Como configurar seu teclado em esperanto no Ubuntu 8.04

Publicado por Rafael Henrique Zerbetto em 04/08/2008

[ Hits: 13.868 ]

 


Como configurar seu teclado em esperanto no Ubuntu 8.04



Configurar o seu teclado brasileiro para usar as seis letras da língua internacional esperanto, que não existem em nosso alfabeto (ĉ, ĝ, ĥ, ĵ, ŝ, ŭ), é muito simples e permite o uso do esperanto em qualquer programa.

Configurando o teclado

Para configurar o seu teclado para esperanto é necessário o seguinte procedimento:

1. Vá em Sistemas > Preferências > Teclado.

2. Clique na aba "Disposições". Aparecerá um botão com o seu modelo de teclado (geralmente "ABNT2 Brasileiro").

3. Clique em "Adicionar". Na caixa "Escolha uma disposição" selecione "Esperanto" em "Disposições". Na caixa "Variantes" aparecerá o termo "Padrão", que é a disposição mais comum.

4. Clique em "Adicionar".

5. Na caixa "Disposição" aparecerão dois teclados, o seu teclado padrão ("Brasil", na maioria dos casos) e o novo teclado adicionado, "Esperanto".

Assim o seu teclado está pronto para funcionar com duas configurações diferentes: a "QWERTY" e a "ŜĜERTŬ". Ele deve funcionar exatamente como antes, mas ao acionar uma tecla de atalho definida pelo usuário (ver mais adiante), a configuração muda para a do teclado em esperanto, de modo que teclas de letras que não existem no alfabeto em esperanto passam a ser usadas para letras que não existem no nosso teclado. A relação é a seguinte:
  • Q > Ŝ
  • W > Ĝ
  • Y > Ŭ
  • ' > Ĵ
  • [ > Ĥ
  • X > Ĉ

Alternando entre duas configurações de teclado

Na janela "Preferências do Teclado" (Sistema > Preferências > Teclado):

1) Clique no botão "Opções de Disposição";

2) Clique em "Layout Switching".

a) Aparecerão diversas caixas onde você poderá selecionar uma ou mais teclas de atalho para alternar entre as duas diferentes configurações de teclado.

b) Eu marquei a caixa "Right Win-kej changes layout", ou seja, uso a tecla da direita com o desenho do logotipo do Windows como atalho para alternar entre as configurações. Afinal, é uma tecla praticamente inútil, que só adquire serventia a partir do momento em que o usuário a configura como atalho para alguma coisa.

c) Certifique-se de que a tecla escolhida como atalho não é usada para outros fins. Configurar a tecla "Shift" como atalho, por exemplo, pode te impedir de digitar diversos sinais de pontuação.

3) Clique em "Fechar";

4) Na caixa "Digite para testar as configurações", ou em qualquer programa que permita a digitação de texto, teste se seu teclado funciona corretamente. Uma maneira simples e rápida de efetuar o teste é digitar a frase "eĥoŝanĝo ĉiuĵaŭde".

Funciona da seguinte maneira: ao pressionar a tecla "Q" deverá aparecer a letra "q" na tela do computador. Pressione a tecla de atalho que você escolheu para alternar entre as configurações de teclado e, novamente, pressione a tecla "Q". Deverá aparecer na tela a letra "ŝ" ao invés de "q".

Assim, ao escrever "e[oqanwo xiu'ayde", você deverá ver escrito na tela a frase "eĥoŝanĝo ĉiuĵaŭde".

No começo é necessário "catar milho" até se acostumar com a disposição das teclas em esperanto, mas, após se acostumar, pode-se usar o teclado em esperanto como se fosse um teclado em português.

Outras dicas deste autor
Nenhuma dica encontrada.
Leitura recomendada

dhcpstatus , listar dhcp leases no Slackware ou sua distro favorita

Formatando datas no Java e convertendo para o Firebird

Experiência com Sistemas para Servidor NAS Free

Renomeando seu pen drive no Linux

Convertendo partição DOS para LVM em máquinas virtuais

  

Comentários
[1] Comentário enviado por marcosmiras em 04/08/2008 - 16:54h

Será que alguem usa esperanto!?

[2] Comentário enviado por rafahz em 04/08/2008 - 19:03h

Muita gente usa esperanto. Além disso, boa parte dos esperantistas que eu conheço também abraçam a causa do software livre. Some-se a isso o fato do esperanto estar se tornando cada vez comum na internet. Há poucos meses,por exemplo, me perguntaram se o esperanto era uma língua criada para a internet (obviamente não é, pois surgiu há mais de 120 anos).

O Ubuntu possui uma versão em esperanto (basta rodar o live CD para conferir), assim como diversos outros programas, como o OpenOffice e o BSPlayer

De acordo com estimativa recente, o esperanto possui cerca de 10 milhões de falantes, o que o coloca entre as 100 línguas mais faladas no mundo, ocupando a terceira posição no ranking de distribuição geográfica.

[3] Comentário enviado por ashmsx em 24/07/2009 - 19:42h

iu frenezulo parolas eo-n? neniu parolas gxin... kaj la esperanta versio ne bone funkcias cxar la tradukado mankas multa da vortoj.

[4] Comentário enviado por rafahz em 24/07/2009 - 20:26h

ankaŭ vi! :-P

[5] Comentário enviado por ario em 23/11/2009 - 23:24h

Será que alguem usa esperanto!?

Resposta:

Será que alguém usa linux?

Procure informações em http://esperanto.gratix.com.br, lá tem um menu em esperanto, mas dá para navegar em diversas tipos de informações e uso.

Esperanto comunidade de resistência como outra qualquer... melhor incomodar a reinar intranquilo! Melhor participar do pouco que se tem a ficar só consumindo do muito que poucos detêm.


[6] Comentário enviado por ario em 23/11/2009 - 23:50h

rafahz

Eu falo esperanto mas não posso afirmar 10 milhões de falantes. Mas fazendo algumas contas de pessoas que realmente falam (explorando e comparando relativamente com nossa língua, a participação dos eventos, associações, uso nas universidades principalmente europeias e asiáticas, edição e consumos de livros e músicas, roda das famílias que falam esperanto...) consegui admitir uns 5 milhões. Mas se calcular com aquelas pessoas que não sabem só o suficiente para entender o que não queremos que elas compreendam, ou aquelas que apenas ou mal conseguem ler ou entender, e principalmente aquelas que sabem tipo "inglês more less" é muito mais do que isto. E se calcular com aquelas pessoas que só dizem bom dia e boa tarde e fazem do esperanto mais uma religião do que uma língua internacional neutra minoritária e diáspora, o número pode crescer. Mas prefiro ficar com uns poucos milhöes, afinal não viverei tanto tempo para conhecer todas pessoas da terra, fazer o que todos fazem, e täo menos verei todos fazendo a mesma coisa. Portanto até o dia da minha morte, o tanto de pessoas que falam esperanto já é o suficiente para minhas ambições. Que o restante julguem das formas mais arbitrárias, pois o preconceito é que fortalece as minorias. E falar esperanto näo quer dizer que eu näo deva aprender outra língua, aí seria recair em um novo preconceito.



Contribuir com comentário