Quão segura é a sua senha?

Nesses tempos da era da informação, temos contas de e-mails, blogs, MSN, efetuamos compras virtuais com cartão de crédito, realizamos transações bancárias no netbanking, entre outros. Este artigo tem por objetivo dar algumas sugestões úteis para aqueles que não se preocupam muito com esse aspecto que é crucial e a diferença entre ser uma vítima ou carrasco dos piratas cibernéticos.

[ Hits: 28.167 ]

Por: Lúcio SLV em 01/02/2010


A chave mestra de todas as portas



No dicionário Priberam a palavra "segurança" essencialmente significa: confiança, firmeza, certeza, garantia. Termos estes que denotam algo sustentável de difícil abalo e nos remete a uma sensação psicológica de conforto. Nesses tempos da era da informação temos contas de e-mails, blogs, MSN, efetuamos compras virtuais com cartão de crédito, realizamos transações bancárias no netbanking, entre outros.

O acesso a tais serviços são realizados, via de regra, por algo denominado: senha. E haja criatividade para criarmos algo que não raro é facilmente esquecível e pelo bom senso não deve ser igual nos serviços mencionados. E se esquecer, certamente terá uma certa dor de cabeça para resgatá-la ou criar uma nova. Mas isso não é nada comparado com a possibilidade de alguém ter se "apossado" fortuitamente, por assim dizer, da senha do banco, do número do cartão de crédito e não menos importante e o principal meio de tentar furtar estes dados, a senha da sua conta do seu Sistema Operacional, seja ele Linux ou Windows.

Em geral, as pessoas tem uma certa tendência de criar senhas relacionadas com aspectos pessoais de suas vidas. A placa do carro, o nome da namorada(o), da esposa(o) seguido do aniversário de casamento, início de namoro, data de aniversário, o número da casa com nome da rua e coisas inocentes semelhantes a estas ou a pior delas, o famoso 123456 e suas variantes. O mais interessante é que no mundo físico, nossas casas, carros e bens são devidamente cercados de segurança, seja através de apólices de seguro, cães de guarda, cercas elétricas, portões automáticos, alarmes e câmeras de vídeo.

Linux: Qual segura é a sua senha? Por outro lado, esse mesmo cuidado não é direcionado à vida virtual que também carece deste tipo de atenção. Se você for um usuário GNU/Linux talvez pense: "O Linux é imune a vírus, não preciso me preocupar com isso! O sistema de permissionamento do sistema me dá a garantia de que não corro risco." É verdade! O nosso querido pinguim é de fato seguro, porém não imune a uma invasão se não estiver devidamente protegido com uma senha forte o bastante para desestimular um ataque. E se você nunca ouviu falar em John The Ripper, talvez seja interessante repensar sobre esse aspecto. Mas afinal, o que é uma boa senha? Veremos isso mais adiante.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. A chave mestra de todas as portas
   2. Atitude x segurança
   3. Não seja o algoz de si mesmo
   4. A arte da senha(logia)
   5. Fim de papo
Outros artigos deste autor

Será este o ano do Linux?

O Mestre, o Tecnólogo e o Aprendiz

Recupere o Grub na MBR após uma instalação do Windows

Por que mudar de sistema operacional pode ser um bom negócio?

Afinal, o que é o Ubuntu?

Leitura recomendada

Analisando arquivos de registro (log)

Implementando uma política de segurança eficaz

Computação de alto desempenho

VPN: IPSec vs SSL

CheckSecurity - Ferramenta para segurança simples e eficaz, com opção para plugins

  
Comentários
[1] Comentário enviado por affboy em 01/02/2010 - 21:34h

Cara, muito bom o artigo.

Mas a screenshot do jhon pode estar errada. O JTR empacotado ou direto do codigo fonte não consegue reconhecer o novo sistema utilizado para esconder a senha. As senhas foram atualizadas para o SHA-512.

Para conseguir o suporte, é nescessário aplicar um patch e compilar na mão. Fica a dica ;D

Parabéns de novo

[2] Comentário enviado por andrezc em 02/02/2010 - 08:27h

Qual segura é a sua senha?

R: Pergunta meio indiscreta, não acha? =p

brincadeira... muito bom o artigo.

[3] Comentário enviado por daigo em 02/02/2010 - 15:47h

O certo não seria:

Quão segura é sua senha?

[4] Comentário enviado por ronaldomjunior em 02/02/2010 - 18:57h

Ótimo artigo!

[5] Comentário enviado por Teixeira em 03/02/2010 - 04:08h

Gostei do artigo, embora tenhamos que prestar atenção a alguns fatores desfavoráveis:

1- No YouTube é ensinado descaradamente (tem várias postagens, em vários idiomas) como roubar senhas de Orkut, MSN, etc.
E por aí vemos que roubar senhas do etc. é rigorosamente a mesma coisa!
O candidato-a-cracker rouba a string com tudo o que tiver dentro, independentemente de nossas "keystrokes" mirabolantes (#p@t$ox0*95w31).
Qualquer "teenager com juízo de camarão" já sai crackeando senhas por aí, e se intitulando "hacker"...

2- Dependendo do sistema operacional ou mesmo do navegador ou dos cookies que recebemos, nossos preciosos dados pessoais ficam guardados em cache, à espera de um milagre, ou seja, que ninguém mal-intencionado resolva aproveitar-se de nosso "descuido forçado".

3- Certas senhas, apesar de supostamente difíceis, são largamente utilizadas no mundo inteiro.
Quem desejar usar a palavra "aardvark", por exemplo, estará fazendo coro com centenas de milhares de pessoas em todo o mundo que também tiveram essa "idéia original".
Essa nada mais é que uma "palavra de dicionário". A propósito, o tal de aardvark é um "porco da terra". Como descrevê-lo? Ele se parece muito com... outro aardvark!

4- Existem sites extremamente mal formulados (ou elaborados de forma criminosa mesmo) que exigem que baixemos nossa guarda para poder acessá-los.
Alguns deles mudam de página segura para página não-segura exatamente na hora em que o usuário vai entrar com seus dados.
Outros têm formulários (ah, esses formulários...) que não funcionam, a não ser justamente "naquele" navegador que é inseguro... (e os dados inseridos são transmitidos, porém não recepcionados no destino). Existe uma famosa empresa de cosméticos cujo formulário é assim, e que instala um monte de cookies bem convenientes...

[6] Comentário enviado por andrezc em 03/02/2010 - 11:12h

Opa li errado, foi mal aí ...

(Cada dia que passo preciso mais de um óculos )

[7] Comentário enviado por jbribas em 03/02/2010 - 22:49h

Por mais que a senha fosse dificil se eu tiver algum software mal intencionado no meu computador não descobririam se senha do memso jeito?? independente do S.O utilizado, concordo que engenharia social muitas vezes é a maneira de descobrir senhas pois já vi acontecer muito disso...
Adorei o artigo e parabéns!!!

[8] Comentário enviado por Miojo em 26/04/2010 - 13:06h

$ cat | python
from random import randint
spam = ''
for i in range(12):
`echo "\ \ \ \ "`spam.join(chr(randint(0, 255)))
print spam

[9] Comentário enviado por removido em 17/02/2011 - 02:37h

Oh teixeira pelo amor de Deus tu olha vidiozinho do youtube p aprender a roubar senha e acha que isso é tão facil como essa pirralhada do youtube faz???

Faça me o favor ....

[10] Comentário enviado por Teixeira em 17/02/2011 - 12:46h

Eu não acho que seja TÃO FÁCIL assim.
Na verdade, acho que é MUITO MAIS FÁCIL do que parece (o que é bem mais grave).
Mesmo porque, nem todo conteúdo do YouTube como tutorial é confiável.
O que realmente nos salva não é a dificuldade em outras pessoas obterem as senhas, mas a preguiça que a maioria dessas pessoas tem.
Simples assim.
Está TUDO registrado em nossos caches.
Ou não?


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts