Comparativo de custo: Software Livre x Proprietário

Publicado por Jean Pierre Jochen em 15/12/2008

[ Hits: 15.197 ]

 


Comparativo de custo: Software Livre x Proprietário



Partindo do ponto "zero", desde a compra do equipamento básico até a escolha dos softwares necessários para trabalhar com qualquer que seja o ramo de atividade, ou até mesmo para uso pessoal, segue um comparativo entre os custos/benefícios que envolvem a escolha. "Ser livre, ou legalizado,... eis a questão..."

Considerando que você gaste R$ 990,00 num computador básico (hardware propriamente dito).

Legalizado

Sistema Operacional:

Para operar, supondo que você queira uma versão melhor do Windows Vista, a Ultimate, você desembolsará mais ou menos R$ 508,50.

Ferramentas para escritório:

Para usar uma planilha de cálculo, editar um texto, fazer uma apresentação para a faculdade etc você vai pôr a versão 2007 do MS-Office Professional, vai desembolsar na faixa de R$ 839,81.

Mais o custo do PC, estipulando um gasto de R$ 990,00.

Totalizando você gastaria algo em torno de R$ 2.338,31.

Livre

Sistema Operacional:

O GNU/Linux, como o Windows, possui várias versões, mas preferimos chamá-las de distribuição. Eu uso a distro Slackware (11), atualmente na versão 12, por ser simples, estável e segura de fato, tal como se propõe a ser.

Ao custo de uma revista, na época algo em torno de R$11,90.

Ferramentas para escritório:

Por natureza o Slack já vem com suítes completíssimas, prontas para trabalhar com textos, planilhas, apresentações, banco de dados, ambientes para programação em c/c++, perl, python, java, servidor web apache, mysql, ferramentas para internet, rede, além de jogos educativos, ferramentas para áudio/vídeo etc.

Enfim, pelo custo dos 3 cdroms com aproximadamente 3 GB de aplicações (S.O./Ferramentas), tenho tudo o que preciso (e até o que não preciso).

Mais o custo do PC. Tenho instalado no meu laptop, Compaq Presario 1200, fabricado em 1998, que tem apenas 128Mb de RAM, HD 6 Gb e 500Mhz. Achei que ele não tinha mais valor comercial, mas pra minha surpresa achei no Mercado Livre um semelhante por R$ 550,00.

Totalizando, o custo da minha liberdade é de apenas R$ 561,90, ou seja, no meu caso, eu tenho uma economia de 75,97% em termos de dinheiro, e um poderio digital aproximadamente e sem exagero, 350% maior do que teria se "legalizado".

Conclusão

Mesmo que eu compre uma máquina de aproximadamente R$ 990,00, o poder da liberdade ainda assim será, financeiramente falando, 42,33% mais econômica, e digitalmente infinitas vezes maior do que se eu tivesse que pagar pra ter o "melhor".

Outras dicas deste autor
Nenhuma dica encontrada.
Leitura recomendada

Instalando F1 Challenge no Linux

Configurando o Unity 2D

Introdução a linguagem Assembly com o MIPS

Como mudar o /home para uma nova partição

Pendrive do Windows (bootável) no Ubuntu Linux

  

Comentários
[1] Comentário enviado por efernandespt em 15/12/2008 - 10:37h

Creio que estás a ser um pouco simplista e a olhar o assunto simplesmente sob a óptica do empregado e de geek.
O que é relevante aqui é o tco e para isso é preciso levar em conta
- INTEGRAÇÃO COMO PLATAFORMAS EXISTENTES
- FORMAÇÃO DOS TÉCNICOS
- FORMAÇÃO DOS UTILIZADORES
- MORAL DOS FUNCIONÁRIOS
dentre outros, que resultará num custo total que deve ser levado em conta.

A simples falta de conhecimento de questões do dia a dia costuma pagar rapidamente os R$560 que mencionastes com software.

Eu próprio que sou técnico e conheço bem LINUX perco tempo como bobagens que num Windows é muito mais simples, o que dizer de um utilizador convencional num ambiente em que se houver problemas implicará em perdas de produtividade bastante relevantes.

Eu creio que é preciso segmentar antes de se falar.
O LINUX não é sistema, pelo menos de momento, para competir com o Windows num ambiente convencional voltado para o utilizador.

Creio que há muitas evoluções mas ainda um loooongo caminho a prosseguir.

Num ambiente técnico e de servidores aí sim consegue-se bastante coisas embora seja difícil conseguir certo tipo de software mais específico.

That's it

[2] Comentário enviado por jochen em 15/12/2008 - 11:13h

ok, perdão... o amor cega (às vezes)

:-)

[3] Comentário enviado por albertguedes em 15/12/2008 - 13:17h

Realmente, uma das justificativas quanto ao uso de software livre usado pela M$ é o custo de suporte e treinamento do Linux.

Graças ao costume perpetrado pela própria M$, vemos que o Windows é mais simples aos usuários que sempre usaram Windows, que de repente se vê na frente de um sistema que não lhes é amigável, pois o linux não é amigável a usuários normais ainda, isso dá um custo muito maior em treinamento pois o tempo de aprendizado em Linux é muito maior.

Fora que suporte em Linux, ainda mais no Brasil é MUITO sofrivel, um dos fatores que desistimulam MUITO o uso dele em empresas. Isso deixa como alternativa ou a empresa manter um geek de plantão na empresa, ou usar Windows que tem o suporte especial para empresas.

Sua analise é legalzinha jochen, e essa do custo que você fez é real, só não é completo.

De qualquer jeito, valeu a iniciativa.


[4] Comentário enviado por karioka_pr em 15/12/2008 - 13:19h

Mesmo sendo partidário do uso do software livre, tenho que concordar com o comentário do nosso amigo efernandespt ...
Suponhamos um usuário leigo de tudo, mal sabe onde ligar o PC. Teriam que ser ministrados cursos para o cidadão aprender a lidar com o dito equipamento. Não estou muito disposto a fazer pesquisas, mas, tenho impressão, que cursos de linux, por ser algo não tão utilizado quanto à plataforma da M$ ou Apple, são ligeiramente mais caros e raros, logo, mais um custo a ser contabilizado. A questão de integração é muito dependente do ramo de negócio. Creio que exceto alguns aspectos peculiares na parte de desenvolvimento, CAD e alguns campos mais específicos, creio q isso não seria um grande problema.

[5] Comentário enviado por roberdson em 15/12/2008 - 13:27h

Caraca eu discordo plenamente, o Linux me satisfaz em qualquer aplicação que eu precise, mesmo que as vezes eu perca 1 hora para configurar algo que no Wundows com o NNF (next next finish) eu configuraria em 1 minuto, ai vem o porem, essa uma hora que eu gastei agora, é apenas ela, eu raramente vou ter problema com isso no maximo uma atualização de versão, enquanto no windows essa aplicação de 1 minuto vai me fazer perder depois horas e horas com bugs que eles tem.
Um exemplo.
A caixa economica aqui utiliza em seus caixas eletronicos windows 200
Toda semana da problema neles, relacionados ao nosso amiguinho das janelinhas.
Coisa que se fosse feita em Linux, não aconteceria.
Eu sou tecnico em informatica e digo que o Linux se feito por pessoas capacitadas (ou pessoas interessadas em olhar os artigos do VOL e de outros sites) consegue atingir um grau de satisfação muito maior.
Vamos dizer que o usuario que vai instalar o Linux seja uma pessoa que não é capacitada (embora o Linux seja extremamente facil de instalar)
Ela chama um tecnico que vai cobrar digamos que 100 reais pela instalação em cima dessa maquina.
Você ainda tem uma maquina mais barata que no windows, com um desempenho extremamente superior, e se o hardware te permitir, muito mais bonita e atraente.

[6] Comentário enviado por cioban em 15/12/2008 - 17:36h


Concordo que o Linux é muito mais barato, mas a M$ continua dizendo que o custo de manutenção dele é maior, isso porque o costume dos usuários é o windows, um artigo interessante aborda isso.
Vale a pena dar uma olhada neste artigo:
http://www.tuxresources.org/blog/archives/51

Mas este quadro pode ser revertido para o lado do Linux, um exemplo disso é que, quando me casei (a 4 anos), disse pra minha esposa que iria tirar o windows (tinha um dual boot) e iria instalar somente o Linux, ela concordou e foi isso q fiz, e deste então ela só usa Linux normalmente. Um dia desses ela ficou na frente do Windows e e não sabia o que fazer, disse que era mais diícil que o Linux.

Tudo é questão de constume, quando este usuário que reclama do Linux estiver acostumado a utiliza-lo, ele vai achar o windows difícil.

É isso,
Abraços,
Sérgio Cioban Filho
http://cioban.googlepages.com

[7] Comentário enviado por dbahiaz em 15/12/2008 - 20:26h

Bom, vamos ser francos, um utilizador comum "leigo", tem a mesma dificuldade no linux quanto no windows, pelo menos o que vejo no meu dia-a-dia, e a resolução dos problemas do windows se resumindo em "pagar alguém pra formatar". E são raros que o utilizão legalizado! Por isso eu acho muito valido essa comparação de custo x beneficio, proposta da dica. Se fosse para area de produção teria que ter um estudo maior, mais eu sempre gosto de apresentar um video das casas bahia, veja que o eles tem a dizer.

http://www.youtube.com/watch?v=9VyxVVdlzpQ

[8] Comentário enviado por luancfalquetto em 01/03/2009 - 15:22h

Aluno de ADS (Análise e Desenvolvimentos de Sistemas) - Luan

bom, o que existe é software para cada necessidade.
por exemplo, em um servidor, o que se precisa é segurança, então o linux seria o mais provável de ser usado, agora,para um usuário doméstico, que sempre está instalando novos softwares e quase sempre tem pouco conhecimento técnico, um windows seria melhor.
a questão abordada pelo criador da dica deve ser sim levada em conta, o custo, mais tambem o custo-benefício de se usar um tipo de licença ou outra.
usei exemplos de sistema operacional, mais sempre lembrando que não são só os SO que podem ser livres, qualquer aplicação pode ter seu código liberado.
abraços...

[9] Comentário enviado por leonardoschulz em 03/03/2009 - 16:24h

Bom conheço o linux de nome, sei de alguns poderes cabiveis as diferentes
distribuições e tambem a unica versão que instalei foi o ubuntu 7.4, ainda
não tive a oportunidade de conhece-lo a fundo, Até porque acustumei com
a facilidade e praticidade do windows, mais em breve pretendo fazer algum
curso de linux ou lê algo pra começar a se familiarizar como ambiente, é
claro que o linux é um otimo sistema operacional, mais quem utiliza geralmente
são usuarios mais avançados, ou em instituições de ensino como SEDU, ou
empresas, usuario domestico quase ninguem utiliza, pela falta de conhecimento
ou pratica.
Leonardo - Aluno de ADS

[10] Comentário enviado por spilares em 04/03/2009 - 09:40h

5º ADS – USC - 50146

Software livre e proprietário sempre causarão muita polemica e discussão, quase chegam a ser como política e religião. Na realidade todo esse debate é muito saudável pois leva a uma reflexão na hora de escolher o que melhor se adequa a realidade do interessado.

É indiscutível que quem opta por softwares livres terá um custo bem menor para adquiri-los, sai tudo por valores simbólicos ou administrativos. Mas nem tudo são flores, as vezes o barato pode sair caro, por isso, cada necessidade deve ser olhada com frieza dentro do contexto do interessado.

A empresa que deseja ter em seu parque os melhores sistemas, inevitavelmente terá livres e proprietários. Para banco de dados o recomendável é oracle/linux, para firewall e servidores de e-mail e afins é linux, para gerenciamento de rede, perfis e domínio é AD/WinServer.

Dentro do contexto do usuário o mais popular é o Windows, pela sua facilidade de uso e também pela facilidade de encontrar nas “esquinas” cópias piratas. Hoje o linux também é de fácil manuseio no ambiente gráfico, porem os usuários acabam caindo na comodidade de ter um proprietário pirata.

Em resumo deve-se usar o bom senso e avaliar vários fatores determinantes no momento de adquirir um software. O importante é a satisfação ao ter uma necessidade atendida, seja por um livre ou proprietário.

[11] Comentário enviado por Everton85 em 05/03/2009 - 00:27h

O uso do software livre e proprietário depende da necessidade de cada um. Se para usuário doméstico, empresarial... tudo deve contar para as decisoes a serem tomadas em relaçao ao software a ser usado. Por ser mais conhecidoe mais usado, os usuários domésticos estao mais acostumados com o uso do windows que se encontra em qualquer máquina. Já para uso do linux, acho que exige um certo conhecimento do mesmo e adaptaçao ao ambiente, o que o torna mais difícil para os usuários por nao conhecerem o ambiente de trabalho. E levando-se em conta os custos para aquisiçao dos softwares, as vezes o usuário prefere pagar um pouco mais por aquilo que ele conhece do que ter uma economia, onde talvez tenha que desembolsar um valor, para se familiarizar com o software.


Everton Rodrigues, aluno 5 ADS Sao Camilo

[12] Comentário enviado por bento.junior em 05/03/2009 - 06:48h

Toda essa rivalidade entre software livre e software proprietário leva ao usuário final uma série de opções onde ele irá optar pelo software que melhor satisfará suas necessidades. Por esse motivo um software livre não se torna melhor do que um software proprietário e vice e versa, cada um tem suas vantagens e desvantagens. Um software de gratuito pode ser mais acessível ao usuário final devido ao seu custo zero, porém se for um software que não seja conhecido o usuário acaba perdendo tempo e dinheiro com treinamentos, quando há esses treinamentos. Já com software pago o consumidor tem todo um suporte que irá atende-lo de forma integral, dando assim mais liberdade para utilização do software.

Bento Rodrigues - 5º ADS - São Camilo

[13] Comentário enviado por janainacolle em 05/03/2009 - 11:14h

Bom!! O software livre tem lá suas utilidades! Mas nem todos compensam na hora do “vamo” ver. O autoCAD por exemplo não funciona muito bem como Software livre, o legalizado porem funciona normalmente, varias vezes ele pode ser travado e no entanto perderemos o trabalho feito se o software for livre! Sendo que em alguns softwares o melhor é o livre mesmo, tendo o mesmo resultado em um custo muito mais muito menor mesmo.

O linux no entanto não conheço para falar e nem me opor. Cada software tem seus pós e contra em relação ao livre ou legalizado, para tomar a decisão certa é pesquisar!! Experimentar primeiro o livre para depois tomar suas conclusões!!

Janaina Colle - 5º ADS - São Camilo



Contribuir com comentário