Entrando no mundo Open Source

Publicado por Douglas Leite da Silva em 03/05/2007

[ Hits: 4.304 ]

 


Entrando no mundo Open Source



Antes de ter um computador em casa, não tinha a noção do quanto poderia crescer intelectualmente com esta máquina que não entendia e achava que só me daria prejuízos, pois achava que ela "quebraria" por qualquer motivo e teria que chamar um técnico para consertar, mas precisei ter um em casa pois minha esposa estava na faculdade e precisava de um computador para fazer seus trabalhos (ela só tira dez). Comprei o computador em uma loja que um amigo me indicou, no início foi um pouco estranho, tinha medo de "mexer" e estragar, minha esposa me incentivou a fazer um curso de montagem e configuração de microcomputadores porque se o computador desse problema eu mesmo consertaria e não gastaria com técnicos, agradeço a ela por esta iluminação, foi neste curso que perdi o medo de computadores e me foi apresentado o GNU/Linux, achava que só havia o Windows.

Meu primeiro contato com o GNU/Linux foi com uma distribuição derivada do Mandrake chamada Tech Linux, era boa parte em português e sua instalação era bem simples e fiquei deslumbrado com o KDE que era mais bonito e personalizável que a interface gráfica do Windows 2000 que usava, mas tinha seus contras, era frustrante não conseguir fazer alguma coisa funcionar por falta de drivers para o sistema, mas isso me forçava a buscar soluções e aprender com isso e a sensação de vitória de ver funcionando um modem ou placa de som que não dava sinal de vida é viciante, e o aprendizado proporcionado é mais ainda.

Tenho um negócio próprio e achava que isto me satisfaria e alimentaria minha família muito bem, então não achava essencial um nível superior, bastava trabalhar, mas atualmente não penso assim, graças novamente ao incentivo da minha esposa, estou fazendo um curso superior, Administração de Sistemas de Informação com foco em redes de computadores e não vejo a hora de me formar e que minhas filhas vejam que o conhecimento é a melhor bagagem que uma pessoa pode levar. Decidi pelo nível superior na área de informática por causa da filosofia GNU/Linux que proporciona colaboração e compartilhamento de conhecimento e pretendo fazer esta a minha filosofia de vida.

Estas convicções foram se enraizando em mim com as horas em frente ao computador vendo tutoriais e participando de fóruns onde a comunidade está pronta a ajudar uns aos outros, pelo simples prazer de ajudar, sei disso pois é muito gratificante saber que uma dica sua pôde fazer com que alguém conseguisse resolver seu problema, é isso o que mais me atrai para o mundo open source, além do sistema GNU/Linux que me agrada muito, pois um sistema com esta qualidade que pode ser facilmente adaptado aos desejos do usuário com extrema facilidade, isso é o futuro, uma comunidade global tentando fazer algo bom para o mundo, com mais iniciativas desse tipo o planeta seria bem melhor.

Hoje quero trabalhar com este incrível sistema operacional e ensinar outras pessoas a utilizá-lo, e quem sabe, fazer disso seu ganha-pão, não consigo mais me imaginar trabalhando com outra coisa, até mesmo meu atual ganha-pão não me atrai mais e não vejo o momento de viver de liberdade. Precisamos hoje é desmitificar os mitos sobre o GNU/Linux, pois ainda é visto como coisa de "ráquer", pois para mim hacker é aquele que sabe muito sobre algo, digo isso porque quando fui à 1ª Linux Fest realizada em Brasília, em uma faculdade bastante conceituada, quando perguntei onde seria realizado o evento fui surpreendido com a fantástica frase: "A coisa dos "ráquer" é bem ali.", e tal pérola foi oferecida por um aluno. Eu quero ser hacker sim, um extremo conhecedor deste sistema e no futuro um professor que possa transmitir aos alunos tudo o que eu aprendi e aprendo todos os dias.

Sei que muito do que escrevi não é novo, mas é o que eu queria transmitir.

Obs: Agradeço à minha esposa Marisa por todo amor, incentivo e a paciência pelas noites mal dormidas por causa do tic-tic-tic do teclado, às minhas filhas pela alegria e amor que me oferecem e a meus pais pelo apoio em horas difíceis.

Outras dicas deste autor
Nenhuma dica encontrada.
Leitura recomendada

Otimizando o gerenciador de boot GRUB com Splash Screen

Colecionando discos de boot

Oracle: Diferença entre JOIN interno e externo

Delete mais rápido na planilha Calc do OpenOffice

FreeNX - Evolução remota

  

Comentários
[1] Comentário enviado por luis.crear em 03/05/2007 - 14:38h

Douglas
Esse relato do modem, me fez lembrar da primeira vez que utilizei o conectiva 10. Estava tão empenhado em fazer funcionar o win modem, que chegava algumas vezes dormir 4 a 5 horas por dia, isso durante 1 semana. Claro eu era mais iniciante do que um iniciante, dito na própria palavra. Eu tive que aprender o b, a - ba. Mas o conhecimento que me proporcionou/proporciona o gnu/linux nada nesse mundo me faria esquecer ou entregar. Hoje eu uso (k)ubuntu e sou feliz com ele. Viva a comunidade livre e seu conhecimento.



Contribuir com comentário