Partições Linux - Faça direito!

Sabe aquela dúvida na hora de formar as partições daquele servidor que você está implementando? Afinal, qual partição criar? Qual o tamanho dessa partição? Tire essa dúvida agora.

[ Hits: 3.080 ]

Por: Alex Costa Gomes em 08/11/2019


Introdução



Olá.

Sabe aquela dúvida na hora de formar as partições daquele servidor que você está implementando? Afinal, qual partição criar? Qual o tamanho dessa partição?

Bom, a verdade é que depende do serviço que vai ser disponibilizado.

Conhecer e entender o que vai ser disponibilizado é o ponto chave de tudo. Por exemplo, imagine que o serviço oferecido é AD, seria prudente colocar o diretório /home que conterá os arquivo dos usuários em uma partição exclusiva, logo deverá ter um espaço considerável. Planejar estes detalhes vai depender da finalidade do serviço oferecido.

Mas, o que é recomendado? Qual partição é obrigatória?

Depende do serviço proposto, mas existem algumas recomendações como regra geral.

SWAP

Você sabe o que é SWAP?

Esta costuma ser a primeira partição a ser criada, mas também pode ser a última, não importa a posição no cilindro do disco, o que importa é ter pelo menos uma partição SWAP em seu sistema.

Mas afinal, o que é SWAP?

SWAP é uma área de troca, uma memória virtual no seu disco rígido, é usada quando o sistema está esgotando o uso da memória RAM. Lembrando que em sistemas Linux/UNIX, todos os módulos e aplicativos na memória RAM, isso mesmo! Caso seu Dispositivo de Armazenamento falhe, queime ou seja removido, o que estiver em memória continua disponível, ao menos até reiniciar o equipamento.

Por isso Linux/UNIX é incrível para servidores, mas o recurso de memória rápida pode ser escasso e entra em ação a memória SWAP, lógico que a memória SWAP tem processamento mais lento, porém seu sistema não vai travar por falta de área de processamento.

Entendeu a importância da partição SWAP? Agora vamos ver qual o tamanho para esta partição que está relacionada à quantidade de memória RAM disponível, veja a tabela abaixo:

Quantidade de RAM no Sistema / Quantia Recomendada de Espaço de SWAP

4GB de RAM ou menos            /   mínimo de 2GB de espaço de SWAP
4GB até 16GB de RAM            /   mínimo de 4GB de espaço de SWAP
16GB até 64GB de RAM           /   mínimo de 8GB de espaço SWAP
64GB até 256GB de RAM          /   mínimo de 16GB de espaço SWAP.
256GB até 512GB de RAM         /   mínimo de 32GB de espaço SWAP

Obs.: essa tabela é uma recomendação encontrada na documentação online da Red Hat, via link:
Nos primórdios dos Sistemas Linux, o mínimo recomendado era de 256 MB, atualmente temos encontramos sistemas com quantidade de memória RAM em uma escalabilidade crescente quase não se faz uso de memória SWAP, porém, em caso de falha dessa memória o uso de SWAP se torna alternativa para manter o sistema em funcionamento. Para partições SWAP, escolha dispositivos rápidos para amenizar as perdas por tempo de resposta.

SWAPfile

Tem alguma alternativa para SWAP?

SWAPfile é a solução para caso não tenha criado uma partição SWAP em sua instalação, ou melhor, SWAPfile é uma alternativa à partição SWAP.

Como funciona?

Simples, os arquivos não serão gravados em uma partição SWAP serão guardados em um arquivo, exatamente no arquivo /SWAPfile, com a grande vantagem de você manipular o tamanho deste arquivo como bem quiser. É muito útil caso queira hibernar o sistema, pois aqui ficarão salvos os dados para uma inicialização mais rápida do sistema. Atualmente, muitas instalações padrões substituem a partição SWAP pelo SWAPfile.

Partição para o diretório /boot

Aqui está o kernel do sistema operacional. Você encontrou a MATRIX.

Sim, a partição /boot/ contém o kernel do sistema além de arquivo usados no processo de inicialização do sistema.

Devido à importância de conteúdo deste diretório, seria conveniente colocá-lo em uma partição separada da partição raiz (/); em caso de problemas na inicialização, basta fazer a manutenção apenas em uma partição e esta nem precisa estar no mesmo dispositivo de armazenamento da partição raiz (/).

E qual o tamanho dessa importante partições? Pasmem, é necessário apenas 250 MB, isso mesmo: 250MB. Se quiser fazer em um dimensionamento maior, também não faz mal, porém 250MB é suficiente. De preferência com sistema de arquivos EXT4 (recomendado), para evitar algum problema com o gerenciador de boot (GRUB, LILO).

Partição para o diretório raiz (/)

Contém tudo e todos. A partição raiz contém todos os diretórios do sistema, por isso se torna importante saber o que será oferecido em seu servidor Linux ou mesmo em seu desktop, pois muitos diretórios contidos na partição podem ter crescimento exponencial. Pode ser o caso de separar estes diretórios em partições separadas, basta identificarmos.

Mas isso depende do que será oferecido, qual o propósito dessa instalação.

Sendo assim, não posso lhe indicar um tamanho máximo, isso dependo objetivo da instalação. Porém, o mínimo recomenda-se é de 3 GB para uma instalação mínima (exigida em um Firewall, por exemplo), ou no mínimo 5 GB em uma instalação completa (para um servidor SAMBA com o diretório /home em uma partição separada claro).

Partição para o diretório /home

Lar, doce lar.

O diretório que mais interessa para um SysAdmin e seu usuário de um servidor SAMBA. Imagine acontecer algo e você perder os arquivos, os preciosos arquivos dos usuário. Montar o diretório /home/ em uma partição separada da partição raiz minimiza os riscos e facilita um backup.

Qual o tamanho dessa participação? Não sei, se quiser pode usar um disco inteiro para isso! O mínimo recomendado é de 100 GB. Se for usar esta qualidade, melhor considerar se vale a pena separar esse diretório da partição raiz.

Partição para o diretório /var

Contém várias variáveis.

Esse diretório contém arquivos de diversos aplicativos, arquivos do servidor WEB Apache, por exemplo. Dependendo do aplicativo que você instala, mesmo em seu desktop pessoal, não vai querer perder seu conteúdo, então seja prudente Monte em uma partição separada da raiz.

Qual o tamanho? Depende da quantidade aplicativos que você pretende instalar. É recomendado o mínimo de 3 GB, use sempre mais que o recomendado, pois esse diretório contém o cache dos pacotes de atualização dos aplicativos e arquivos de logs.

Caso seja um servidor de banco de dados, saiba que aqui ficará o arquivo da sua base de dados, um MySQL por exemplo, localizado no caminho /var/lib/mysql/, que também pode ser montado em uma partição separada.

Partição para o diretório /tmp

Arquivos temporários são importantes?

Sim, uma partição para arquivos temporários. A principal justificativa se firma no fato de alguns serviços e aplicativos usarem este diretório para armazenar arquivos temporários, muitos arquivos, arquivos mutantes.

Seu firefox é um bom exemplo disso. Para evitar que sua partição raiz fique esgotada com arquivos temporários, principalmente se você usou para ela o recomendado de no mínimo 5GB.

Vale lembrar que estes arquivos são apagados na reinicialização do sistema (a Distrito Slackware não tem esse processo automatizado, cabendo ao administrador essa tarefa). Também pode haver arquivos temporários no diretório /var/tmp. Estes não são apagados no reinicialização do sistema.

Conclusão

Chegamos ao fim.

O particionamento é fundamental para o bom funcionamento do seu sistema Linux, principalmente se vai levantar algum serviço de rede. Pois será possível um melhor dimensionamento do dispositivo de armazenamento.

Outro detalhe importante, é não fazer uso de todo o dispositivo, mantenha uma parte dele fora da tabela de particionamento. Reservando-o para uma possível expansão ou criação de uma nova partição.

Mais um detalhe, o filesystem altera a árvore de diretórios, se você usa uma distribuição base Debian, provavelmente, irá encontrar diretório que não existem em uma distro baseada em Red Hat, pois usar um padrão da árvore de diretórios diferenciada.

Então, o que achou deste artigo? Preciso do feedback para avaliar se o conteúdo está com a qualidade que se espera. Isso é importante, agradeço e fiquem bem.

   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Migrando de Red Hat para Debian

BBconf, utilitário de configuração do Blackbox

Conexões redundantes à Internet utilizando Linux

Instalando e configurando o SSH

hdparm: Tire o máximo do seu HD

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Cizordj em 09/11/2019 - 12:41h

Muito interessante, nunca tinha pensado na importância das partições estarem separadas! Enquanto lia o artigo já me veio algumas situações na cabeça kkk
________________________________________________
O programador tem a mania de achar que tudo é objeto

[2] Comentário enviado por alima72 em 13/11/2019 - 08:46h

Instalei a swap entre / e o /home. Terá algum problema de funcionamento?

[3] Comentário enviado por rregorr em 13/11/2019 - 09:09h

Você tem certeza q a partição /BOOT armazena o kernel do sistema? Fiz uma instalação de um distro Debian e setei a partição em 50MB e até agora não tive problema.
Se a partição boot armazena o kernel do linux, com, esse tamanho o sistema nem deveria iniciar.

[4] Comentário enviado por gomesalex em 13/11/2019 - 16:35h


[2] Comentário enviado por alima72 em 13/11/2019 - 08:46h

Instalei a swap entre / e o /home. Terá algum problema de funcionamento?


Não tem problemas, tanto que você pode criar outra partição que pode ser alocada em outro setor do disco e ficar com duas ou mais áreas de troca.

[5] Comentário enviado por gomesalex em 13/11/2019 - 16:45h


[3] Comentário enviado por rregorr em 13/11/2019 - 09:09h

Você tem certeza q a partição /BOOT armazena o kernel do sistema? Fiz uma instalação de um distro Debian e setei a partição em 50MB e até agora não tive problema.
Se a partição boot armazena o kernel do linux, com, esse tamanho o sistema nem deveria iniciar.


Quando estava pesquisando sobre o assunto, me vi surpreso com o tamanho do Kernel Linux, ele tem várias linhas mas dependendo da distribuição seu tamanho fica de 1MB a 4MB, é bom ter mais espaço para atualizações ou manter outras versões do Kernel.
Usa o comando "dmesg | grep Memory" ele vai mostra o espaço ocupado pelo kernel na sua instalação.

[6] Comentário enviado por matsumiya em 18/11/2019 - 15:21h


[3] Comentário enviado por rregorr em 13/11/2019 - 09:09h

Você tem certeza q a partição /BOOT armazena o kernel do sistema? Fiz uma instalação de um distro Debian e setei a partição em 50MB e até agora não tive problema.
Se a partição boot armazena o kernel do linux, com, esse tamanho o sistema nem deveria iniciar.


Vc pode facilmente verificar isso fazendo um "du -h /boot/*" no seu sistema. Aqui no meu (SLES 15 SP1) a imagem de boot (vmlinuz) tem 6.9MB, porem os initrd tem 22MB+. Nao sei por qual motivo vc setou somente 50MB para /boot, tendo em vista que hoje em dia 500MB em um HD eh irrelevante (na maioria dos casos). Mas aconselho vc aumentar isso um pouco mais para nao ter problemas futuros, por exemplo upgrade pra um kernel q nao boota: no seu caso vc tera somente 1 kernel disponivel no sistema e tera q fazer o repair via live CD.

[7] Comentário enviado por matsumiya em 18/11/2019 - 15:27h


Por isso Linux/UNIX é incrível para servidores, mas o recurso de memória rápida pode ser escasso e entra em ação a memória SWAP, lógico que a memória SWAP tem processamento mais lento, porém seu sistema não vai travar por falta de área de processamento.


Nao recomendo depender da swap em nenhum caso. Em servidores grandes (128GB ou mais de RAM), eh fora de cogitacao ter mais de 8GB de swap. O sistema *vai cair* sim.
Se seu workload esta atingindo o maximo de RAM, exigindo memoria swap, seu sistema tem maiores problemas que precisam ser corrigidos de outra forma (aumentar a RAM eh uma delas. Analisar o workload e fazer os tunings necessarios eh outra maneira).

Ter a swap nesses casos soh serve para ter tempo suficiente para pegar um kdump do sistema para analisar pq o workload esta deixando o sistema sem memoria.

Um sistema que ja esta rodando somente na swap eh inutilizavel.

[8] Comentário enviado por gomesalex em 20/11/2019 - 08:05h


[7] Comentário enviado por matsumiya em 18/11/2019 - 15:27h


Por isso Linux/UNIX é incrível para servidores, mas o recurso de memória rápida pode ser escasso e entra em ação a memória SWAP, lógico que a memória SWAP tem processamento mais lento, porém seu sistema não vai travar por falta de área de processamento.


Nao recomendo depender da swap em nenhum caso. Em servidores grandes (128GB ou mais de RAM), eh fora de cogitacao ter mais de 8GB de swap. O sistema *vai cair* sim.
Se seu workload esta atingindo o maximo de RAM, exigindo memoria swap, seu sistema tem maiores problemas que precisam ser corrigidos de outra forma (aumentar a RAM eh uma delas. Analisar o workload e fazer os tunings necessarios eh outra maneira).

Ter a swap nesses casos soh serve para ter tempo suficiente para pegar um kdump do sistema para analisar pq o workload esta deixando o sistema sem memoria.

Um sistema que ja esta rodando somente na swap eh inutilizavel.


matsumiya muito bem colocado, quando a carga de trabalho consumir todo o recurso de memória RAM, A SWAP/SWAPFILE vai um recurso para não derrubar o servidor, um upgrade vai ser necessário ou analisar os processo da carga de trabalho do servidor.

[9] Comentário enviado por Borg_Atomic em 23/11/2019 - 12:48h

A minha recomendação é 1 Gb de BOOT
Vou mostrar aqui como está a meu boot no df -h:
Sist. Arq. Tam. Usado Disp. Uso% Montado em
/dev/sda6 991M 363M 561M 40% /boot
Já tive problemas por causa disso, acontece que existem usuários que instalam muitos programas, causando muitas dependências com versões do kernel, fazendo o mesmo ficar cheio de versões de kernel, já vi um usuário daqui com esse mesmo problema, o boot dele estava com mais de 700mb e cheio

[10] Comentário enviado por weldersilva em 03/12/2019 - 07:58h

Bacana. Não havia ainda visto os detalhes das partições explicados de maneira objetiva como feito aqui.

[11] Comentário enviado por morvan em 09/12/2019 - 16:10h

N´algumas partições eu uso os defaults, como /swap e /boot: 16GB e 1GB, respectivamente. O raiz eu utilizo 60GB e crio uma partição com flag bios_boot, 10MB, obrigatória, nos Fedora e RH, quando se instala padrão EUFI (o Anaconda, instalador padrão RH, a cria automaticamente, em detectando esquema GPT).
Como me é costumeiro ter mais de uma Distro por disco, também não deixo de ter todas as partições rotuladas (boot0, boot1; sis0, sis1; homesis, etc.). Ajuda demais na hora de manter.
No mais, só elogiar o autor por abordar tema injustamente subestimado.
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts