sendo adotado por grandes empresas no Brasil e vai haver uma demanda por tutoriais.
Seria interessante algo mais sucinto, não precisava ser tão loooooooongo.


[7] Comentário enviado por marcosevan em 05/03/2010 - 14:17h:

Bom artigo, valeu cara!

Espero o próximo.


[8] Comentário enviado por maickelpc em 09/03/2010 - 14:58h:

uma dificuldade muito grande que tenho com o broffice, é o cabeçalho.
estou escrevendo artigos e monografia de graduação, gostaria de utilizar o broffice...mas e um parto. tem uma forma facil de fixar o cabecalho de forma que ele nao altere o tamanha em determinadas páginas?


[9] Comentário enviado por morvan em 09/03/2010 - 16:37h:

Boa tarde.
Obrigado a todos pelas intervenções. Maickelpc, o cabeçalho (rodapé idem) no BrOffice.org segue o mesmo raciocínio: utilize estilos. Ao definir um estilo e formatá-lo, o BrOffice.org respeitará a formatação das seções cabeçalho e rodapé. Outra coisa, procure ancorar as imagens dentro das seções cabeçalho e rodapé em "No Caractere", pois assim procedendo as imagens serão mais flexivelmente docadas, diagramadas.

Assim que tiver um tempinho eu darei sequência ao artigo.

Abraços,

Morvan, usuário Linux #433640



Contribuir com comentário


  
Para executar esta ação você precisa estar logado no site, caso contrário, tudo o que for digitado será perdido.
Responsável pelo site: Fábio Berbert de Paula - Conteúdo distribuído sob licença GNU FDL
Site hospedado por:

Viva o Linux

A maior comunidade Linux da América Latina! Artigos, dicas, tutoriais, fórum, scripts e muito mais. Ideal para quem busca auto-ajuda em Linux.