Receita descarta software do IR para Linux - cadê a nossa liberdade?

A notícia com o título acima (só a 1ª parte - o complemento é meu), divulgada recentemente na internet, provocou um grande reboliço na comunidade de software livre, principalmente nas listas de discussão sobre Linux.

[ Hits: 7.691 ]

Por: Cleber Campos em 11/05/2009 | Blog: http://cleber.eng.br


Receita descarta software do IR para Linux - cadê a nossa liberdade?



A notícia com o título acima (só a 1ª parte - o complemento é meu), divulgada recentemente na internet, provocou um grande reboliço na comunidade de software livre, principalmente nas listas de discussão sobre Linux.

Vamos comparar com outras notícias pelo mundo:

Pesquisa: 56% das empresas adotam software livre

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Forrester Research apontou que 46% das empresas implantaram ou planejam adotar o uso de softwares livres - ou de código aberto - ainda este ano. A adoção dos programas seria importante para obter redução de custos, justificaram ainda 56% dos 2,2 mil executivos de empresas de tecnologia ouvidos no estudo, em que foram ouvidos profissionais de países como Inglaterra, Alemanha, Estados Unidos, França e Canadá.

Posted 26-04-2009 at 23:19 by Sukkubus

Polícia francesa poupa milhões migrando para o Linux Ubuntu

A polícia nacional da França, a Gendarmerie Nationale, tem falado sobre a migração do Windows para o Linux. As estimativas são que eles tenham poupado, até agora, 50 milhões de Euros, e a migração completa de 90.000 estações de trabalho irá terminar em 2015. A respeito da mudança, o Major Guimard fez o seguinte comentário:

"Migrando do Microsoft XP para o Vista não traria muitas mudanças e a Microsoft disse que iria requerer treinamento. Migrando do XP para o Ubuntu, entretanto, se mostrou bastante fácil. As duas maiores diferenças são os ícones e os jogos. Jogos não são prioridade para nós."

Posted 26-04-2009 at 23:19 by Ynot_82
Linux: Receita descarta software do IR para Linux - cadê a nossa liberdade?
Como vemos, mais uma vez os nossos "profissionais" que trabalham para o governo dão a entender que estão na contramão do que o restante do mundo anda fazendo.

A Receita Federal, baseada apenas numa estatística de número de usuários (obviamente a maioria ainda é Windows - e pirata!), resolveu continuar pagando caro para ter seus programas na plataforma Windows e abandonar o desenvolvimento dos programas para a plataforma em Linux - sistema livre, que com certeza traria uma poupança enorme para os cofres do governo.

Mas eles estão gastando nosso dinheiro mesmo, acho que não estão nem aí. Ou seja, eu que uso Linux sou obrigado a pagar para a Microsoft por usar o programa da receita, para pagar impostos ao governo. É realmente um absurdo!

A receita alega que já tem um programa "livre" em Java (muito ruim e cheio de bugs) para atender aos usuários do Linux.

Então eu pergunto:

Por que eles não deixam o Java para os usuários do Windows, cancelam todas as licenças Windows (baita economia) e colocam seus profissionais para trabalhar com o Linux?!

Com certeza eles vão trabalhar muito mais livres, contentes e produtivos. Não precisam nem treinamento ou aumento de salários.

Referências:
   

Páginas do artigo
   1. Receita descarta software do IR para Linux - cadê a nossa liberdade?
Outros artigos deste autor

OpenSOLARIS - que sistema é esse que quer "desbancar" o Linux?

O esforço para o sucesso do Linux em desktops é em vão?

Leitura recomendada

Resistência de usuários Windows na utilização de Linux

Mozilla Firefox é coisa do tinhoso?! Mito, verdade ou apenas um easter egg proposital?

Livre arbítrio - exerça!

Livre não precisa ser gratuito

Como tornar o Linux mais comercial em pequenas e médias empresas

  
Comentários
[1] Comentário enviado por mhi7seven em 11/05/2009 - 09:30h

Realmente cara. Este país está como está por esta visão ambiciosa e preguiçosa das coisas.

Acho ridiculo o uso daquele software em JAVA cheio de erros realmente disponibilizado pela Receita. Sinceramente, há alguns anos atrás ainda via alguma esperan em um governo melhor, mais inteligente e com menos desvios monetários. Sonhava com pessoas + instruídas com cabeças melhores.

Bem... fica aqui minha indignação. As coisas nunca irão mudar porque nunca houve e nunca haverá união.

Nosso ex presidente FHC causou leve polêmica (rapidamente abafada pela mídia) em seu segundo mandato ao declarar no exterior que no Brasil, 99% da população é ignorante demais. Sinceramente nunca fui com a cara dele, mas neste ponto tive de concordar.

Um abraço a todos. Excelente artigo.

[2] Comentário enviado por silent-man em 11/05/2009 - 09:34h

Isso mostra mais uma vez que nós pagamos por tudo e não temos opção de escolha pelo o que pagamos!

Será que alguém(RETIRANDO O POVO É CLARO) não está se beneficiando disso?

Já trabalhei no governo e sei bem como é isso.

Eles deveriam ser os principais alimentadores destas idéias.

Esse tópico é apenas mais um de centenas de softwares/sistemas/etc... que poderiam ter custos reduzidos, porém, eles não fazem a mínima para isso.

Bom isso não foi um "desabafo"( A barra de rolagem ainda está bem grande :P ).

Abcs!

[3] Comentário enviado por ghregory em 11/05/2009 - 10:03h

É, agente paga 2 vezes ¬¬

[4] Comentário enviado por QuestLoder em 11/05/2009 - 10:10h

Parabéns pela iniciativa,

Realmente estou desgostoso com o governo, o povo brasileiro não tem pusso, e concordo com o comentário do FHC ("O Povo brasileiro são ignorantes").
Infelizmente isso ainda acontece e só irá mudar quando o exército tomar conta novamente do nosso pais.

Muitos irão me chamar de louco, mas infelizmente é a realizade, naquela época não tinha tanta robalheira, e muleke de 12 não andava com Arma na mão e nem falava que queria ser bandido com eu assisti ontem na Tv Globo.

Se alguem não se manifestar vamos ser assombrado pelo medo e a tristeza.


Fica ai o meu desabafo

Abraço

[5] Comentário enviado por organicx em 11/05/2009 - 10:35h

Eles devem ter pensado assim...

Software IR pra Linux? Não!!! Minha geladeira em casa é frostfree...
Ou então..

Não agente nao precisa de Linx...


Bando de burro que quer ser lider de TI...
Funcionario publico que nao sabe pra que serve, e o que é o linux e fala não...

Common IRs dudes...

[6] Comentário enviado por joaomc em 11/05/2009 - 10:36h

A Receita vai se concentrar nas versões Java dos softwares desenvolvidos por eles (na verdade, pelo Serpro). Quando dizem que descartam uma versão para Linux, estão querendo dizer que descartam uma versão nativa, e não que deixarão o Linux de lado. Há certas críticas a serem feitas sobre a versão Java, sim, e devemos reclamar, pedir que eles melhorem, por exemplo, a qualidade das fontes, que são ruins no IRPF2009. Porém, por favor, pessoal, vamos ler as notícias inteiras e não pela metade, a Receita não está abandonando o Linux. Se isso acontecer, eu mesmo vou protestar.

[7] Comentário enviado por Reideer em 11/05/2009 - 10:39h

Penso o seguinte.
A melhor opção para a receita seria desenvolver softwares multi-plataformas. Java é a principal iniciativa em se tratando de multi-plataforma.

De que adianta criar um software que rode somente em um Sistema Operacional? Isto não tira a liberdade? Pior ainda é desenvolver diversas versões uma para cada Sistema Operacional.

Na minha opinião a melhor coisa que a receita poderia fazer é:
Mandar toda aquela centena de pessoas viciado em Windows embora.
Contratar algumas dezenas de programadores Java e recomeçar do Zero todos os softwares dela.

Aliás, o pessoal da caixa também deveria fazer isto. É inadimissível como são construídos os softwares para manuseio de FGTS e outros serviços da caixa.

[8] Comentário enviado por juliofsn em 11/05/2009 - 10:53h

Eu fiz a minha declaração e a de todos em casa com a versão Java e não tive problemas, por mim deixava apenas essa.

"Na minha opinião a melhor coisa que a receita poderia fazer é:
Mandar toda aquela centena de pessoas viciado em Windows embora.
Contratar algumas dezenas de programadores Java e recomeçar do Zero todos os softwares dela."

Como se fosse a coisa mais fácil do mundo demitir um funcionário público e organizar um novo concurso...

Mas acho que estão fazendo muito barulho por nada, achei a versão Java bastante prática e usável, ainda existe a versão nativa do Windows por que de um ano para outro são feitas pouquíssimas modificações (é só ver várias versões do software para Windows) e o custo em mão-de-obra acaba sendo muito baixo (o que não seria se tivessem que fazer uma versão do zero para linux)

[9] Comentário enviado por joaomc em 11/05/2009 - 10:53h

Continuando:
Aliás, eu usei o IFPR2009 no Linux e este funcionou bem. As versões anteriores eram muito ruins, sim, mas a última funcionou melhor. Espero que continuem melhorando. Por mim, eles abandonariam a versão Windows e migrariam totalmente para a versão Java. Aí funcionaria com Windows, Linux, OSX...
Na teoria, seria lindo abandonar o Windows e migrar para o Linux. Infelizmente, a coisa não é tão simples assim. Há vários sistemas legados em Windows que não podem ser migrados da noite para o dia. Há vários clientes dentro do próprio governo (outros ministérios, etc) que se recusam terminantemente a utilizar qualquer coisa que não seja Windows. É ruim? É? É coisa de cabeça-dura? É. Pode ser coisa de gente que não quer trabalhar direito? Pode até ser. Porém, é assim que as coisas são.
Ainda que se conseguisse convencer os clientes a utilizar Linux, aí haveria aquela famosa resistência interna. Uma coisa é fazer uma migração em uma empresa pequena, outra coisa é fazer uma migração massiva, atingindo um monte de funcionários, incluindo o que eu chamo de funcionários-vampiros. Um vampiro não suporta alho, um funcionário-vampiro não suporta novidades. Jogue alho em um vampiro e ele chorará de dor. Jogue uma novidade em um funcionário-vampiro e ele fará a mesma coisa.
Não que eu ache que a resistência interna deva ser um empecilho. Na minha opinião, é preciso fazer um cuidadoso estudo de viabilidade e do impacto da migração. Se detectarem que é vantajoso realizar a migração, se os funcionários continuarão podendo trabalhar no mesmo ritmo, então a migração deve ser feita e treinamentos devem ser realizados. Se tudo isso for seguido, aí o funcionário que se vire e se adapte. Sempre haverá os insatisfeitos, que continuariam recebendo declarações em papel porque "sempre fizeram assim e sempre funcionou", então "por que mudar algo que funciona?".

[10] Comentário enviado por ShadowFox em 11/05/2009 - 12:01h

Caros...

Acho que a reclamação de vocês não procede... Eu não sou obrigado a rodar este software no Windows pois uso meu wine para isso. Uma versão nativa deste software para a receita realmente não interessa pois a maioria dos acessos são feitos por contadores que usam o Windows para digitar seus documentos nos aplicativos do Office e utilizam outros softwares de calculo para Windows.

Então, para ter demanda, nós teriamos que fazer os contadores usarem o Linux.. Mas como dizer para que façam isso se o OpenOffice (ou variantes) não estão aos pés do Microsoft Office? Se a interface de usuário na maioria das distribuições linux é tão dificil de se usar que ninguem consegue comprar um computador com linux e usá-lo por mais de uma semana. Acho que vocês deveriam mesmo é ajudar o código livre de alguma forma e não reclamar de quem usa ou não.

Por isso, não justifica mesmo construir e manter um software para linux se quase ninguem acessa. Até onde eu sei, eles não dependem de licença Windows para que as pessoas possam usar o software da receita, já que o mesmo é free.

Concluindo, deve-se pedir para que eles aprimorem o software em java que já existe, não dizer que o governo está abandonando o SL...

Obs.: Não sei se o código fonte (do Java) disso está disponível.... Se tiver, melhore!



[11] Comentário enviado por cytron em 11/05/2009 - 13:10h

Gente! gente!!!

Vocês estão por fora da democracia brasileira, nosso maravilhoso poder legislativo!

Ficam aí criticando windows, softwares for windows, puxando sardinha pra Linux, Software Livre....

Não estão analizando os dois lados da moeda, só querem ver seus interesses, parem com isso!!!!


Desde quando brasileiro tem interesse? Desde quando brasileiro é gente? ..., tudo bem! É gente sim! Mas desde quando brasileiro tem direitos? Liberdade? kkkkk, o que é isso?

O governo gasta milhões anualmente com licenças de softwares que não precisavam ser gastos, pois existem alternativas free por aí. Ou bastava iniciar uma campanha de contribuição que as centenas e centenas de programadores brasileiros se prontificariam a contribuir.

Mas cá entre nós, qual seria o benefício do legislativo em incentivar ou contribuir como Software Livre? Cá entre nós... qual é o INTERESSE ou BENEFÍCIO que o "legislativo" terá em "não gastar" dinheiro com licença de softwares?

Eu já trabalhei em prefeitura, as coisas não funcionam assim, é preciso gastar dinheiro... muito dinheiro! Economizar em licenças significa "não gastar" dinheiro.

Talvez você pergunte... "Afinal de contas, qual é o interesse em gastar tanto dinheiro?", ora! ora! ora!

Se você trabalhasse na divisão de compras de uma prefeitura estaria com a resposta na ponta da língua.

Não sou aqui nenhum delator ou levantador de suspeitas ( kkkkk ), o mais claro que posso dizer é: "dinheiro parado é complicado... mas dinheiro pra lá, dinheiro pra cá... esse vuco vuco... já cansei de ver nota fiscal de cartucho custar mais de mil reais".

Vocês mesmos já viram na TV, o senado paga 150,00 na cópia de uma chave, sendo que o chaveiro na mesma rua cobra apenas 5,00. É preciso gastar! "O destinho do dinheiro já é outra história..."

Por favor, não me critiquem pelas duras palavras, a final, não são minhas, estou apenas escrevendo o que todo GOVERNANTE gostaria de gritar no microfone.

Bom, do meu ponto de vista:

Deveríamos pressionar o governo para atender nossos interesses, já que nós é que somos "o chefe", nós pagamos o salário. Não queremos gastar milhões em software proprietário.

Não quero que o IR seja feito para Linux, quero que seja feito em uma tecnologia cujo não é dependente de software proprietário.

Se windows repentinamente ficasse free, ótimo, mas não vai ficar tão cedo!

Falar dos nossos governantes é uma grande piada, mas quer ver piada maior?

"Povo brasileiro exige seus direitos"
kkkkkkkk

Detalhe: Saber dos direitos não significa correr atrás deles viu!

Toda assembléia é aberta ao público... alguém foi lá reclamar cara a cara?

Nem eu fui!

[12] Comentário enviado por removido em 11/05/2009 - 13:23h

Vejo muitos posts do tipo "povo brasileiro" não reclama direitos mas esquecem-se que SOMOS tal povo... Nós não reclamamos.

Mas vejamos uma verdade nua e crua: SOMOS realmente uma porcentagem ínfima de usuários linux e mais ínfima ainda é a porcentagem de usuários linux que declaram imposto à RF...

Eles têm razão: não compensa o trabalho.... E olhe que nem juntandocom o pessoal do Mac.

Talvez quando formos 5 ou 10% do total de usuários, quem sabe???

Enquanto isso, deixemos de fazer beicinho e vamos à luta aumentar a base de usuários do pinguim (sem trema????) para depois batermos na porta da RF novamente...

[13] Comentário enviado por Viper191 em 11/05/2009 - 14:21h

Amigos esta noticia não passa de FUD da Info (que cá entre nós cai de qualidade a cada dia).
É necessário esclarecermos algumas coisas :
1-Não existe software do IR "nativo (R)Windows", o que existe é um instalador personalizado para este ambiente.
2-A Receita continuará utilizando Java para o dito programa.
3-Esta matéria da info está totalmente fora de contexto veja o que saiu na Agencia Brasil http://www.agenciabrasil.gov.br
(OBS os grifos são meus)
"Brasília - O sistema operacional Windows (Microsoft) ainda predomina entre os contribuintes pessoa física que enviaram a declaração do Imposto de Renda de 2009 pela internet. Mesmo assim, segundo o supervisor nacional do Programa do Imposto de Renda, Joaquim Adir, a Receita Federal continuará mantendo a versão Java (Sun Microsystem), única disponibilizada este ano, que funciona em qualquer sistema operacional, incluindo os programas de computador conhecidos como softwares livres.

“Pouca gente usou [software livre]. Mas será mantido, porque é essa a filosofia: atender a todos. A maioria absoluta continua com Windows. E essa cultura poderá mudar com o tempo”, disse Joaquim Adir.”
integra da matéria: http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2009/05/04/materia.2009-05-04.9693848974/view

Por favor não vamos alimentar campanhas de desinformação que são feitas contra o Linux , que tem como único objetivo evitar que os sitemas GNU/Linux cresçam em aceitação.

Links como FUD para a Info e a tal matéria são bem vindos.

[14] Comentário enviado por jochen em 11/05/2009 - 15:50h

Pessoal, ... O que podemos esperar de um presidente "ex-metalurgico", sem dedo, senão levarmos "ferro".


[15] Comentário enviado por asdf2 em 11/05/2009 - 16:16h

eu prefiro que faça um unico software em java e que roda em todos os SO, assim os bugs seriam corrigidos mais rápido, pois todos teriam o mesmo problema.

[16] Comentário enviado por stremer em 11/05/2009 - 16:17h

é... confusão de uns... esclarecimento de outros... a verdade é que existem 2 versões do IR ... nativa (windows) e Java (Linux/Solaris/Mac/Windows/etc)...
Já faz alguns anos que o IR funciona no linux sim... e até q funciona bem... fiz minhas ultimas declarações no linux e apesar de alguns bugs... vai na boa!
Desenvolver versão nativa para linux não justifica pelos seguintes motivos:
- Custo, não se poderia sair usando algumas bibliotecas livres por causa da licença
- Problema de incompatibilidade com diversas distribuições (ninguem vai desenvolver um software do imposto de renda aberto pros outros empacotarem)
- Necessidade (a maior parte dos desktops são windows)

Ou seja... ALTERNATIVA EXISTE SIM... então... NÃO ADIANTA RECLAMAR!!!
O detalhe é que tem mto usuário com 486 e windows 95 e nesses a versão java FICA LENTA... e portanto se mantem a versão windows!

Java tem limitações para rodar em qualquer lugar... por isso é inferior a versão windows... nativa...

portanto... acho essa noticia inutil... ja que se tem alternativa... e pro tipo de negocio java é a melhor solução e ponto final!

[17] Comentário enviado por joaomc em 11/05/2009 - 16:26h

stremer, *não* há versão nativa do IRPF2009. É um instalador personalizado que embute o JRE, mas ainda assim é Java.
Havia mais problemas no IFPR2009 com o Windows Vista do que com o Linux, por sinal.

[18] Comentário enviado por stremer em 11/05/2009 - 16:31h

joaomc...

Nesse ano de 2009 eu não sei... mas ano passado ainda vi a tal versão nativa no pc do meu pai... (eu ja venho fazendo a versão java alguns anos)....

Como falei... a versão java pro tipo de negocio que é ... faz o trabalho mto bem... seja em qualquer SO...

Só não roda mesmo em 486 com windows 95...

[19] Comentário enviado por jamielniak em 11/05/2009 - 18:20h

Também não acho que vale a pena desenvolver algo nativo para linux. Seria interessante mesmo trabalhar no linux para deixá-lo mais amigável, mais pessoas poderem usá-lo e daí sim valer a pena desenvolver este software para ele.
Um exemplo comigo: fiz o update para a última versão do ubuntu e este perdeu a configuração da placa de wireless, vou precisar garimpar na web qual a solução para isso. Imagine se tivesse só o linux e fosse fazer minha declaração de imposto de renda ?
Mas a versão java não deixou nada a desejar ao menos pra mim...

[20] Comentário enviado por asdf2 em 11/05/2009 - 19:53h

ao invés de pagar 40 programadores para linux, 40 para windows e 40 para MacOS, paga 100 programadores para criar um único programa em java, e sendo assim o software ficaria mais confiavel pois seria mais pessoas testando o mesmo software (seria como o kernel linux - o mundo todo aperfeiçoando o mesmo programa).

[21] Comentário enviado por annakamilla em 11/05/2009 - 20:05h

seria bom aperfeiçoar o java dele.

[22] Comentário enviado por daniel.franca em 11/05/2009 - 20:07h

Eita choradeira, já existe uma versão Java.
Só não querem investir em uma versão nativa pra um sistema operacional q só agora tem 1% do mercado e q nesses 1% ainda existem trocentas distribuições diferentes com diferentes particularidades q podem gerar 1001 bugs cada.

[23] Comentário enviado por franciscosouza em 11/05/2009 - 21:00h

Sinceramente não li nenhum comentário, mas acho muito interessante a ideia de manter somente o aplicativo Java. Assim, o aplicativo pode ser aperfeiçoado.

É uma choradeira inútil isso de pedir versão nativa. A versão em Java, ou em Python, ou em Ruby, ou em qualquer outra linguagem interpretada é muito mais acessível, portável entre diversas plataformas :)

[24] Comentário enviado por AprendizPinguim em 12/05/2009 - 10:16h

Certamente nós podemos executar o software da Receita Federal através do Wine; entretanto, o país, bem como nossos órgãos de TIC devem ter consciência do Software Livre. Até quando teremos que usar de artifícios para executar programas do re$trito mundo Microsoft (embora existam boas soluções provenientes de tal empresa, é o famoso provérbio: "Examinai tudo e retende o bem...") em nossos sistemas?

Bom artigo.

Abraços.

[25] Comentário enviado por brunobcf em 12/05/2009 - 10:39h

O que acho estranho é que a maioria das pessoas que comentam, usando a liberdade como argumento, só se preocupam com a versão para Linux. Se é para ter liberdade, tem que focar somente na versão Java, que hoje em dia funciona em quase todos os SO's. E o que acho bizarro é que algumas pessoas usam como argumento a burrice do governo e nem sabem escrever.

[26] Comentário enviado por nicolo em 12/05/2009 - 10:46h

Já há muitos comentários, mas continuo crítico e cético com a floresta de distros e kernel do linux;
se não houver um mínimo de padronização vai ser difícil alguém fora do software livre
fazer programas para linux.
Como seria esse programa? A la BSD, a la Slack builds, ou um binário como deb ou rpm?
Vejamos dois fatos intrigantes:
Os suportadores externos do Slack partiram para o Slack builds uma nítida guinada em direção à estratégia BSD.
As distros baseadas em BSD continuam crescendo.
Os Sabayon e Gentoo´s continuam tendendo para a estatégia BSD.(Um sistema para uma máquina)

Essas distros não são para principiantes, o que é uma contradição, mas elas tem uma metáfora estratégica
de padronização.
O BSD tem uma estratégia de padronização, sem muita pressa de ganhar público

Do lado no Linux o Ubuntu tem uma estratégia de popularização, muito louca, mas tem.
Como ganhar espaço sem a massificação do uso??????
Como tornar o produto acessível à massa sem padronização?????

O LINUX carece de uma ferramenta universal de instalação de programas, seja ela tipo "ports" ou um binário
padrão que possa ser engolido por qualquer distro.
Imagine a situação de alguém que queira fazer um programa de massa, fácil de usar para LInux, tipo windows installer.
O que você sugere?????





[27] Comentário enviado por removido em 12/05/2009 - 22:07h

Sugiro um ./configure , make , make install

[28] Comentário enviado por Teixeira em 13/05/2009 - 09:40h

O que tenho visto é que a versão Java trabalha bem em alguns micros, e em outros não.
O simples mudar de Pentium III para Pentium II já dá problemas, inexplicavelmente.
Creio que se deve aperfeiçoar essa coisa do Java para que funcione bem em todos os PCs a partir de uma determinada configuração, contanto que o sistema seja realmente multiplataforma.
Nossos amigos profissionais de TI que trabalham no governo são competentes e sabem das coisas.
Ocorre porém uma forte influência de "estranhos no ninho" ou "amigos da gandola" que são os que verdadeiramente direcionam os procedimentos, movidos ou não por "lobbies".

Contudo, o sistema da Receita Federal tem-se aprimorado de forma elogiável (Falta porém à Caixa Econômica acordar para a realidade).

Para quem pode comprar um PC quase a cada ano, o sistema da Receita é um verdadeiro paraíso.
No entanto, aqueles que não podem investir constantemente em um "sistema operacional MS" mais atual (porque não lhe sobra dinheiro e/ou não quer praticar a pirataria pura e simples) ficarão a ver navios.

Um micro ou pequeno empresário tem duas opções:
Ou TRABALHA para ganhar seu dinheirinho, ou fica de micro em micro procurando resolver os problemas que lhe são adicionados a cada dia por um governo que procura acabar com a burocracia...
Ora, dirão alguns: Mas para isso existem os profissionais de contabilidade, os despachantes, etc.
POIS SIM!
Quem já teve experiência como empresário, de alguma forma (porém devidamente registrado) que atire as dez primeiras pedras.
Mas quem sempre trabalhou como empregado ou como "frila", é melhor ficar calado (rsrsrs).

Agora, não acho que para uso profissional faça grande diferença o uso de ferramentas do Office da Microsoft ou do OpenOffice, BR-Office, ou o StarOffice da Sun Microsystems.
Ou seja, eu reconheço alguma superioridade em algumas utilizações, sim, mas no dia a dia não há exigências quanto a floreios ("bells and whistles"), uma vez que a finalidade dos aplicativos é plenamente atingida.
Por exemplo: Dá para comparar o Abiword com o MSWord? Ora, MSWord é "melhor", mas o Abiword é plenamente funcional.
É questão de adaptação.
O que quero dizer é que, se a suíte da MS não existisse (o que no entanto seria lastimável), ainda assim teríamos como
trabalhar plenamente com nossos PCs.

A possibilidade de incompetência ou irresponsabilidade de nossos colegas de TI que trabalham no governo está totalmente descartada.
Vai aqui a nossa simpatia para com eles.
Eles também, assim como a maioria de nós, tem de "amarrar o burro conforme o dono manda".
E às vezes é o burro que amarra o dono...
São ossos do oficio!


[29] Comentário enviado por wanderleihuttel em 13/05/2009 - 10:40h

Ótimo comentário Teixeira.

Infelizmente algumas empresa são reféns de programas que somente rodam somente em Windows (Receita Federal e Caixa Econômica).
Os programas da Receita Federal não se resumem apenas em declaração de IR, os contadores chegam a utilizar mais de 40 programas.

Não defendendo a Receita Federal, mas eles pelo menos já começaram a desenvolver softwares em Java que rodam em multiplataforma.
Já a Caixa Econômica Federal ainda não. Exemplo o extrato do FGTS que utiliza apenas o Java da Microsoft, se usasse o da Sun já seria possível usar em Linux.

Li uma vez que a Microsoft ia vender o Windows À R$ 1,00 pra escolas que iriam colocar Linux, só para não migrarem para Linux.
Se o Google ganha dinheiro com serviços gratuitos, lógico que tem pagos também, quem garante que futuramente, a Microsoft não possa achar alguma maneira de distribuir o Windows gratuitamente e ganhar dinheiro como o Google.
O Google é a marca mais valiosa no terceiro ano consecutivo:
http://idgnow.uol.com.br/mercado/2009/05/06/google-e-a-marca-mais-valiosa-pelo-terceiro-ano-consecut...

Infelizmente no Brasil existe muita pirataria, é as vezes é preferível usar um SO pirata do que um Linux Livre que é muito complicado.
Imagine um usuário Leigo tendo que compilar um programa para instalar, sem chances.

Acredito que isso seria mudado se o Linux tivesse uma padronização de algumas coisas.
Se eu fosse instalar um programas em CentOS, Slackware, Ubuntu, Debian, fosse a mesma coisa.
(Ai o pessoal Linux, fala, mas isso tiraria a Liberdade!)
Se eu quero instalar algum programa em Win98, WinXP, WinVista é igual, não tem diferença.
Já li algum tempo atrás que grandes empresas, não me recordo quais, montaram um consórcio para padronizar certas coisas no Linux.
Achei um link sobre o LSB
http://under-linux.org/b544-padrao-unico-para-linux-em-fase-de-teste

Quando isso realmente estiver 100%, com certeza as empresas vão migrar para Linux.

Peço desculpas se sai um pouco de foco talvez, mas é isso.
Valeu Wanderlei

[30] Comentário enviado por joaomc em 13/05/2009 - 13:05h

O pessoal da Caixa realmente está de palhaçada. Entendo a dificuldade de se fazer com que todos os softwares sejam multi-plataforma. Porém, simplesmente não aceito que um programa, em 2009, exija a JVM da Microsoft, bastante específica, sem manutenção e obsoleta. É muita incompetência para o meu gosto.

[31] Comentário enviado por asdf2 em 13/05/2009 - 14:19h

"... exija a JVM da Microsoft"

JVM da Microsoft? Nunca ouvi falar nisso.

Não seria JVM da SUN não?

[32] Comentário enviado por joaomc em 13/05/2009 - 17:04h

@asdf2,

É JVM da Microsoft mesmo (MSJVM). A Microsoft fez uma implementação mega-tosca da JVM, e não sei por que diabos algum incompetente decidiu que seguir a implementação deles seria o melhor a fazer.

[33] Comentário enviado por juliofsn em 13/05/2009 - 22:55h

joaomc,
a MSJVM era muito mais rápida que a da Sun, conseguindo rodar programas Java quase como código nativo (no quesito desempenho),
a idéia da MS era até tornar Java a linguagem padrão para aplicações desktop,
no entanto a MS não seguiu as especificações padrões da Sun (foda-se a interoperabilidade) e foi processada (e condenada)
o resultado é que o MSJVM foi usado como base para o .NET Framework,
e o Swing do Java continua com a incrível capacidade de transformar super-máquinas (sim, com hífen) em lesmas

[34] Comentário enviado por joaomc em 14/05/2009 - 09:25h

A MSJVM tinha a incrível capacidade de ser uma caixa preta, totalmente incompatível com a implementação utilizada como padrão. Tinha muitos, muitos bugs. Implementava, e muito mal, Java 1.1. E sobre a lentidão do Java, o IFPR2009 tem uma performance aceitável. Há exemplos bons de softwares em Java, e há exemplos ruins. jEdit é um exemplo de software eficiente. Oracle SQL Developer é exemplo de software muito lento.

[35] Comentário enviado por Teixeira em 14/05/2009 - 13:03h

É normal que "o java da MS" seja mais rápido em ambientes Windows. Ele foi desenvolvido exatamente para isso.
Mas antes disso, lembram-se de quando a MS alegava que o Java "não tinha segurança"?

[36] Comentário enviado por Marcus-RJ em 17/05/2009 - 19:34h

Tremendo FUD esse artigo.

Pelo que eu saiba a versao em Java nao eh ruim como ele diz.

Abs!

[37] Comentário enviado por ottodutra em 19/06/2009 - 06:00h

É realmente o governo Brasileiro continua com sua mentalidade mediocre e ainda achando que é um país com nível de maturidade igual aos países de primeiro mundo. O pior é que os centros de desenvolvimento de T.I do país são todos caóticos, alguns poucos funcionam mais ou menos. E isso tudo por conta da nossa cultura social de que "é mais fácil fazer o básico, do que trabalhar duro e fazer o melhor" e olha que nem sempre o melhor é o mais caro, principalmente em desenvolvimento de software. Por exemplo, o site do governo de SP está ficando bem legal e dinâmico, eles invertiram nesta questão da WEB e estão fazendo o site em PHP e aproveitando bastando do CSS, JAVA SCRIPT e do próprio PHP. Inclusive o site do Nota Fiscal Paulistana é bem organizado apesar de ser um site do governo, agora comparem com o site da ANATEL, parece que foi escrito por uma criança e olha que tem criança hoje em dia que programa mais do que muitos de nós.
Bom, eu acho particularmente que esta decisão é de cunho politico economico, acordo feito com a Microsoft e principalmente para superfaturar os gastos com o programa e é claro tirar um pouco mais de dinheito do contribuinte. Eu li alguns comentários aqui e concordo que o ultimo programa em JAVA ficou melhor mais ainda tem bugs e no caso do IR, não dá para enviar algo com bug porque você pode cair na malha fina por conta de um problema de software do próprio governo.
Agora lhes pergunto, segundo as próprias fontes da internet os softwares tendem a ficar cada vez mais servidor, ou seja, desenvolvem-se softwares baseados em WEB. Porque não criar o software para WEB em PHP ou ASP ou JAVA (isso que já usam JAVA). Seria uma ótima opção para todos, a programação não é difícil e programando de forma inteligente também pode ser seguro. Caso alguém venha falar que o envio de informações pela internet seria inseguro, também é inseguro enviar as informações criadas pelos programas atuais da Receita quando se finaliza o processo. As informações podem trafegrar de forma bem segura quando uma aplicação é criada em servidor pois pode-se sempre fazer a consulta no banco de dados do servidor para validar informações.

Bom é isso pessoal e espero que a comunidade Linux critique de forma contundente mais esta atitude ditatorial tomada pelo Governo, pois uma democracia só é realmente democracia quando as opiniões e necessidades são respeitadas com igualdade, coisa que nunca aconteceu no Brasil efetivamente em nossa falsa democracia.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts