Introdução ao Fortran (parte 1)

Neste artigo veremos como programar em Fortran no GNU/Linux.

[ Hits: 61.817 ]

Por: André em 31/07/2010


Introdução



Autor: André S. Rosa Junior a.k.a Fairplay
Security Analyst / Programmer

Neste artigo conheceremos um pouco sobre a linguagem Fortran, um pouco da sua sintaxe e recursos. Muitos não usam Fortran por ser uma linguagem arcaica, antiga. Eu mesmo pensava assim até conhecer esta linguagem, daí resolvi compartilhar o que sei com vocês, pois o conteúdo sobre Fortran é fraco e difícil de ser encontrado na rede. Irei publicar um trecho do Wikipédia, onde o mesmo fala sobre Fortran.

A família de linguagens de programação conhecida globalmente como Fortran foi desenvolvida a partir da década de 1950 e continua a ser usada hoje em dia. O nome é um acrônimo da expressão "IBM Mathematical FORmula TRANslation System"

As versões iniciais da linguagem eram conhecidas como FORTRAN, mas a capitalização foi ignorada em versões recentes da linguagem começando a partir do Fortran 90. Os padrões oficiais da linguagem referem-se a ela atualmente como "Fortran".

A linguagem Fortran é principalmente usada em Ciência da Computação e Análise Numérica. Apesar de ter sido inicialmente uma linguagem de programação procedural, versões recentes de Fortran possuem características que permitem suportar programação orientada por objetos.

Retirado de:
Aqui utilizarei o sistema operacional Linux, o compilador GFortran e o editor Geany. Minha distribuição é o Debian para ser mais específico. Você pode utilizar outro editor de sua preferência como o VI, Nano, Gedit etc. Para quem está no Windows, sugiro que obtenha o pacote Force, onde terá um compilador Fortran e um editor para o mesmo.

Obtendo os recursos para o desenvolvimento:

Instalando o GFortran (no Debian ou em distribuições baseadas):

# apt-get install gfortran

Instalando o Geany:

# apt-get install geany

No Red Hat, Fedora ou derivados, pode ser instalado com o comando:

Instalando o GFortran:

# yum install gfortran

Instalando o Geany:

# yum install geany

No Mandriva você pode instalar tais programas com:

Instalando o GFortran:

# urpmi gfortran

Instalando o Geany:

# urpmi geany

E por fim, no *SUSE (openSUSE, SUSE Linux Enterprise) você pode instalá-los com:

Instalando o GFortran:

# yast install gfortran

Instalando o Geany:

# yast install geany

Bom, para quem usa outra ou prefere instalar as ferramentas na mão, sugiro que visitem a página:
E quanto ao editor, fica a escolha. Caso queira o Geany, visite:
Agora que estamos preparados, vamos partir para a prática! :p

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. O comando PRINT
   3. Variáveis - Integer
   4. Variáveis - Real
   5. Conclusão
Outros artigos deste autor

Fedora 12 - instalação e uso

Pentesting on PHP apps: XSS

Deixando o Debian redondo após instalação

L.F.A.Q : Linux Frequently Asked Questions

Trabalhando com a interface gráfica em Java (parte 2)

Leitura recomendada

Explorando a entrada de dados com READ em Bash Shell

AWK - Introdução

Introdução ao uso de Shell Script

Introduzindo um pouco mais a fundo o shell script

Shell Script para WEB

  
Comentários
[1] Comentário enviado por albfneto em 31/07/2010 - 14:27h

Puxa que legal, trazendo de volta o Fortran!

[2] Comentário enviado por andrezc em 31/07/2010 - 14:48h

Fortran é uma ótima linguagem, creio que muitos aqui assim como eu são fãns de linguagens antigas.

[3] Comentário enviado por danilo21 em 31/07/2010 - 16:00h

Depois de C e Assembly, a linguagem "classica" mais simpática ao meu ver. Nunca aprendi, mas está na lista "To-Learning" tem um tempinho, deu até vontade de começar agora.

[4] Comentário enviado por andrezc em 31/07/2010 - 16:02h

Oi Danilo, C e Assembly são as melhores, porém, nunca conseguir aprender Assembly a fundo :-(

Um dia eu chego lá :)

Um abraço.

[5] Comentário enviado por danilo21 em 31/07/2010 - 16:23h

Assembly é sofrimento puro, eu sei um pouco de assembly X86(nasm), mas nada surpreendente. O assembly x86_64 me assusta com sua quantidade absurda de registradores.
Um dia eu chego lá[2]
abraços.

[6] Comentário enviado por andrezc em 31/07/2010 - 16:30h

Como você disse, é puro sofrimento mesmo, o pouco que eu mexi com Assembly sintaxe Intel já deu pra me tirar o sono :p

Um abraço.

[7] Comentário enviado por nicolo em 02/08/2010 - 14:10h

Que legal, já estudei fortan 3 vezes, comecei em 1973 com o fortran 77 furando cartões numa máquina parecida com uma escavadeira.
Era um desespero, nada dava certo.
A última vez foi com um XT que tinha dois drives de floppy de 5 1/4 polegadas.
Até hoje não aprendi nada.
Não é agora que vou aprender.

[8] Comentário enviado por gomes-fdr em 02/08/2010 - 17:30h

Vou programar em Fortran neste semestre - estava em dúvida como faria isso no Linux, obrigado pela dica.
Saudações.
Fabiano

[9] Comentário enviado por upaf em 04/08/2010 - 14:31h

O Fortran ganhou um cara boa, desde a época em que eu o vi no colégio a algumas décadas atrás... :)

André, no começo do artigo você mencionou que o Fortran é indicado para aplicações científicas e cálculos numéricos. É claro que aqui você deu exemplos bem simples, mas além do lado saudosista, qual é a vantagem do Fortran perante as linguagens mais modernas? Mesmo comparado à velha linguagem C ou Java, o que é que o Fortran faz que os outros não fazem?

[10] Comentário enviado por andrezc em 05/08/2010 - 08:19h

Oi upaf , comparado a linguagem C nenhuma. Mas já em linguagens modernas como Java, C# e etc. Temos algumas diferenças grandes, e nestas linguagens temos a famosa OOP (oriented object programming). Vejo o Fortran ideal para aplicações cientificas, mas se quer mesmo saber o que eu gostei mais, foi um pouco da dificuldade, comparado com o Java, que é uma linguagem "fácil". Este tipo de llinguagem ajuda no aprendizado e na lógica no meu ponto de vista.

Um abraço.

[11] Comentário enviado por andopes em 08/10/2010 - 11:04h

Uma das grandes vantagens do Fortran é a sua impressionante eficiência e praticidade ao se implementar cálculos numéricos.
Um código escrito em Fortran, para cálculos numéricos, chega ter QUASE o mesmo desempenho do equivalente em C, com o diferencial da facilidade de implementação devido a gama de bibliotecas disponíveis.
O Fortran também dispõe de OOP, se você estiver utilizando os recursos do Fortran 90, 95 e 2000.

[12] Comentário enviado por Djalma_Jr em 11/03/2012 - 06:50h

Muito bom o artigo, estou precisando aprender FORTRAN para usar no meu projeto de iniciação científica, ajudou bastante.

[13] Comentário enviado por jarlisson em 17/07/2012 - 21:02h

Ainda é muito visto em cursos de Matemática e Física pelas Universidades do país.
É rápido e eficiente para coisas que necessitem de foco nos cálculos, e nada mais.

[14] Comentário enviado por crafaelsdo em 30/05/2017 - 10:16h

Cara, o arquivo a.out é só um arquivo de saída você pode gerar um executável em si acrescentando "-o nome_do_executável" (no seu caso ficaria "gfortran 1.f90 -o nome_do_excutável" assim ele cria uma arquivo binário (sem extensão).


Contribuir com comentário