Mamãe, quero Arch! (parte 2 - final)

Esta é a última parte de "Mamãe, quero Arch!". Instruções gerais complementando o artigo anterior para que o usuário faça alguns ajustes no Arch Linux depois de sua instalação e configuração básica para desktops. Direcionado para usuários iniciantes, mas não necessariamente leigos.

[ Hits: 49.225 ]

Por: Xerxes Lins em 30/09/2009 | Blog: https://voidlinux.org/


AUR e Yaourt



AUR

AUR (ArchLinux User-community Repository, ou "Repositório dos Usuários-Comunidade ArchLinux") é um repositório criado e mantido pelos usuários do Arch Linux. Muitos usuários do Arch gostam de criar seus próprios pacotes a partir do código fonte dos mesmos. Assim é possível que você encontre nesse repositório pacotes não encontrados nos repositórios oficiais.

O AUR está disponível no idioma português em:
Para fazer um teste, acesse o AUR e procure por "acroread". Você irá se deparar com uma lista de pacotes que contém a palavra pesquisada. Baixaremos e instalaremos um pacote do AUR para servir de exemplo.

Clique em "acroread-ptb", que é o pacote do Adobe Acrobat Reader em português do Brasil. Na nova página você verá informações sobre o pacote, tais como mantenedor e dependências.

Clique no link Tarball, que é o link do pacote e salve-o na área de trabalho ou em um diretório de sua preferência. Supondo que você salvou na sua área de trabalho, abra o terminal e navegue até onde o pacote foi salvo:

cd ~/Desktop

Descompacte-o:

tar zxvf acroread-ptb.tar.gz

Entre no novo diretório:

cd acroread-ptb

Dentro desse diretório há um arquivo chamado PKGBUILD. Você poderá ver isso listando os arquivos:

ls

Ele contém informações sobre o pacote e como compilá-lo. Não se preocupe com isso! Apenas saiba que o PKGBUILD é o arquivo que possui as instruções para criação do pacote no formato aceito pelo Arch Linux.

Crie o pacote:

makepkg

O resultado será algo no seguinte formato: "nomedopacote-versão-arquitetura.pkg.tar.gz". Veja com:

ls *pkg.tar.gz

Levando em conta que você já habilitou o SUDO, instale o pacote com com o comando:

sudo pacman -U nomedopacote-versão-arquitetura.pkg.tar.gz

Pronto, pacote instalado com sucesso! Achou trabalhoso? Se sim, então talvez goste da próxima dica onde veremos uma maneira de automatizar o processo de instalação dos pacotes AUR. Isso é possível usando a ferramenta Yaourt.

Yaourt

Yaourt (Yet AnOther User Repository Tool ou "ainda outra ferramenta de repositório de usuário") é, como o próprio nome sugere, uma ferramenta que tem uma função igual à do Pacman, mas com o diferencial de usar não apenas os repositórios oficiais, mas também o AUR. É uma espécie de Pacman melhorado, mas os parâmetros são os mesmos do Pacman.

Instalação do Yaourt:

Para instalar o Yaourt, edite o arquivo pacman.conf:

# nano /etc/pacman.conf

E ao final do arquivo adicione o seguinte.

Para i686:

[archlinuxfr]
Server = http://repo.archlinux.fr/i686

Para x86-64:

[archlinuxfr]
Server = http://repo.archlinux.fr/x86_64

Salve e feche o arquivo.

Agora sincronize com os novos servidores adicionados e instale os pacotes necessários:

# pacman -Sy base-devel yaourt

Fonte: Yaourt - wiki.archlinux.org

Usando o Yaourt:

Um diferencial em relação ao Pacman é que o Yaourt deve ser utilizado pelo seu usuário comum e não pelo root. Quando solicitado a senha do root, porém, use-a. Veremos o porquê disso mais à frente.

Para testá-lo, faça:

yaourt -Ss acroread-ptb

Se o pacote já foi instalado, você verá um aviso de "[installed]".

Para procurar um pacote e instalá-lo, faça simplesmente:

yaourt nomedopacote

(Sim, sem o "-Ss").

Será exibida uma lista numerada dos pacotes encontrados. Você poderá então selecionar os pacotes que deseja digitando os seus respectivos números (separados por espaço) e depois teclar enter para baixá-los e instalá-los.
Linux: Mamãe, quero Arch! (parte 2 - final)
Nada impede que você use a opção "-Ss" também, mas nesse caso não será exibida a lista dessa maneira. A numeração ao lado do nome do pacote é referente a quantidade de votos que o pacote recebeu da comunidade.

Obs.: se, ao escolher um pacote para instalação, você se deparar com a mensagem: "( Unsupported package: Potentally dangerous ! )", não se preocupe, isso é padrão. Apenas tecle "n" se não quiser editar o arquivo e depois tecle "y" para continuar.

Votando em um pacote:

Se você se cadastrar no AUR, entre outras coisas, ganhará o direito de votar a favor de um pacote para que ele se torne oficial. Após uma determinada quantidade (que eu desconheço) de votos, um pacote do AUR passa a integrar a lista do repositórios oficial Community. Para se cadastrar acesse:
Para votar, basta logar-se na página do AUR, ir até a página de um pacote e clicar em "Vote". Se a qualquer momento mudar de ideia, basta clicar em "UnVote" para retirar o seu voto daquele pacote.

Há outra maneira de votar, usando o Aurvote. Para instalá-lo basta:

yaourt -S aurvote

Depois crie o arquivo .aurvote:

nano ~/.aurvote

E adicione o seguinte:

user=SEU_USUÁRIO_AUR
pass=SUA_SENHA

Ou seja, esse arquivo armazena seu usuário e senha do AUR. Assim, sempre que você instalar um pacote via Yaourt, será perguntado se deseja voltar no mesmo. Se você responder que sim, o voto será efetuado sem que você precise entrar na página do AUR.

Concluindo

O AUR é muito útil e expande bastante a quantidade de pacotes para o Arch Linux, porém há uma pequena margem de perigo em seu uso. Como os pacotes não são oficiais, existe a possibilidade de que algum usuário mal intencionado coloque algum código danoso no PKGBUILD para prejudicar o seu sistema. Embora a possibilidade seja remota, ela existe. É por isso que o Yaourt deve ser utilizado pelo usuário comum e não pelo root.

Se você for do tipo medroso, evite pacotes com baixo número de votações, pois isso indica que trata-se de um pacote não muito popular e, teoricamente, se o pacote contiver algum código prejudicial, haverá menos chance dele ter sido denunciado.

Bem, eu uso o Arch Linux há alguns meses e costumo usar bastante o AUR e nunca tive problemas com os pacotes. Só avisei por avisar, mas considero a margem de risco muito pequena, praticamente zero, embora exista.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Primeiros ajustes
   2. AUR e Yaourt
   3. Trocando a "roupa" do Arch
   4. Compiz e efeitos
   5. Algo sobre jogos
   6. Opcionais e finalizando
Outros artigos deste autor

Instalação do Funtoo GNU/Linux em VirtualBox

Slackbuilds para leigos

Como transformar Salix OS em Slackware

Brutal DOOM no Linux Mint (Ubuntu)

Quero facilidade!

Leitura recomendada

O útil comando "du"

Reconhecimento se obtém por mérito e não por força

Sugestões sobre distros Linux e particionamento de HD

Instalação passo a passo do Slackware 12.2

Deixando o Ubuntu (ou outra distro) parecido com o Mac OS X

  
Comentários
[1] Comentário enviado por stremer em 30/09/2009 - 10:04h

Ja faz um tempo que venho utilizando o Arch Linux em meu Desktop caseiro como unico SO instalado (nao tenho nem mais dual boot), embora nao esteja ainda utilizando aqui na empresa, posso resumir o Arch Linux da seguinte forma:

1) Facil e pratico igual o Ubuntu e Fedora
2) Completo de drivers (pelo menos pro meu desktop) igual o Mandriva
3) Personalizavel e Otimizavel igual o Slackware
4) Rapido igual o Gentoo
5) KISS igual todo bom linux

Estou utilizando a versao x86-64. Em relacao a performance e facil deixar o Arch igual ate mesmo o Gentoo pois nao muda muita coisa em baixar binarios ja para 64 bits ou mesmo i686 e compilar seus fontes. Da mesma forma que o Arch ja tem um kernel "leve" e nao e necessario nem mesmo recompila-lo (a diferenca sentida foi pouquissima ao contrario do ubuntu).
Ao meu ver e muito mais facil instalar e deixar o Arch otimizado e pronto para uso do que o distros como o Ubuntu mesmo, pois estas podem ser mais facil na instalacao inicial porem depois se perde muito tempo para deixar bem otimizada (a nao ser que use somente coisas simples e nao ligue para um desktop pesado).

Outra coisa muito legal no Arch eh o fato de ser Rolling Release... de que adianta demorar um baita tempo (que male male voce tem) para deixar o sistema redondinho e depois de 2 meses sai uma versao nova e a versao velha e esquecida ate mesmo nos bugs... bem, da para migrar, sim... mas quem garante que funciona... por isso deixei o Ubuntu e por enquanto o Arch esta me deixando muito satisfeito neste ponto.

Infelizmente um ponto negativo pro Arch e que ele nao e super estavel por ter versoes novas dos pacotes... por isso eh uma distro para desktop. Eu nao arriscaria usa-lo em servidor, ao contrario do slackware e gentoo, embora acredito que para coisas simples (WebServer, FileServer, Proxy, Internet, etc) seja bastante possivel usa-lo.

Outro ponto que perde pro ubuntu (um dos unicos) e a questao dos repositorios, embora o AUR acabe com este problema. Um dos problemas que tenho enfrentado sao repositorios sobrecarregados/lentos em determinados horarios. Estou testando varios para achar um mais adequado.

Em relacao a dificuldade, o Arch pode ser dificil no comeco (para quem nao esta habituado com o linux), mas no final qualquer linux ate mesmo o Ubuntu ainda precisa editar arquivos na mao e nesse ponto os arquivos do arch sao simples e organizados.

Nota 10 pro artigo! Nota 10 pro Arch!

[2] Comentário enviado por stremer em 30/09/2009 - 10:27h

Apenas um complemento, antes que me "crucifiquem"... quando digo que o Arch e rapido igual o Gentoo eh no caso de um uso normal de desktop, usando um processador e uma instalacao de 64 bits, redondinha.
A diferenca e minima.
Porem no caso de servidores que devem atender 10 mil usuarios simultaneos, ou mesmo estacoes de trabalho graficas e ate mesmo desktops mais velhos, o gentoo e insuperavel quando se fala em performance, pois ele se molda ao seu computador, compilando tudo exatamente para ele da melhor forma possivel.
Porem em um desktop normal, pequenas configuracoes serao gargalos muito maiores, ou seja, usando uma distro otimizada para i686 ou x86-64 como o arch com um kernel leve, e otimizando os servicos do sistema, o resultado e praticamente o mesmo. Inclusive eh possivel ter a mesma performance com um Ubuntu 64 bits, mas eh necessario muito mais customizacao/otimizacao para isto.

[3] Comentário enviado por xerxeslins em 30/09/2009 - 10:58h

@stremer: concordo com você. O Arch tem muitas vantagens.... mas essas distros de compilação como gentoo, Funtoo... são as de melhor desempenho, já que são bem específicas (e trabalhosas). O arch consegue ser uma distro para desktop com desempenho próximo a essas distros só que com bem menos trabalho. Eu tbm não sinto muita necessidade de compilar o kernel do arch.. basta instalar os pacotes e seguir usando, atualizando sem precisar reinstalar.

[4] Comentário enviado por junior em 30/09/2009 - 14:43h

Parabéns Xerxes!!!
Assim que possível vou instalar em casa.


[5] Comentário enviado por hqxriven em 30/09/2009 - 18:43h

Stremer e xerxeslins vcs estão acompanhando as novas otimizações no CFS (scheduler) sugeridas pelo Ingo Molnar (seu criador) e outros desenvolvedores e os testes feitos pela galera para o CFS superar o BFS???

Testei elas em um Ubuntu e em Debian e ele ficou mais rápido que o Archlinux (padrão) em minha máquina... Já pensaram no estrago que uma otimização dessas faz no Archlinux redondo?? Provavelmente ficará muitooo rápido (eu ainda tenho que testar no Archlinux)...

Aproveitei e fiz um patch para a versão 2.6.30

Aqui tem alguns relatos:

http://ubuntuforum-br.org/index.php/topic,29799.msg321289.html#msg321289

E o meu humilde blog onde só tem uma mensagem (ele sempre teve uma mensagem...)

http://dicasediversao.atbhost.net/blog/

Obrigado a todos

Hqx

[6] Comentário enviado por albfneto em 30/09/2009 - 21:02h

A diferença de velocidade existe sim, Arch é muito rápido, mas o gentoo é o linux mais rápido que ví...
agora se comparar com o mesmo ambiente gráfico, porque gentoo com KDE 4 não é mais rápido que Arch com XFCE.
depende.
Xerxes saiu Gentoo novo... parec que agora, nãi precisa ser Hacker para poder instala-lo! rrdrdrsrrsrsrsrrsrs

[7] Comentário enviado por xerxeslins em 30/09/2009 - 23:11h

@Albfneto: opa! num precisa mais ser hacker pra instalar gentoo? rsrsrs isso sim é que é novidade! Baixarei e testarei! Valeu!

@hqxriven: vou me informar sobre isso =]

[8] Comentário enviado por hqxriven em 30/09/2009 - 23:44h

xerxeslins se vc quiser ir lá no fórum ubuntu e conversar sobre isso eu passo a vc algumas coisas para incrementar o kernel no archlinux e alguns patches legais para vc testar...

E fique atento pois estão aparecendo coisas interessantes sobre o CFS...

[9] Comentário enviado por hlmerscher em 01/10/2009 - 13:33h

Ótimo artigo Xerxeslins!
Lí outros artigos seus, como o "Mamãe quero slack!!!" e outros, todos de grande clareza e exposto de forma simples. Meus parabéns!

[10] Comentário enviado por xerxeslins em 01/10/2009 - 13:37h

Obrigado!

[11] Comentário enviado por removido em 01/10/2009 - 14:16h

Muito bom!!!
Arch é uma boa distribuição e concerteza com esse mini tutorial vai trazer novos usuarios :)
Parabéns!!!!

[12] Comentário enviado por augustouser em 01/10/2009 - 23:10h

Sensacional, Xerxeslins.
Com o perdão da palavra, mas pra variar você criou um "puta" dum artigo =p
A melhor descrição que já vi a respeito de Arch. Essa parte dos jogos então, me fez pensar em tentar a instalação de alguns.

Infelizmente algumas coisas ainda me obrigam a ter o windows instalado, como jogos e aplicações de engenharia, como Hysys, Mathcad, ... Sobre os jogos eu ainda dispensaria, o problema são os programas científicos, que não tenho condições de substituí-los por algo open source. Aproveito, então, já que o amigo apresenta amplo conhecimento e entende os objetivos do usuário desktop iniciante/intermediário, pra te pedir um artigo similar a esse sobre o Wine, de como rodar aplicações desse tipo que citei.

[]'

[13] Comentário enviado por xerxeslins em 02/10/2009 - 00:18h

@augustouser: Valeu! =]

Nunca usei muito o wine, mas gostei da sugestão... pensarei a respeito!

[14] Comentário enviado por analfabeta em 02/10/2009 - 17:08h

Por favor, não recomende o uso do Yaourt! Qualquer usuário que acompanhe a distro sabe que além de não ser mais mantido, o Yaourt possui uma SÉRIA falha de segurança. A todos que possuem esse programa instalado, removam o mais rápido possível e não usem nunca ele.

[15] Comentário enviado por tvieira em 04/10/2009 - 01:27h

Muito bom o seu artigo, me deu coragem para instalar aqui na minha máquina e estou gostando. mas estou encontrando um problema para instalar a minha placa wireless que é uma BCM9312. Você tem alguma idéia como que eu posso instala-la?


Abraços e Parabéns novamente!

[16] Comentário enviado por marcos.ramos em 11/10/2009 - 13:03h

Quanto ao artigo, parabéns! Mas parabéns MESMO!

Eu to cansado de artigo que só fala em termo técnico, de "developer to developer". Eu uso o arch no meu PC, nem precisava de ler os dois artigos, mas a linguagem utilizada foi tão 'leve' que li os dois =)

Falando um pouquinho do Gentoo, uma excelente distro, não há como negar. Para servidores onde é necessária extrema velocidade é o melhor no ramo. Porém...

Para as necessidades de um usuário comum, o arch linux vem a cahar. É um sistema muito simples, e para o meu uso, onde o máximo que eu faço é rodar o eclipse/netbeans/inkscape/kompozer/gimp/internet/mysql... etc., é uma distribuição praticamente perfeita! Simples de configurar, com um kernel que voa!!!

O único problema que eu tive foi uma vez que o driver das placas intel mudou de nome numa atualização, e o X quebrou. Mas só foi mudar uma linha e tudo se resolveu!

Abraços!!

[17] Comentário enviado por removido em 20/10/2009 - 12:02h

Mamae, Continuo Usando Arch!
Abracos.

[18] Comentário enviado por sudopp em 20/10/2009 - 13:28h

muito bom artigo!!
ja tentei instalar varias vezes o arch, mas sem exito, algumas vezes pacman-Syu o sistema ficava atualizando por mais de hora e depois dava erro, mesmo tendo conexao rapida, ja o gentoo instalado via live cd instalacao grafica umas duas horas, so que e dureza a configuracao depois, muito complicado! ja o debian minimal + apt-build (compilacao forte pro seu cpu)+ so os pacotes que eu quero umas tres horas, leve e rapido, com repositorios bons e rapidos, se quiser recompilar o kernel pro seu cpu facil, nao perde tanto pro gentoo, e configuracao rapida com documentacao que enche ate o saco de tanto que tem. essa coisa de pacotes bem atuais, e uma coisa relativa, se for por causa de seguranca, otimo, mas no desktop, e muito relativo, nunca ouvi ninguem reclamando de ser invadido no desktop por ter um kernel velho, com pacotes antigos, tem um ubuntu dapper aqui configuradinho desde o lancamento, faco de tudo nele, sem problemas, nunca mais mexi nele. mas vou continuar tentando instalar o arch, mas e dificil largar a facilidade do apt

[19] Comentário enviado por removido em 11/11/2009 - 09:59h

Muito bom.
Utilizo em meu computador como único S.O. uma excelente distruição. Recomendo a todos.
Meu ambiante gráfico é KDE. =]

[]'s

[20] Comentário enviado por removido em 15/12/2009 - 12:05h

Legal :)

[21] Comentário enviado por irado em 06/01/2010 - 17:20h

muito bom os dois artigos; normalmente se diz, quando um artigo praticamente esgota um assunto, tratar-se de um "artigo de fôlego", não? pois bem, êste foi um "artigo de fôlego profundo" porque além de (quase) esgotar o assunto consegue o feito de atrair REALMENTE a nossa atenção, não dá pra não ler, nem levantar pra fazer pipi ou cafezinho.. dá gosto de ler.

parabéns pelo conhecimento e pela didática (sem esta, aquêle é quase inútil para nós, leigos). Competência e das grandes, demonstrada pelo xerxeslins.

enfim: o artigo só não é perfeito porque perfeição não existe (risos), senão.. seria perfeito.

tentei em uma ocasião instalar o arch mas desisti não por culpa da distro, veja bem, mas apenas porque não havia anotado ONDE ficam as instruções complementares da instalação (risos).. e, na tela pretinha vc não tem como acessar wiki.algumacoisa.etc; até teria (links, lynx ou w3) mas precisaria instalar primeiro e.. cadê que achei as instruções? (risos).

acho que vou tentar novamente - o artigo me estimulou a instalar a 4a distro compartilhada (não, NÃO TENHO (r)windows lá) pra ver se consigo mas, desta vez vou anotar as instruções ANTES de começar.

ah.. ao invés de algumas horas de instalação estou prevendo DIAS (meu link é de 100k, virtua); dá pra interromper/reiniciar sem perder? (o CentOS/yum permite isso)


[22] Comentário enviado por xerxeslins em 06/01/2010 - 18:25h

irado,

Obrigado pelas palavras elogiosas =)

Respondendo sua pergunta, dá para interromper sim o download e continuar depois do ponto em que parou.

Abraço!

[23] Comentário enviado por landex em 10/06/2010 - 13:40h

Bem legal este artigo.. Me anima muito na mudança de distro.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts